MENU

Escrito por • 11/11/2014

e parece que a microsoft não vai se acabar nem tão cedo

pra começar, quando se compara o julho-setembro deste ano com o do ano passado, as receitas aumentaram 25%. isso não é pouco em nenhum mercado. tudo bem que há áreas onde as receitas são menores do que as despesas, como smartphones. mas você sabia que a microsoft vende mais smartphones do que a apple? pois é, entre julho e setembro foram 36.1 milhões para redmond e 35.2 para cupertino. e com as soluções móveis que a microsoft tem, mais cedo ou mais tarde a empresa vai descobrir como ganhar dinheiro neste setor. em algumas áreas do negócio, o crescimento passou de 100% no último trimestre, em comparação com 2014, como nas operações de nuvem [pense cloud computing]. e o lucro deste ano fiscal pode passar de US$25 bilhões. coisa de gente muito grande.

gartnerpcsales

em 2014, o mercado de PCs bate no fundo do poço em relação aos tablets, segundo o gartner group, e começa a se recuperar em 2015, enquanto as vendas de tablets e smartphones começaram a se estabilizar, o que não é um bom sinal para quem estava pensando que não iria sobrar um só PC no mundo. a microsoft está vendendo mais de US$900 milhões em tablets por trimestre, o que é uma novidade relevante. talvez a gente ainda vá ver tablets muito à frente de PCs… porque a microsoft redefiniu os tablets. será?

os_share_october_2014

redmond nunca foi nem ameaçada no mercado de PCs [desktops e laptops], e tem mais de 91% dos sistemas operacionais de todos os PCs, o que quer dizer que ninguém que queira atingir um amplo mercado global pode negligenciar windows, que está a caminho de se tornar uma plataforma única [seja lá o que isso queira dizer] para um bom número de usos em PCs, tablets e smartphones. windows 8.1 no surface 3 pro, por exemplo, é indistinguível de um desktop de grande porte.

ie_october_2014

enquanto a galera geek ignora o navegador da microsoft olimpicamente, o gráfico acima, também da venture beat, mostra que internet explorer é o browser mais usado no mundo, e por uma larga margem: tem quase o triplo de usuários de chrome, o navegador de google, e mais de onze vezes mais usuários do que safari, da apple. sendo o browser nativo para a máquina de buscas da microsoft, bing.com, IE começa a levar pra lá um número significativo de perguntas e, se você quiser saber, eu acho que bing.com, pra buscar imagens, traz resultados melhores do google em um bom número de casos. clique aqui e compare.  

surface

o investimento da microsoft em R&D [pesquisa e desenvolvimento] é perto de quatro vezes o orçamento do ministério de ciência, tecnologia e inovação do brasil. nos anos em que steve ballmer esteve no commando da empresa, se viu muito pouco disso chegar até a receita, mas satya nadella está muito mais empenhado em traduzir criatividade, pesquisa, desenvolvimento e inovação em soluções de problemas que, por sua vez, resultem na transferência, lucrativa, de recursos dos clientes e usuários para as receitas da empresa. a microsoft, por tudo que se vê, e contra as previsões de muitos… não se acaba nem tão cedo.

Artigos relacionados

3 Responses to e parece que a microsoft não vai se acabar nem tão cedo

  1. Victor disse:

    A Microsoft é uma das empresas que mais investem em pesquisa pura na Computação. Isso não é errado e deve ser elogiado!
    Mesmo eu não sendo fã desta empresa, não posso deixar de admirá-la por isso.
    Por outro lado, não vejo que haja tanto desalinhamento entre a pesquisa e os produtos, pois a MS lançou uma boa quantidade de produtos inovadores nos últimos anos. O Kinect é um exemplo emblemático de investimento em pesquisa se traduzindo em produto.
    Esse paradigma de integração e coerência perfeita de iniciativas e pesquisas tem mais prejudicado do que ajudado. Não teremos um cenário interessante caso todas empresas virem “Apples”.

  2. […] o .NET, seja bem vindo ao mundo. Porque suportada por uma empresa que tá montada na grana, demonstrando evoluções animadoras no C# e F# e mantendo na folha de pagamento um dos meus […]

  3. Leandro N disse:

    Sempre que eu vejo essa conversa sobre investimento em tecnologia sem levar em conta o orçamento de 700 bilhões do pentágono eu morro de sono. O grande celeiro de mão de obra qualificada e inovação tecnologica está aí. O setor de tecnologia “mainstream” se apropria e vende o que o estado pagou para ser desenvolivido, no que funciona como um subsídio absolutamente devastador pra competição de outros países, a menos que arrumem um jeito de fazer algo parecido.