MENU

Escrito por • 22/07/2009

conectividade: conflito entre poderes é perda de tempo

pra começar a conversa, uma definição: a antiga indústria de telecom, que costumava ficar sob as asas das teles, se transformou, na última década e meia, no negócio de conectividade.

viver no mundo em rede significa viver conectado. eu e vocês nas nossas variadas redes sociais, nós e nossos bancos, nós e os serviços públicos, nós e as lojas, escolas, bibliotecas, usando a rede como infraestrutura. a rede, no sentido de internet, começa a deixar de ter papel colateral e passa a ser o centro da mais importante das economias correntes, a de trocas de informação e conhecimento.

lá no começo da internet no brasil, tomou-se uma decisão sábia: as empresas de telecom podiam fazer tudo, menos internet. a rede foi definida como um serviço de valor agregado e, como tal, estava fora do espaço regulatório “de telecomunicações”.

isso foi muito bom para dar uma partida criativa, inovadora e nacionalmente distribuída ao que veio, muito tempo depois, ser a internet.br. pra quem não tem idade ou memória, deve-se lembrar que uma das estatais da época tinha o pleito –e os meios- de querer ser o único provedor de acesso do país: queria ser a internetobrás. ainda bem que não rolou, senão estaríamos ainda mais atrasados do que estamos no que se trata de conectar o país.

muito bem: a internet se tornou [junto com água, esgoto, eletricidade, gás, rodovias…] uma das redes essenciais da economia e da sociedade. e falhas no provimento de serviços de internet, vasta maioria dos quais é hoje prestada pelas empresas de telecom, passaram a fazer parte do rol de problemas tratados pela ANATEL que, como todos sabem, vem a ser a agência reguladora do setor, assim como a ANP regula petróleo, gás natural e biocombustíveis e a ANEEL a energia elétrica.

quando se cria agências reguladoras, a idéia –em todos os países onde há uma separação e equilíbrio entre poderes- é deixar o processo político do setor a cargo do governo [no brasil, do minicom] e as coisas e causas do mercado e seu provimento a cargo da agência reguladora. isso deveria ser o caso por aqui, inclusive e talvez principalmente no assuno conectividade.

mas não é. parece que ainda não amadurecemos o suficiente para tal. não se trata só do executivo se metendo em assuntos de competência exclusiva do legislativo, como diz a procuradoria geral da república sobre o caso da TV digital, assunto recente deste blog. a imaturidade das relações entre as [muito] jovens instituições nacionais continua causando todo tipo de problema e constrangimento.

image a mais recente tem a ver com o caso speedy, cujas falhas motivaram uma intervenção da ANATEL –para proteger os consumidores- no provimento do serviço da telefônica, no interesse do mercado e da própria empresa. agências reguladoras existem para isso, também: para proteger as empresas delas próprias.

todos sabem que a anatel proibiu a venda do speedy até que a telefônica regularizasse o provimento do serviço. feito isso, a telefônica fez um plano para estabilizar sua rede, anunciou publicamente suas ações nesta direção e, recentemente, anunciou que concluiu a execução da primeira etapa do plano. ao mesmo tempo, a empresa quer voltar a vender o serviço, seu direito líquido e certo, desde que cumpridas as exigências do órgão regulador.

image aí é onde entra o ministro hélio costa, ultrapassando suas competências institucionais, para dizer queO efeito da pena que foi imposta já foi sentido. Houve uma repercussão nacional, a empresa está consciente de que precisa modernizar e investir, melhorar o atendimento. certo, ministro. mas o senhor não precisa intervir nesta conversa. a anatel é uma agência independente, está lutando desesperadamente para ordenar a conectividade ao nosso redor e tal tipo de comentário só adiciona pressão –indevida- para que a agência faça o que –tendo a telefônica cumprindo suas exigências- já iria mesmo fazer: liberar a venda do speedy para usuários desta vez, tomara, satisfeitos.

o argumento ministerial de queO castigo foi merecido, foi cumprido, mas não pode prejudicar o consumidor… como justificativa para a retomada imediata da venda do speedy não faz o menor sentido, porque há de se avaliar se as medidas impostas pelo regulador foram cumpridas, exatamente para proteger os atuais e novos usuários. e a ANATEL sabe, e não precisa de nenhuma pressão adicional, que tem que se pautar por equanimidade de tratamento para todos os lados: uma vez cumpridas suas determinações, a empresa não pode continuar tendo suas ações restringidas pela agência um dia sequer.

para o brasil, para o setor, para o equilíbrio entre a formulação da política nacional de conectividade e sua execução e regulação, é uma pena que o senhor ministro tenha perdido tamanha oportunidade de ficar calado. até porque a ANATEL, pelo que se sabe, vai tratar outros provedores que têm problemas muito parecidos com os do speedy. tomara que o próximo seja o meu…

Artigos relacionados

0 Responses to conectividade: conflito entre poderes é perda de tempo

  1. Carlos disse:

    Alguns ministros sempre falam de mais e perdem a oportunidade de ficaram calados.
    Ser obrigado a pagar provedor para acesso a Internet é uma aberração, criou se uma reserva de mercado.

  2. José Roberto disse:

    Me sinto um PALHAÇO,pois os problemas do “Terra/Speedy” continuam…
    Certamente o Sr.Ministro,deve ter uma conexão exclusiva.

  3. j.ivo dejesus disse:

    olá na verdade o ministro tem que fiscalizar mesmo por que o pais está nas mâos dos empresários ninguem mas fiscaliza veja este presidente que hoje dis administrar na verdade ta tudo largado ninguem mas ver o que os bancos fazem /os planos de saude/ os hospitais/ e todos os orgaus publicos fazem o que querem nós precisamos de presidente da republica que nos der proteçâo nâo este que se encontra ele pensa que administrar um sindicato. tudo bem vamos torçer pra logo este tau presidente atual sar e vamos ver /

  4. ronan wittee disse:

    Deixou-se a Varig quebrar,pois o Estado não é babá de empresa.
    O que justifica ou explica tanta proteção a uma empresa de telefonía incompetente e lesiva ao cidadão ?

  5. Oscar disse:

    Este mineiro só enterrou de vez as telecomunicações no Brasil.
    Ele, como representante da rede globo, devia ter ficado nos EUA que seria melhor prá nós. Ele foi nomeado por um ignorante e entregou o que era ótimo na época dos militares aos espanhóis, mexicanos e italianos. Bastava socializar os serviços que eram excelentes.
    Agora os de baixo poder aquisitivo tem telefone (modelo ultrapassado) mas só recebem ligação, pois o valor do minuto falado é um assalto. Como eles falam de graça e nós que pagamos, não estão nem aí e ficam cuidando do cabide de emprego e cabo eleitoral Anatel, agência descontroladora incompetente por vocação.
    Cambada de sem vergonhas. Deviam estar todos na cadeia.

  6. ricardo disse:

    lamento muito pela a falta de copetencia pela internet da telefonica é um absurdo saber que ela é muito cara espero que tenham vergonha na cara se for voltar um dia que volte com preços mais asseciveis ao inves de cobrar tarifas abusivas cobrar internet é internet agora cobrar internet mais manutenção de linha me polpem disso seus ladrões

  7. Jaxson Elias disse:

    Este cara sucateou o projeto de Televisão Digital do Brasil. É o emissário da Rede Globo no Governo, praticamente um boneco das radiodifusoras.

    Se não fosse por este sujeito, o Brasil teria desenvolvido conhecimento que hoje o mundo vende pro MUITO dinheiro a empresas do ramo de desenvolvimento tecnologico.

    Um verdadeiro palhaço, agora quer voltar com o Speedy, um serviço porco, mal prestado, mal mantido e com péssimo atendimento. Tem mais é que tomar prejuizo, sair do Brasil e pedir desculpa pelo mau uso da nossa paciência.

  8. Ewerton Peixoto disse:

    O castigo foi merecido, foi cumprido, mas não pode prejudicar o consumidor…

    Prejudicar o Consumidor , Se ele comprar o serviço ! Provavelmente vai largar ele na mão mesmo !!!!!!

  9. Michael Miranda disse:

    Temos que para de sentir “PENA” de Empresas que Ganham Milhões as custas de Brasileiros que só sabem para Impostos.
    A Anatel Foi Fantástica. Tem que cobrar muito mais. Pois o Governo só sabe nos cobrar. A LEI DEVE SER APLICADA A TODOS.

  10. VERGONHA disse:

    Ronaldo

  11. No minimo,deveria-se penaliza-la com isenção de cobrança mensal aos assinantes desta incompetente empresa. Quando doi no bolso, ou no faturamento , eles ficam preocupados. Multa-los pode até ser uma saida, mas este dinheiro tem qual destino???
    Curiosidade: Na Espanha o serviço é o mesmo????

  12. IMPLICANTE DA SILVA disse:

    acho que o silvio meira deveria se ocupar de informações mais educativas. o ministro em questão tem poderes para com a agência que seu ministério normatizae, da qual´faz integra no conselho diretório, por ser o próprio ministro. se silvio meira entende-se tanto de conectividade, deveria ocupar-se de educar os internautas que o seguem afim de vencer a futura violência virtual. os problemas com o speedy também foram causados não só por falta de investimentos, mas por ações de rackers “informaticamente” mal orientados.
    nesse caso em questão, estamos cobrindo a violência que está para surgir com o futuro da tecnologia que o homem cria, com os investimentos para impedir a invasão dos rackers no sistema da telefônica. seria bem mais fácil acabar com os criminosos ainda pequenos do que impedí-los de estar onde não deveriam.

  13. Humberto Machado disse:

    Ultimamente o brasileiro tem tido sua auto estima elevada com a ascensão do país lá fora. Mas é importante dizer que a visão das grandes potências financeiras ainda é de exploração. A Telefonica que roga-se em suas publicidades de ser uma empresa ética, permanece com esta cultura. A impressão que dá é que estão pouco se lichando com o Brasil. Estão sim interessados em lucrar pois aqui eles dominam. Por sua vez o governo faz vistas grossas, pois é melhor ser conivente do que arrumar problema o jogo de influências internacionais.
    Deveriamos ter acesso gratuito á internet e com qualidade. A internet não é simplesmente uma inovação tecnológica, é uma necessidade.

  14. Mariana Vargas/MG disse:

    MInistro, o senhor perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, deveria defender nós, consumidores, juro que não entendo este tipo de declaração… infeliz.

  15. disse:

    na era da telebrás o serviço era ruim, a desculpa para privatizar era modernizar, dar mais dinamica ao serviço de telefonia e aumentar a concorrencia. Não aconteceu nada disso, pelo contrário, o serviço aumentou de preço de forma absurda, a quailidade continuou ruim e não existe concorrência. e ainda tem ignorante que vem com aquela desculpinha pra defender ladrão de estatal de que na epoca da telebrás telefone era inacessível, caro etc… os tempos eram outros, hoje tudo modernizou, PC que na época da telebrás era pior que um atari, hoje faz coisas que nem os estúdios de hollywood faziam no inicio dos anos 90. Mas voltando a telefonia, foi graças as privatizacoes (leia-se roubos) que tudo mudou? ou será que tudo se moderniza mesmo? se empresa estatal não funcionasse e não se modernizasse a petrobrás ainda estaria tirando petroleo a pá e os correios entregando cartas de carroça.

  16. Mariana Vargas/MG disse:

    Ministro, o senhor perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, em vez de defender nós, consumidores. Deveria promover “qualidade” nesta área, que a muito fica a dever-nos. Juro que não entendi essa declaração… infeliz.

  17. Fiquei contente com a pena imposta à Speedy pois, por duas vezes
    comprei produtos dela e ela não me entregou. parabens a Anatel, continui assim, nós Brasileiros agradecemos!!!!!!!!!!!

  18. Paula Dhentru disse:

    Silvio Meira perdeu uma grande oportunidade de ficar calado tb….

  19. Mau disse:

    Infelizmente venho alertá-los que tanto faz, liberar ou não a volta do comércio do Speedy…
    Tanto faz porque a questão cerne de toda a ineficiência da Telefonica não foi sequer resvalada: o monopólio em vasta área do território paulista…
    Sem concorrência o serviço jamais vai melhorar!

  20. ELVIS RANGEL disse:

    A TELEFONICA PRECISA URGENTE DE UMA CONCORRENTE A ALTURA. POIS A NET NAO E.

    PARECE COMO SEMPRE ALGUEM LEVANDO ALGUM POR TRAS,

    PORRISO NUNCA ACONTECE NADA, PORQUE O GOVERNO NAO FAZ O QUE FEZ COM A TELEFONIA MOVEL.

    ISSO E UMA VERGONHA…..

  21. Eduardo Andrade disse:

    É a tipica declaração que coloca em dúvida a lealdade do Ministro ao povo brasileiro, haja vista a notória precariedade do serviço prestado pela Telefonica, por meio do Speedy.

  22. JORGE LUIS disse:

    Acontece cidadão jornalista que não vivemos num país culturalmente forte. Aqui essas agências foram criadas para servir de cabide de emprego como eram as famosas “teles” etc. O Speedy não funciona como deveria funcionar desde sua 1ª comercialização, a ANATEL é mais uma agência entre todas que não funciona e se funciona só para os interesses dos empresários que “ganharam” concorrências públicas para gerir serviços públicos. Não foi por falta de reclamação que ela nunca atendeu o contribuinte/consumidor e verdadeiro dono da permissão de serviço público, levou 9 anos para tomar uma atitude que deveria ter sido tomada lá em 2000. Já que estamos falando de Telefônica, sabe o senhor que na lei das telecomunicações a permissionária de serviço público de telefonia deve “investir” , coisa que a telefônica não faz. Vende o que não tem, não instala e depois manda a conta, isso num país culturalmente forte senhor jornalista, é caso de polícia, estelionato, isso não é papel de empresário decente.

  23. LUIZ CLAUDIO disse:

    EU NEM FALO NADA…PORQUE É CAPAZ DO SPEEDY CAIR…RS

  24. José Lopes disse:

    A Anatel nunca faz merda nenhuma. Quando faz, uma medida extremamente “pequena” comparada ao tamanho do problema, vem um senhor idiota, se achando, querendo intervir.

    Vem dizer que o consumidor é que não pode ser prejudicado, tenha dó né. Mais prejudicado do que já estão os que tem o serviço contratado e uma prestação sofrível deste serviço.

    Prejudicado seriam os consumidores se comprassem um serviço e não conseguissem usufruir deste serviço com decência.

    A Telecômica deve ter molhado a mão desse imbecil, só pode.

    Por essas e outras que este país não vai pra frente.

  25. ZINA disse:

    O Sr. Hélio Costa é um dos poucos políticos que tem honra, decência e coragem para enfrentar os conglomerados empresariais. Como já visto no episódio da mudança tarifária pelas empresas de telefonia onde queriam apenas mudar de pulsos para minutos sem fazer a devida conversão. Inclusive em São Paulo quem não pediu para passar para o tal plano de 400min. ficou com o de 100min. que era justamente a franquia em pulsos que o consumidor tinha e pagando pelos mesmos 400min.
    Se não fosse pelo ministro intervir “todos” estaríamos engolindo o que a telefônica havia determinado na época.
    PARABÉNS MINISTRO!

  26. Sergio disse:

    Estou pagando por 2 MB e recebendo bem menos que 1 MB.

  27. Renata disse:

    Silvio, mas cadê as soluções? Trabalho com internet, uso o speedy em casa e no escritório, e a conexão tá cada vez pior. Mal dá pra ler email.. tem algo sendo feito efetivamente?

  28. Zina disse:

    #Ronaldo !
    #fora-sarney !

  29. nerd disse:

    ministro[6]–;

  30. Rafael disse:

    realmente seria muito bom se todas essas agências fiscalizassem aluma coisa direito! meu provedor vive falhando, não dá muitas vezes a taxa mínima de download estabelecida em contrato e quando eu reclamo sabe qual é a resposta? Problemas técnicos senhor!

  31. A impressão de longa data é que a Anatel é o sindicato das operadoras. Se omite o quanto pode, empurra com a barriga e não resolve. Aqui em SC, a BRT já era ruim com a banda larga e agora, piorou, com a compra pela Oi. O Ministro dá pitaco para ficar sob os holofotes possivelmente, para algum projeto eleitoral. E assim, seguimos nós, lesados por serviços de baixa qualidade, tarifas caras e pagando “autenticação de sinal” ou “provedor de conteúdo”, nomezinho curioso para uma aberração já tipificada como delito.

  32. Ricardo disse:

    gente…que merda isso ai…o speedy é a melhor internet existente vai
    vamos ser sinceros
    se nao existisse o atendimento deles ke enxe o saco akeles filhos da puta xavekeiros ke só sabem enrolar o speedy seria melhor.
    isso eu tenho certeza
    e demoro pra volta essa porra de speedy!!!!!!!!

  33. Fabiano LIns disse:

    Sem dúvida alguma, nós mortais não temos nem idéia o quanto a REDE está envolvida em nossas vidas, esgoto, energia, água são exemplos já existentes e somadas a mais nova REDE… a da internet! Enfim, todos nós fazemos parte dessa REDE…, a da sociedade, política, amigos, bancos, serviços públicos, etc. Viver sem elas é estar excluído e qualquer falha nelas os transtornos tornam-se incalculáveis! As Agências Reguladoras para agirem de modo impessoal e de forma isonômica foram criadas para organizar e fiscalizá-las a nos fornecer serviços de primeira qualidade! Mas no Brasil é assim! Tuuuudo UTOPIA!….

  34. Rodrigo Sá disse:

    Como vimos na materia de Silvio Meira, podemos observar por dois angulos diferentes: O primeiro seria : O ministro preocupado em uma melhora em nosso defazado sistema de internet, quiz adiantar o serviço, uma ver que o mesmo, sem poder algum de julgamento, achou que a empresa SPEED, entendeu e aceitou a tarefa de mudar para melhor o seu papeu proficional.
    Sabemos também que não cabe ao Sr. Ministro esse tal julgamento, pois já existe no brasil, uma agencia apropriada para esses fins, a ANATEL
    O segundo ponto seria: A participação diretamente ou indiretamente do Sr ministro em lucros providos dessa empresa citada, onde o beneficio seria para os dois, “ geitinho brasileiro”, de ganhar dinheiro e fazer vista grossa em algumas irregularidades apontada pela ANATEL.
    As mudanças na Telefônica vão muito além das admissões públicas de culpa e das promessas de conserto

  35. eeestanislea Gomes dos Anjos disse:

    Estamos conectados em redes o tempo todo, mas no Brasil ficamos muito a desejar, pois há diversos problemas da Anatel em relação ao speedy. E finalmente sempre somos nos que levamos o prejuizo em tudo

  36. Evandro disse:

    Concordam que é muito suspeito um ministro intervir em uma questão que não lhe compete, já que as de sua responsabilidade eles não dão conta? Ou será que começaram a se preocupar de tal modo com a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de Telecom, a ponto de se exporem dessa maneira. Pois é!
    Não é de hoje que os políticos se metem nos assuntos das chamadas “agências reguladoras”. Isso demonstra apenas uma das distorções de competências entre o legislativo e o executivo, tal fato demonstra que nossos governantes estão sempre de uma maneira ou de outra, tentando manipular e pressionar o andamento comum das coisas, geralmente em proveito próprio, ou para defender o interesse de terceiros, que venham a lhe trazer benefícios futuros.
    Enquanto eles jogam um jogo de interesses, o povo padece a míngua e sem ter pra quem chorar.

  37. veronica rozalvo disse:

    todos os avanços tecnologicos,como tanbem as redes de comunicações foram boas em parte,podemos absorver varias informações ao mesmo tempo,sem conta que ficou mais facil se especializar.Por outro lado as multi nacinais e os governantes na sede de dominação querem o controle e a dominação dessas redes de comunicações.Não sei de que forma buscam isso,mas a intenção é essa.

  38. Maria Rosiane de menezes alves disse:

    RESPOSTA;É muito importante um grande investimento nessa área.Pois, a comunicação é a peça fundamental para a organização do mundo.