MENU

Escrito por • 09/05/2013

marcas, sustentáveis? [1]

Ontem e hoje está rolando, no rio, o sustainable brands rio 2013, instância local de um encontro global sobre o que o nome diz, marcas e sustentabilidade. e o blog foi chamado a contribuir na sessão de abertura, sobre tendências e direções. pra começar, é bom dizer que há um debate global sobre o que é [mesmo] um brand, uma marca. e eu fui atrás de uma discussão que fugisse da norma sobre o assunto e encontrei uma bem aqui, relato de entrevistas feitas por debbie millman com um monte de gente que pensa sobre brands. é lá que rob walker diz que um brand é …uma ideia que está ligada a algum objeto, serviço ou organização. lá, daniel pink revela porque a gente acaba se relacionando com muitas marcas aos gritos [de nós pra eles]: segundo ele, uma marca, para o cliente, é uma promessa. mas, para o fornecedor, talvez seja uma promessa. e haja ligações para o call center.

a definição de seth godin é uma das que provoca mais reflexão e está explicitada em um de meus slides, mostrado abaixo.

image

a definição é quase toda de godin [veja que há um + logo depois do sobrenome]; eu mexi um pouco para que representasse o contexto em que tentei contribuir para a discussão. a definição original não tem o “{ou associadas a}” que aparece em verde no slide. no mundo [das marcas] em rede, produtos, serviços e negócios até podem fazer promessas ou criar expectativas para seus brands… mas há um componente cada vez maior das marcas que é definido na [e em] rede, por um número de atores bem maior e mais diverso [e inesperado, muitas vezes] do que aqueles a serviço do brand. na rede, marcas podem, mas nem sempre começam, conversações. ainda é o caso de algumas [muitas?] marcas apenas reagirem à rede, quase por obrigação, gastando a maior parte de sua energia na mídia clássica, que também é um virtual, pois que debate, informação ou promoção da marca, mas não a marca, em si. mas a “mídia” analógica, unidirecional por natureza, não permite a participação direta da comunidade na construção da marca. e redes são comunidades, coisa que não existe em broadcast, onde falamos e tratamos de audiência.

mas a conversa era sobre sustentabilidade de marcas. se não é fácil definir o que é uma marca, o que é mesmo algo sustentável?… bem, este é o assunto de amanhã. e, depois, a gente combina tudo, pra tentar dizer o que é uma marca sustentável

Artigos relacionados

Comentários estão encerrados.