MENU

Escrito por • 29/09/2010

o fotodoc e o segundo turno

dia 18 passado o blog publicou um texto, baseado em pesquisa datafolha de 8 e 9 de setembro, mostrando que a exigência do uso do título de eleitor e mais um documento com foto [fotodoc] para votar poderia, por si só, ser a causa de um segundo turno nas eleições para presidente. o argumento e os cálculos são simples e podem ser encontrados neste link.

o texto do blog gerou uma enxurrada de comentários, incluindo vários de seres humanos que têm DNA de lêmingues, dispostos a seguir qualquer regra ditada por qualquer tipo de instância aparentemente superior, por menos razoável que possa parecer. curiosamente, e não por completo acaso, são estas mesmas criaturas as vítimas prediletas da propaganda governamental, na qual acreditam piamente, sem qualquer questionamento ou crítica. uns deles, claro, acreditam apenas em tudo o que “seu” governo diz, sendo obviamente falso tudo o que os outros propalam.

pois bem. num evento que certamente não tem qualquer relação com a pesquisa da datafolha e o texto do blog, o PT, que está para ganhar as eleições no primeiro turno e seria o principal prejudicado caso os tais fotodocs fossem mesmo exigidos, resolveu entrar com uma ADIn, ação direta de inconstitucionalidade, contra a necessidade de duas comprovações de identidade para votação. ou um [título] ou outro [fotodoc] argumenta o partido em sua petição para salvaguardar o direito cidadão de votar. ação diz literalmente que a exigência de dois documentos é… "burocracia desnecessária no momento de votação" e que… "seria um exagero de consequências negativas, sobretudo para a expressão da soberania das pessoas mais simples de nosso país".

a ação entrou no STF dia 24 de setembro e o julgamento ainda está rolando, já que um dos ministros pediu vistas ao processo. mas o resultado parcial é decisivo: a maioria do STF já votou [7×0] contra a necessidade dos dois documentos e tudo deve continuar como antes, ou seja, o blog vai fazer o que disse [no post anterior] que iria fazer e votar só com um documento.

é nisso que dá um país cheio de regras, regras demais: de repente umas delas são criadas em cima da hora, não se cuida dos pressupostos para que sejam executadas apropriadamente e, aí, são revogadas mais em cima da hora ainda.

tão em cima da hora que, se o ministro gilmar mendes não trouxer seu voto-vista à plenária do STF nesta quinta-feira, a exigência dos dois documentos vai continuar valendo nas eleições de domingo, dado que o julgamento, apesar de decidido, não está formalmente concluído.

agora imagine a pressão, em brasília, especialmente se pesquisas de vários [vários, não um só] partidos estiverem mostrando que o segundo turno está, mesmo, por um fio… ou, neste caso, por um voto…

Artigos relacionados

0 Responses to o fotodoc e o segundo turno

  1. Barreto disse:

    Bom, além de tudo isto, eu simplesmente não entendo como a mulher do Joaquim Roriz, Weslian Roriz substitui o esposo às vésperas das eleições, e ainda pior, mantiveram a FOTO E O NOME DO CANDIDATO NA URNA ELETRÔNICA AS VÉSPERAS DE UMA ELEIÇÃO. “Eleger uma pessoa assim não seria um caso de fraude ou falsidade ideológica” ? Os caras ainda pedem dois documentos e um com foto! E isso ai fica como ?
    Que sistema de urna eletrônica é este que não tem um Plano “B” para eventualidades como esta? Lembro de um comentário em um de seus blogs sobre a certificação das Urnas! Pois é…. “E agora José” ?

  2. Gabriel Sitônio disse:

    Tirei meu título de eleitor aos 17 anos e votei pela primeira vez com 18 anos de idade para eleição de 98. E acabou que em 2002 eu já tinha perdido meu título e utilizei apenas meu documento de identidade, isso em 2002, 2004, 2006 e 2008. Agora vem essa lei e diz que só poderei votar levando além de um documento oficial com voto o meu título de eleitor. Sei que fizeram campanha e tudo mais, mas fica obvio que a medida só traz burocracia. Sem tempo de retirar a segunda via, falei pra mim mesmo, vou votar e apresentar apenas um documento oficial com foto. E mesmo se o STF não derrubar ainda vou votar apenas com um documento. Como? Vou na internet e abro um BO informando que perdi meu título, simples. No dia da eleição levou um documento com foto e aprensento o BO. Papo reto hehehe

  3. Ernandes disse:

    Devemos ficar de olho neste Gilmar, pelo seu histórico vai sair caro sua decisão.

  4. no mínimo perturba, perturbou; no mínimo traz incertezas, dúvidas, inseguranças e descrédito com as instituiçóes democratizantes, que ainda estáo longe de se configurarem democráticas, como o Supremo e esse membro G. Mendes, no seu reiterada postura de acinte frontal, de desprezo, náo só contra seus próprios colegas magistrados Juízes do STF, mas, principalmente, contra nosso povo, nossa naçao, nosso país, afronta que nos exibe lá fora menos sérios, ou como até incapazes de fazermos leis e a cumprirmos numa justiça razoavelmente rápida (se demora, deixa de ser justa, se torna verduga, assassina, cúmplice ).

    – Como nos veráo, e como nos vemos a nós mesmos, como guardas , vigilantes da soberania nacional, da Amazónia, da democracia, das leis que náo se trocam de uns meses a outro, de um pedido de vista safa…, um escárnio ? ? ? …

    É uma FARC ou um Movimento 26 de Julho que estamos precisando pra fazer justiça, ou, ao menso, tentar – sabendo que todos somos falhos ?

    (claro, e infelizmente, com algumas injustiças, homens cometem erros ).

    No caso de um desses Gilmares Mendes, náo seria ficar encima de um muro,

    encima de uma parede o seu lugar devido, o seu poste, o seu palanque.

    Mas deus é grande, e esse caminho náo vai ser seguido, ainda que insista e o provoque esse agente da balbúrdia, esse pomposo togado, juiz que nos envergonha desde seus arremedos de HC, suas evidentes relacoes com D. Dantas, que, por sinal, tem irmá que é amiga e foi sócia de filha de Serra.

    E todos estáo soltos.

    E vivos.

  5. Carlor Rocha disse:

    Atenção – Fraude à vista!
    ———————————-

    A decisão sobre o 2o.turno poderá depender de um número muito pequeno de votos.

    Sem transparência e auditoria, esta decisão poderá ser tomada por um pequeno grupo de funcionários que gerenciam os sistemas de totalização dos resultados, no TSE em Brasília.

    E ninguém vai saber se houve ou não interferência no resultado, pois este tipo de fraude não deixará qualquer rastro.

    Êta democracia frágil!

    Saudações cidadãs.

  6. Guilherme disse:

    A mudança da regra em cima da hora é um completo absurdo. Mas esse pedido de vistas do Gilmar Mendes é pior ainda. O PT esculhamba com toda e qualquer instituição democraticamente estabelecida, mas também as instituições não se dão ao respeito.

  7. freitas disse:

    ta dificil esta eleição cheia de complicações a cada dia surgi um novo fato,o eleitor ja não aguenta mais isso, ta uma desordem vejamos se o PT perder esta eleições de virada ninguem vai acreditar, nada é impossivel pra quem mal entrou e ja esta em segundo colocado com 30% tem muita gente mudando de lado, esse clima de ja ganhou não é nada bom.

  8. Kuja disse:

    Viva a Organização pela Democracia Direta pelo Plebiscito!

  9. Roberto disse:

    Incrível como as coisas não mudam, UDN e PT, a mesma coisa, regras com dois pesos e duas medidas, jeitinhos de última hora pra acertar as coisas. Incrível.
    Vou votar Marina, Mandic, sei lá se adianta, eu só não queria mesmo é me desiludir por completo…
    Abs Silvio