MENU

Escrito por • 07/01/2009

a internet em 2020, [1]: mobilidade

relatório do pew internet project [PIP] sobre o futuro da rede, publicado neste fim de ano, chegou a seis conclusões básicas, depois de consultar muitas centenas de especialistas, desde gente que estava nos times que desenharam a internet até a galera que faz a rede funcionar [e ganha dinheiro com ela] hoje. nós vamos comentar os achados do PIP nos próximos textos, tentando imaginar o cenário equivalente no brasil.

pra começar, o PIP acha que… The mobile device will be the primary connection tool to the internet for most people in the world in 2020… ou que dispositivos móveis serão a principal ferramenta de conexão à internet, para a maioria das pessoas, em 2020.

multidão, por werllen castro. clique na imagem para visitar o FLICKR

não há como não concordar. quem já está na rede, num celular, sabe o que é, num ponto qualquer da cidade, estar num chat [no nimbuzz, por exemplo], num taxi ou no busão, combinando o ponto com a turma e vendo as alternativas direto no google maps de um telemóvel com GPS. não tem preço.

mas é mais que isso: celular é informática com cada um de nós, computação e computação comigo e com você. até haver algum tipo de implante que conecte o cérebro diretamente à rede, celulares serão a segunda melhor alternativa para estarmos conectados às pessoas, sistemas, instituições e coisas.

celulares com tela de alta definição, interface direta de toque múltiplo, interfaces abertas pra conectar com quase qualquer coisa, mais captura de áudio e vídeo em alta definição, aliados a uma capacidade de processamento, memória e conexão muito maior do que hoje serão padrão de mercado. os celulares de amanhã terão mais capacidade que os netbooks de hoje e deverão ser a nova forma de interagir com o ambiente e pessoas ao redor, de forma mediada pela internet. tudo isso fará com que uma destas maquininhas esteja nas mãos de quase qualquer um daqui a dez anos, mesmo aqui no brasil.

beleza, diriam vocês, mas no brasil? já estamos perto de 150 milhões de celulares, bem mais do que computadores pessoais e bem melhor distribuídos na população, algo que é sempre um grande problema no país. até aí, tudo bem… o problema é botar tudo isso na rede até 2020. por outro lado, temos mais doze anos até lá.

o grande problema a resolver será conectividade, ou como fazer com que uma população quase só de pré-pagos [algo entre 80 a 90% do mercado agora e em 2020] esteja na rede. de forma continuada e não esporádica: estar na rede significa que [por exemplo] seu cliente de mensagem [IM, gtalk, fring…] está quase sempre no ar, criando, para você e sua rede de contatos, um verdadeiro efeito "rede".

talvez se deva excluir, de cara, alguma eventual política pública que poderia interferir nisso, pois tal não tem sido nossa tradição. por outro lado, não se vai comprar dados por volume, que ninguém é maluco o suficiente. nem mesmo em lugares com renda maior e mais distribuida do que por aqui. nos estados unidos e na inglaterra, descobriu-se que 42 [eua] a 56% [uk] da presença do iPhone, na rede, se dá através de wiFi.  não chega a ser nenhuma surpresa… mesmo nestes países, a cobertura 3G não é lá estas coisas e os planos de dados, apesar de bem menos predatórios do que no brasil, tendem a esvaziar a carteira de qualquer um muito rapidamente. ainda mais em tempos de pouco dinheiro livre, como este.

resumo? os celulares vão estar aí [o PIP está certo]; mas a maior parte da população de usuários em potencial não estará na rede com eles [hoje, para o brasil, o PIP está errado…], a menos que aconteça alguma coisa muito parecida com política pública. ou, se tivermos sorte e formos solidários, talvez wiFi grátis comece a ser oferecido -em muito larga escala- em bares, restaurantes, supermercados, postos de gasolina, escolas, universidades, shoppings, academias, hospitais, igrejas e em espaços públicos de todos os tipos, como já é o caso em algumas poucas cidades.

conectividade, agora e no futuro, é tão essencial quanto água, luz, esgoto, educação, saúde e segurança. e ainda faltam doze anos até 2020: não é possível que não se consiga acertar o passo, aqui, até lá…

Artigos relacionados

0 Responses to a internet em 2020, [1]: mobilidade

  1. Andrés disse:

    Grande post.
    Acredito que lugares públicos deverão oferecer wi-fi gratuíto em troca de publicidade ou mesmo de uso dos serviços.
    Estive em Honduras (país super pobre) no ano passado, mas tem uma infinidade de lugares (fast-foods, shoppings e cafeterias) onde é possível acessar a internet de forma gratuita. Estive praticamente o tempo todo conecto sem pagar nada.

  2. Andrés disse:

    Grande post.
    Acredito que lugares públicos deverão oferecer wi-fi gratuíto em troca de publicidade ou mesmo de uso dos serviços.
    Estive em Honduras (país super pobre) no ano passado, mas tem uma infinidade de lugares (fast-foods, shoppings e cafeterias) onde é possível acessar a internet de forma gratuita. Estive praticamente o tempo todo conecto sem pagar nada.

  3. Diego Torres disse:

    Realmente, hoje em dia ter internet é fundamental, isso já faz parte do nossa rotina… E como foi citado no post, também tem como ganhar dinheiro navegando, existem várias formas, mas que mais tenho gostado é da Inteligweb, que é um discador que paga por hora conectada e vale a pena, eu já consegui produtos muito legais…

    Como todos nós precisamos ficar ligados no que acontece no mundo, nada melhor que a internet e internet que paga para vc usar é melhor ainda neh ?!

  4. Diego Torres disse:

    Realmente, hoje em dia ter internet é fundamental, isso já faz parte do nossa rotina… E como foi citado no post, também tem como ganhar dinheiro navegando, existem várias formas, mas que mais tenho gostado é da Inteligweb, que é um discador que paga por hora conectada e vale a pena, eu já consegui produtos muito legais…

    Como todos nós precisamos ficar ligados no que acontece no mundo, nada melhor que a internet e internet que paga para vc usar é melhor ainda neh ?!

  5. Davi disse:

    muito legal o post .. parabens

  6. Davi disse:

    muito legal o post .. parabens

  7. Daniela disse:

    Legal! Copacabana já tem wi-fi, o problema é você usar sem ser assaltado! 😉 — veja http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL687873-5606,00.html — Outro dado interessante é com relação ao acesso a technologia e a tal inclusão digital… já vi os funcionários do meu condomínio (porteiros, vigias e faxineiros) trocando arquivos MP3 via bluetooth. Fico realmente muito feliz com isso!! Até abri minha rede wi-fi para eles usarem. 😉

  8. Daniela disse:

    Legal! Copacabana já tem wi-fi, o problema é você usar sem ser assaltado! 😉 — veja http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL687873-5606,00.html — Outro dado interessante é com relação ao acesso a technologia e a tal inclusão digital… já vi os funcionários do meu condomínio (porteiros, vigias e faxineiros) trocando arquivos MP3 via bluetooth. Fico realmente muito feliz com isso!! Até abri minha rede wi-fi para eles usarem. 😉

  9. Cesar disse:

    Acesso este post “roubando” banda de um vizinho generoso…ou seria descuidado. Conexão ainda é para poucos. E 2020 pode ser pouco para massificar o acesso. A quantas anda o projeto do governo de levar banda larga para escolas brasileiras?

  10. Cesar disse:

    Acesso este post “roubando” banda de um vizinho generoso…ou seria descuidado. Conexão ainda é para poucos. E 2020 pode ser pouco para massificar o acesso. A quantas anda o projeto do governo de levar banda larga para escolas brasileiras?

  11. Ismar disse:

    Políticas públicas de conecividade já, com soluções possíveis, viáveis e baratas para a administração pública. Em algumas cidades isso já é realidade – vide Ouro Preto-MG, Xangri-lá-RS, Ilhabela-SP, por exemplo. Em São Paulo (onde moro), tinha uma candidata a prefeta com essa proposta – plenamente factível, diga-se de passagem. Pena que o povo optou por um outro candidato cuja unica plataforma era tirar os outdoors da cidade – a tal “Cidade Limpa” – e acabou enchendo as calçadas de lixo… e o povo -nós- continuamos pagando absurdos pra ter banda larga…

  12. Ismar disse:

    Políticas públicas de conecividade já, com soluções possíveis, viáveis e baratas para a administração pública. Em algumas cidades isso já é realidade – vide Ouro Preto-MG, Xangri-lá-RS, Ilhabela-SP, por exemplo. Em São Paulo (onde moro), tinha uma candidata a prefeta com essa proposta – plenamente factível, diga-se de passagem. Pena que o povo optou por um outro candidato cuja unica plataforma era tirar os outdoors da cidade – a tal “Cidade Limpa” – e acabou enchendo as calçadas de lixo… e o povo -nós- continuamos pagando absurdos pra ter banda larga…

  13. bkp disse:

    2020? Não, bem antes disso! Vocês esqueceram de falar do Wimax, que é um wi-fi turbinado (50 km) e de baixo custo. Já era pra ter decolado, mas parece que alguns grandes grupos estão dificultando as coisas, pois mobile+wimax+(voip,msn,skype,fring,etc) = economia nas ligações.

  14. bkp disse:

    2020? Não, bem antes disso! Vocês esqueceram de falar do Wimax, que é um wi-fi turbinado (50 km) e de baixo custo. Já era pra ter decolado, mas parece que alguns grandes grupos estão dificultando as coisas, pois mobile+wimax+(voip,msn,skype,fring,etc) = economia nas ligações.

  15. JRG8 disse:

    Amigos,
    Com certeza no Brasil a banda larga de celular vai ser muito mais popular que qualquer wi-fi por aí.
    “Os pobres” já usam celular há muito tempo e gastam muito mais (R$) que eu ou voce, pois não têm telefone fixo, logo são candidatos naturais a usar as facilidades da internet. É só dar a eles um smartphone que eles vão sair usando direto.
    A incógnita 2020 é como vão ser esses “equipamentos móveis”.
    Eu arrisco a dizer que não vai ser só um aparelho mas diversos deles interligados via rede sem fio, turbinados por um micromodem acessando a banda larga das operadores de celular.
    Anota aí, pode parecer esquisito mas até óculos, brinco, corrente e pulseira vão estar na rede local (voce) e na mundial (internet).

  16. JRG8 disse:

    Amigos,
    Com certeza no Brasil a banda larga de celular vai ser muito mais popular que qualquer wi-fi por aí.
    “Os pobres” já usam celular há muito tempo e gastam muito mais (R$) que eu ou voce, pois não têm telefone fixo, logo são candidatos naturais a usar as facilidades da internet. É só dar a eles um smartphone que eles vão sair usando direto.
    A incógnita 2020 é como vão ser esses “equipamentos móveis”.
    Eu arrisco a dizer que não vai ser só um aparelho mas diversos deles interligados via rede sem fio, turbinados por um micromodem acessando a banda larga das operadores de celular.
    Anota aí, pode parecer esquisito mas até óculos, brinco, corrente e pulseira vão estar na rede local (voce) e na mundial (internet).

  17. Alexandre Silveira disse:

    Pessoal,
    Concordo que a banda larga de celular será e já é o grande disseminador de comunicação e acesso digital da população. Temos exemplos de pacotes de dados acessiveis em várias operadoras e logo logo teremos ofertas para os usuários pré pagos. Participei de um evento em novembro passado em SP na qual executivos do setor apresentaram estas situações.
    No caso do Wi-fi e Wi-max teremos modelos abertos em alguns pontos das grandes cidades como já acontece em POA, SP, RJ, BH entre outras mas não acredito em disseminação de massa, pois existe um custo e alguém tem que pagar por isto, pelo menos neste inicio de desenvolvimento da tecnologia no pais e ainda não será a publicidade, pois primeiro precisamos criar a cultura de uso e o mercado para depois sim repassar este investimento para cotistas, mesmo processo que já ocorreu com a Internet no país e pelo que analiso e participo no mercado de serviços móveis é uma tendência muito semelhante.
    O comentário do JRG8 sobre :
    “Os pobres” já usam celular há muito tempo e gastam muito mais (R$) que eu ou voce, pois não têm telefone fixo, logo são candidatos naturais a usar as facilidades da internet. É só dar a eles um smartphone que eles vão sair usando direto.
    É super válido e já fato em muitos casos de portais móveis das operadoras e de grupos de mídia como o caso da Globo.com, Uol, Terra, Ig e ClicRBS.
    Podem apostar que a curva de uso e aderência destes portais móveis será muito mais muito mais rápida que a Interne móvel e todo o mérito será das redes 3G e dos Smartphones cada ves mais inteligentes e de fácil uso.
    Que venha o futuro, pois a ele nós pertencemos e ganharemos em interatividade, agilidade, informação e novas oportunidades de negócios e de carreira.

  18. Alexandre Silveira disse:

    Pessoal,
    Concordo que a banda larga de celular será e já é o grande disseminador de comunicação e acesso digital da população. Temos exemplos de pacotes de dados acessiveis em várias operadoras e logo logo teremos ofertas para os usuários pré pagos. Participei de um evento em novembro passado em SP na qual executivos do setor apresentaram estas situações.
    No caso do Wi-fi e Wi-max teremos modelos abertos em alguns pontos das grandes cidades como já acontece em POA, SP, RJ, BH entre outras mas não acredito em disseminação de massa, pois existe um custo e alguém tem que pagar por isto, pelo menos neste inicio de desenvolvimento da tecnologia no pais e ainda não será a publicidade, pois primeiro precisamos criar a cultura de uso e o mercado para depois sim repassar este investimento para cotistas, mesmo processo que já ocorreu com a Internet no país e pelo que analiso e participo no mercado de serviços móveis é uma tendência muito semelhante.
    O comentário do JRG8 sobre :
    “Os pobres” já usam celular há muito tempo e gastam muito mais (R$) que eu ou voce, pois não têm telefone fixo, logo são candidatos naturais a usar as facilidades da internet. É só dar a eles um smartphone que eles vão sair usando direto.
    É super válido e já fato em muitos casos de portais móveis das operadoras e de grupos de mídia como o caso da Globo.com, Uol, Terra, Ig e ClicRBS.
    Podem apostar que a curva de uso e aderência destes portais móveis será muito mais muito mais rápida que a Interne móvel e todo o mérito será das redes 3G e dos Smartphones cada ves mais inteligentes e de fácil uso.
    Que venha o futuro, pois a ele nós pertencemos e ganharemos em interatividade, agilidade, informação e novas oportunidades de negócios e de carreira.

  19. JLBJ disse:

    dispositivos moveis ou celulares vieram para ficar, e vao substituir os dispositivos “fixos” (pcs e outros dinossauros). mas vamos precisar de muita banda para suportar as aplicacoes que estao por vir, e nao acredito que esta banda serah provida pelos atuais operadores celulares, sejam eles 2g, 2.5g ou 3g. vamos precisar de 4g, lte, 5g, wifi, wimax e outras siglas que serao criadas para suportar a carga de dados que serah trocada. quais os possiveis modelos de negocios e parcerias que existiram nestas novas bandas de comunicacao? as atuais operadoras celulares vao sobreviver?

  20. JLBJ disse:

    dispositivos moveis ou celulares vieram para ficar, e vao substituir os dispositivos “fixos” (pcs e outros dinossauros). mas vamos precisar de muita banda para suportar as aplicacoes que estao por vir, e nao acredito que esta banda serah provida pelos atuais operadores celulares, sejam eles 2g, 2.5g ou 3g. vamos precisar de 4g, lte, 5g, wifi, wimax e outras siglas que serao criadas para suportar a carga de dados que serah trocada. quais os possiveis modelos de negocios e parcerias que existiram nestas novas bandas de comunicacao? as atuais operadoras celulares vao sobreviver?