MENU

Escrito por • 01/04/2010

da série “só no brasil” [1]

o teletime, entre outros noticiosos, dá conta de que a “Falta da planilha de custos deixou PNBL fora do PAC 2” em manchete do dia 29/03. ouvido pelo teletime, o ministro paulo bernardo, do planejamento, disse que… "Ainda não há definição sobre o plano. Há detalhes que precisam ser fechados, por isso ele não foi incluído no PAC 2". os detalhes comporiam a tal planilha onde estão as primeiras cidades na malha do PNBL, as velocidades das conexões, os custos, as fontes de recursos… ou seja, parece que faltava mesmo um monte de detalhes para que o PNBL deixasse de ser anunciado como uma das ações do PAC 2.

se você não sabe o que é, ou se pensa que vai ser, o PNBL é o plano nacional de banda larga; clique neste link para ouvir o próprio ministro paulo bernardo falando sobre a proposta de infraestrutura [nacional] de informação que promete [ou prometia] conectar, decentemente, o brasil pela e à internet.

image enquanto isso –e em se tratando de um assunto tão quente que seus primeiros efeitos colaterais mexeram significativamente na bolsa de valores- o brasil vai caindo, devagar e sempre, nas comparações internacionais de qualidade e quantidade de infraestrutura de informação. em 2000, o brasil estava 38o. lugar no network readiness index do world economic forum; em 2004, como mostra o ranking à esquerda, já havíamos caído para 46o. lugar entre 104 países.image

no ranking de 2008-2009, mostrado à direita, caímos para a 59a. posição em 134 países; somos vizinhos do azerbaidjão e da turquia por baixo e nos lideram a romênia, o kuwait e a costa rica.

note que, na década, não foi só o brasil que dançou; de 2004 pra cá, a índia caiu da 39a. posição para a 54a., 15 posições contra as 13 que perdemos. e você perguntaria: como assim? a internet brasileira melhorou tanto nestes cinco, seis anos… e ainda assim caímos tudo isso?

a resposta é sim, porque se trata de uma comparação; melhoramos muito em relação ao que éramos, mas os outros países, acima no ranking, melhoraram ainda mais. e nós, por conseguinte, perdemos competitividade.

e perdemos –e continuaremos perdendo- porque, num cenário econômico e social onde banda larga é tão importante como energia, água e esgoto, não fizemos muita coisa de política pública no passado, enredados que estamos ao redor de um FUST que não funciona e, como se vê para o futuro, por coisas como o PNBL não entrar no plano nacional de investimentos para os próximos quatro anos… “porque não tem uma planilha”.

pode ser que não seja… mas que parece brincadeira, parece.

Artigos relacionados

0 Responses to da série “só no brasil” [1]

  1. Tassio Vale disse:

    É uma pena que isso seja verdade. Parece até que os políticos se comunicam através de cartas, e não de e-mails.

    Pra mim parece uma brincadeira, um digno primeiro de abril.

  2. Anselmo Lacerda disse:

    É impressionante como o governo brasileiro trata com descaso a infra-estrutura e principalmente a Internet. Vamos perder muito em todos os setores sem temos as mínimas condições de desenvolver o crescimento da economia e alavancar diversos setores da sociedade.

    No Reino Unido, a Internet é muito acessível e de rápida velocidade, fiquei admirado com as velocidades para assistir vídeos e canais pelo browser, mesmo assim, o governo britânico investirá mais de 1 Bilhão de Libras no infra-estrutura da Internet no Interior do País sobretudo nas regiões rurais, mesmo em casos que a iniciativa privativa deu passos importantes neste sentido, isso é uma atitude de um governo que tem visão.

    Além disso, Cadê o dinheiro do Funtel? Segundo o governo brasileiro, o dinheiro cobrado nas contas telefônicas, seria utilizado para inclusão digital, fornecimento de Internet de altas velocidades nas instituições de ensino e ampliação da Internet em regiões mais afastadas e/ou desprovidas de condições financeiras.

    Silvio seria interessante escrever sobre essa questão do Fundo do Funtel que têm cerca de alguns bilhões de reais e que nunca foram gastos para o objetivo da proposta de criação deste fundo.

  3. regis disse:

    o pac 1 nem ficou pronto e nem esta com a metade pronta ja lança o 2 é uma piada mesmo, e o povo acha que ta bom.

  4. Manoel disse:

    E eu que brinquei com um colega de Portugal que finalmente ia ter internet com velocidade de 10mb a um preço decente. E ele : “Manoel, aqui já tenho a 100mb com perspectivas de até final de 2010 chegar a 1gb…”
    Eita, que isoo não é primeiro mundo, é “outro mundo”.

  5. Fernando disse:

    Na Coréia do Sul o Mbps custa US$ 0,19, em Sao Paulo US$ 30,00. Já seria muito bom se o interior chegasse ao preço das capitais no proximo ano.

  6. Hugo Souza disse:

    O que se esperar de um governo que trata o pré-sal e bolsa família como prioridades? Sou de estado (Alagoas) que apeas 17% da população tem acesso a computadores. Por que? Será que os políticos tem medo do povo ter acesso à informação? Acho que isso as vezes vem bem claro em minha e de muitas pessoas. E quem sabe esse governo federal acha isso e vem com conversas de que precisa estatizar a banda larga para que a ampliação seja possível. Pra mim é mais uma balela! Precisam investir sim, mas não da forma como estão propondo (ou impondo).