MENU

Escrito por • 17/10/2011

a gambiarra e o rubik

vez por outra a gente fala de robôs, como quando os robôs baianos se saíram bem melhor na robocup 2010 do que o time do brasil na copa do mesmo ano. ou quando a foxConn anunciou que iria trocar uma parte de seus montadores por um milhão de robôs, e em pouco tempo. ou quando mencionamos as máquinas de guerra autônomas que estão sendo desenhadas para ir à guerra no lugar dos soldados humanos de outrora. e passamos pelos robôs que serão amados e farão sexo com humanos. será? não sei. trata-se de uma tese de david levy. vá ler.

boa parte disso parece ficção científica, distante do dia a dia de mortais comuns como eu e você. mas agora imagine uma arrumação caseira, uma gambiarra feita com uns blocos de lego [se bem que dos mais radicais] e um smartphone, capaz de bater o recorde dos humanos pra resolver o cubo de rubik, aquele quebra-cabeças infernal que gastou infinitas horas dos nossos passados. pensou? clique no vídeo abaixo pra ver a gambiarra resolvendo o cubo…

…mais rápido do que feliks zemdegs, dono do recorde mundial humano, de 5.66 segundos de manipulação, depois de analisar o problema. a gambiarra do vídeo faz tudo em perto de sete segundos. e é só uma gambiarra.

sabe onde os alunos de hoje em dia estão aprendendo os fundamentos das tecnologias por trás de robôs como este? no ensino fundamental. veja esta busca, que tem como resultado uma pá de links para ensino e campeonatos de robótica no nível mais básico do ensino. e estamos falando da galerinha de 8 a 12  anos de idade, aprendendo a combinar computação, controle e comunicação pra fazer o futuro funcionar. crianças que estão tratando de sensores e atuadores quando não estão nos seus video games. isso vai mudar muita coisa, pode esperar.

pena que no ensino público, onde está a vasta maioria dos alunos, haja muito pouco disso. uma ou outra experiência aqui e ali são o que se vê. e nada de uma política nacional abrangente que pudesse usar o interesse natural que a robótica desperta nos alunos para criar mais e melhores oportunidades de aprendizado, a maioria delas, por sinal, transdisciplinar.

se nada for feito –rápido- no ensino público, esta será mais uma daquelas desigualdades a resolver lá na frente, pois as escolas privadas estão ligadas desde sempre na importância dos robôs e gambiarras robóticas no processo de aprendizado e participam, há tempos, de campeonatos internacionais.

image

Artigos relacionados

0 Responses to a gambiarra e o rubik

  1. Marcos Oliveira disse:

    Uma plataforma que poderia ser usada para tal fim seria o arduino. O custo é baixo.

  2. Marcos Oliveira disse:

    Uma plataforma que poderia ser usada para tal fim seria o arduino. O custo é baixo.

  3. Romano disse:

    Complementando o comentário anterior do colega Marcos Oliveira, o “professor Pardal high-tech” aficcionado pelo arduino:

    “John Maxwell Cohn”
    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Maxwell_Cohn

    “The Colony (U.S. season 1)”
    http://en.wikipedia.org/wiki/John_cohn

  4. Romano disse:

    Complementando o comentário anterior do colega Marcos Oliveira, o “professor Pardal high-tech” aficcionado pelo arduino:

    “John Maxwell Cohn”
    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Maxwell_Cohn

    “The Colony (U.S. season 1)”
    http://en.wikipedia.org/wiki/John_cohn

  5. Romano disse:

    Faltou o principal, o arduino:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Arduino

  6. Romano disse:

    Faltou o principal, o arduino:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Arduino

  7. Romano disse:

    Caro comentarista Marcos Oliveira: antes do meu comentário das 10:44h, “postei links” para o cientista chefe de design e automação da IBM, John Cohn, que utiliza o arduino e participou de um “reality show”. Não sei porque cargas d´água o comentário sumiu. Portanto o “faltou o arduino” foi uma crítica a mim mesmo por não ter incluído mais este “link” e não a você! Seu comentário foi simples e preciso, pois eu desconhecia o arduino até ontem, quando li uma matéria em revista de grande circulação sobre o tal cientista, usando o arduino para construir um robô de 5 metros! Saudações.

  8. Romano disse:

    Caro comentarista Marcos Oliveira: antes do meu comentário das 10:44h, “postei links” para o cientista chefe de design e automação da IBM, John Cohn, que utiliza o arduino e participou de um “reality show”. Não sei porque cargas d´água o comentário sumiu. Portanto o “faltou o arduino” foi uma crítica a mim mesmo por não ter incluído mais este “link” e não a você! Seu comentário foi simples e preciso, pois eu desconhecia o arduino até ontem, quando li uma matéria em revista de grande circulação sobre o tal cientista, usando o arduino para construir um robô de 5 metros! Saudações.

  9. Prezado Silvio Meira, boa noite!

    Parabéns pelos ótimos textos.

    Creio que a “gambiarra”, em si, não teria implicações para escola e aprendizado, afinal está nela o lugar onde florescem usos dos materiais citados.

    Concordo que é no ensino fundamental que está a melhor experiência de uso expandido do computador: estamos partindo para aprendizado de e com computação pervasiva tangível.

    Campeonatos… Não educam e servem mais para oportunidades de marcas conhecidas educacionais continuarem a promover seus produtos em formato de caixa preta.

    A equipamento Lego da foto é um ótimo exemplo de caixa-preta. A alternativa foi citada nos comentário: Arduino. Outra muito importante é a Gogo Board.

    Quanto a “resolver” o cubo em x ou y segundos, é um assunto menor. Como respondi no twitter, os equipamentos conseguiriam “criar” um problema como esse? Não nos esqueçamos que as máquinas apenas resolvem o que mandamos que elas resolvam, portanto a Humanidade é o fator chave da discussão sobre tecnologia.

    Precisamos levar às escolas a mensagem de que as técnicas e tecnologias são criações humanas e de nós dependem.

    Forte abraço,

    Rodrigo Barbosa e Silva

  10. Prezado Silvio Meira, boa noite!

    Parabéns pelos ótimos textos.

    Creio que a “gambiarra”, em si, não teria implicações para escola e aprendizado, afinal está nela o lugar onde florescem usos dos materiais citados.

    Concordo que é no ensino fundamental que está a melhor experiência de uso expandido do computador: estamos partindo para aprendizado de e com computação pervasiva tangível.

    Campeonatos… Não educam e servem mais para oportunidades de marcas conhecidas educacionais continuarem a promover seus produtos em formato de caixa preta.

    A equipamento Lego da foto é um ótimo exemplo de caixa-preta. A alternativa foi citada nos comentário: Arduino. Outra muito importante é a Gogo Board.

    Quanto a “resolver” o cubo em x ou y segundos, é um assunto menor. Como respondi no twitter, os equipamentos conseguiriam “criar” um problema como esse? Não nos esqueçamos que as máquinas apenas resolvem o que mandamos que elas resolvam, portanto a Humanidade é o fator chave da discussão sobre tecnologia.

    Precisamos levar às escolas a mensagem de que as técnicas e tecnologias são criações humanas e de nós dependem.

    Forte abraço,

    Rodrigo Barbosa e Silva

  11. Marcelo Santos disse:

    Prezado professor Silvio Meira.

    Eu não sei se já lhe dissseram isso,eu acredito que sim, mas o fato é que só hoje quando entrei no seu Blog,que eu liguei a sua voz,com a sua imagem,porque até então toda vez que eu te ouvia na radio, eu imaginava o grande ator Osmar Prado,passando todas estas informações de tecnologia, a sua voz e a do Osmar Prado são identicas,mas estou lhe escrevendo para te agradecer e parabenizar pelo seu trabalho, eu acredito se cada professor da area de tecnologia conseguir passar 10% de informação da forma como você passa,nós teriamos um futuro promissor, parabens mais uma vez.

    Marcelo / Guarulhos SP

  12. Marcelo Santos disse:

    Prezado professor Silvio Meira.

    Eu não sei se já lhe dissseram isso,eu acredito que sim, mas o fato é que só hoje quando entrei no seu Blog,que eu liguei a sua voz,com a sua imagem,porque até então toda vez que eu te ouvia na radio, eu imaginava o grande ator Osmar Prado,passando todas estas informações de tecnologia, a sua voz e a do Osmar Prado são identicas,mas estou lhe escrevendo para te agradecer e parabenizar pelo seu trabalho, eu acredito se cada professor da area de tecnologia conseguir passar 10% de informação da forma como você passa,nós teriamos um futuro promissor, parabens mais uma vez.

    Marcelo / Guarulhos SP

  13. Mineiro disse:

    http://www.robolivre.org é uma iniciativa baseada desenvolvimento colaborativo que nasceu em Pernambuco: http://www.robolivre.org/tecnologia/robolivre.php

  14. Mineiro disse:

    http://www.robolivre.org é uma iniciativa baseada desenvolvimento colaborativo que nasceu em Pernambuco: http://www.robolivre.org/tecnologia/robolivre.php