MENU

Escrito por • 17/05/2008

de alfabetizados para digitalizados?

o economist questiona: será que ler e escrever vão continuar tendo importância? como sinal dos tempos, mostra que o tempo que os americanos entre 15 e 17 anos gastam lendo [como lazer] caiu de 18 para 7 minutos por dia entre 1983 e 2003. citado pela revista, mark bauerlein diz que… digital technology has fostered a level of public ignorance that now threatens not just our competitive wellbeing but our democracy as well…

mesmo? acho que estamos precisando estudar, seriamente, quais são os reais efeitos das tecnologias de informação e comunicação na vida das pessoas, especialmente dos jovens. e precisamos rever as escolas e salas de aula, urgentemente. no fim do texto, o economist aponta artilharia pesada para as escolas de hoje: no surprise that when we incarcerate teenagers of today in traditional classroom settings, they react with predictable disinterest and flunk their literacy tests. They are skilled in making sense not of a body of known content, but of contexts that are continually changing.

e mais: Teachers must recognise that our pedagogical tools are inconsistent with the skills needed to survive in a world where people are always connected to everyone and everything. In such a world, learning to think for oneself could well be more important than simply learning to read and write.

em bom português? os professores têm que reconhecer que nossas ferramentas pedagógicas são inconsistentes com as habilidades necessárias para sobreviver num mundo em que as pessoas estão sempre conectadas a tudo e a todos. Em tal mundo, aprender a pensar por si mesmo pode muito bem ser mais importante do que simplesmente aprender a ler e escrever.

Artigos relacionados

0 Responses to de alfabetizados para digitalizados?

  1. Thiago Rodrigues disse:

    Estamos vivendo na era da digitalização das coisas, e como tal, não basta apenas saber ler e escrever (fase preliminar). É preciso possibilitar o acesso e compreensão deste mundo, principalmente às pessoas que não cresceram nele, atente-se a que muitos destes é que ditam a forma como a educação deve crescer no Brasil.

  2. Rafael Santos disse:

    Eh precisa saber ler e escrever corretamente e com muito mais rapidez. Chegou a era da leitura dinamica, onde pra pode rlidar com todo esse enorme volume de informação que chega ateh nós precisamos ler com uma velocidade tremenda, sabendo filtrar o que eh superfluo.

  3. Ricardo disse:

    Uma coisa não exclui a outra.

    “…aprender a pensar por si mesmo…” é extremamente importante, seja em que época for. Desde a inquisição, pensar por si mesmo é privilégio. A diferença é que naquela época era necessário ter cuidado para que os inquisidores não descobrissem os pensamentos “impuros”.

    Ler e escrever é básico. Sem isso, provavelmente não se conseguirá bagagem teórica/filosófica para pensar por si próprio (ler) e/ou não se terá formas concretas para se expressar o que se pensa (escrever).

  4. Mauro Silva disse:

    acho que estão confundindo as coisas. temos que repensar sim as ferramentas e metodologias de ensino, NUNCA a prospostas e métodos pedagógicos em detrimento da tecnologia. ler e escrever vai (e deve) ser SEMPRE os pilares de qualquer processo de construção do conhecimento.
    a questão é: “pensar por si mesmo” vai se tornar uma FULGA e não uma opção para caminhar junto com os livros e escritas.

  5. Bruno Bezerra disse:

    É preciso reconhecer também que uma parcela razoável de professores (especialmente da rede pública) precisa mais do que nunca das habilidades necessárias para sobreviver nesse mesmo mundo em que as pessoas estão sempre conectadas a tudo e a todos.