MENU

Escrito por • 30/01/2010

2009: o tamanho da rede

a internet e a web estão aí há tempos mas seus números não deixam de impressionar. vai ser assim ainda por alguns anos, até que todos nós estejamos na rede e os números passem a parecer normais [mesmo que não sejam].

quer ver, olhando só pra emeio? em 2009, foram enviados buzilhões de emeios [na verdade, noventa trilhões] e quase todos eram SPAM. como assim, quase todos? assim: a média de spam do ano inteiro foi 81% e a do fim do ano chegou a 92%. ou seja, se eu e você estamos na média, pelo menos oito em cada dez emeios que recebemos em 2009 eram alguma forma de spam.

eu uso um filtro muito bom mas mesmo assim tenho que deletar à mão um monte de mensagens: uma que propõe um aumento dos meus seios [!] outra, uma extensão do pênis, uma terceira quer me vender um treinamento sobre planilhas excel, mais uma que vem da máfia nigeriana [putz!], outra tenta me cooptar pra mandar ainda mais spam [vendendo uma lista de endereços…], a quinta quer me fazer comprar comprimidos azuis [enviados do leste europeu], a sexta tem uma forma revolucionária de emagrecer… e por aí vai.

danado é que qualquer filtro, por melhor que seja, sempre detona um bom número de mensagens legítimas, aumentando o trabalho de quem fica a peneirar na caixa de spam o que foi excluído da lista de mensagens legítimas, atrás de alguma coisa de interesse. do lado oposto dos filtros, que são máquinas virtuais, estão as máquinas que mandam spam e que também são usadas para invadir outras máquinas.

o número de zumbis, máquinas dominadas por algum invasor sem que seu dono faça a menor idéia, aumentou à razão de quase 150.000 novos computadores por dia. faça as contas: a cada hora, a galera do mal se apropria de mais de 6.000 computadores pra atanazar eu e você.

por isso é que há quem [incluindo o wall street journal] diga que emeio está morto como mecanismo de comunicação. sei não; ainda não está, mas parece estar bem perto, a continuar assim. e até porque as redes sociais estão assumindo, rapidamente, o papel de principal interface de interação entre pessoas.

image

resumo da ópera: por dia, em 2009, rolaram 247 bilhões de emeios no planeta, envolvendo mais de 1.4 bilhões de endereços; mais de 200 bilhões era spam, em média, número que cresceu 24% em relação a 2008.

estes dados fazem parte de um apanhado de royal.pingdom sobre o tamanho da internet, usando dados de várias fontes; vá lá ver. nem tudo é coerente, porque os mecanismos de medida e avaliação variam entre as diversas fontes. mas o todo dá uma idéia razoável do que é a rede, hoje, com mais de 1.7 bilhões de pessoas [só 10% na américa latina e caribe], 234 milhões de sites, 187 milhões de domínios [ache um nome livre, se puder…], 126 milhões de blogs e quase 30 milhões de tweets todo santo dia.

pra ir direto às fontes dos dados mencionados neste texto [e muito mais], clique nos links abaixo, cortesia de royal.pingdom:

Website and web server stats from Netcraft. Domain name stats from Verisign and Webhosting.info. Internet user stats from Internet World Stats. Web browser stats from Net Applications. Email stats from Radicati Group. Spam stats from McAfee. Malware stats from Symantec (and here) and McAfee. Online video stats from Comscore, Sysomos and YouTube. Photo stats from Flickr and Facebook. Social media stats from BlogPulse, Pingdom (here and here), Twittercounter, Facebook and GigaOm.

image

Artigos relacionados

0 Responses to 2009: o tamanho da rede

  1. Leonardo Camello disse:

    Professor Sílvio, na velocidade em que se desenvolve a internet e as ferramentas de comunicação, acho que nem o Twitter demorará tanto para se tornar obsoleto. É incrível como estas ferramentas, depois de 2, 3 ou 4 anos parecem dinossauros perdidos no tempo. É a ânsia pela modernidade e o uso meio irresponsável das ferramentas de comunicação, vulgarizando-as. A correspondência por e-mail sofre este mal. O orkut sofre este mal… e por aí vai. Parabéns pela análise.

  2. Giancarlo Moraes disse:

    Professor Meira, realmente a análise é interessantíssima e pertinente. Além de, como o Sr. próprio comentou, impressionar pelos números.
    Gostaria de uma análise ou comentário seu sobre até onde o Brasil está preparado com infra-estrutura (principalmente backbones). Se fala em PAC disso, PAC daquilo. Mas e a infra? Não adianta utilizarmos serviços/soluções de primeiro mundo em uma infra “medieval” certo?
    Um grande abraço e parabéns!!

  3. Bertaso disse:

    A internet ainda é o futuro, mas tem muitas falhas, falta política em alguns países, devia ter uma padronização das leis e estilos. Uma das falhas que cito são os Spans, realmente é algo que hoje em dia é insuportável, e os emails fraudulentos que citam pessoas que precisam de ajuda, fatos que dizem que acontecem, e para repassar para seus contatos, e assim ficam circulando informações erroneas durante anos e anos. Ficando as informações verdadeiras muitas vezes fora de questão, quando são passadas pela rede.