MENU

Escrito por • 31/05/2010

eleição de 2010: divisor [digital] de águas?…

dando sequência a uma conversa que tem a primeira parte neste link [sobre internet e mobilidade no país] e segunda neste [sobre cloud computing], gabriel dudziak me perguntou se… A Eleição de 2010 será um divisor de águas no uso da informática como plataforma eleitoral? Qual é seu posicionamento sobre o uso de tecnologia na política?

eu respondi que…

…acho que nós aprenderemos muito com o uso da internet na eleição de 2010 mas, por várias razões, incluindo o diminuto percentual de pessoas com banda larga em casa, o impacto da rede na eleição não será o que poderia ser.

Mas esta eleição vai ser essencial para todos aprenderem o que se faz, e o que não, na rede, numa eleição. O tempo, os textos, os vídeos, os celulares para trazer os candidatos e eleitores em tempo real para as comunidades e redes sociais, o processo de captação de recursos para a campanha… há muita coisa nova, tudo de uma só vez, porque estávamos represados por uma legislação do tempo do correio a cavalo.

Os pessimistas provavelmente dirão que a internet não tem impacto eleitoral; deverão ser corrigidos, se este for o caso nesta eleição, para "não teve, desta vez". À medida em que mais gente -eventualmente, todos- se conecta e uma parcela -cada vez- maior da população consegue ler, entender e criticar um parágrafo longo como este… não vai ser apenas um rosto bonito ou conhecido e um discurso vazio ou de apropriação do estado para certos grupos que vão garantir um mandato, porque as pessoas perguntarão mais, e não encontrarão resposta. E não darão seu voto a qualquer um.

E isso vai acontecer pela rede, [no futuro próximo] a rede vai ser um mecanismo ainda mais essencial de conectividade, expressão e debate do que já é hoje.

há dois webcasts de @srlm com @fabiolacidral, no CBN Bits da Noite, falando sobre twitter e campanhas eleitorais, o primeira neste link e a segunda neste outro aqui. e há ainda um outro, sobre a falta de bom senso de certos políticos no uso do twitter, neste link.

image

por outro lado, este blog considerou, numa longa série de textos publicados recentemente, o que poderiam ser as estratégias de negócios para [ou em] redes sociais. e isso tem a ver com esta nossa conversa de hoje.

isso porque, de mais de um ponto de vista, um partido é uma empresa; campanhas eleitorais –quer se queira ou não- são cada vez mais processos de “venda” de proposições de possíveis políticas oúblicas ou, na maior parte dos casos, de pessoas; infelizmente, cada vez mais de pessoas do que de políticas. por fim, política é –de variadas formas- um negócio. se você está ou é político, eleitor ou observador eleitoral… dê uma olhada na série sobre estratégias de negócios em redes sociais. faz tanto sentido para empresas como para política: os links, na ordem, são: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7. boa leitura.

image

Artigos relacionados

0 Responses to eleição de 2010: divisor [digital] de águas?…

  1. Comentei algo semelhante no blog de Sérgio Xavier quando ele lançou seu Plano de Governo Colaborativo via Twitter:

    Imagine o impacto que teremos daqui a algumas eleições com a crescente penetração da internet e o decrescente poder da televisão.

    A produção para internet é bem menor do que para TV, então isso pode reduzir bastante as disparidades que verificamos hoje. Nas eleições atuais, um candidato sem muita verba de campanha praticamente não tem possibilidade de ser eleito.

    Isso deveria ser resolvido com financiamento público de campanha, mas já que isso parece uma realidade distante, a inversão de impactos televisão versus internet parece jogar uma luz.

    Do contrário, teremos sempre candidatos com mais dinheiro (mais doações de empresas, mais comprometimentos futuros no governo) vencendo, não importando se possuem ou não as melhores propostas.

    Isso só deve ocorrer lá para 2014, 2018 ou depois. O poder da TV ainda é muito grande. A Eleição 2010 será a primeira grande eleição do Twitter, por exemplo. Em 2006, o Twitter tinha só uns 6 meses de vida e poucos usuários. Em 2008, foram eleições municipais. Vamos ver como se comportam tanto os eleitores quanto os candidatos.

  2. Comentei algo semelhante no blog de Sérgio Xavier quando ele lançou seu Plano de Governo Colaborativo via Twitter:

    Imagine o impacto que teremos daqui a algumas eleições com a crescente penetração da internet e o decrescente poder da televisão.

    A produção para internet é bem menor do que para TV, então isso pode reduzir bastante as disparidades que verificamos hoje. Nas eleições atuais, um candidato sem muita verba de campanha praticamente não tem possibilidade de ser eleito.

    Isso deveria ser resolvido com financiamento público de campanha, mas já que isso parece uma realidade distante, a inversão de impactos televisão versus internet parece jogar uma luz.

    Do contrário, teremos sempre candidatos com mais dinheiro (mais doações de empresas, mais comprometimentos futuros no governo) vencendo, não importando se possuem ou não as melhores propostas.

    Isso só deve ocorrer lá para 2014, 2018 ou depois. O poder da TV ainda é muito grande. A Eleição 2010 será a primeira grande eleição do Twitter, por exemplo. Em 2006, o Twitter tinha só uns 6 meses de vida e poucos usuários. Em 2008, foram eleições municipais. Vamos ver como se comportam tanto os eleitores quanto os candidatos.

  3. Anselmo Lacerda disse:

    O Brasil ainda está muito longe neste quesito do uso de redes sociais ou ambientes na Internet para divulgação de políticos nas eleições, tanto pela falta de estratégia dos publicitários e markteros de plantão, bem como, do medo que os políticos têm na sua visão tosca e insignificante de se expor demasiadamente pode prejudicá-los.

    Além disso, a exposição na rede dos políticos que pode trazer mais indagações e a falta de resposta nesse sentido pode gerar uma “onda” contrária de rejeição que pode destruir o candidato. Poucos são os políticos que participam de debates, imagine um caso de um político abrir uma comunidade em uma determinada rede social para responder e ser questionando sobre os planos de governo, acusações, dentre outras coisas. O que aconteceria se ele não dá um feedback?

    A única coisa que os políticos fazem é abrir um site com banner para divulgar as “propostas” e monte de Popup randômico de gosto duvidoso convidado para participar de uma carreata ou feijoada.

  4. Anselmo Lacerda disse:

    O Brasil ainda está muito longe neste quesito do uso de redes sociais ou ambientes na Internet para divulgação de políticos nas eleições, tanto pela falta de estratégia dos publicitários e markteros de plantão, bem como, do medo que os políticos têm na sua visão tosca e insignificante de se expor demasiadamente pode prejudicá-los.

    Além disso, a exposição na rede dos políticos que pode trazer mais indagações e a falta de resposta nesse sentido pode gerar uma “onda” contrária de rejeição que pode destruir o candidato. Poucos são os políticos que participam de debates, imagine um caso de um político abrir uma comunidade em uma determinada rede social para responder e ser questionando sobre os planos de governo, acusações, dentre outras coisas. O que aconteceria se ele não dá um feedback?

    A única coisa que os políticos fazem é abrir um site com banner para divulgar as “propostas” e monte de Popup randômico de gosto duvidoso convidado para participar de uma carreata ou feijoada.

  5. Ao longo desse percusso o mais importante é qualificar nossos eleitores, as Redes Sociais na Globo Esfera é fato Real….agora precisamos nos apropriar dos dispositivos e levar para os nossos eleitores componentes reais e temas para os debates. A figura do Parlamentar é importante, suas respostas e sua presteza nas duvidas será super importante neste pleito.
    Imagens, Vídeos, Grupos de Discussões serão super importantes!

  6. Ao longo desse percusso o mais importante é qualificar nossos eleitores, as Redes Sociais na Globo Esfera é fato Real….agora precisamos nos apropriar dos dispositivos e levar para os nossos eleitores componentes reais e temas para os debates. A figura do Parlamentar é importante, suas respostas e sua presteza nas duvidas será super importante neste pleito.
    Imagens, Vídeos, Grupos de Discussões serão super importantes!

  7. baby care disse:

    nice tips bro.. i will visit back soon

  8. baby care disse:

    nice tips bro.. i will visit back soon