MENU

Escrito por • 04/06/2008

o brasil e os crimes "cibernéticos"

os senadores que integram a cpi da pedofilia vão pedir ao presidente da república a criação de uma divisão especial da polícia federal para investigação de crimes “cibernéticos”. a preocupação é legítima, face ao uso intensivo da rede por pedófilos no mundo inteiro. mas é também uma clara indicação de que ainda não percebemos a intensidade da mudança que está sendo realizada, na sociedade, pela tal da “cibernética”.

isso porque ainda não entendemos que a internet, ou a infra-estrutura, serviços e aplicações [baseadas em tecnologias da informação e comunicação] que conectam o mundo, hoje, e que se costumava chamar de “cibernética”, há alguns anos, é a nova plataforma de programação, de interação, de serviços, de criação e construção de empreendimentos sobre a qual a maior parte da sociedade já está funcionando. inclusive o crime, organizado ou não.

e a internet, no futuro próximo, será ubíqüa e pervasiva; vai estar em todas as coisas, em todas as ações e em todos os lugares e o tempo todo. como eletricidade, hoje. eletricidade está universalizada. informática [provavelmente com o nome de internet, por algum tempo] vai na mesma direção e sentido e não vai levar muito tempo pra chegar lá. e o crime segue junto. já temos, hoje, “investidores” especializados em treinar, financiar e se beneficiar de quadrilhas que roubam bancos somente pela rede. o crime, aí, tem tanto de “cibernético” quanto de “elétrico”: a quadrilha usou os dois para roubar o banco e a polícia federal não precisa de uma divisão especializada em crimes que usam eletricidade para achar os culpados.

o que precisamos é treinar todas as polícias, e não só a federal, e todas as pessoas dentro delas, para viver e trabalhar dentro de um novo contexto, de uma forma de viver e trabalhar em rede, onde todas as coisas, pra melhor ou pior, vão ter algum componente de rede. e a rede vai desaparecer, tornar-se invisível, passar a fazer parte da infra-estrutura da sociedade e tudo, crime ou não, vai ser cometido no “ciber-espaço”. o “espaço”, hoje, já é em boa parte “ciber”, razão pela qual o nome ciber-espaço está em franco desuso. não faz mais sentido. em lugar nenhum. o novo [e velho] nome do ciber-espaço é, pura e simplesmente, espaço.

mas há pelo menos uma razão para que haja uma divisão de hackers na polícia federal. a rede em si é, e vai ser, uma fonte de problemas. uma parte das polícias deveria se preparar para investigar crimes perpetrados na rede, contra a rede, seus provedores, usuários e seus direitos e deveres, ininteligíveis para o cidadão e policial comuns e passíveis de combate e controle apenas pelos experts no assunto. algo similar, em espírito, à investigação de fraudes nas bolsas de valores e no mercado financeiro em geral.

pra começar, bem que uma divisão de hackers da pf, combinada com o ministério público federal, poderia começar a enquadrar as práticas de certos provedores e teles que, apesar de nos venderem X megabit/segundo, sem restrições contratuais, passam a escolher os megabits que devemos ter nas nossas telas, desacelerando sites como youTube, num claro rompimento do contrato com os usuários e cassação de seus direitos líquidos e certos, sem que ninguém tenha feito nada de prático contra tal tipo de assalto até hoje. vai ver, com os federais na jogada, o direito dos usuários começaria a ser restaurado e respeitado.

Artigos relacionados

0 Responses to o brasil e os crimes "cibernéticos"

  1. Marcos disse:

    Sou totalmente a favor disto, mas tá na hora, da PF começar a SUBIR OS MORROS!!!
    Tá na hora da PF começar a combater crime simples!!! e não só pegar “filé”
    Tá na hora da PF começar a fazer jus ao salário!!!! Vamos trabalhar para o POVO gente!!!

  2. Marcos disse:

    Sou totalmente a favor disto, mas tá na hora, da PF começar a SUBIR OS MORROS!!!
    Tá na hora da PF começar a combater crime simples!!! e não só pegar “filé”
    Tá na hora da PF começar a fazer jus ao salário!!!! Vamos trabalhar para o POVO gente!!!

  3. Daniel Fernando disse:

    A três dias atrás participei do evento do GTS – Grupo de Trabalho em Segurança de Redes e contamos com a presença de um membro da PF o mesmo ressaltou a importância dessa figura dentro da PF, eu estudo SI e estou decidido em estudar para entrar na PF como Hacker, pois quero estar do lado do bem nessa guerra contra os crimes cibernéticos. Estou decidido que será uma vitória. Gostei desse artigo, explanou muito bem acerca da problemática atual e futura.

  4. Daniel Fernando disse:

    A três dias atrás participei do evento do GTS – Grupo de Trabalho em Segurança de Redes e contamos com a presença de um membro da PF o mesmo ressaltou a importância dessa figura dentro da PF, eu estudo SI e estou decidido em estudar para entrar na PF como Hacker, pois quero estar do lado do bem nessa guerra contra os crimes cibernéticos. Estou decidido que será uma vitória. Gostei desse artigo, explanou muito bem acerca da problemática atual e futura.

  5. Rabello disse:

    É fato que estamos vendo que a polícia federal se encontra bem estruturada e preparada para atuar contra “crimes cibernéticos”. Mas o problema é a falta de legislação séria e a sua aplicação (mesmo que quase inexistente). Hoje temos vários crimes contra ordem pública e social onde a justiça se torna obrigada a “soltar” os criminosos por falta de uma legislação séria e correta (atualizada).
    Vamos aproveitar este ano de eleição para colocarmos políticos que estejam realmente interessados em legislar em favor do brasil.

  6. Rabello disse:

    É fato que estamos vendo que a polícia federal se encontra bem estruturada e preparada para atuar contra “crimes cibernéticos”. Mas o problema é a falta de legislação séria e a sua aplicação (mesmo que quase inexistente). Hoje temos vários crimes contra ordem pública e social onde a justiça se torna obrigada a “soltar” os criminosos por falta de uma legislação séria e correta (atualizada).
    Vamos aproveitar este ano de eleição para colocarmos políticos que estejam realmente interessados em legislar em favor do brasil.

  7. Marcela disse:

    Como sempre, só se percebe a necessidade atrasado, sociedade reativa, nunca proativa. Esta necessidade já deveria ter sido percebida há muito tempo atrás.

  8. Marcela disse:

    Como sempre, só se percebe a necessidade atrasado, sociedade reativa, nunca proativa. Esta necessidade já deveria ter sido percebida há muito tempo atrás.

  9. mario oliveira disse:

    Tem que criar tambem uma “divisao” especial para prender criminosos politicos do colarinho branco, até hoje nao vi nenhum preso! Ate hoje nao vi nenhum com pena maxima! E de se reparar que crimes virtuais esta tendo mais importancia do que crimes na vida real. Estao querendo tirar o foco para dos verdadeiros bandidos que roubam dinheiro da educaçao da nossa naçao, professores ganham pouco e formam ignorantes para futuramente serem presos e dar trabalho para uma policia.

  10. mario oliveira disse:

    Tem que criar tambem uma “divisao” especial para prender criminosos politicos do colarinho branco, até hoje nao vi nenhum preso! Ate hoje nao vi nenhum com pena maxima! E de se reparar que crimes virtuais esta tendo mais importancia do que crimes na vida real. Estao querendo tirar o foco para dos verdadeiros bandidos que roubam dinheiro da educaçao da nossa naçao, professores ganham pouco e formam ignorantes para futuramente serem presos e dar trabalho para uma policia.

  11. bruno disse:

    há uma outra boa razão: com um divisão especializada no assunto poderemos ver uma diminuição do “fecha isto, bloqueia aquilo” que é a decisão padrão para casos do gênero no Brasil e uma série de outras arbitrariedades que comprovam nossa ignorância quase que completa no assunto. Sorte nossa que os melhores hackers do mundo também estão aqui. Ou, virtualmente, no Camboja – pouco importa a localização geográfica.

  12. bruno disse:

    há uma outra boa razão: com um divisão especializada no assunto poderemos ver uma diminuição do “fecha isto, bloqueia aquilo” que é a decisão padrão para casos do gênero no Brasil e uma série de outras arbitrariedades que comprovam nossa ignorância quase que completa no assunto. Sorte nossa que os melhores hackers do mundo também estão aqui. Ou, virtualmente, no Camboja – pouco importa a localização geográfica.

  13. Cacthos disse:

    Retórica de senadores! Muito fácil arrotar “preocupação” com a segurança cibernética. A PF já atua a bastante tempo nessa área, e não é preciso uma lei para criar uma divisão especial para essa atividade. Deixem a PF se organizar, quem melhor do que a própria PF para lidar com uma nova estrutura? Com certeza, não são senadores.
    PF também não é para subir morro, PF é policia que trabalha com informações, e não com ação. Outra coisa, PF não é ficar monitorando sites, e bloqueando/desbloqueando conteúdo.
    Se nós brasileiros fossemos menos burros, saberiamos a diferença entre legislar, policiar, julgar, gerir. E não dariamos bola para retórica de senadores.

  14. Cacthos disse:

    Retórica de senadores! Muito fácil arrotar “preocupação” com a segurança cibernética. A PF já atua a bastante tempo nessa área, e não é preciso uma lei para criar uma divisão especial para essa atividade. Deixem a PF se organizar, quem melhor do que a própria PF para lidar com uma nova estrutura? Com certeza, não são senadores.
    PF também não é para subir morro, PF é policia que trabalha com informações, e não com ação. Outra coisa, PF não é ficar monitorando sites, e bloqueando/desbloqueando conteúdo.
    Se nós brasileiros fossemos menos burros, saberiamos a diferença entre legislar, policiar, julgar, gerir. E não dariamos bola para retórica de senadores.

  15. É importante atentarmos para o ambiente virtual em si, e não somente para os crimes que acontecem nele.

    Se existe um código de ética e conduta no mundo real, porque não pode existir um semelhante no mundo virtual? Deve haver uma legislação na internet, não para contralar, ou censurar, mas para estruturar as ações no mundo vitrual, assim como existem os códigos e leis no mundo físico.

    Assim os crimes já estariam submetidos à um regimento.

    Abraços

  16. É importante atentarmos para o ambiente virtual em si, e não somente para os crimes que acontecem nele.

    Se existe um código de ética e conduta no mundo real, porque não pode existir um semelhante no mundo virtual? Deve haver uma legislação na internet, não para contralar, ou censurar, mas para estruturar as ações no mundo vitrual, assim como existem os códigos e leis no mundo físico.

    Assim os crimes já estariam submetidos à um regimento.

    Abraços

  17. camila duprat disse:

    Oi Silvio

    Estou fazendo uso do seu blog – me desculpe, para confirmar se vc recebeu o convite que te fizemos de participação como juri no Festival CONEXÕES TECNOLÓGICAS, organizado pelo Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, de São Paulo. Trata-se de um festival para o publico universitário da graduação nas áreas de artes, design e tecnologia.
    Se vc puder aceitar vai ser muito bom! Foi Giselle Beiguelman, que agora está como curadora do Prêmio que fez sua indicação.
    Fico aguardando.

    Camila Duprat
    Coordenadora de projetos
    Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia

  18. camila duprat disse:

    Oi Silvio

    Estou fazendo uso do seu blog – me desculpe, para confirmar se vc recebeu o convite que te fizemos de participação como juri no Festival CONEXÕES TECNOLÓGICAS, organizado pelo Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, de São Paulo. Trata-se de um festival para o publico universitário da graduação nas áreas de artes, design e tecnologia.
    Se vc puder aceitar vai ser muito bom! Foi Giselle Beiguelman, que agora está como curadora do Prêmio que fez sua indicação.
    Fico aguardando.

    Camila Duprat
    Coordenadora de projetos
    Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia

  19. J. D. Moreira Neto disse:

    Há leis para tratar de quase todos os crimes praticados hoje em dia, inclusive pela internet. Temos que lembrar que, além da polícia (e aqui no DF existe um departamento especializado em crimes de alta tecnologia), os juízes também precisam se atualizar e aprender sobre isso tudo que está acontecendo, até porque a maioria dos “crimes cibernéticos” não passam de crimes comuns cometidos com o uso de alta tecnologia, quase sempre, por meios virtuais. Uma apropriação indébita ou um estelionato continuam o sendo, seja via internet ou não…

  20. J. D. Moreira Neto disse:

    Há leis para tratar de quase todos os crimes praticados hoje em dia, inclusive pela internet. Temos que lembrar que, além da polícia (e aqui no DF existe um departamento especializado em crimes de alta tecnologia), os juízes também precisam se atualizar e aprender sobre isso tudo que está acontecendo, até porque a maioria dos “crimes cibernéticos” não passam de crimes comuns cometidos com o uso de alta tecnologia, quase sempre, por meios virtuais. Uma apropriação indébita ou um estelionato continuam o sendo, seja via internet ou não…

  21. mariano.eliana disse:

    Este espaço é altamente positivo no momento, mas, creio que es tipo de crime já exista a um bom tempo já proliferado no planeta TERRA, desde o início desta tecnologia.
    Tudo evoluem, as bactérias, os grupos, às sociedades, e vejo que também o Crime, acompanha as mudanças de hábitos e costumes na sua evolução
    A questão é de como fazer para também haver evolução nas questões investigatórias para comprovação de CRIMES (Cibérnéticos, Online, internet, links etc) >investimentos em tecnologias avançadas>cientistas da questão, com motivação.
    Acredito que o primeiro passo já foi dado, o de Divulgar para conscientizar pessoas (Usuários).
    O segundo passo , penso, seria A própria polícia, seja federal, estadual e incluíndo os Municipios, estarem preparados com seu pessoal capacitados a esta evolução. Capacitando-os na questão da informatização de conhecimentos investigatórios a comprovação neste tipo de Crime.
    O terceiro passo, penso, seria investimentos a indivíduos (Profissionais específicos , da questão), para análise e atuarem como multiplicadores deste conhecimento, mais detalhados. Cito em especial, quantitativos em especialistas em maior número, a atuarem em problemáticas especificas (Cibernética)..
    E m quarto ponto cito que seria interessante, cada estado do País (Brasil), ter um núcleo deste trabalho de dados a pesquisa e estudos para resultados (resolutuvudade a estes Crimes), e cada em cada Município, haver seus funcionários (polícia co-atuantes com a Polícia federal, preparados, capacitados em todos os sentidos funcionais (me refiro também a espaço físico e em especial com tecnologia não esquecendo do pessoal de manutenção específico.
    Quanto a Google/Web e etc… deveriam estar juntos a esta discurssão na tentativa de mostrar e criar meios de sinal de ALERTA a todos nós usuários, tipo o meu CP (computador), deveria estar conectado a tudo com segurança, talvez penso.. conectado ao meu número pessoal de celular (só entra no meu Computador pessoas de meu conhecimento, relacionamento.
    Quanto a saits de Pesquisas, anúncios, vídeos, imagens, Blogs, links, utilizados de uma forma específica e utilizando um termo de responsabilidade direcionado ao próprio Usuário
    O Judiciário, em especial, deveria se preocupar também em resolver imediatamento estes problemas (me refiro a Leis nas questões, destes crimes), sem leis específicas, não haverá resultados.
    Para finalizar.. as questões de WEBCAM/Skype, serem analisados com muita.. profundidade

    Espero, ter contribuído de alguma forma, pois me preocupa muito , mulheres, adolescentes e as crianças nesta tão complexa questão.

    sem mais para o momento

    mariano.eliana

  22. mariano.eliana disse:

    Este espaço é altamente positivo no momento, mas, creio que es tipo de crime já exista a um bom tempo já proliferado no planeta TERRA, desde o início desta tecnologia.
    Tudo evoluem, as bactérias, os grupos, às sociedades, e vejo que também o Crime, acompanha as mudanças de hábitos e costumes na sua evolução
    A questão é de como fazer para também haver evolução nas questões investigatórias para comprovação de CRIMES (Cibérnéticos, Online, internet, links etc) >investimentos em tecnologias avançadas>cientistas da questão, com motivação.
    Acredito que o primeiro passo já foi dado, o de Divulgar para conscientizar pessoas (Usuários).
    O segundo passo , penso, seria A própria polícia, seja federal, estadual e incluíndo os Municipios, estarem preparados com seu pessoal capacitados a esta evolução. Capacitando-os na questão da informatização de conhecimentos investigatórios a comprovação neste tipo de Crime.
    O terceiro passo, penso, seria investimentos a indivíduos (Profissionais específicos , da questão), para análise e atuarem como multiplicadores deste conhecimento, mais detalhados. Cito em especial, quantitativos em especialistas em maior número, a atuarem em problemáticas especificas (Cibernética)..
    E m quarto ponto cito que seria interessante, cada estado do País (Brasil), ter um núcleo deste trabalho de dados a pesquisa e estudos para resultados (resolutuvudade a estes Crimes), e cada em cada Município, haver seus funcionários (polícia co-atuantes com a Polícia federal, preparados, capacitados em todos os sentidos funcionais (me refiro também a espaço físico e em especial com tecnologia não esquecendo do pessoal de manutenção específico.
    Quanto a Google/Web e etc… deveriam estar juntos a esta discurssão na tentativa de mostrar e criar meios de sinal de ALERTA a todos nós usuários, tipo o meu CP (computador), deveria estar conectado a tudo com segurança, talvez penso.. conectado ao meu número pessoal de celular (só entra no meu Computador pessoas de meu conhecimento, relacionamento.
    Quanto a saits de Pesquisas, anúncios, vídeos, imagens, Blogs, links, utilizados de uma forma específica e utilizando um termo de responsabilidade direcionado ao próprio Usuário
    O Judiciário, em especial, deveria se preocupar também em resolver imediatamento estes problemas (me refiro a Leis nas questões, destes crimes), sem leis específicas, não haverá resultados.
    Para finalizar.. as questões de WEBCAM/Skype, serem analisados com muita.. profundidade

    Espero, ter contribuído de alguma forma, pois me preocupa muito , mulheres, adolescentes e as crianças nesta tão complexa questão.

    sem mais para o momento

    mariano.eliana

  23. Parabéns a todos os envolvidos nesta discurssão sobre crimes Cibernéticos,vimos hoje vários tipos de atores nesta reflexão, sobre a questão, e sabemos não ser o que acontecia no início do florescer dessa explosão tecnológica , em especial no nosso País.
    O SENADOR (Senado), foram muitos felizes em levantar este questionamento, e esperamos, SIM, mas , segurança a todos nós usuários e pessoal capacitados, amparados na Lei ao combate a estes tipos de crimes.
    Devemos defender sempre o progresso de uma nação, e concordo, como seria este, sem uso de tecnologia, mais este progresso deverá sempre estar acompanhado a proteção dos aínda fragilizados nesta ascensão, me refiro às crianças, aos adolescentes e as mulheres.
    Sabemos que sempre haverá vítimas de resultado do progresso, mas isto não nos dar o direito de a qualquer preço, pensarmos que do outro lado de um CP (Computador), não exista PESSOAS e muitas delas totalmente despreparadas no mundo virtual sem informação, formação, segurança e Leis que as protejam, como exemplo, variados canais na NETexibindo vídeos Pornográficos em utilização de mulheres, até crianças.Todos nós, devemos fazer uma continuada reflexão sobre Ética, Direitos e utilização com responsabilidades de amparo pleno e seguro a todos, .. nós usuários.

    Sem mais,
    Atenciosamente,

    Mariano.Eliana.

  24. Parabéns a todos os envolvidos nesta discurssão sobre crimes Cibernéticos,vimos hoje vários tipos de atores nesta reflexão, sobre a questão, e sabemos não ser o que acontecia no início do florescer dessa explosão tecnológica , em especial no nosso País.
    O SENADOR (Senado), foram muitos felizes em levantar este questionamento, e esperamos, SIM, mas , segurança a todos nós usuários e pessoal capacitados, amparados na Lei ao combate a estes tipos de crimes.
    Devemos defender sempre o progresso de uma nação, e concordo, como seria este, sem uso de tecnologia, mais este progresso deverá sempre estar acompanhado a proteção dos aínda fragilizados nesta ascensão, me refiro às crianças, aos adolescentes e as mulheres.
    Sabemos que sempre haverá vítimas de resultado do progresso, mas isto não nos dar o direito de a qualquer preço, pensarmos que do outro lado de um CP (Computador), não exista PESSOAS e muitas delas totalmente despreparadas no mundo virtual sem informação, formação, segurança e Leis que as protejam, como exemplo, variados canais na NETexibindo vídeos Pornográficos em utilização de mulheres, até crianças.Todos nós, devemos fazer uma continuada reflexão sobre Ética, Direitos e utilização com responsabilidades de amparo pleno e seguro a todos, .. nós usuários.

    Sem mais,
    Atenciosamente,

    Mariano.Eliana.