MENU

Escrito por • 10/03/2009

IDH: um milhão de histórias sobre o brasil

o programa das nações unidas para o desenvolvimento, PNUD, está começando a computar o novo IDH, o índice de desenvolvimento humano do país. o IDH diz, na prática, como estamos como pessoas e, de muitas formas, quão saudável é a sociedade. o retrato nacional descrito pelo IDH desce ao nível de municípios e vilas e, se bem usado, ajuda a definir as políticas, estratégias, práticas e investimentos que mudariam os lugares mais miseráveis do brasil.

image

o PNUD resolveu perguntar, através do site brasilpontoaponto.org.br, o que é que precisa mudar no brasil pras nossas vidas melhorarem de verdade. a consulta é aberta a qualquer interessado em dar sua opinião e vai ajudar a definir o tema do relatório de desenvolvimento humano. ao aliar opiniões qualitativas aos dados quantitativos sobre onde estamos bem e onde precisamos melhorar, a esperança é produzir um retrato mais fiel de um país que, na maioria de suas comunidades, ainda precisa melhorar muito.

a iniciativa é inovadora –poderia ser estendida ao censo e muitas outras pesquisas- e vale a pena passar lá pra dizer o que pensamos e ver [por estado, o mapa acima –no site- é clicável] o que o povo pensa e está dizendo sobre o que deve melhorar. o PNUD espera que um milhão de pessoas diga o que pode melhorar no país, em texto ou vídeo. se este povo todo aparecer, vai dar muito trabalho pra processar tanto vídeo e texto livre e escolher o tema do relatório a partir daí. mas, ao mesmo tempo, vamos saber muito mais o que queremos que aconteça no país.

poderia ser melhor? sim, se o PNUD tivesse, ao mesmo tempo, pensado em criar uma rede social a partir e ao redor da pesquisa: uma boa parte do que as pessoas dizem que precisa ser feito pode começar por elas próprias, no brasil inteiro, articuladas e fazendo sua parte. e uma rede social seria um instrumento fundamental pra mover e aglutinar tanta gente. poderia vir a ser, em pouco tempo, a rede social [virtual] mais importante do país.

Artigos relacionados

0 Responses to IDH: um milhão de histórias sobre o brasil

  1. rafael disse:

    Educação Educação Educação. E acabar com 99% dos políticos.

  2. rafael disse:

    Educação Educação Educação. E acabar com 99% dos políticos.

  3. olga sérvulo disse:

    Gostei muito desta informação. Obrigada. Vou entrar no site. E achei sua proposta também super interessante! Uma oportunidade e tanto de capitalização da energia positiva das pessoas! Será que não dá para implementar?

  4. olga sérvulo disse:

    Gostei muito desta informação. Obrigada. Vou entrar no site. E achei sua proposta também super interessante! Uma oportunidade e tanto de capitalização da energia positiva das pessoas! Será que não dá para implementar?

  5. Fred Barros disse:

    Excelente iniciativa! São os primeiros passos para o fim desse modelo representativo que hoje está aí! É hora da internet revolucionar a última coisa que falta: a maneira de governo. Show de bola!!!! Parabéns a todos os envolvidos.
    Parece que o Obama fez algo parecido para criar diretrizes de seu governo… Atacar os maiores problemas identificados pelas pessoas que sofrem na pele os danos resultantes dos mesmos é uma ótima idéia.
    Vamos que vamos!!!

  6. Fred Barros disse:

    Excelente iniciativa! São os primeiros passos para o fim desse modelo representativo que hoje está aí! É hora da internet revolucionar a última coisa que falta: a maneira de governo. Show de bola!!!! Parabéns a todos os envolvidos.
    Parece que o Obama fez algo parecido para criar diretrizes de seu governo… Atacar os maiores problemas identificados pelas pessoas que sofrem na pele os danos resultantes dos mesmos é uma ótima idéia.
    Vamos que vamos!!!

  7. Fred Barros disse:

    Como eu havia dito no comentário anterior, segue o link para a iniciativa do governo Obama semelhante a que está sendo tratada no post:

    http://citizensbriefingbook.change.gov/

  8. Alessandra disse:

    Na falta de um email ou direct no Twitter, um comentário… Sílvio, comenta o caso do RapeLay, por favor. Gostaria de saber sua opinião e ver uma análise menos superficial das que eu tenho visto por aí.

  9. Alessandra disse:

    Na falta de um email ou direct no Twitter, um comentário… Sílvio, comenta o caso do RapeLay, por favor. Gostaria de saber sua opinião e ver uma análise menos superficial das que eu tenho visto por aí.

  10. bruno disse:

    cool, but useless.