MENU

Escrito por • 27/06/2011

google: monopólio? e daí?

imagesegundo uma advogada americana especializada em casos federais contra monopólios, "google obteve, de forma legítima, um monopólio no mercado de busca [na web]". uma das autoridades no assunto prevê que isso vai levar a uma ação federal para investigar se a empresa está "provendo eficiência e facilidade de uso [de seus serviços] aos consumidores ou detonando a competição ao entregar resultados polarizados [na direção que bem quer e entende]". as duas afirmações entre aspas, acima, estão neste longo texto da forbes americana, que ainda faz, no título, a pergunta: o sucesso é ilegal?

se google for mesmo investigado pelos reguladores americanos, não será novidade. antes dele, e por aspas muito parecidas, foi a vez da IBM, AT&T e microsoft, casos que envolveram anos de trabalho e custos astronômicos.

no caso da AT&T, em 1981-4, o resultado foi a quebra de seu monopólio nas telecomunicações americanas, com impactos globais. parte do que aconteceu no brasil, na quebra do monopólio e privatização das partes da telebrás, veio das decisões americanas sobre a AT&T. vinte anos depois, a AT&T caminha para se tornar, de novo, um monopólio: sua proposta de compra da T-mobile nos EUA está sendo discutida pelos reguladores e justiça americana.

image

no caso da IBM, a disputa com reguladores e justiça se arrastou por décadas, desde um "consent decree" [algo como um termo de ajuste de conduta] em 1956 por práticas trazidas à empresa desde anos 10 do século passado pelo primeiro t. j. watson até um processo de 1969 que se arrastou por 13 anos, tinha mais de cem mil páginas e cujo efeito colateral foi criar a indústria de software [separada dos fabricantes de hardware].

livre do consent decree desde 1997, a IBM volta à mira de reguladores na europa e pode, mais uma vez, enfrentar um longo e custoso processo: por trás das acões da união européia está a comissão que multou a microsoft em mais de um bilhão de euros por práticas anticompetitivas.

no caso da microsoft, nos estados unidos, a companhia foi acusada de monopolizar o software para a plataforma x86 da intel e de recorrer a práticas que excluíam toda e qualquer competição do mercado de software para PCs. o julgamento inicial dispôs que a companhia deveria ser quebrada em duas, uma de sistemas operacionais e outra para os outros sistemas, mas o acordo final da empresa com a justiça levou à abertura de suas interfaces a terceiros e ao provimento de mais acesso, sem restrições, a uma parte de seu código.

vencedora da batalha legal que pedia seu desmanche [à la AT&T, o que talvez não fosse possível na prática], a microsoft nunca mais foi a mesma. segundo michael cusumano, da sloan school of management, o processo resultou numa empresa "muito mais cautelosa, muito menos agressiva". o que deu na microsoft de hoje, talvez, cujas ações valem a metade do pico de 2000 e não dão qualquer sinal de recuperação.

image

e google, agora? nos EUA, não é ilegal criar um monopólio. mas não é legal abusar da posição dominante para limitar a escolha dos consumidores ou o acesso da competição aos mercados [o que dá no mesmo]. caso se prove que google está drenando tráfego de outros sites de forma injusta, a companhia vai se complicar. pra se chegar a uma conclusão como esta, vai ser preciso analisar montanhas de dados, levando ao primeiro julgamento baseado em "big data" de toda a história legal americana e talvez mundial.

a pré-defesa de google parece muito com a da microsoft no caso que começou em 1997. será que isso pode complicar google ainda mais? a microsoft se enrolou por causa da combinação de browser com sistema operacional, coisas que google, hoje, funde com algo que a microsoft não tinha há quase quinze anos, seus múltiplos serviços online.

image

clicando na imagem acima, você vai ver uma análise das semelhanças entre o processo que pode ser iniciado contra google e processos antitruste que fizerem história nos EUA.

como se não bastasse a FTC investigando o googlepólio nos EUA, a comissão européia [provocada pela microsoft!] dá sinais de que vai fazer o mesmo. o caso, em sua forma e geografias, passando pela longa lista de inimigos de google, começa a parecer muito com os da microsoft e IBM e pode se desenrolar do mesmo jeito.

a pergunta de forbes fecha nosso texto: o sucesso é ilegal?

depende. de como você chegou lá e, em tendo chegado lá, o que faz com o que conseguiu, até para manter o tal do sucesso. se for em frente, o caso contra google vai tentar responder estas perguntas.

e a empresa, ao responder, vai tentar não perder tanta energia e valor como a IBM [que, no processo, abriu espaço para empresas como a microsoft] e a própria microsoft [que, por sua vez, abriu espaço para empresas como google!…] perderam pois, logo atrás dela, vem faceBook, outro possível futuro monopólio da rede, prontinho pra tomar seu lugar.

image

a vida continua. falando nisso, quem é que vai dar o pontapé inicial de um processo antitruste contra faceBook? e vai rolar antes ou depois da empresa atingir um bilhão de usuários? aliás, será que faceBook vai atingir um bilhão de usuários e se tornar onipresente a ponto de ser alvo de um processo por monopólio?…

Artigos relacionados

0 Responses to google: monopólio? e daí?

  1. Adolfo Neto disse:

    Silvio,

    Conhece o conceito de Deseconomia de escala?
    http://en.wikipedia.org/wiki/Diseconomies_of_scale

    Talvez seja bom mesmo quebrar o monopólio das grandes empresas, para impedir que fiquem maiores ainda.

    Em “The Black Swan” ( http://www.amazon.com/Black-Swan-Impact-Highly-Improbable/dp/1400063515 ) Nassim Nicholas Taleb explica porque empresas muito grandes geralmente não são boas para a economia nem para a sociedade. Foi lá que escutei falar pela primeira vez no termo Deseconomia de escala.

    Adolfo

  2. Adolfo Neto disse:

    Silvio,

    Conhece o conceito de Deseconomia de escala?
    http://en.wikipedia.org/wiki/Diseconomies_of_scale

    Talvez seja bom mesmo quebrar o monopólio das grandes empresas, para impedir que fiquem maiores ainda.

    Em “The Black Swan” ( http://www.amazon.com/Black-Swan-Impact-Highly-Improbable/dp/1400063515 ) Nassim Nicholas Taleb explica porque empresas muito grandes geralmente não são boas para a economia nem para a sociedade. Foi lá que escutei falar pela primeira vez no termo Deseconomia de escala.

    Adolfo

  3. Rafael Azevedo disse:

    E as perguntas continuam movendo o mundo…

  4. Rafael Azevedo disse:

    E as perguntas continuam movendo o mundo…

  5. As empresas que pretendem ser ‘MEGALÍDERES’, vão ter que aprender a PROVISIONAR este ‘processo de monopólio’ em seu planejamento. Pelo menos enquanto as regras não são adaptadas, substituídas ou simplesmente extintas. Acredito que nunca se imaginou corporações de tamanha ‘latitude e longitude’ no passado, que é o hábitat natural dessas regras, criadas para proteger um mercado, que se comunicava usando o código Morse. O Darwinismo é implacável até no mundo corporativo.

    http://www.scarpini.zip.net

  6. As empresas que pretendem ser ‘MEGALÍDERES’, vão ter que aprender a PROVISIONAR este ‘processo de monopólio’ em seu planejamento. Pelo menos enquanto as regras não são adaptadas, substituídas ou simplesmente extintas. Acredito que nunca se imaginou corporações de tamanha ‘latitude e longitude’ no passado, que é o hábitat natural dessas regras, criadas para proteger um mercado, que se comunicava usando o código Morse. O Darwinismo é implacável até no mundo corporativo.

    http://www.scarpini.zip.net

  7. Heitor disse:

    Silvio, uma duvida: será que a Apple corre o mesmo risco? Digo: SO + hardware + dispositivos moveis + app store + ecossistema + soluções na Nuvem … tudo proprietário e só funcionando pros aparelhos Apple. Nem mesmo é possivel oficialmente usar a IDE de dev fora de mac …

  8. Heitor disse:

    Silvio, uma duvida: será que a Apple corre o mesmo risco? Digo: SO + hardware + dispositivos moveis + app store + ecossistema + soluções na Nuvem … tudo proprietário e só funcionando pros aparelhos Apple. Nem mesmo é possivel oficialmente usar a IDE de dev fora de mac …

  9. Heitor disse:

    Acabei de ver que nos comentarios da infografico da materia a duvida da Apple foi levantada e respondida da forma abaixo.

    Voce concorda??

    Fonte: http://www.scores.org/graphics/monopoly/

    You don’t get to pick and choose what parts of a sentence to quote. I said, about the iPod:

    “It’s a music player, not a telephone system, a computer OS, oil, gas, or anything else that’s actually important to the infrastructure of the nation.”

    Millions of computers that run vital systems across the world run Windows. Show me ONE vital system that’s being run off an iPod. THAT is my point. Maybe your local community college can help you out with a reading comprehension course.

    There’s nothing more pathetic than someone who assumes that because someone defends Apple against stupidity that they must be a blind fanboy. I’m not. Nothing about what I said says anything about me personally, and everything I said is truthful and accurate in the context in which it was written. The iPhone does not claim 30% of the worldwide mobile phone market – http://techcrunch.com/2010/05/… – but even if they did, they are still the minority.

    Adobe is not a competitor. They don’t made a phone or an OS that could run on the iPhone hardware. For Apple to say that they don’t want certain companies to play in their playground isn’t anti-competitive, though it is rather dickish. You mentioned Microsoft, so I won’t point out the hypocrisy people like you have when you complain about practices that Microsoft engaged in that you let slide while you’re now bitching about Apple doing the same (oops, just did). As for Java, so what? The Mac has even less market share than the iPhone, and Apple is well within its rights to control their App store as they see fit. If people don’t like it, they don’t have to use it. Hell, the new app store isn’t even the only option for installing software on a Mac, so what, exactly, are you complaining about?

    Apple isn’t saintly. But they are neither as awesome as their fanboys make them out to be nor as evil as YOU make them out to be. I hope YOU realize that bashing Apple (as is trendy these days) and insulting millions of its customers doesn’t make YOU look cool either… it makes you look like a tool.

  10. Heitor disse:

    Acabei de ver que nos comentarios da infografico da materia a duvida da Apple foi levantada e respondida da forma abaixo.

    Voce concorda??

    Fonte: http://www.scores.org/graphics/monopoly/

    You don’t get to pick and choose what parts of a sentence to quote. I said, about the iPod:

    “It’s a music player, not a telephone system, a computer OS, oil, gas, or anything else that’s actually important to the infrastructure of the nation.”

    Millions of computers that run vital systems across the world run Windows. Show me ONE vital system that’s being run off an iPod. THAT is my point. Maybe your local community college can help you out with a reading comprehension course.

    There’s nothing more pathetic than someone who assumes that because someone defends Apple against stupidity that they must be a blind fanboy. I’m not. Nothing about what I said says anything about me personally, and everything I said is truthful and accurate in the context in which it was written. The iPhone does not claim 30% of the worldwide mobile phone market – http://techcrunch.com/2010/05/… – but even if they did, they are still the minority.

    Adobe is not a competitor. They don’t made a phone or an OS that could run on the iPhone hardware. For Apple to say that they don’t want certain companies to play in their playground isn’t anti-competitive, though it is rather dickish. You mentioned Microsoft, so I won’t point out the hypocrisy people like you have when you complain about practices that Microsoft engaged in that you let slide while you’re now bitching about Apple doing the same (oops, just did). As for Java, so what? The Mac has even less market share than the iPhone, and Apple is well within its rights to control their App store as they see fit. If people don’t like it, they don’t have to use it. Hell, the new app store isn’t even the only option for installing software on a Mac, so what, exactly, are you complaining about?

    Apple isn’t saintly. But they are neither as awesome as their fanboys make them out to be nor as evil as YOU make them out to be. I hope YOU realize that bashing Apple (as is trendy these days) and insulting millions of its customers doesn’t make YOU look cool either… it makes you look like a tool.

  11. Sem duvida, pode ser monopolio, mas é sem duvida a melhor ferramenta para nós que usamos a internet.

  12. Sem duvida, pode ser monopolio, mas é sem duvida a melhor ferramenta para nós que usamos a internet.

  13. Excelente post, deixa bem claro e atento sobre o que está acontecendo e o que pode acontecer.

    Mas fica a minha pergunta: será que os softwares livres, se um dia chegarem a ser monopólio, também serão acusados?

  14. Excelente post, deixa bem claro e atento sobre o que está acontecendo e o que pode acontecer.

    Mas fica a minha pergunta: será que os softwares livres, se um dia chegarem a ser monopólio, também serão acusados?