MENU

Escrito por • 01/08/2011

na linha de montagem, um milhão de robôs

uma notícia de hoje, na china, chama a atenção pela importância da pessoa que o fez, pelo seu papel na rede de valor de eletrônica e computação e pelo fato da empresa que fundou e preside estar chegando ao brasil, como parte de nossa nova política de informática [já comentada por este blog aqui].

big15

terry gou é "o cara" da foxconn, montadora dos produtos da apple e sony, entre muitos outros. sua empresa emprega mais de um milhão e duzentas mil pessoas, um milhão delas baseadas em suas fábricas na china. segundo a agência de notícias oficial da china, gou disse em uma festa da empresa na última sexta-feira que cerca de um milhão de robôs estarão operando suas linhas de montagem até 2014. hoje, a empresa tem 10.000 robôs em suas linhas de produção, número que deve crescer para 300.000 já no ano que vem. os robôs serão "empregados" para realizar tarefas "simples" como soldar, pintar e montar partes, peças e sistemas, tarefas hoje realizadas por humanos.

gou, o presidente, não disse quantos empregados vão ser demitidos. mas deixou claro que a mudança é necessária, face ao aumento dos custos trabalhistas [na china].

agora pense comigo: em maio, quando se anunciou que a foxconn abriria uma fábrica no brasil, foi dito também que os 100.000 empregos que a empresa criaria no país [em cinco anos a partir de sua chegada…] seriam "para brasileiros", isso como se fosse imaginável trazer cem mil chineses para montar iPhones e iPads em alguma cidade do interior.

segundo o ministro mercadante, aqui mesmo no terraMagazine

A fábrica que nós fomos visitar na China tinha 400 mil trabalhadores. A escala para essa indústria é essa. Para poder entrar nesse mercado, é por aí. Tem que ter volume e tamanho.

agora, o presidente da foxconn está dizendo que vai trocar humanos por robôs na china, e estará fazendo isso "… to cut rising labor expenses and improve efficiency…" para diminuir os crescentes custos trabalhistas e aumentar eficiência.

sem querer discutir os muitos outros aspectos da decisão de gou, robôs fazem todo sentido dentro de sua cadeia de valor: garantidas a celeridade, flexibilidade e qualidade que se exige de uma montadora por clientes de seu tipo e porte, todo o resto se decide pelo custo. e os humanos, mesmo na china, estão se tornando mais caros. porque querem ser tratados como… humanos. simples assim. na foxconn, vale lembrar, os operários não podem conversar durante o horário de trabalho [para aumentar a tal da eficiência] e 17 trabalhadores se suicidaram nos últimos anos [talvez por causa das tais medidas para "aumentar a eficiência"].

antes dos suicídios, o salário-base de um trabalhador da linha de montagem da foxconn era menos de R$250. depois, subiu para perto de R$500, ainda assim bem menor que o salário mínimo brasileiro. resta saber, agora, como é que vão aparecer os tais 100.000 empregos de montagem no brasil, se na china, mesmo com salários menores do que os brasileiros e com custos trabalhistas adicionais perto de zero, a foxconn vai trocar boa parte dos humanos em suas linhas de produção por robôs, para manter-se competitiva na produção de iPads, iPhones, Wiis… tudo o que todos querem comprar, o mais depressa possível, pelo menor preço possível.

por isso, paga-se um preço: para evitar suicídios, haverá robôs na linha de montagem. tirando um bug aqui ou ali, não há nenhuma notícia, ainda, de um robô se autodestruindo por excesso de trabalho.

ah, sim: e os humanos que vão ser despedidos das linhas de montagem? pois é: estamos na economia do conhecimento e parece que os únicos trabalhos que vão "sobrar" para humanos, no médio e longo prazos, são aqueles nos quais é preciso exercitar funções essencialmente humanas: pensar, imaginar, perguntar, descobrir, criar, resolver, desenhar, projetar… coisas que robôs ainda vão demorar muito tempo pra começar a fazer.

Artigos relacionados

23 Responses to na linha de montagem, um milhão de robôs

  1. @brunobezerra disse:

    O cara não tá aguentando os custos trabalhistas na China… imagina no Brasil!? vai entupir a linha de montagem com robôs. E muita gente precisa acordar p/essa realidade, vale a pena lembrar que robô não dorme, nem sonha, nem se ilude… esse vem sendo o cenário, que não é nem duro, nem mole… é apenas real.

  2. @brunobezerra disse:

    O cara não tá aguentando os custos trabalhistas na China… imagina no Brasil!? vai entupir a linha de montagem com robôs. E muita gente precisa acordar p/essa realidade, vale a pena lembrar que robô não dorme, nem sonha, nem se ilude… esse vem sendo o cenário, que não é nem duro, nem mole… é apenas real.

  3. Cesar disse:

    O problema é o que fazer com esse “excedente” humano. Nesse modelo econômico, parece que só há poucas vagas para quem pensa. Sim, pois uma empresa azeitada precisa de um time pequeno de gente desenhando as coisas e um time grande de robôs executando. Blz, mas o excedente de capital gerado (lucro) precisa ser distribuído de alguma forma. Caso contrário o risco para o sistema será enorme pois uma massa de sem-tudo babando por ipads, ipods, ietc, separada da sociedade pró por muros físicos e virtuais é o prelúdio de um novo facismo.

  4. Cesar disse:

    O problema é o que fazer com esse “excedente” humano. Nesse modelo econômico, parece que só há poucas vagas para quem pensa. Sim, pois uma empresa azeitada precisa de um time pequeno de gente desenhando as coisas e um time grande de robôs executando. Blz, mas o excedente de capital gerado (lucro) precisa ser distribuído de alguma forma. Caso contrário o risco para o sistema será enorme pois uma massa de sem-tudo babando por ipads, ipods, ietc, separada da sociedade pró por muros físicos e virtuais é o prelúdio de um novo facismo.

  5. Romano disse:

    S, isto me lembra o que o professor de Sistemas de Controle citou em sala: quando do surgimento da válvula eletrônica o Brasil resolveu investir na autosuficiência desta tecnologia. Não tardou muito, vieram os transistores. Muda tudo e vamos dominar esta nova invenção. Mais um tempo, vieram os “chips” e tudo foi para o espaço. Hoje dependemos fortemente de “hardware”, uma tecnologia que, em geral, não dominamos em termos de projeto e manufatura. Um simples celular não é projetado em um país em que existe mais destes equipamentos habilitados do que a sua população. E estamos assistindo a uma evolução crescente do “hardware” transformando a maneira como a sociedade e a economia se comportam. Se ficarmos só no “software”, ficaremos fragilizados demais, pois não haverá como realocar a mão de obra da manufatura para a área de conhecimento. Usando seu exemplo, poderíamos dominar a tecnologia de desenvolvimento de robôs, “hardware” e “software”. Portanto, você não acha que estas duas áreas deveriam caminhar juntas para sermos independentes e inovadores?

  6. Romano disse:

    S, isto me lembra o que o professor de Sistemas de Controle citou em sala: quando do surgimento da válvula eletrônica o Brasil resolveu investir na autosuficiência desta tecnologia. Não tardou muito, vieram os transistores. Muda tudo e vamos dominar esta nova invenção. Mais um tempo, vieram os “chips” e tudo foi para o espaço. Hoje dependemos fortemente de “hardware”, uma tecnologia que, em geral, não dominamos em termos de projeto e manufatura. Um simples celular não é projetado em um país em que existe mais destes equipamentos habilitados do que a sua população. E estamos assistindo a uma evolução crescente do “hardware” transformando a maneira como a sociedade e a economia se comportam. Se ficarmos só no “software”, ficaremos fragilizados demais, pois não haverá como realocar a mão de obra da manufatura para a área de conhecimento. Usando seu exemplo, poderíamos dominar a tecnologia de desenvolvimento de robôs, “hardware” e “software”. Portanto, você não acha que estas duas áreas deveriam caminhar juntas para sermos independentes e inovadores?

  7. Igmar Dornelas disse:

    O Inicio do Fim !

  8. Igmar Dornelas disse:

    O Inicio do Fim !

  9. Romano disse:

    http://blogs.ne10.uol.com.br/mundobit/2011/07/30/primeiro-tablet-pernambucano-sera-lancado-no-inicio-de-2012/#more-157

    “Primeiro tablet pernambucano será lançado no início de 2012”
    Paulo Floro , ÀS 13:03 EM 30/07/2011

  10. Romano disse:

    http://blogs.ne10.uol.com.br/mundobit/2011/07/30/primeiro-tablet-pernambucano-sera-lancado-no-inicio-de-2012/#more-157

    “Primeiro tablet pernambucano será lançado no início de 2012”
    Paulo Floro , ÀS 13:03 EM 30/07/2011

  11. Pedro Marins disse:

    Porque você escreve sem usar letras maiúsculas? A nova reforma ortográfica prevê isso ou você acha maneiro?

    Na minha opinião ler o seu texto sem maiúsculas me dá a impressão que foi escrito por um analfabeto, e tira toda a credibilidade do conteúdo.

  12. Pedro Marins disse:

    Porque você escreve sem usar letras maiúsculas? A nova reforma ortográfica prevê isso ou você acha maneiro?

    Na minha opinião ler o seu texto sem maiúsculas me dá a impressão que foi escrito por um analfabeto, e tira toda a credibilidade do conteúdo.

  13. Ivson disse:

    impressionante que o silvio sempre fala que existem pessoas que comentam só pra falar da falta de letras maiúsculas e agora pude ver que isso acontece mesmo. um texto muito bom que fala de um situação que está presente na sociedade contemporânea e o cara vem falar que o conteúdo não tem credibilidade por falta de letras maiúsculas.

  14. Ivson disse:

    impressionante que o silvio sempre fala que existem pessoas que comentam só pra falar da falta de letras maiúsculas e agora pude ver que isso acontece mesmo. um texto muito bom que fala de um situação que está presente na sociedade contemporânea e o cara vem falar que o conteúdo não tem credibilidade por falta de letras maiúsculas.

  15. Romano disse:

    Tecnologia // Nacional

    “CBN entrevista editor de blog sobre pontos eletrônicos e robótica”

    Publicado em 05.08.2011, às 12h54
    Da Rádio JC/CBN

    http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/tecnologia/noticia/2011/08/05/cbn-entrevista-editor-de-blog-sobre-pontos-eletronicos-e-robotica-288197.php

  16. Romano disse:

    Tecnologia // Nacional

    “CBN entrevista editor de blog sobre pontos eletrônicos e robótica”

    Publicado em 05.08.2011, às 12h54
    Da Rádio JC/CBN

    http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/tecnologia/noticia/2011/08/05/cbn-entrevista-editor-de-blog-sobre-pontos-eletronicos-e-robotica-288197.php

  17. Romano disse:

    Tecnologia // Nacional

    “CBN entrevista editor de blog sobre pontos eletrônicos e robótica”

    Publicado em 05.08.2011, às 12h54
    Da Rádio JC/CBN

    http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/tecnologia/noticia/2011/08/05/cbn-entrevista-editor-de-blog-sobre-pontos-eletronicos-e-robotica-288197.php

  18. Romano disse:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” tão forte quanto a de “software”, este último ficará fragilizado e volátil pois, “software” não existe sem “hardware” e vice-versa.

  19. Romano disse:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” tão forte quanto a de “software”, este último ficará fragilizado e volátil pois, “software” não existe sem “hardware” e vice-versa.

  20. Romano disse:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” tão forte quanto a de “software”, este último ficará fragilizado e volátil pois, “software” não existe sem “hardware” e vice-versa.

  21. Romano disse:

    CORREÇÃO:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”
    http://www.bbc.co.uk/news/technology-13260039

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”
    http://www.ft.com/cms/s/2/e906bedc-c734-11e0-a9ef-00144feabdc0.html#axzz1V7alWOLP

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” (HW) tão forte quanto a de “software” (SW) este último ficará fragilizado e volátil, pois SW não existe sem HW e vice-versa. Óbvio? Sim. HW + SW = (produto + serviços) que as pessoas (mercado) estão ávidas para consumir.

  22. Romano disse:

    CORREÇÃO:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”
    http://www.bbc.co.uk/news/technology-13260039

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”
    http://www.ft.com/cms/s/2/e906bedc-c734-11e0-a9ef-00144feabdc0.html#axzz1V7alWOLP

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” (HW) tão forte quanto a de “software” (SW) este último ficará fragilizado e volátil, pois SW não existe sem HW e vice-versa. Óbvio? Sim. HW + SW = (produto + serviços) que as pessoas (mercado) estão ávidas para consumir.

  23. Romano disse:

    CORREÇÃO:

    Junte o que diz abaixo quem inventou o microprocessador:

    4 May 2011 Last updated at 16:02 GMT
    “The man who invented the microprocessor”
    http://www.bbc.co.uk/news/technology-13260039

    As the years passed, the personal computer revolution took hold.
    Microprocessors are now ubiquitous. But Ted believes the breadth of their versatility is still under-appreciated.

    “One of the things I fault the media for is when you talk about microprocessors, you think about notebook and desktop computers.
    “You don’t think of automobiles, or digital cameras or cell phones that make use of computation,” he says.

    com a estratégia Google:

    Last updated: August 15, 2011 4:51 pm
    “Google snaps up Motorola Mobility”
    http://www.ft.com/cms/s/2/e906bedc-c734-11e0-a9ef-00144feabdc0.html#axzz1V7alWOLP

    “The acquisition will put Google and Apple head-to-head in the battle for dominance in the fast-growing smartphone market, as the companies will control both the hardware and software of their products.”

    são alguns dos motivos que me fazem acreditar que sem uma indústria de “hardware” (HW) tão forte quanto a de “software” (SW) este último ficará fragilizado e volátil, pois SW não existe sem HW e vice-versa. Óbvio? Sim. HW + SW = (produto + serviços) que as pessoas (mercado) estão ávidas para consumir.