MENU

Escrito por • 26/08/2010

dez tendências tecnológicas nos negócios [1, 2, 3]

grandes consultorias de negócios costumam publicar, de tempos em tempos, suas idéias sobre o futuro [de alguma coisa] nos negócios. nem sempre acertam, claro; mas também é claro que há um grande alinhamento de expectativas do mercado quando qualquer uma das grandes diz estar “achando” alguma coisa, principalmente em áreas onde a evolução sempre tem cara de revolução, como é o caso de tecnologia. ainda mais quando se trata de TICs, as tecnologias de informação e comunicação.

dias atrás, o blog comentou um estudo da IBM sobre o aumento da complexidade no ambiente de negócios nesta década, com tecnologia assumindo um papel [na opinião de CEOs de todo mundo] só menos importante do que fatores intrínsecos do mercado. hoje começamos a discutir um texto da mcKinsey sobre tendências tecnológicas nos negócios  [Clouds, big data, and smart assets: Ten tech-enabled business trends to watch] que foi resumido neste link por mark schaefer e comentado, também, pelo blog do marcelão.

esta semana, participei de um debate na CNI sobre formação de técnicos e engenheiros e não houve tempo, na minha apresentação [slides neste link, na íntegra], para comentar as tendências da mcKinsey. dado todo este contexto, vamos ao que interessa mesmo: o que vê a bola cristal da mcKinsey e o que isso significa para os negócios e para as pessoas?…

image

a primeira grande tendência é criação colaborativa, em rede, em larga escala; 70% dos executivos consultados pela mcKinsey reconhece que suas empresas já criam valor em comunidades da rede, de processos de atendimento a seus clientes e usuários até o desenvolvimento de produtos e inovação. talvez se possa duvidar, neste estágio do uso de redes sociais pelas empresas, do grau de coerência estratégica de tais ações dentro do negócio como um todo. mas o fato é que ações globais em rede como collaborate & innovate, da LG, onde a empresa publica, em rede, sua agenda de temas e problemas de pesquisa para interesse de potenciais colaboradores externos ao negócio [e conhecimento da competição…] já são importantes e talvez se tornem absolutamente essenciais para a competitividade das empresas nesta década. criação é –e vai ser cada vez mais- colaborativa. porque o negócio, todo negócio é, cada vez mais, em rede.

image 

aliás, o resumo em uma linha das três primeiras tendências globais apontadas pela mcKinsey é… “seu negócio está se tornando uma comunidade, de verdade, e isso vai ser cada vez mais verdade, de forma cada vez mais intensa”. é disso que trata a segunda tendência, acima: o negócio está em rede e as redes criam conexões para interagir. há negócios intensivos em interação que vêm experimentando desde melhoras muito significativas no atendimento [50% melhor no caso de uma empresa de energia mundial] até outros que estão usando redes sociais para realizar mudanças radicais no processo de atração e contratação de pessoas.

o c.e.s.a.r, aqui no brasil, usa twitter de forma sistemática para atração de capital humano, com um grau de sucesso consideravelmente maior do que o dos processos clássicos de head hunting.

se levarmos a sério as tendências dos negócios estarem mesmo em rede [2, acima] e de que a criação vai ser cada vez mais colaborativa [1, acima], a próxima tendência é quase uma consequência lógica das duas, no tempo:

image 

colaborar em escala significa que, paulatinamente, as empresas estão deixando de ser silos fechados [o “segredo, alma do negócio”] e, passando por uma instância de cadeia de valor [“não faço tudo, mas controlo”], indo rapidamente para o tempo dos negócios em rede, comunitários: em rede e comunidade, não controlo nada. provoco, articulo, realizo, sou parte –mas só parte- dos processos de coordenação; na verdade, em rede, cada um e todos são agentes independentes, em contexto, competindo e cooperando para sobreviver. no mais puro espírito de darwin, negócios em comunidade são ecologias e regidos pelas leis das ecologias. no caso, das ecologias de negócios.

e isso não vai ser um pequeno passo na história dos negócios; envolver fornecedores e clientes de forma muito ampla na rede de valor da empresa [ou por outro lado, e talvez mais importante: inserir a empresa na rede de seus fornecedores e clientes…] vai dar muito trabalho.

a razão deveria ser óbvia: “transformar o negócio em comunidade” vai afetar, e muito, as estruturas de gestão, a maioria das quais ainda baseada nas hierarquias de comando e controle que tornam a empresa um… silo. pode demorar ainda mais para acontecer em periferias como o brasil; mas, ao mesmo tempo, este é o país que tem o maior percentual de percepção [entre a população] de redes sociais e a maior percentagem [entre quem tem acesso à internet] de usuários de redes sociais em todo mundo. ou seja… o cenário, do ponto de vista das pessoas, está pronto, ou quase. para as empresas, resta o problema de criar os scripts iniciais e a coragem para tentar e, tentando, errar e aprender, em comunidade.

Artigos relacionados

18 Responses to dez tendências tecnológicas nos negócios [1, 2, 3]

  1. Aluno de HFC disse:

    Tá certo. Bacana. Uma maravilha…

    Mas, cadê as notas de HFC, professor? Esqueceu dagente foi?

  2. Aluno de HFC disse:

    Tá certo. Bacana. Uma maravilha…

    Mas, cadê as notas de HFC, professor? Esqueceu dagente foi?

  3. Paulo disse:

    Interessante que essa tendência tecnológicas apenas confirmam o que Howard Rheingold falou em 2005 na palestra Way-New collaboration do TED. http://blog.ted.com/2008/02/11/howard_rheingol/

  4. Paulo disse:

    Interessante que essa tendência tecnológicas apenas confirmam o que Howard Rheingold falou em 2005 na palestra Way-New collaboration do TED. http://blog.ted.com/2008/02/11/howard_rheingol/

  5. Paulo disse:

    *essaS tendênciaS

  6. Paulo disse:

    *essaS tendênciaS

  7. Elaine G.M de Figueiredo disse:

    Pra mim faz todo o sentido, pena que as pessoas não enxergam dessa forma, acham que rede social é só diversão e não extratégia de trabalho, acho que talvez essa mudança de pensamento seja um pouco lenta.

  8. Elaine G.M de Figueiredo disse:

    Pra mim faz todo o sentido, pena que as pessoas não enxergam dessa forma, acham que rede social é só diversão e não extratégia de trabalho, acho que talvez essa mudança de pensamento seja um pouco lenta.

  9. dirs disse:

    Network over Bunker e Access over Property são “visões” lá do ano 2000 que até hoje uma década depois são passadas para frente como “insights” e poucas empresas conseguem mudar o jogo interno. Fico tentando imaginar, qual o “insight” novo, novo mesmo?

  10. dirs disse:

    Network over Bunker e Access over Property são “visões” lá do ano 2000 que até hoje uma década depois são passadas para frente como “insights” e poucas empresas conseguem mudar o jogo interno. Fico tentando imaginar, qual o “insight” novo, novo mesmo?

  11. rolexfake disse:

    Excellent reproduction Arsenalmerchandise sells at resonable price.The Real Madrid merchandise with high quality and exclusive design.Choose one amazing of
    England Premier League merchandise to highlight your life style.

  12. rolexfake disse:

    Excellent reproduction Arsenalmerchandise sells at resonable price.The Real Madrid merchandise with high quality and exclusive design.Choose one amazing of
    England Premier League merchandise to highlight your life style.

  13. rolexfake disse:

    Till now, replica rolex daytona well-known all over the world.With a large selection of rolex daytona replicaand a low price on every model, watchwax.com is the best place to shop for Luxury Rolex watches.

  14. rolexfake disse:

    Till now, replica rolex daytona well-known all over the world.With a large selection of rolex daytona replicaand a low price on every model, watchwax.com is the best place to shop for Luxury Rolex watches.

  15. rolexfake disse:

    We are rolex oyster perpetual experts selling only the finest, top level condition, and preowned men’s and ladies’ rolex oyster perpetual datejust, used Rolex watches, unused Rolex watches and new Rolex watches on the market. Our top priority is to provide every customer with the highest quality Rolex watch at the lowest price available. Browse our wide selection of Rolexes for sale.

  16. rolexfake disse:

    We are rolex oyster perpetual experts selling only the finest, top level condition, and preowned men’s and ladies’ rolex oyster perpetual datejust, used Rolex watches, unused Rolex watches and new Rolex watches on the market. Our top priority is to provide every customer with the highest quality Rolex watch at the lowest price available. Browse our wide selection of Rolexes for sale.

  17. rolexfake disse:

    Good post!
    Our web sells thereplica rolex submarinerwith high quality and exclusive design.Welcome to choose!
    Thanks!

  18. rolexfake disse:

    Good post!
    Our web sells thereplica rolex submarinerwith high quality and exclusive design.Welcome to choose!
    Thanks!