MENU

Escrito por • 09/12/2011

bits.5: e você achava seu carro legal…

carlos ghosn, o brasileiro que preside a renault-nissan [cadê o LEAF, seu modelo elétrico, no brasil?], diz que veículos estão se transformando em plataformas móveis, programáveis. o blog tratou do assunto em carros em modo beta, movidos a tanto software que começam a se comportar como se software fossem. por que são: carros de topo de linha têm dezenas de milhões de linhas de código rodando em seus computadores [sim, mais de um, muitos]… com alguns chegando a 100 milhões de linhas de código.

pra comparar, windows 7 tem "apenas" 50 milhões de linhas de código.

agora olhe o conceito fun-vii que a toyota propõe para 20XX, mostrado no vídeo abaixo. e se lembre que o software para fazer o carro "entrar" na rede de ruas e ser dirigido por elas é muito mais complexo do que as interfaces que vão permitir [veja o vídeo] você decorar o carro do jeito que quiser e mesmo do que a assistente holográfica que aparece para conversar com o motorista enquanto ele não faz nada [é passageiro, na verdade…].

plataforma programável, móvel e conectada: o carro do futuro? feito de software…

Relógio

em dezembro de 2011 e janeiro de 2012, o blog publica [ao contrário da norma, aqui] bits: textos pequenos, bem mais frequentes, sobre nossa [mundana] vida digital. ao invés dos raciocínios estruturados e interligados de costume, vamos nos ater a TRÊS parágrafos, no máximo. boa leitura.

Artigos relacionados

10 Responses to bits.5: e você achava seu carro legal…

  1. André Boavistta disse:

    Sílvio,

    O novo formato, de textos com no máximo três parágrafos é muito bom! Espero que continue com eles por um bom tempo.

    Eu acredito que esses carros plataformas vão se transformar em realidade, mas fico pensando: como será a segurança deles em relação aos vírus eletrônicos?

    abs,

  2. André Boavistta disse:

    Sílvio,

    O novo formato, de textos com no máximo três parágrafos é muito bom! Espero que continue com eles por um bom tempo.

    Eu acredito que esses carros plataformas vão se transformar em realidade, mas fico pensando: como será a segurança deles em relação aos vírus eletrônicos?

    abs,

  3. MOISÉS disse:

    O problema surge quando o carro quebra. Nem o próprio fabicante tem capacitados nas consessionárias para consertá-los. QUEM NÃO PASSOU POR ISSO?

  4. MOISÉS disse:

    O problema surge quando o carro quebra. Nem o próprio fabicante tem capacitados nas consessionárias para consertá-los. QUEM NÃO PASSOU POR ISSO?

  5. Roner disse:

    Acredito que só aqui mesmo pra ter desse problema de não ter mão de obra, onde o sindicato dos frentista “boicoto na lata” a implantação de bombas de gasolinas tipo americanas ou seja o cliente se serve pagando com cartão gasolina ou credito e outros, evitando mortes assaltos e diversos outros problemas. Dai vem o autruismo dizer mas como fica o desemprego dai eu digo mas e como fica a tecnologia o progresso e como ficam as crianas que irão assumir esses subempregos, eles não poderiam estar estudando por conta de uma liminar que obrigaria essas instituiçoes de associados que não permitem o progresso e não evoluem e sim defasam a propria estrutura de uma nação inteira, a pagar essa transição ou eles esperam receber a vida toda de uma classe ja tão sofrida como é a dos frentistas.

  6. Roner disse:

    Acredito que só aqui mesmo pra ter desse problema de não ter mão de obra, onde o sindicato dos frentista “boicoto na lata” a implantação de bombas de gasolinas tipo americanas ou seja o cliente se serve pagando com cartão gasolina ou credito e outros, evitando mortes assaltos e diversos outros problemas. Dai vem o autruismo dizer mas como fica o desemprego dai eu digo mas e como fica a tecnologia o progresso e como ficam as crianas que irão assumir esses subempregos, eles não poderiam estar estudando por conta de uma liminar que obrigaria essas instituiçoes de associados que não permitem o progresso e não evoluem e sim defasam a propria estrutura de uma nação inteira, a pagar essa transição ou eles esperam receber a vida toda de uma classe ja tão sofrida como é a dos frentistas.

  7. Romano disse:

    Vale lembrar:

    “Japan’s Young Won’t Rally Round the Car”
    FEBRUARY 29, 2008
    http://online.wsj.com/article/SB120422248421700325.html
    The Wall Street Journal

    ‘The streets of Harajuku are filled with consumers like 20-year-old Kazuto Matsui. “Young people can borrow their parents’ car, and I think they’d rather spend money on PCs or iPods than cars,” says the student with shaggy hair who is in no rush to get a driver’s license. While Mr. Matsui says he may want a car some day, “trains will do” for now.’

  8. Romano disse:

    Vale lembrar:

    “Japan’s Young Won’t Rally Round the Car”
    FEBRUARY 29, 2008
    http://online.wsj.com/article/SB120422248421700325.html
    The Wall Street Journal

    ‘The streets of Harajuku are filled with consumers like 20-year-old Kazuto Matsui. “Young people can borrow their parents’ car, and I think they’d rather spend money on PCs or iPods than cars,” says the student with shaggy hair who is in no rush to get a driver’s license. While Mr. Matsui says he may want a car some day, “trains will do” for now.’

  9. Não me empolgo com essas projeções que prometem um futuro de puro prazer e entretenimento… será que você vai continuar interessado em mudar a aparência do seu carro algumas semanas depois de comprado? – isso simplesmente cansa. É vazio… sem propósito…

    se o vídeo mostrasse um novo tipo de pintura e chaparia capazes de se recompor de arranhões e mossas, eu ficaria muito mais empolgado!!!

    tecnologias que aumentem a segurança, conforto, economia, durabilidade, usabilidade, interatividade… serão sempre bem-vindas… mas esse cenário de contínuo entretenimento e sobrecarga de informações me incomoda profundamente.

  10. Não me empolgo com essas projeções que prometem um futuro de puro prazer e entretenimento… será que você vai continuar interessado em mudar a aparência do seu carro algumas semanas depois de comprado? – isso simplesmente cansa. É vazio… sem propósito…

    se o vídeo mostrasse um novo tipo de pintura e chaparia capazes de se recompor de arranhões e mossas, eu ficaria muito mais empolgado!!!

    tecnologias que aumentem a segurança, conforto, economia, durabilidade, usabilidade, interatividade… serão sempre bem-vindas… mas esse cenário de contínuo entretenimento e sobrecarga de informações me incomoda profundamente.