MENU

Escrito por • 13/12/2009

convergência, teles e PL29

image pra quem não sabe, está tramitando na câmara um projeto de lei que visa ordenar a convergência digital. trata-se do o PL29/2007, ou simplesmente PL29, que “dispõe sobre a organização e exploração das atividades de comunicação social eletrônica e dá outras providências”. este blog tratou do assunto num longo e detalhado post há cerca de um mês. se você quiser mesmo entender este texto, vá lá ver o artigo original e clique em alguns links.

semana passada o PL29 foi aprovado imagepela CCTI e enviado à CCJ da  câmara; a proposição original tem tantos remendos [veja aqui] e tão poucos acordos que pode ficar que nem alma penada, vagando pelas casas legislativas anos a fio. e olha que já está na câmara há quase três anos.

nossa curta conversa de hoje é sobre a declaração de josé fernandes pauletti, presidente da abraFix, a associação das teles fixas, ao comentar a passagem do PL29 pela CCTI: a aprovação é positiva, mas não resolve o problema das teles.

image segundo paulettias prestadoras precisam de alternativas de geração de renda usando suas redes, o que seria possível nos termos do PL29; mas as mesmas teles, pelos termos atuais do PL29, ficarão proibidas de produzir conteúdos ou comprar grandes eventos nacionais. na opinião de pauletti, conteúdo é o mercado do futuro, daí sua insatisfação com os termos da passagem do projeto pela CCTI.

o PL29 ainda deve ficar algum tempo no congresso. e talvez seja preciso que fique mesmo. pois assim como tem quem só pense no que é melhor pras teles, tem outra [e grande] galera defendendo o que é melhor pras TVs [e rádios, produtoras, jornais…]. mas o que não se vê claramente, no meio da multidão, é quem esteja defendendo o interesse das comunidades de espectadores e usuários. que deveriam, aliás, ser justamente o foco da discussão, da regulamentação ou da falta ou desnecessidade dela.

image

do jeito que está indo, o PL29 corre o risco de revogar a convergência digital [mostrada, por exemplo, na imagem acima], como este blog comentou há pouco tempo. e como isso é mais difícil de controlar –porque virtual e disperso pela rede- do que a “jabuticaba elétrica”, a genial tomada que só existe no brasil… é muito provável que um PL29 em sua forma atual não pegue. pelo menos na internet. já o pessoal de cabo e satélite vai comer o pão que o congresso amassou. e sua audiência idem.

segundo os maldosos, é nisso que dá deixar comitês e comissões tomarem decisões importantes, que podem ser relevantes pra todos. pra ver no que deu no caso da jabuticaba elétrica, clique abaixo pra saber porque você vai ter que trocar todas as suas tomadas e plugs nos próximos dez anos, e como um simples comitê criou um mercado do nada, desnecessariamente.

image

à exceção do diagrama acima, todas as outras imagens deste texto sairam de um documento neozelandês equivalente ao PL29; lá no meio do texto deles, se lê que…

For New Zealand content to be visible and widely used by New Zealanders, it needs to be more relevant, important and easily accessible to New Zealanders than overseas content, and well enough designed by way of metadata and other descriptors so that it can surface among the masses of international content.

…para o conteúdo neozelandês se tornar visível e largamente usado por neozelandeses, ele precisa ser mais relevante, importante e facilmente accessível aos neozelandeses do que o conteúdo internacional e seu desenho deve ser bom o suficiente para fazê-lo aparecer no meio da enxurrada de conteúdo internacional.

image

eles estão falando da mesma coisa que nós, mas de outro jeito: falam de design, qualidade e conteúdo de classe mundial, projetado e desenvolvido na e para a nova zelândia mas visível para o mundo, enquanto parece que aqui, sempre, estamos discutindo cartórios e sesmarias e reservas de mercado… com medo até da nova zelândia. como pode?…

vai ver é porque eles, lá em 2006, já escreviam [no governo] coisas como…

Television, music, film, radio and print publication are all fundamentally changing as a consequence of new digital technologies and the need to maintain audience and income streams.  Customers and end-users increasingly want control over the content itself, along with the flexibility to access it on-demand via platforms of their choice; while creators and distributors want to ensure appropriate payment, along with protection of their content and rights.

Businesses that have largely been only providers of telecommunication services (such as Internet Service Providers) are now entering a market that has been traditionally the realm of broadcasters, while those that commission and produce content are broadening their distribution channels via the Internet and other platforms (e.g. TVNZ ondemand, Fairfax’s Stuff.co.nz, NZ Herald, Radio NZ, SKY Mobile TV) to compete with other Internet and multi-platform content. 

Content creation is becoming a stronger focus as the channels for delivery become diversified, while the potential for digital platforms to provide multiple and simultaneous channels of content is increasing.  This environment is increasing in complexity, with revenue models, particularly those based on advertising (e.g. broadcast commercials, print advertisements) or on selling physical media (e.g. CD, DVD, print), being potentially threatened as the audience and market fragments. Traditional content distinctions based solely on the delivery mechanism are becoming less relevant, as more content is being made for multiple channels of delivery and income generation.

image …e, depois disso, partiram pra transformar a nova zelândia em um dos pontos focais da economia criativa no mundo, levando em conta as responsabilidades do governo, as necessidades das comunidades e os interesses dos negócios [e não qualquer outra combinação das mesmas palavras]. e nós não.

vai ver que é por falta de tais definições, aqui, que todos os setores da economia de mídia e conteúdo estão disputando nacos do PL29 às tapas: é porque nós não conseguimos, ainda, encontrar um conjunto de propósitos verdaderiamente brasileiros, de classe mundial e, a partir daí, uma estratégia para realizar o que queremos. sem isso, nem pauletti nem ninguém será atendido, seja lá quando e qual PL29 for aprovado.

Artigos relacionados

25 Responses to convergência, teles e PL29

  1. ricardocarvalho2010 disse:

    Por favor…. Alguém leu o imenso e quase criptografado texto acima em sua integra?
    Esse mesmo “alguém” que cometeu esse ato heróico em tempos de zapping literário e digital poderia, encarecidamente:
    FAZER UM RESUMO EM 10 LINHAS PRA MIM?????

  2. Hans Haas disse:

    Para sua informação a “Jabuticaba elétrica” não será uma invenção brasileira, é exatamente o mesmo tipo usado na Suiça, em tudo, numero de pinos, sua disposição, formato geometrico, etc. Tanto que os aparelhos que usam o atual padrão brasileiro podem ser usados lá sem qualquer adaptação.

  3. Jeff disse:

    Nosso colega Ricardo Carvalho tem razão. Como um responsável do Terra permite um “artigo” como esse?
    Não estamos discutindo o conteúdo, uma vez que isso é impossível de se ler, com várias referências externas, trechos em inglês, comentários pessoais misturados a citações de terceiros etc…
    Isso é o modelo de texto informativo que as universidades de comunicação deveriam de usar para ensinar aos seus alunos de como NÂO SE DEVER SER FEITO.
    Minha opnião:
    Assunto é relevante e deveria ter sido abordado de forma mais inteligente, menos arrogante , mais ditático a uma leitura leiga.
    Isto não é uma tese de doutorado…. é um simples artigo !!!

  4. marcio disse:

    pessimo go sto este artigo nao entendi nada pra nao falar como o presidente falou isso e uma [merda]

  5. Jonas disse:

    Não sei do que reclamaram do texto. Eu li, eu entendi. Só não entendi mais por que realmente não cliquei em nenhum dos links – nem mesmo o link do texto original -.

  6. LUIZ HENRIQUE ALVES disse:

    Esta configuração das novas tomadas, de 3 pinos são necessárias para dar eficiência aos filtros de linha. Porém, alguns prédios não dispõe de rede de aterramento, para acionar o terceiro pino. Certamente, os eletricistas aptos para fazer estas conexões elétricas, explorarão o consumidor.
    Mas, em sintese, evitará acidentes elétricos nas tomadas e choques elétricos.

  7. Zé Bambu disse:

    Caro senhor Ricardo carvalho. Respeitamos quem não sabe ler. De Verdade. Mas ninguém é obrigado a entrar neste blog e ler. O Silvio Meira, a quem muitos de nós acompanhamos, certamente respeita, mas não escreve para quem não tem capacidade cognitiva mínima. Ele sabe que aqui não está falar com analfabetos. Quando o fizer ele certamente levará isso em conta. Se o senhor pretendeu fazer uma “gracinha”, terminou apenas expondo sua imensa incapacidade para ler. Em resumo, sua ignorância. Sugiro que zapeie em busca do Programa do Gugu, do Faustão, ou de alguma mesa redonda comandada pelo Milton Leite. Este é o seu patamar.

  8. disse:

    Os comentários refletem simplesmente o estado geral da cultura brasileira.
    O problema não está no texto, aliás, bem escrito e cheio de referencias.
    Está na preguiça da maioria, que se habituou a ler manchetes na internet, usa jornal para limpar a b.u.n.d.a. Leitura zero.
    Entendimento zero, educação (nos dois sentidos) zero.

    Antes que alguém corrija meu portuges… meu micro não produz o acento circunflexo).

  9. disse:

    Os comentários refletem simplesmente o estado geral da cultura brasileira.
    O problema não está no texto, aliás, bem escrito e cheio de referencias.
    Está na preguiça da maioria, que se habituou a ler manchetes na internet, usa jornal para limpar a b. u. n. d . a. Leitura zero.
    Entendimento zero, educação (nos dois sentidos) zero.

    Antes que alguém corrija meu portuges… meu micro não produz o acento circunflexo).

  10. Caim disse:

    Feliz o homem que tem inimigos, isso demonstra que não terá passado pela vida e pela Terra em vão. O Silvio Meira, como podemos ver, tem inimigos; e eles estão à espreita num domingo de manhã, sinal de que o rancor, a inveja, o ódio, deve ser daqueles bem cultivados. Silvio, li e entendi perfeitamente, não se preocupe nem um segundo com isso. Esses comentaristas parecem débeis mentais, mas acho que não são, não: é só ciúme, inveja, rancir, ressentimento. Passarão mais um péssimo dia sobre a Terra, ainda mais quando lerem isso aqui, porque terão a certeza de que, além de tudo, houve quem percebesse a escuridão de suas almas. divirta-se e digvirta-nos, caro Silvio.

  11. erico beck disse:

    quanto a tomada é uma porcaria este formato dificulta o contato. Referente a mudança de sistema operacional da tele analogica para a digital é mais uma maneira de muitos do colarinho branco meterem a mão em muito dinheiro, assim foi tambem com a telefonia que o ministro na epoca sr. Elio não sei das quantas, andou faturando e nada fes.

  12. wesley disse:

    Acredito que quando alguém se propõe a escrever sobre um assunto de tamanha relevância em um veículo que atinge um número tão grande de pessoas, no mínimo o que espero é que essa pessoa faça o uso correto da gramática e suas aplicações.
    Nome de país em minúsculo?!? Nome de pessoas em minúsculo?!?!? Pontuação colocada de maneira errada e em alguns casos , início de frase sem a aplicação do maiúsculo na primeira letra?!?!? Um absurdo. Ok que estamos na internet, mas tudo tem limite!!!
    Respeito a nossa língua!
    Quanto ao conteúdo da matéria, não vejo tantos problemas quanto os leitores estão vendo, até pq, se trata de um blog, e o autor tem o direito de expressar o que pensa. Acredito que quem não entendeu que ele expôs da maneira que expôs, provavelmente está acostumado a ler mais as matérias sobre a Geyse Arruda ou qualquer outro pocotó desses que estampam todos os dias a capa do Terra e dos ostros portais

  13. Carlos Verdiani disse:

    Ótima informação, Hans Haas…

    Então na verdade temos uma Jabuticaba elétrica em dois sabores: Queijo suíço e Chocolate Suiço !!!!

    Como a suiça é a maior produtora e exportadora de eletro-eletrônicos do mundo, e também a maior importadora, não haverá nenhum problema para nós…. Vamos importar tudo deles, e aquilo que antes exportavamos para o mercosul, vamos mandar para a Suiça, afinal eles só produzem artigos de ponta e não tinham de onde importar eletro-eletrônicos sucateados….

    Resolvemos o nosso problema e o deles !!!

    Isso me lembra histórias como kit de 1º socorros nos carros… Eu adoraria ter sido um filho de deputado / senador / etc que teve essa informação em primeira mão pra ter aberto uma fábrica de tomadas, cabos , etc…

  14. Ongy Suruagy disse:

    Pô, Sílvio, nao custava nada você produzir as ilustrações no lugar de ficar nesse cut & paste de obra alheia que mais lembra trabalho de aluno de graduação chupado do Google. E os trechos em inglês seguidos da sua tradução são pura encheção de linguiça. Sem falar que você não conseguiu definir, com suas próprias palavras, o que entende por convergência digital logo no início do texto sendo obrigado a apontar para outro texto seu, mais prolixo ainda, onde supostamente isso estaria definido. E a sua crítica a trechos como “as prestadoras precisam de alternativas de geração de renda usando suas redes”, cadê ? Ou você endossa uma bobagem dessas e aposta nesse PL para resolver o “problema” de aumento de renda? Sinceramente, pouca gente tem um espaço tão privilegiado para produzir textos tão pobres.

  15. Propagandalf disse:

    Ricardo Carvalho e cia. em parte tem razão, o nível do Terra é baixo demais para os artigos do Silvio Meira.

  16. Alinne disse:

    Quantos anos faz que usamos esse tipo de tomada ?
    pra que mudar ? $$$$$$$$ alguem nao ta faturando !

    eh ou nao eh nao eh ? ÉH !

    tem coisa mais importante pra fazer do que ficar escolhendo tomada de 2 pinos ou 3, ai nao sei qual eu uso ?

    V DE VINGANÇA !

  17. Marcos disse:

    Alguém resume isso por favor? Ninguém lê tanta coisa assim.

  18. Gouveia disse:

    perdi mais tempo lendo a matéria ( e não entendi muita coisa), que lendo os comentários!!!!

  19. Bucencio disse:

    o silvio meira é um grande analfabeto. nao sabe usar pontação. provavelmete quer aparecer mais do que deve.

  20. Alaor disse:

    Li tudo e entendi tudo. Quanto débil mental nesses comentários. A pergunta básica é: quem pediu para um débil mental vir aqui, ler, e comentar? A resposta é: ninguém Pergunta: então porque eles o fazem? Resposta: porque não são leitores comuns porra nenhuma. É alguém que ama/odeia o Silvio. Alguma que ele comeu e largou ou alguém que ele demitiu ou atropelou. So isso pode explicar alguém entrar na internet domingo de manhã não para ler, mas sim para destilar ódio e inveja. Enquanto isso…. tome-lhe audiência para o Silvio. Ou seja, são uns cretinos.

  21. Menis disse:

    Excelente artigo.
    Pena quem não entendeu.
    Talvez o autor faça uma versão com figurinhas e desenhos para essas pessoas.

  22. Juan disse:

    Interessante notar que, a maioria dos apelos por melhoras na pontuação ou ortografia tem erros piores que os denunciados por elas.

  23. Bucencio disse:

    alaor, o silvinho lhe comeu?? Quanta veemencia, bicha safada!

  24. Bucencio disse:

    alaor é nome de kenga.

  25. Angeiras disse:

    Decepcionante ler os comentários. Quando esperava ler algum debate de idéias, propostas, opiniões a favor e/ou contra, tive a impressão de estar no blog errado.
    Tem muita gente lendo Schopenhauer, quando deveria ler, no mínimo, Pascal Ide.