MENU

Escrito por • 08/10/2010

bye, bye, cadeira de rodas

amanda boxtel, no vídeo abaixo, mostra como usar o exoesqueleto parcial eLegs, da berkeley bionics, para se livrar da cadeira de rodas pela primeira vez em 18 anos. há um monte de coisas para ser descrito e discutido sobre a tecnologia [de origem militar, por sinal] mas o vídeo diz tudo.

ou quase tudo, porque em verdade é apenas um dos começos do uso de computação, comunicação e controle [C3, mas pode chamar, neste caso, de “robótica”] para resolver problemas muito complexos no bodyscape [leia mais sobre este conceito e outros, associados a ele, neste link].

veja o vídeo. o preço destas coisas vai chegar no nível do SUS em poucos anos. pena, aliás, que haja tão pouca expertise em robótica no brasil e tão pouco fomento para o desenvolvimento de tecnologias como as que podem fazer amanda e tanta gente anônima de novo, andar.

Artigos relacionados

6 Responses to bye, bye, cadeira de rodas

  1. fish disse:

    Velho, Esse tipo de coisa tem de sair da UFPE . E eu acho que da. Com esforco dah

  2. fish disse:

    Velho, Esse tipo de coisa tem de sair da UFPE . E eu acho que da. Com esforco dah

  3. Tomara que dê, na UFPE ou em qualquer outra.

  4. Tomara que dê, na UFPE ou em qualquer outra.

  5. Nelmar disse:

    Silvio, só vc mesmo para nos brindar com uma notícia tão legal … o sorriso da Amanda (Boxtel) é encantador … sua alegria é entusiasmante. Um progresso capaz de deixar todos orgulhosos de nossa capacidade de construir, de permitir que outros também cresçam, evoluam, sintam-se respeitados e capazes de exercer seu direito de ir e vir. Reforço que a conquista significativa, nos foi “descoberta” e trazida por um talentoso “companheiro descobridor de inovações, talentos, tendências”, caro Silvio Meira. Abraços, e continue mostrando-nos o caminho.

  6. Nelmar disse:

    Silvio, só vc mesmo para nos brindar com uma notícia tão legal … o sorriso da Amanda (Boxtel) é encantador … sua alegria é entusiasmante. Um progresso capaz de deixar todos orgulhosos de nossa capacidade de construir, de permitir que outros também cresçam, evoluam, sintam-se respeitados e capazes de exercer seu direito de ir e vir. Reforço que a conquista significativa, nos foi “descoberta” e trazida por um talentoso “companheiro descobridor de inovações, talentos, tendências”, caro Silvio Meira. Abraços, e continue mostrando-nos o caminho.