MENU

Escrito por • 13/10/2008

há oitenta anos…

há oitenta anos, a IBM era uma das duas grandes companhias de tecnologias de informação e comunicação que estava na -até bem pouco- maior crise de todos os tempos, a grande depressão de 1929. a outra era a at&t, se bem que a companhia que hoje usa este nome não tem muito a ver com a empresa homônima que existia, no fim da década de 20, nos estados unidos.

ctr-co-logo-ibm.jpga ibm, inicialmente chamada computing-tabulating-recording company [CTR], foi resultado de uma fusão, em 1911, de outras empresas que já existiam desde o século XIX. em 1914 [começo da primeira guerra mundial], o negócio começou a ser dirigido por thomas j. watson sr., que estava à frente das operações quando começou a grande depressão, com o crack da bolsa de new york em 1929.

só pra lembrar, a economia da época levou três longos anos pra chegar ao fundo do poço: em julho de 1932, o índice do new york times chegou a 1/9 de seu valor de outubro de 1929, logo antes do crack. as ações da IBM, que já usava seu nome atual desde 1924, voltaram ao mesmo patamar de 1921. a empresa havia perdido 11 anos de ganhos.

e o que watson sr. fez, em tempos de crise? investiu. nos empregados, por exemplo. a IBM esteve entre as primeiras empresas a oferecer seguro de vida em grupo [em 1934] e férias pagas [em 1937] a seus funcionários.

watson sr. também resolveu continuar fabricando equipamentos para os quais não havia demanda garantida, contra os conselhos de seus principais acionistas. quase foi demitido da presidência do negócio, pois a atitude era verdadeiramente temerária numa crise daquela monta. o negócio talvez tenha sido salvo pelas pela lei de seguro social de 1935, que encontrou na IBM a única empresa com capacidade para tratar os registros das 26 milhões de pessoas que passavam a ser protegidas pela [então] revolucionária legislação criada pelo governo de franklin roosevelt. exatamente porque watson sr. era o único que tinha fabricado os equipamentos para prestar o serviço. e havia mantido os funcionários para fazê-lo.

neste particular, a ibm teve muita sorte. continuar produzindo sem mercado, ou com muito menos mercado, certamente não é prática recomendável em nenhuma época, com ou sem crise. a menos que você e seus planejadores tenham uma bola de cristal. e daquelas de alta precisão. vamos convir que não há muita gente com acesso a uma destas nos nossos tempos.

mas foi em 1932, no auge da crise, que watson sr. fez seu investimento mais revolucionário. apostando que o mundo não ia se acabar e que, depois da crise, haveria demanda para produtos e serviços melhores, mais eficazes, mais eficientes e mais baratos do que antes, watson detonou um milhão de dólares da companhia na construção do mais moderno laboratório de pesquisa e desenvolvimento de seu tempo, em endicott, ny. o lab ficou pronto em 1933 e custou 6% do faturamento, que andava escasso.

a visão de watson sr. para o futuro era clara, direta e precisava de tal investimento. em rochester, na câmara de comércio, no auge da first-ibm-logo.jpgcrise, ele perguntava e respondia: "When is industrial progress going to start again? I say it never stopped. Some people may not believe that, but it is a fact. You are going to find as we get further out of the Depression —and we are on our way ou — that inventive genius, progressive ideas, progressive people, have been more active than ever. Industrial progress has never stopped." ou seja: quando sairmos da depressão, vamos descobrir que o gênio inventivo, as idéias e pessoas progressistas terão estado mais ativos do que nunca. e estiveram mesmo, com a ibm à frente. o faturamento da companhia, na crise, subiu de US$19M em 1934 para US$31M em 1937 e continuou crescendo pelos próximos 45 anos. e watson sr. se tornou um dos executivos mais bem pagos dos estados unidos.

nesta crise não vai ser diferente. ao invés de esperar, invista. talvez você não deva se arriscar tanto quanto watson sr., mas não fique parado. se você não tem um negócio e acha que as coisas vão mesmo piorar por um tempo, aproveite e aprenda, rápido. estudar nunca fez mal a ninguém. se você tem um negócio de TICs, pequeno ou grande, invista também. e faça isso de forma seletiva, usando suas energias em coisas que sobreviverão aos tempos em que talvez tenhamos que fazer muito mais com muito menos. e se lembre que ter que fazer mais com menos é uma das maiores e melhores fontes de ações inovadoras. com ou sem crise.

 

Artigos relacionados

0 Responses to há oitenta anos…

  1. cicero amaro disse:

    Isso vai totalmente contra a máxima da maioria dos empresários.
    Ou seja, ganhar, ganhar, ganhar, sem precisar investir, especialmente em treinamento, em pessoas.
    Investir pra quê? Eu quero é o meu lucro, mas de preferencia sem ter que gastar meu suado dinheirinho em pessoas.
    Pessoas? Quando eu precisar, eu contrato, quando eu não precisar, eu demito. É simples.

  2. francisco passeri disse:

    é igual a historia do homem que morava no sitio e tinha um barraca na beira da estrada para vender os produtos que colhia, seu filho estudava na cidade e um dia dia veio para casa e disse ao pai, cuidado que vem por ai uma crise brava pode subir seus produtos,o pai assim o fez e acabou quebrando.

  3. Temos uma microempresa que atua na área de alimentos e até o momento não conseguí encontrar um meio de ganhar mais dinheiro sem envestir mais. A máxima é: Primeiro Ser pra depois Ter. Até o momento não se revogou essa Lei, acredito eu.
    Meu filho mais novo é IBMista e tenho muito orgulho disto. A “crise” é o combustível que alimenta os competentes.

  4. Manoel Affonso disse:

    Senhores:

    Realmente a visão do Sr. Watson foi brilhante.
    Posiciono que o mundo não vai parar, as pessoas não vão deixar de se alimentar, ficarem doentes, trabalhar, etc. etc., portanto, com cuidado devemos dar andamento aos nossos projetos, diminuindo a velocidade, mas não parando nunca.
    Todo o cuidado é pouco, mas é nessa hora que surgem as grandes idéias e oportunidades. Emprender com dinheiro abundante á facil, o bonito é empreender com pouco dinheiro e usando de toda criatividade.
    Agora é momento para isso.

  5. Denis disse:

    Adversisdades para uns, nada mais são do que oportunidades para outros.

  6. Marco disse:

    A IBM forneceu seus equipamentos para os Nazistas. Não sei se posso aceitar esse tipo de gente como exemplo de nada. E quem me garante que o governo Roosevelt não levou “bola” justamente para “inventar” a necessidade pelo equipamento fabricado pela IBM? Que tal deixarmos de ser ingênuos de uma vez por todas e vermos que o mundo não é cor de rosa e que a corrupção é, foi, e sempre será a lei.

  7. Bill disse:

    Gostaria de dizer ao Marco que assim como forneceu equipamentos para o Censo nos Estados Unidos, forneceu também para muitos outros pais, inclusive para o Brasil. O problema é que os dados obtidos foram usados de forma, diria, criminosa.
    Para refletir: se voce preencher um cadastro em uma empresa ou para fazer uma compra em uma loja e seus dados forem “vendidos” para uma outra empresa enviar-lhe mala direta, de quem é a culpa ??? Da empresa/loja que os vendeu, ou do fabricante do computador onde seus dados foram armazenados ???

  8. andreza disse:

    complementando o comentario do Marco
    quero saber se a IBM esta ate hoje no mercado pela super compentencia desse tal de Watson ou sera que eles lucraram muito com a venda de informaçoes de JUDEUS para os NAZISTAS.
    deve ser muito facil lucrar com o sangue alheio.
    Todos os meses quanto voces forem receber o salario e olharem o tal do hollerith nao esqueçam dessa historia.

  9. Marcos Riso disse:

    Com certeza. Trabalho na IBM e vivenciamos este espirito todos os dias! Trabalhar em empresas inovadoras e outra coisa. Dou risada daquelas empresas com o gerente de sargento chicoteando pessoas desmotivadas. ha ha ha

  10. EAR disse:

    Bill,

    Concordo com o Marco. A atitude do Sr. Watson não pode ser comparada a de quem criou uma ferramenta que pode ser usada para o bem ou para o mal. Ele foi além disto.

    Por favor, leia o livro “A IBM e o Holocausto”, e se duvidar do que lá está escrito, pode consultar qualquer uma das milhares de referências que este livro traz. Lembrando, nem a IBM contestou o que lá está escrito.

    O Sr. Watson mostrou-se realmente um perspicaz homem de negócios, mas sem escrúpulo algum, ganhou durante a 2a. guerra tanto dos alemães quanto dos americanos. Falsificou livros financeiros da companhia para auferir os maiores lucros jamais vistos. Contribuiu ativamente através de sua empresa para que o poderio alemão se estabelecesse, não importando a quem prejudicasse.

    Não é possível aceitar esta pessoa como modelo em qualquer aspecto da vida humana!

  11. ANDRÉ disse:

    Culpar uma empresa por ter fornecido a um regime é rídiculo e primário. Fosse assim o que dizer de outros envolvidos em negócios com governos? Alguém vende armas para Israel matar palestinos e vice versa (será que o aço da balas que matam não pode ter vindo da Vale CSN e outras??)O exemplo IBM é pertinente e o contexto é muito apropriado!

  12. Iraildo Santos disse:

    Vale lembrar que entre esses supostos méritos administrativos citados, há indícios fortes de que a IBM ganhou MUITO dinheiro de agências de espionagem dos dois lados, durante a segunda guerra mundial.

    Outra, bem que as atitudes da IBM naquela época poderia inspirar o CESAR de hoje, ou não? Investir nas pessoas é algo que o CESAR vem devendo há um tempo…

    ISantos

  13. João Carlos Viana disse:

    Muito bom esse artigo e essa história. Pois Sr. Watson demosntra que devemos ter um espirito empreendedor e nunca deixar-nos sucumbir as crise que aprecem em nossas vidas. Ele fez o que muitos executivos dificimente faz. Apostou em suas ideias e principamente investiu em pessoas , no qual ” nunca esqueceu o lado humano nas organizações ” teve espirito de luta e perseverança. O que devemos lembrar é que não existe praticas e politicas e processos sem ´pessoas, pois elas existem e faz parte de todo o universo que seja capitalista ou socialista. com isso Sr. Watson ensinou que tudo se faz atraves de sonhos, ideias e relacionamento pessoal. Não existe futuro sem pessoas por isso demosntra que são nas ameaças que se encontram as oportunidades.

  14. andreza disse:

    pois é André
    facil escrever um monte de bobeiras na internet
    queria ver se fosse seu avô, sua avó, sua filha, sua esposa, que tivessem caido nas maos dos nazistas
    Nao sou judia, sou filha de gregos catolicos, que tiveram que fugir de seu país, de sua “casa destruida” para começar de novo, que passaram muita fome , necessidade, dor, e sofrimento. Coisa que um ignorante como voce, nunca soube o que é, aposto que nao se dá pelo menos o trabalho de ler um livro e se informar antes de escrever bobeiras.

  15. andreza disse:

    ( ” nunca esqueceu o lado humano nas organizações ” teve espirito de luta e perseverança )

    hahahahahahahahahahahahahaha

  16. julio césar coan disse:

    O Sr. Watson, sabia muito bem io que estava fazendo desde o inicio, porque ele detinha o “SEGREDO”.

  17. andreza disse:

    se esse velho nao morreu, aposto que esta queimando no marmore do inferno

    ahahahhahahahaa

  18. ANDRÉ disse:

    Prezada Andreza,
    Lamento a estreiteza de sua visão e preconceito ao escrever dessa maneira.
    O que foi postado relaciona-se a uma visão estratégica em momento de crise. Pessoas no mundo inteiro se migraram por guerra, fome, perseguição etc, inclusive alemães, nazistas ou não…
    Também não gostaria de ter caído nas mãos da Stasi , CIA e KGB, nem tampouco da Gestapo, dos bravos guerriheiros do Araguaia e do DOI CODI…
    Continuo concordando com a estratégia do Sr. Watson, que agiu ao invés de choramingar a “casa destruída”

  19. Rapahel Pizzo disse:

    E fornecimento de equipamentos aos nazistas??

    Quem tiver empresa pode fornecer materiais para a Al-Quaeda??

    Um levantamento infeliz este……

  20. marcelo disse:

    IBM, filosoficamente falando, é uma das melhores empresas do Mundo, com uma força extraordinária que a impulsiona sempre pra frente. Agora, como sua história se confunde aos acontecimentos do mundo, é natural que ela estivesse presente nos momentos bons e ruins. Se compararmos, poderiamos culpar a texaco ou shell pelo fornecimento de combustível para a guerra. O fato é que negócios são negócios, uns mais éticos, outros nem tanto.

  21. marcelo disse:

    Ah by the way se não tivesse sido a audácia do Sr. Watson nenhum de vocês teria computadores e quizá internet para expresar seus comentários e opiniões. Portanto muito mais importante do que sistemas de computação usados para fins não tão gloriosos foi o legado que ele deixou para que o mundo pudesse de expressar hoje. E muito bem colocado pelo André, seguir em frente em novos desafios do que lamentar por tristezas passadas.

  22. Luiz Caruso Junior disse:

    Silvio Meira ao escrever esta passagem da história da IBM quis somente nos incentivar e dizer a todo mundo que chega de falar em crise que esta ladaínha é pior que câncer e além de tudo contamina .
    Quem entendeu o recado ótimo , para quem não entendeu e quer gerar polêmica , fique com suas polêmicas e chorem bastante e nos deixem vender os lenços…

  23. andreza disse:

    acho que voces nao entenderam
    A IBM FORNECEU NOME SOBRENOME ENDEREÇO AOS NAZISTAS
    ENTENDERAM ??????

    COM CERTEZA TERIAMOS COMPUTADORES, SE BEM QUE NAO SEI O QUE É PIOR .
    SE É TER OU TER MESMO PQ
    MADITA INCLUSAO DIGITAL E MALDITO PC DO MILHAO

  24. Caro Silvio,

    Contribuindo com seu interessante artigo, indico a leitura da ótima biografia de Tom Watson Jr, “Pai, Filho e Cia: Minha Vida na IBM” (Editora Best Seller). É um livro apaixonante, fortemente motivante.

    Se T. W. Senior foi importante, pois de seu sonho (e antes dele Hollerith, claro) nasceu essa grande empresa, seu sucessor, o embaixador Tom Watson Jr, foi um visionário, pois apostou nos computadores antes de todos e levou a IBM aos desafios do futuro.

    T. W. Jr estava na primeira capa da TIME magazine referente à industria dos computadores (http://www.time.com/time/covers/0,16641,19550328,00.html ) e foi escolhido uma das 100 personalidades do século XX pela mesma TIME (http://www.time.com/time/time100/builder/profile/watson.html).

    Forte abraço!

  25. flavio disse:

    lamento pelas pessoas que valorizam mais o ter do que ser
    o que adianta sair na Times, na TV, ter uma grande empresa, e ter sangue nas maos.

    Nao vejo merito algum nisso, alias, sou da opiniao que esse tipo de gente merece mesmo, queimar no inferno

    O mundo nao precisa desse tipo de humano

  26. José disse:

    Quero que se dane tudo o que dizem o pensam, o que interessa é no final do mês meu salário vem bem MAIOR do que o de vcs que trabalham nestas empresas ‘vagabundas!!!!

  27. flavio disse:

    Caro Jose
    Diferente de vc, um cidadao que recebe salario, e corre o risco de perder emprego
    Euuuu e boa parte das pessoas que tem tempo na internet, pertencemos a classe que gera emprego, portante temos um padrao de vida muuuuito diferente de voce,
    hahahahah

  28. flavio disse:

    fora a educação
    e o conhecimento

  29. Maria Terezinha disse:

    Parabéns…É preciso acreditar na capacidade do ser humano em enfrentar desafios…e acreditar na sua superação…Vou repassar para meus filhos…Obrigada…Maria Terezinha

  30. Priscila disse:

    AOS IGNORANTES

    Com a ajuda dos sistemas Hollerith da IBM, adaptados às necessidades dos clientes e sob constante atualização, Hitler foi capaz de automatizar a perseguição aos judeus. Os historiadores sempre se espantaram com a velocidade e precisão com que os nazistas conseguiam identificar os judeus europeus. Até hoje, as peças do quebra-cabeça ainda não foram totalmente encaixadas. O fato é que a tecnologia da IBM organizou quase tudo na Alemanha e, em seguida, na Europa Nazista, abrangendo a identificação censitária dos judeus, os processos de registro, os programas de rastreamento de ancestrais, o gerenciamento de ferrovias e a organização do trabalho escravo em campos de concentração.

  31. Priscila disse:

    MORTE AOS BABA OVO

    IBM E HOLOCAUSTO

    NUNCA MAIS !!!

  32. caue disse:

    é sempre facil falar “invista” em momentos de crise e “invista” em momentos de euforia. por que invista implica em “ei, você, invista o seu dinheiro. deixa que eu cuido do meu.”

    na hora que a fogueira de dinheiro se instala, quem a alimenta? os que investiram sem pensar, por que um idealista diz “invista”? Para meu. Venda seus bens e invista tudo. Mesmo por que essa palavra não significa nada. Ser genérico em um momento como esse é uma PÉSSIMA idéia.

  33. caue disse:

    ah, é culpar a ibm pela perseguição aos judeus é culpar o santos dummont pelo bombardeio de Londres ou o einstein pela bomba atômica. O instrumento não faz nada sozinho. Ou voces acham que tivesse sido utilizado fossem guardanapos para catalogar os judeus europeus, o absurdo teria sido menor?
    cresçam.

  34. Amigo Silvio Meira
    na enxurrada de comentários negativos e destrutivos sobre o caos instalado no mundo financeiro e com reflexos por toda a cadeia da produção e do consumo. . .seu + q otimista artigo está nos murais do CIETEC-Inovação e Empreendedorismo e centenas de empresários estão lendo-o e dezenas de opiniões já chegam filtradas aos meus ouvidos, e da maneira + positiva possível….me junto a Vc nessa cruzada por atitudes positivas para diminuirmos o impacto da situação q sabemos é séria demais para desconsiderá-la . …mas os negócios e o mundo vão continuar….. por + algum tempo .
    abração do sergio risola

  35. Ronaldo Prass disse:

    Lamentavel, provavelmente a mantança de Judeus por conta do Nazismo não teria sido da magnitute que foi se não tivesse contado com a tecnologia oferecida pela IBM e suas Hollerith. Pessa que essa parte do sucesso da IBM não é mencionada.

  36. Andre disse:

    Já que o HAL 9000 (que era IBM), ferrou com a missão terrestre em Jupiter e fritou o processador diante de uma tecnologia alienígena, A culpa pela destruição da Terra, é da IBM ??? hahahahaha….

    e é umas das melhores empresas do mundo, porque hoje respeita e muito as pessoas que fazem parte do seu time.

  37. Yegor disse:

    Parabens, Caue. O menor Comentário e o mais inteligente. Que eles “creçam”…..mentalmente.

  38. Edwi Oliveira Santos Feitoza disse:

    Penso que estas pessoas que criticam tanto a IBM, relacionado-a de forma errônea ao holocausto nazista, provavelmente estudaram muito mal os livros de história. Ou sequer ouviram falar de Efraim Zuroff. Muito menos de Simon Wiesenthal Center, de Israel.
    Apenas se lembram de acusações torpes e desesperadas de Edwin Black, autor de “IBM e o Holocausto”, culpabilizando de forma ridícula uma única empresa pelo assassinato de milhares de judeus.
    O que estas pessoas não sabem é que toda esta história de culpar a IBM pelo massacre hitlerista esbarra em um equívoco fatal: a ausência de perspectiva histórica.
    Black avalia principalmente acontecimentos ocorridos entre 1933 e 1939, época da ascensão do nazismo na Europa, com a visão atual do fenômeno. Diferentemente da percepção que se tem hoje do nazismo, uma ideologia contrária à própria humanidade, o conceito que se tinha na época não era tão nítido nem tão clara a informação sobre seus atos. Hitler era chefe de um governo legítimo e democraticamente eleito, que estava promovendo a recuperação econômica da Alemanha e suscitava simpatias mesmo nos Estados Unidos e na Europa democrática. As atrocidades do nazismo contra os judeus, que já estavam ocorrendo, não eram amplamente conhecidas e, de certa forma, batiam com o largamente disseminado anti-semitismo que grassava em toda a Europa, da Rússia até a França. Assim, muita gente acima de qualquer suspeita acabou aderindo ao fascínio do führer alemão.
    Com o lusco-fusco ideológico que caracterizou a época, fica difícil traçar a fronteira entre o colaboracionismo explícito com o regime nazista e a prestação de serviço a um cliente.
    Portanto, antes de sairem julgando e ACUSANDO quem quer que seja (IBM, BASF, FORD, BAYER, BOMBARDIER, etc), estudem a perspectiva histórica do que ocorreu naqueles dias.

    Boa noite a todos.

  39. Sergio disse:

    Silvio, não me leve a mal, gostaria de comentar alguns fatos do seu post e respostas
    – o John Watson disse que ‘o mundo não comportaria mais do que cinco computadores’ – não dá para considerar como visionário alguém que solta uma pérola destas.
    – a IBM errou feio na segunda guerra mundial, contra judeus e ciganos – basta ver as notícias:
    http://www.guardian.co.uk/technology/2004/jun/23/secondworldwar.internationalnews
    – As empresas alemãs (diferentemente da IBM, que é americana) não tinham outra opção a não ser colaborar para o regime.
    – a Bombardier, que foi mencionada, sequer havia sido fundada no inicio da guerra – ela começou a operar em 1942, no Canadá).
    – o seu post é muito bom para mostrar para quem ler que, somente a ação produz resultado, em especial nos momentos de crise – parabéns.

  40. Judeu disse:

    O HOLOCAUSTO NAO EXISTIU

    É TUDO MENTIRA

    HITLER ERA UM BOM HOMEM

    ( P.S. isso pq foi filmado e documentado, temos provas e testemunhas do mal causado aos judeus, ciganos, crianças etc etc mas mesmo assim, alguns ignorantes nao entendem , jamais entenderão)

  41. Augusto M Nascimento disse:

    Bom…
    Não nos resta mais o passado!
    Vamos abraçar o futuro.
    “O pessiminsta sempre tenta abraçar o passado e vê navios a vida inteira.”

  42. Mau disse:

    A idéia de culpar a IBM por abusos cometido pelo regime nazista alemão é tão absurda quanto culpar a McDonalds pela obesidade dos norte-americanos…
    Controle sobre dados censitários já havia nos EUA desde o século XIX, o sistema de Hollerith é apenas uma ferramenta para computação desenvolvida pelos americanos na necessidade da imigração.
    O que os governos decidem fazer com esses sistemas é problema dos políticos e da sociedade envolvidas, senão, podemos culpar a Boing por inúmeras mortes em diversas guerras, do Vietnã, da Coréia, do Golfo, do Iraque, do Afeganistão…
    A tecnologia produz facas, quem decide se corta o pão para o próximo ou o peito do próximo é o ser humano.

  43. flavia disse:

    deveriam ter nacionalizado a IBM igual fizeram na França com relação a Renault
    Nao precisamos desse tipo de empresa

  44. Armando disse:

    concordo com flavia

  45. Àqueles que entraram na seara de discutir a questão nazi-facista da IBM:
    Nenhuma empresa do porte da IBM é santa. A questão apresentada aqui foi meramente referente à uma ação estratégica tomada durante uma crise financeira de proporções mundiais.

    Se a tecnologia implementada pela IBM lhes incomoda, sugiro que atirem pela janela seus computadores, pois foi o IBM PC, lançado em 1980, que revolucionou a computação e fez com que o computador coubesse em cima da mesa. Inclusive o Windows que está instalado na sua máquina foi um projeto conjunto da IBM com a Microsoft e que foi lançado, inicialmente, como Microsoft OS/2, antes das empresas romperem sua parceria.

    Lamento pelo que aconteceu com os judeus. Da mesma forma que lamento pelo que acontece com os refugiados na República Democrática do Congo. Mas este assunto não é o tópico apresentado aqui.