MENU

Escrito por • 05/10/2010

o sistema eleitoral…

…e o resultado das eleições, até agora.

muito já se disse, aqui no blog, sobre o sistema eleitoral brasileiro, sua urna eletrônica e suas potenciais falhas de segurança. pra ver os últimos dois textos sobre o assunto, clique aqui [sobre o que aconteceu em alagoas nas eleições de 2006] e aqui [pra ler porque a OAB nacional não assinou, digitalmente, o software das eleições 2010].

olhando para os números, as eleições brasileiras são um sucesso de público: em menos de um dia e meio, segundo o TSE, 111.193.747 eleitores compareceram a exatas 400.001 seções, clicaram [se o eleitor não errou nada e votou em tudo o que tinha direito] umas 25 vezes por eleitor… o que levou a mais de dois bilhões e meio de dígitos capturados no processo eleitoral, e isso tudo foi totalmente apurado até 24 horas depois do fim da eleição.

eficiência é isso aí. já eficácia é o que vimos discutindo aqui há tempos. eficiência é fazer rápido; disso não temos dúvida, o TSE faz e fez na eleição 2010 até aqui. já eficácia é resolver o problema certo, da melhor forma possível… e é aí que tem estado a diferença entre os defensores do voto seguro e o TSE.

até aqui, que eu saiba, não paira nenhuma suspeita sobre o resultado das eleições em lugar algum. pelo menos em termos de suspeitas públicas. há sinais, aqui e ali, de manipulação de informação [como pesquisas infladas, com os suspeitos usuais], mas isso é externo ao processo de votação e apuração, apesar de estar regulado pela lei eleitoral. a urna e o sistema, segura ou insegura, nada têm a ver com isso. pelo menos à primeira vista.

tudo bem que um candidato poderia inflar seu nome nas pesquisas como ponto de partida para fraudar o sistema e fazer com que o “resultado das urnas” representasse o resultado das pesquisas. uns diriam que isso é muita teoria da conspiração para uma eleição só… e outros que não só é possível e provável mas que, caso aconteça, o tipo de sistema que temos [completamente fechado pelo TSE e impossível de ser verificado ou auditado externamente…] não possibilitaria que tal tipo de arranjo fosse apontado por fiscais independentes.

em são paulo, para dar uma ideia, a fiscal escalada por um partido para acompanhar a apuração [no TRE] ficou restrita a ver o que todos nós, sem credencial partidária, vimos: os resultados parciais sendo publicados, incrementalmente, na página da justiça eleitoral. o caso foi relatado à OAB paulista e se soma às dezenas que, na tentativa de escrutinar os escrutinadores, ficaram a ver votos –ou números que parecem muito com votos- pela rede.

mesmo que ninguém tenha –pelo menos que eu saiba- nada a levantar contra a lisura dos resultados das eleições 2010 até agora, resta a certeza de que, sem auditoria independente do processo e resultado eleitorais, não dá para ter certeza de que todos os votos dos eleitores foram contabilizados como digitados nas urnas. à comprovada eficiência do TSE, falta agregar um certificado de aprovada eficácia, o que só será possível quando se tiver muito mais transparência no processo do que temos hoje.

temos eleições a cada dois anos, numa espécie de corre-corre eleitoral onde sempre se poderá arguir que não é possível mudar o sistema porque não há tempo hábil. mas o sistema já foi mudado, mais de uma vez. e pode ser mudado de novo. até porque pode ser mudado de forma paulatina, escolhendo-se colégios eleitorais menores, a partir dos quais se prototipasse um sistema de votação aberto [taí um bom uso para as práticas de free/libre/open source software development…], validado, verificado, certificado e independentemente auditável.

nas palavras de uma autoridade no assunto, talvez isso só aconteça quando uma inevitável catástrofe eleitoral forçar o TSE a rever suas infundadas certezas de que o sistema é completamente eficaz e impossível de ser fraudado. por um lado, ainda bem que ainda não foi desta vez que isso aconteceu. mas há quem diga que, à medida que cada vez mais gente, dentro e fora do sistema, entende como ele funciona e quão frágil é o sistema de auditoria externa, mais razoável é supor que estamos nos aproximando daquela tal catástrofe que vai nos levar a revisar todo o sistema, de forma muito ampla e estrutural.

eu continuo achando –sem ter nenhuma preferência tecnológica por este ou aquele modelo- que nós não precisaríamos passar por isso. é só tratar o problema com uma boa dose de bom senso, construir uma comunidade de pessoas genuinamente interessadas ao redor de um processo livre e aberto para tratar o problema do sistema eleitoral que teremos, em pouco tempo, a eficácia [auditada e verificada] que já deveriamos ter associado à eficiência que, sabidamente, já temos.

Artigos relacionados

110 Responses to o sistema eleitoral…

  1. Evaristo disse:

    Isso ai, Meira. Não é de hoje que se discute sobre a eficácia do nosso sistema eleitoral técno-bizarro!!! Há sempre uma suspeita de que o sistema é falho, mas a quem isso interessa de fato??? Onde estão as cabeças pensantes nesse país que não se atenta a essas suspeitas??? Como diria uma velha raposa: “onde tá o papelzinho”. Que certeza terei eu que o sufrágio foi mesmo para o candidato(a) que indiquei??? Há muita coisa entre o voto dado e o voto capturado nesse sistema que como ignorante que sou não confio de forma nenhuma. Aquele procedimento de digitar o nr do título do eleitor não sai de minha cabeça: qual o sentido de digitar esse nr se somente uma outra tecla liberaria o voto ao cidadão??? No mais, é somente fumaça pairando no ar e sabemos onde tem funaça tem fogo!!!

  2. Evaristo disse:

    Isso ai, Meira. Não é de hoje que se discute sobre a eficácia do nosso sistema eleitoral técno-bizarro!!! Há sempre uma suspeita de que o sistema é falho, mas a quem isso interessa de fato??? Onde estão as cabeças pensantes nesse país que não se atenta a essas suspeitas??? Como diria uma velha raposa: “onde tá o papelzinho”. Que certeza terei eu que o sufrágio foi mesmo para o candidato(a) que indiquei??? Há muita coisa entre o voto dado e o voto capturado nesse sistema que como ignorante que sou não confio de forma nenhuma. Aquele procedimento de digitar o nr do título do eleitor não sai de minha cabeça: qual o sentido de digitar esse nr se somente uma outra tecla liberaria o voto ao cidadão??? No mais, é somente fumaça pairando no ar e sabemos onde tem funaça tem fogo!!!

  3. Ricardo disse:

    Se estivéssemos em um país com um governo perfeitamente confiável, acho que essas dúvidas deixariam de existir, concordam???

  4. Ricardo disse:

    Se estivéssemos em um país com um governo perfeitamente confiável, acho que essas dúvidas deixariam de existir, concordam???

  5. Renato Marinho disse:

    Mas que tipo de auditoria teria de ser então?
    Antes das eleições sempre o TSE disponibiliza os programa da Urna Eletrônica previamente para análise, linha por linha, mas o que acontece? Não aparece ninguém, ou quase ninguém. Este ano apenas o PT fez isso e a OAB, desinformada que é nesse sentido, mandou apenas um auditor no último dia (coisa de brasileiro) para conferir as 16 milhões de linhas co programa. Se o colunista acha que mais pode ser feito, que providencie uma equipe para fazer essa conferência, em vez de ficar falando mal do trabalho sério que se faz em nosso país (outra característica típica de nosso povo).

  6. Renato Marinho disse:

    Mas que tipo de auditoria teria de ser então?
    Antes das eleições sempre o TSE disponibiliza os programa da Urna Eletrônica previamente para análise, linha por linha, mas o que acontece? Não aparece ninguém, ou quase ninguém. Este ano apenas o PT fez isso e a OAB, desinformada que é nesse sentido, mandou apenas um auditor no último dia (coisa de brasileiro) para conferir as 16 milhões de linhas co programa. Se o colunista acha que mais pode ser feito, que providencie uma equipe para fazer essa conferência, em vez de ficar falando mal do trabalho sério que se faz em nosso país (outra característica típica de nosso povo).

  7. Marcos disse:

    Acredito que o sistema é falho. No RN , 2 eleitores de urnas diferentes, sendo uma na Redinha e outra em São Gonçalo ao digitar o mesmo número XXXX para deputado federal, apareceu em branco em finalizou para este cargo e já foi para o outro. Isso é real.

    U abraço

  8. Marcos disse:

    Acredito que o sistema é falho. No RN , 2 eleitores de urnas diferentes, sendo uma na Redinha e outra em São Gonçalo ao digitar o mesmo número XXXX para deputado federal, apareceu em branco em finalizou para este cargo e já foi para o outro. Isso é real.

    U abraço

  9. Walter Costa disse:

    HOJE: JULGAMENTO

    O Superior Tribunal Militar julga hoje o mandado de segurança impetrado pela Folha de São Paulo. Nele, o jornal solicita acesso aos autos.do processo sobre a prisão de Dilma Rousseff na época da ditadura.

    FAÇA-SE JUSTIÇA. EXIGIMOS SABER SEU CONTEUDO.

  10. Walter Costa disse:

    HOJE: JULGAMENTO

    O Superior Tribunal Militar julga hoje o mandado de segurança impetrado pela Folha de São Paulo. Nele, o jornal solicita acesso aos autos.do processo sobre a prisão de Dilma Rousseff na época da ditadura.

    FAÇA-SE JUSTIÇA. EXIGIMOS SABER SEU CONTEUDO.

  11. maristela disse:

    COM CERTEZA TEVE FALCATRUAS ….ACHO QUE DEVERIA SIM SER FEITO UMA PERICIA NAS URNAS .e as urnas que estragaram??quem garante que os votos foram salvos …e qyuem é que contabiliza os votos ???isso tem que se perguntar sim E TA NA HORA DE SE FAZER TYESTES COM QUEM QUER SER CANDIDATOO …SABATINAR OS CANDIDATOS PARA VER SE SÃO OU NÃO ANALFABETOS e para ver se eles entendem um pouco de politica e normas ..nós qundo vamos para um novo emprego nao temos que fazer uma experiencia ???pois é imagina se isso ocorresse na politica …heim ..que tal ???????

  12. maristela disse:

    COM CERTEZA TEVE FALCATRUAS ….ACHO QUE DEVERIA SIM SER FEITO UMA PERICIA NAS URNAS .e as urnas que estragaram??quem garante que os votos foram salvos …e qyuem é que contabiliza os votos ???isso tem que se perguntar sim E TA NA HORA DE SE FAZER TYESTES COM QUEM QUER SER CANDIDATOO …SABATINAR OS CANDIDATOS PARA VER SE SÃO OU NÃO ANALFABETOS e para ver se eles entendem um pouco de politica e normas ..nós qundo vamos para um novo emprego nao temos que fazer uma experiencia ???pois é imagina se isso ocorresse na politica …heim ..que tal ???????

  13. Fabio disse:

    Tem gente que adora este período para tentar ficar famoso…..

    QUalquer incompetente abre um blog hoje me dia pra falar mal da urna eletronica. Prova disso é esse blog…..

    Falta auditoria ? os partidos politicos PODEM auditar…….este ano o PT foi o unico que se habilitou para tal.

    Mas claro…..sem falara mal não tem audiência….então por muito tempo teremos gente falando mal de coisas que nem sequer conhecem…..é o que acontece com uma profissão que nem precisa de cursos superior…..

  14. Fabio disse:

    Tem gente que adora este período para tentar ficar famoso…..

    QUalquer incompetente abre um blog hoje me dia pra falar mal da urna eletronica. Prova disso é esse blog…..

    Falta auditoria ? os partidos politicos PODEM auditar…….este ano o PT foi o unico que se habilitou para tal.

    Mas claro…..sem falara mal não tem audiência….então por muito tempo teremos gente falando mal de coisas que nem sequer conhecem…..é o que acontece com uma profissão que nem precisa de cursos superior…..

  15. Pedro Gomes disse:

    Há uma forma de resolver isso. O sistema geraria impressão em SPOOL da votação, a partir da entrada de dados no tecladio, em via dupla, a qual poderia ser “a posteriori” acessada pelas autoridades e interessados. Certamente que o sistema é extremamente seguro, muitas vezes mais que na metodologia anterior, quando os votos em branco eram preenchidos pelos apuradores e os boletins adulterados. Mas cabe ao TSE continuar inovando para dirimir quaisquer suspeitas sobre tema tão relevante.

  16. Pedro Gomes disse:

    Há uma forma de resolver isso. O sistema geraria impressão em SPOOL da votação, a partir da entrada de dados no tecladio, em via dupla, a qual poderia ser “a posteriori” acessada pelas autoridades e interessados. Certamente que o sistema é extremamente seguro, muitas vezes mais que na metodologia anterior, quando os votos em branco eram preenchidos pelos apuradores e os boletins adulterados. Mas cabe ao TSE continuar inovando para dirimir quaisquer suspeitas sobre tema tão relevante.

  17. FERNANDO disse:

    O sistema é tão falho que até agora ninguem conseguiu provar fraudes nas urnas, qual a diferença se existe fraude na urna onde as pessoas tem a capacidade de votar em pessoas analfabetas ou outras que usa o poder da midia (por ser cantor , apresentador entre ouras coisas), o povo paga pela propria decisão tomada na frente de uma urna.
    Mais uma coisa caso eu não me engane o tre já abriu antes das eleições para as pessoas tentarem hackear as urnas alguem conseguiu???
    Alguem consegue provar fraude nas urnas.

    As pessoas não sabem votar e que questionar as urnas!!!!

  18. FERNANDO disse:

    O sistema é tão falho que até agora ninguem conseguiu provar fraudes nas urnas, qual a diferença se existe fraude na urna onde as pessoas tem a capacidade de votar em pessoas analfabetas ou outras que usa o poder da midia (por ser cantor , apresentador entre ouras coisas), o povo paga pela propria decisão tomada na frente de uma urna.
    Mais uma coisa caso eu não me engane o tre já abriu antes das eleições para as pessoas tentarem hackear as urnas alguem conseguiu???
    Alguem consegue provar fraude nas urnas.

    As pessoas não sabem votar e que questionar as urnas!!!!

  19. Ricardo Camilo disse:

    Um sujeito que não escreve com letra maiúscula depois do ponto final, quer colocar sob suspeita o processo eleitoral do Brasil, e ainda tem gente que embarca nessa.

  20. Ricardo Camilo disse:

    Um sujeito que não escreve com letra maiúscula depois do ponto final, quer colocar sob suspeita o processo eleitoral do Brasil, e ainda tem gente que embarca nessa.

  21. Moisés disse:

    Eu acho que as pessoas precisam ser melhor orientadas sobre como votar. Enquanto eu esperava para votar, quatro pessoas votaram antes de mim, e dentre elas, três estavam saindo sem terminar de votar e foram avisadas de que não haviam terminado de votar. Se ela erraram é porque tiveram alguma dificuldade.
    Nas regiões onde a população é mais humilde e tem menos acesso a informação, isto pode ser mais comum e explicar inclusive parte da diferença das pesquisas. Uma coisa é saber em quem o eleitor pretende votar, outra coisa é ele conseguir votar corretamente.

  22. Moisés disse:

    Eu acho que as pessoas precisam ser melhor orientadas sobre como votar. Enquanto eu esperava para votar, quatro pessoas votaram antes de mim, e dentre elas, três estavam saindo sem terminar de votar e foram avisadas de que não haviam terminado de votar. Se ela erraram é porque tiveram alguma dificuldade.
    Nas regiões onde a população é mais humilde e tem menos acesso a informação, isto pode ser mais comum e explicar inclusive parte da diferença das pesquisas. Uma coisa é saber em quem o eleitor pretende votar, outra coisa é ele conseguir votar corretamente.

  23. Luiz Eduardo disse:

    Para se auditar, esse sistema é só combinar com algumas pessoas da seção de votação e ver se o(s) seu(s) canditado, aparece na ficha, que a máquina emite apos o termino da votação.

  24. Luiz Eduardo disse:

    Para se auditar, esse sistema é só combinar com algumas pessoas da seção de votação e ver se o(s) seu(s) canditado, aparece na ficha, que a máquina emite apos o termino da votação.

  25. Rodrigo Bruch disse:

    SÓ PARA CONSTAR
    EU FUI VOTAR, JÁ TINHAM VOTADO POR MIM!!!

    quando veio a justiça eleitoral pediram desculpas, alegaram erro, e falaram pra mim votar na próxima, isso aqui em Florianópolis, Sc,
    Depois de muita insistência, ameaçar chamar imprensa e polícia, pois eu queria ao menos riscar meu nome da ATA (falha grave, devemos assinar por ultimo, e nao primeiro), me ligaram as 17:010 dizendo que eu poderia votar, cheguei la, novamente, votei, dai me explicaram, em seguida, que votei no nome de outra pessoa!!!. Tudo bem o voto ser anonimo e ter o mesmo peso, então não teria problema, mas corrigir um erro com o outro é inadmissível!!! estou com o canhoto de outra pessoa, já que o meu entregaram pra outra pessoa ou extraviaram!
    Exigi que colocassem tudo na ATA da seção eleitoral que votei, e vou tirar uma cópia semana que vem.

    A Urna pode ser segura, o processo eleitornal não!!
    Agora estou esperando sair a estatística de votos por seção pra saber se meu canditato a federal, uma pessoa beeem pouco votada, teve algum voto ali, pois ainda fica a desconfiança que minha votação foi um “teatro” pra eu ficar feliz.

  26. Rodrigo Bruch disse:

    SÓ PARA CONSTAR
    EU FUI VOTAR, JÁ TINHAM VOTADO POR MIM!!!

    quando veio a justiça eleitoral pediram desculpas, alegaram erro, e falaram pra mim votar na próxima, isso aqui em Florianópolis, Sc,
    Depois de muita insistência, ameaçar chamar imprensa e polícia, pois eu queria ao menos riscar meu nome da ATA (falha grave, devemos assinar por ultimo, e nao primeiro), me ligaram as 17:010 dizendo que eu poderia votar, cheguei la, novamente, votei, dai me explicaram, em seguida, que votei no nome de outra pessoa!!!. Tudo bem o voto ser anonimo e ter o mesmo peso, então não teria problema, mas corrigir um erro com o outro é inadmissível!!! estou com o canhoto de outra pessoa, já que o meu entregaram pra outra pessoa ou extraviaram!
    Exigi que colocassem tudo na ATA da seção eleitoral que votei, e vou tirar uma cópia semana que vem.

    A Urna pode ser segura, o processo eleitornal não!!
    Agora estou esperando sair a estatística de votos por seção pra saber se meu canditato a federal, uma pessoa beeem pouco votada, teve algum voto ali, pois ainda fica a desconfiança que minha votação foi um “teatro” pra eu ficar feliz.

  27. Eduardo disse:

    Caro Silvio Meira,

    Até agora ninguém pode provar a vulnerabilidade das urnas. Em uma eleição nenhum partido ou candidato quer perder voto. Eles tem a possibilidade de ir conferir a confiabilidade e não vão. Então por que ficar esquentando a cabeça? Outra coisa. Esses tais especialistas não podem estar jogando boatos de vulnerabilidade das urnas por ter algum tipo de interesse? Se o sistema fosse aberto, daria mais publicidade a coisa, concordo. Porém a possibilidade de alguém fraudar o sistema é bem maior. Não acha? E a tal da auditoria externa. Como fazê-la? Quem pode garantir que esses auditores são realmente independentes. Quem garante a lisura dessa auditoria?

    São perguntas que devem ser respondidas antes de criticar.

    Uma boa tarde.

  28. Eduardo disse:

    Caro Silvio Meira,

    Até agora ninguém pode provar a vulnerabilidade das urnas. Em uma eleição nenhum partido ou candidato quer perder voto. Eles tem a possibilidade de ir conferir a confiabilidade e não vão. Então por que ficar esquentando a cabeça? Outra coisa. Esses tais especialistas não podem estar jogando boatos de vulnerabilidade das urnas por ter algum tipo de interesse? Se o sistema fosse aberto, daria mais publicidade a coisa, concordo. Porém a possibilidade de alguém fraudar o sistema é bem maior. Não acha? E a tal da auditoria externa. Como fazê-la? Quem pode garantir que esses auditores são realmente independentes. Quem garante a lisura dessa auditoria?

    São perguntas que devem ser respondidas antes de criticar.

    Uma boa tarde.

  29. Josemar disse:

    Que blog inútil, o Sr. levou a discussão de tal forma que lembra blogs que discutem OVNIs

  30. Josemar disse:

    Que blog inútil, o Sr. levou a discussão de tal forma que lembra blogs que discutem OVNIs

  31. ANTONIO PEDRO FERRAZ disse:

    Está muito claro e cristalino, se esse sistema fosse bom e confiável, outros países sérios, não republiquetas, o teriam adotado, na minha região toda eleição tem candidato reclamando de secção ou urna que ele mesmo votou nele e o mesmo não aparece na votação.
    Os programas geradores, os programadores, onde são preparadas ou construidas as tais urnas eletronicas, tudo deveria ser auditado e público, inclusive custos operacionais.

  32. ANTONIO PEDRO FERRAZ disse:

    Está muito claro e cristalino, se esse sistema fosse bom e confiável, outros países sérios, não republiquetas, o teriam adotado, na minha região toda eleição tem candidato reclamando de secção ou urna que ele mesmo votou nele e o mesmo não aparece na votação.
    Os programas geradores, os programadores, onde são preparadas ou construidas as tais urnas eletronicas, tudo deveria ser auditado e público, inclusive custos operacionais.

  33. Ricardo disse:

    Por Favor, o terra nao deveria colocar essa reportagem no ar, é ridículo. Colocar o fonte como open source, para os cracker estudarem ele ?
    Reportagem tucana não né gente !?

  34. Ricardo disse:

    Por Favor, o terra nao deveria colocar essa reportagem no ar, é ridículo. Colocar o fonte como open source, para os cracker estudarem ele ?
    Reportagem tucana não né gente !?

  35. NEY ALMEIDA disse:

    Ricardo Camilo, deixe de querer bancar o professor de português. O articulista não escreveu letra maiúscula depois de ponto fnal, porque, com certeza tem mais miolos que você. Depois de ponto fnal não se escreve NADA.Ou o ponto não seria final. Voce deveria ter dito ponto parágrafo. Mas tentou ensinar, mesmo não sabendo.É coisa de petralha….o Stalinácio Pulha da Silva faz isso o tempo todo. E assim, vamos todos rumo ao abismo…Por que não vai estudar um pouco, antes de ousar corrigir os outros….Avalie-se, antes de avaliar os outros. Para sua orientação, o Silvio Meira é a maior autoridade neste país para falar sobre Tecnologia da Informação…E você ? Qual o seu “curriculum”, alé de dedicação exclusiva ao fanatismo irracional ?

  36. NEY ALMEIDA disse:

    Ricardo Camilo, deixe de querer bancar o professor de português. O articulista não escreveu letra maiúscula depois de ponto fnal, porque, com certeza tem mais miolos que você. Depois de ponto fnal não se escreve NADA.Ou o ponto não seria final. Voce deveria ter dito ponto parágrafo. Mas tentou ensinar, mesmo não sabendo.É coisa de petralha….o Stalinácio Pulha da Silva faz isso o tempo todo. E assim, vamos todos rumo ao abismo…Por que não vai estudar um pouco, antes de ousar corrigir os outros….Avalie-se, antes de avaliar os outros. Para sua orientação, o Silvio Meira é a maior autoridade neste país para falar sobre Tecnologia da Informação…E você ? Qual o seu “curriculum”, alé de dedicação exclusiva ao fanatismo irracional ?

  37. gustavo disse:

    Pois é, o TSE abre o sistema para todos verem antes das urnas serem lacradas. O processo é transparente, a urna é segura, concordo com o comentário do Renato Marinho. A urna já participou de eleições em vários países, com resultados supreendentes. Pelo visto a informação não chegou ao blogueiro?

  38. gustavo disse:

    Pois é, o TSE abre o sistema para todos verem antes das urnas serem lacradas. O processo é transparente, a urna é segura, concordo com o comentário do Renato Marinho. A urna já participou de eleições em vários países, com resultados supreendentes. Pelo visto a informação não chegou ao blogueiro?

  39. ALVARO PEREZ JUNIOR disse:

    É AOS AMIGOS TUDO, AOS INIMIGOS A LEI, É um legado o autoritarismo do judiciário da ditadura ?!

    Há relação entre autoritarismo e ineficiência da justiça ?!

    O frustrante para nos Brasileiros é a observação de que as pessoas com poder econômico, advogado talentoso, podem manipular o sistema !

    Apesar de todo o sistema, Leis e tribunais, não há Estado de Direito !

    Isso por causa das desigualdades extremas em termos de tratamento, das pessoas dentro da lei !

    A LEI PUNE OS OPOSITORES E AOS MENOS DESFAVORECIDOS SOCIAIS !!!!!??

    Juizes, justiça da injustiça, CNJ que custa mais ainda, para nos do POVÃO E FAZ MUITO POUCO MESMO !!! TENDO PODER DE FAZER MAIS !! FACILMENTE MAIS !!!, Juizes, Podem errar a vontade, podem prejudicar, não precisam obedecer a jurisprudência e nem sumula em suas sentenças, alguns matam, outros roubam, outros vendem sentença, e ai eles são aposentados com direito a seus vencimentos 30 mil por mês e ficam em casa, só pensando no que podem fazer e ganhar mais.

  40. ALVARO PEREZ JUNIOR disse:

    É AOS AMIGOS TUDO, AOS INIMIGOS A LEI, É um legado o autoritarismo do judiciário da ditadura ?!

    Há relação entre autoritarismo e ineficiência da justiça ?!

    O frustrante para nos Brasileiros é a observação de que as pessoas com poder econômico, advogado talentoso, podem manipular o sistema !

    Apesar de todo o sistema, Leis e tribunais, não há Estado de Direito !

    Isso por causa das desigualdades extremas em termos de tratamento, das pessoas dentro da lei !

    A LEI PUNE OS OPOSITORES E AOS MENOS DESFAVORECIDOS SOCIAIS !!!!!??

    Juizes, justiça da injustiça, CNJ que custa mais ainda, para nos do POVÃO E FAZ MUITO POUCO MESMO !!! TENDO PODER DE FAZER MAIS !! FACILMENTE MAIS !!!, Juizes, Podem errar a vontade, podem prejudicar, não precisam obedecer a jurisprudência e nem sumula em suas sentenças, alguns matam, outros roubam, outros vendem sentença, e ai eles são aposentados com direito a seus vencimentos 30 mil por mês e ficam em casa, só pensando no que podem fazer e ganhar mais.

  41. José disse:

    Caro Meira preciso que comente uma entrevista de um perito criminal em crimes digitais que fez um confronto com o gestor da licitação das urnas eletrônicas na primeira eleição totalmente digital no Brasil, o nome do perito é Carlos Coana e esta entrevista saiu na Folha de São Paulo e é estarrecedor o argumento do gestor quando foi perguntado porque usou componentes de computadores domésticos nas urnas, ele simplesmente respondeu que era uma questão de custos e Coana retrucou que uma eleição não pode ser decidida por custos. Abraços

  42. José disse:

    Caro Meira preciso que comente uma entrevista de um perito criminal em crimes digitais que fez um confronto com o gestor da licitação das urnas eletrônicas na primeira eleição totalmente digital no Brasil, o nome do perito é Carlos Coana e esta entrevista saiu na Folha de São Paulo e é estarrecedor o argumento do gestor quando foi perguntado porque usou componentes de computadores domésticos nas urnas, ele simplesmente respondeu que era uma questão de custos e Coana retrucou que uma eleição não pode ser decidida por custos. Abraços

  43. Maluko disse:

    Sempre levantas duvidas sobre as tais urnas. Alguma vez você leu as milhares de linhas do programa em si?
    Qual a forma concreta que tens para dizeres isso?
    Outra coisa, já que criticas bastante a urna, farei uma critica sobre o seu português. A primeira letra de inicio de uma frase é escrita em maiúscula.

  44. Maluko disse:

    Sempre levantas duvidas sobre as tais urnas. Alguma vez você leu as milhares de linhas do programa em si?
    Qual a forma concreta que tens para dizeres isso?
    Outra coisa, já que criticas bastante a urna, farei uma critica sobre o seu português. A primeira letra de inicio de uma frase é escrita em maiúscula.

  45. Criso Afonso disse:

    Muito bom o artigo e importante preocupação. E não é apenas viagem do articulista. Já tivemos muitas situações de fraude sendo que a primeira e mais grave da era tecnológica (antes da urna atual) foi o caso da fraude no Rio contra o Brizola, promovida pela Globo (e descoberta a tempo).
    Não é o governo que é responsável pelo sistema de voto e sim o TRE.
    Um modo simples de ampliar muito a segurança, seria a simples inclusão de fornecimento de extrato do voto impresso, que seria comprovante para ser colocado numa urna para essa coleta, que seria usada em caso de dúvida, para recontagem física.
    Simples assim. Basta o TSE querer, ou não sei se quer.

  46. Criso Afonso disse:

    Muito bom o artigo e importante preocupação. E não é apenas viagem do articulista. Já tivemos muitas situações de fraude sendo que a primeira e mais grave da era tecnológica (antes da urna atual) foi o caso da fraude no Rio contra o Brizola, promovida pela Globo (e descoberta a tempo).
    Não é o governo que é responsável pelo sistema de voto e sim o TRE.
    Um modo simples de ampliar muito a segurança, seria a simples inclusão de fornecimento de extrato do voto impresso, que seria comprovante para ser colocado numa urna para essa coleta, que seria usada em caso de dúvida, para recontagem física.
    Simples assim. Basta o TSE querer, ou não sei se quer.

  47. Dionesio Paulon disse:

    não confio em mãos humanas contando meu voto…. humano é sempre partidário.

  48. Dionesio Paulon disse:

    não confio em mãos humanas contando meu voto…. humano é sempre partidário.

  49. Manoel Santos disse:

    Entendo a dúvida do senhor e de quem compartilha com ela, afinal o ser humano acaba duvidando de tudo, mas tenho três perguntas:
    01 – Há algum fato real, constatado para merecer o pedido de uma auditoria independente?
    02 – Estes auditores independentes são 100% confiáveis?
    03 – A comissão proposta pelo senhor é constituída de seres anormais, para serem 100% confiáveis e incorruptíveis?
    Fica tudo baseado no acho…
    Creio que é muita piração e paranóia ficar especulando uma possivel armação, sendo que os resultados não trazem uma tendência para este ou aquele partido, inclusive com resultados supreendentes.
    É o mesmo que desconfiar da paternidade e da maternidade, mesmo tendo provas concretas e ainda desconfiar do laboratório que fez o exame de D.N.A. e ainda assim desconfiar de quem fez a contra prova. Vai ficar fazendo auditoria até quando?
    Putz!

  50. Manoel Santos disse:

    Entendo a dúvida do senhor e de quem compartilha com ela, afinal o ser humano acaba duvidando de tudo, mas tenho três perguntas:
    01 – Há algum fato real, constatado para merecer o pedido de uma auditoria independente?
    02 – Estes auditores independentes são 100% confiáveis?
    03 – A comissão proposta pelo senhor é constituída de seres anormais, para serem 100% confiáveis e incorruptíveis?
    Fica tudo baseado no acho…
    Creio que é muita piração e paranóia ficar especulando uma possivel armação, sendo que os resultados não trazem uma tendência para este ou aquele partido, inclusive com resultados supreendentes.
    É o mesmo que desconfiar da paternidade e da maternidade, mesmo tendo provas concretas e ainda desconfiar do laboratório que fez o exame de D.N.A. e ainda assim desconfiar de quem fez a contra prova. Vai ficar fazendo auditoria até quando?
    Putz!

  51. Felipe disse:

    Minha mae trabalhou como mesaria nesta eleicao(Campo Grande-MS) e ela me disse que teve pessoas que foram trocadas de secao eleitoral sem serem avisadas previamente. Foi o caso de uma outra mesaria, que mesmo ao lado do delegado eleitoral tentaram sem fim achar p/ onde tinham jogado o nome dela e nao conseguiram localizar!
    Outro cidadao desisitu de votar prq nao encontrou seu nome em nenhuma secao, ele ainda falou p/ minha mae “Prq vcs nao colocaram um computador ai p/ localizarem meu nome e me informar onde fica a minha “nova” secao?
    Estranho nao!!??

  52. Felipe disse:

    Minha mae trabalhou como mesaria nesta eleicao(Campo Grande-MS) e ela me disse que teve pessoas que foram trocadas de secao eleitoral sem serem avisadas previamente. Foi o caso de uma outra mesaria, que mesmo ao lado do delegado eleitoral tentaram sem fim achar p/ onde tinham jogado o nome dela e nao conseguiram localizar!
    Outro cidadao desisitu de votar prq nao encontrou seu nome em nenhuma secao, ele ainda falou p/ minha mae “Prq vcs nao colocaram um computador ai p/ localizarem meu nome e me informar onde fica a minha “nova” secao?
    Estranho nao!!??

  53. willian disse:

    Meu desinformado colunista, pesquise sobre o preocedimento de VOTAçÂO PARALELA …vá se informar antes de falar tanta abobrinha.

  54. willian disse:

    Meu desinformado colunista, pesquise sobre o preocedimento de VOTAçÂO PARALELA …vá se informar antes de falar tanta abobrinha.

  55. Eduardo Benetti disse:

    Eu acho que estamos passando por uma paranóia coletiva…só vemos coisas ruins em td…fomos o 1º País a ter voto eletrônico no mundo, se ele não é confiável, o que se dirá das máquinas “JURÁSSICAS” do sistema eleitoral Americano. Acho que todos lembram da disputa entre Al Gore e Jorge W. Bush no ano de 2000, que o Jorge foi eleito graças a influência de seu pai na Suprema Corte Americana que não permitiram a recontagem dos votos que favoreciam seu filho. Vamos relaxar e acreditar que em nosso País tem muita coisa em andamento pra melhor…vamos parar com este negativismo crônico e endêmico. Mais que mudar um País, é necessário mudar o nosso modo de pensar.

  56. Eduardo Benetti disse:

    Eu acho que estamos passando por uma paranóia coletiva…só vemos coisas ruins em td…fomos o 1º País a ter voto eletrônico no mundo, se ele não é confiável, o que se dirá das máquinas “JURÁSSICAS” do sistema eleitoral Americano. Acho que todos lembram da disputa entre Al Gore e Jorge W. Bush no ano de 2000, que o Jorge foi eleito graças a influência de seu pai na Suprema Corte Americana que não permitiram a recontagem dos votos que favoreciam seu filho. Vamos relaxar e acreditar que em nosso País tem muita coisa em andamento pra melhor…vamos parar com este negativismo crônico e endêmico. Mais que mudar um País, é necessário mudar o nosso modo de pensar.

  57. Marco disse:

    Importante colocar a segurança do sistema eleitoral em questão. Usar código-fonte aberto aumenta a segurança pois mais falhas são descobertas e corrigidas. Os principais algoritmos de criptografia são abertos, por exemplo. Não abrir o código-fonte é uma técnica chamada segurança por obscuridade (security by obscurity), considerada vulnerável por muitos.

    Mas é lamentável que um repórter não use uma das regras mais simples da gramática da língua portuguesa: usar letra maiúscula no início das frases! Essa regra, que também existe em todas as línguas derivadas do latim, facilita a leitura. É muita arrogância uma pessoa querer mudar essa regra.

    Caso o Ney queira saber, sou bacharel e mestre em Ciências da Computação pela Universidade de São Paulo. Mas ler e escrever eu aprendi no ensino fundamental.

  58. Marco disse:

    Importante colocar a segurança do sistema eleitoral em questão. Usar código-fonte aberto aumenta a segurança pois mais falhas são descobertas e corrigidas. Os principais algoritmos de criptografia são abertos, por exemplo. Não abrir o código-fonte é uma técnica chamada segurança por obscuridade (security by obscurity), considerada vulnerável por muitos.

    Mas é lamentável que um repórter não use uma das regras mais simples da gramática da língua portuguesa: usar letra maiúscula no início das frases! Essa regra, que também existe em todas as línguas derivadas do latim, facilita a leitura. É muita arrogância uma pessoa querer mudar essa regra.

    Caso o Ney queira saber, sou bacharel e mestre em Ciências da Computação pela Universidade de São Paulo. Mas ler e escrever eu aprendi no ensino fundamental.

  59. Anderson Rdorigo disse:

    Boa Tarde !!

    Quanta Falta de Informação Acho que o Silvio poderia obter Informação antes de falar tanta besteira e o pior e que tem alguns que ainda apoiam

    A unica coisa que pdoeria ser mudada era sair um comprovante com o nome de todos os candidatos votados, igual operação com cartão que sai o papel com hora local, e valor

  60. Anderson Rdorigo disse:

    Boa Tarde !!

    Quanta Falta de Informação Acho que o Silvio poderia obter Informação antes de falar tanta besteira e o pior e que tem alguns que ainda apoiam

    A unica coisa que pdoeria ser mudada era sair um comprovante com o nome de todos os candidatos votados, igual operação com cartão que sai o papel com hora local, e valor

  61. Maluko disse:

    “Um modo simples de ampliar muito a segurança, seria a simples inclusão de fornecimento de extrato do voto impresso, que seria comprovante para ser colocado numa urna para essa coleta, que seria usada em caso de dúvida, para recontagem física.
    Simples assim. Basta o TSE querer, ou não sei se quer.
    Comentário por Criso Afonso — 05.10.10 @ 12:46”

    Trabalho duplicado???? kkkkkkkk Depois o maluko sou eu…..kkkk

  62. Maluko disse:

    “Um modo simples de ampliar muito a segurança, seria a simples inclusão de fornecimento de extrato do voto impresso, que seria comprovante para ser colocado numa urna para essa coleta, que seria usada em caso de dúvida, para recontagem física.
    Simples assim. Basta o TSE querer, ou não sei se quer.
    Comentário por Criso Afonso — 05.10.10 @ 12:46”

    Trabalho duplicado???? kkkkkkkk Depois o maluko sou eu…..kkkk

  63. Eduardo Benetti disse:

    Anderson, comprovantes de papel só nos manda de volta ao tempo de cédulas de votação. Gnt, é pra frente que se anda…na minha empresa durante anos tivemos a facilidade do ponto eletrõnico, agora por determinação do MTb fui obrigado a colocar máquinas que imprimem comprovantes de papel aos func. Pergunto…algum func. guarda os respectivos comprovantes? Apesar de toda orientação dada a eles da importância do mesmo? respondo…90% joga o mesmo fora. Comprovantes de papel em urnas eletrõnicas de votação vai ter o esmo destino…

  64. Eduardo Benetti disse:

    Anderson, comprovantes de papel só nos manda de volta ao tempo de cédulas de votação. Gnt, é pra frente que se anda…na minha empresa durante anos tivemos a facilidade do ponto eletrõnico, agora por determinação do MTb fui obrigado a colocar máquinas que imprimem comprovantes de papel aos func. Pergunto…algum func. guarda os respectivos comprovantes? Apesar de toda orientação dada a eles da importância do mesmo? respondo…90% joga o mesmo fora. Comprovantes de papel em urnas eletrõnicas de votação vai ter o esmo destino…

  65. Eleitor disse:

    Engraçado que os americanos, tão espertos, que até já mandaram foguetes à lua e outros lugares, continuam usando o antigo método de de apuração de votos. Nós somos MUITO MAIS espertos que eles…..TENHAM DÓ……a quem interessa um sistema de votação que não pode ser auditado, verificado, confrontado? Até os bancos com todo aparato tecnológico é vitima de fraude. Mas o TSE acha que são infalíveis…..Me poupe….

  66. Eleitor disse:

    Engraçado que os americanos, tão espertos, que até já mandaram foguetes à lua e outros lugares, continuam usando o antigo método de de apuração de votos. Nós somos MUITO MAIS espertos que eles…..TENHAM DÓ……a quem interessa um sistema de votação que não pode ser auditado, verificado, confrontado? Até os bancos com todo aparato tecnológico é vitima de fraude. Mas o TSE acha que são infalíveis…..Me poupe….

  67. Bruno disse:

    Eu não sei todos os procedimentos da lei eleitoral, mas começo a suspeitar dos resultados. Votei em um conhecido para Deputado Distrital aqui no DF, pai de um grande amigo meu. Com 100% das urnas apuradas, constam zero votos para ele. (11555, Junqueira). Não sei. A família até pode não ter votado nele (o que acho muito difícil) mas eu tenho CERTERZA de ter votado nesse número e confirmado, e no entanto não aparece nenhum voto.
    Muito estranho!

  68. Bruno disse:

    Eu não sei todos os procedimentos da lei eleitoral, mas começo a suspeitar dos resultados. Votei em um conhecido para Deputado Distrital aqui no DF, pai de um grande amigo meu. Com 100% das urnas apuradas, constam zero votos para ele. (11555, Junqueira). Não sei. A família até pode não ter votado nele (o que acho muito difícil) mas eu tenho CERTERZA de ter votado nesse número e confirmado, e no entanto não aparece nenhum voto.
    Muito estranho!

  69. Paulo disse:

    Primeiro, esse blog é muito mal escrito. Esse cara precisa saber que depois do ponto vem letra MAIÚSCULA. E depois, porque vamos confiar no que ele está dizendo? Com base no que?
    Bom mesmo, era quando o voto era nas cédulas de papel, muito mais confiável não é? Faz me rir.

  70. Paulo disse:

    Primeiro, esse blog é muito mal escrito. Esse cara precisa saber que depois do ponto vem letra MAIÚSCULA. E depois, porque vamos confiar no que ele está dizendo? Com base no que?
    Bom mesmo, era quando o voto era nas cédulas de papel, muito mais confiável não é? Faz me rir.

  71. Anderson Rdorigo disse:

    Eduardo , Concordo com vc em partes, mais hj qual o verdadeiro comprovante que temos, que nosso voto foi para o candidato escolhido, nesse ponto acho falho. abraços

  72. Anderson Rdorigo disse:

    Eduardo , Concordo com vc em partes, mais hj qual o verdadeiro comprovante que temos, que nosso voto foi para o candidato escolhido, nesse ponto acho falho. abraços

  73. Tony disse:

    ENTÃO, O MELHOR SERIA VOLTAR A CONTAR VOTOS MANUALMENTE, COM AS CÉDULAS PRÉ IMPRESSAS COM OS NOMES DOS CANDIDATOS?
    ORA, VÁ SE COÇAR NAS OSTRAS, CAMARADA…

    SE VC NÃO PODE PROVAR, NÃO LEVANTE DÚVIDAS E ACUSAÇÕES SOBRE SISTEMAS QUE VC NÃO CONHECE, SEU IMBECIL!

  74. Tony disse:

    ENTÃO, O MELHOR SERIA VOLTAR A CONTAR VOTOS MANUALMENTE, COM AS CÉDULAS PRÉ IMPRESSAS COM OS NOMES DOS CANDIDATOS?
    ORA, VÁ SE COÇAR NAS OSTRAS, CAMARADA…

    SE VC NÃO PODE PROVAR, NÃO LEVANTE DÚVIDAS E ACUSAÇÕES SOBRE SISTEMAS QUE VC NÃO CONHECE, SEU IMBECIL!

  75. FRANKLIN DELANO disse:

    Como se explica a votação no ACRE. Foram eleitos o Governador e Senadores do PT, tinha a candidata Marina que é do Acre, e a Votação para Presidente o José Serra saiu vencedor? Suspeito que as urnas estavam pré-programadas para computar o 45 numero do Serra.

  76. FRANKLIN DELANO disse:

    Como se explica a votação no ACRE. Foram eleitos o Governador e Senadores do PT, tinha a candidata Marina que é do Acre, e a Votação para Presidente o José Serra saiu vencedor? Suspeito que as urnas estavam pré-programadas para computar o 45 numero do Serra.

  77. RafaCovre disse:

    Sou mesário, já trabalhei para o TRE-ES e digo com absoluta certeza, o sistema é bom. Não existe esse negócio de fraude. Acho que poderia ter uma auditoria na apuração somente para dar mais lisura ao processo, mas não há o que temer. O sistema não permite fraudes. Não existe urna pré-programada. Nos dias anteriores a votação, são sorteadas uma porcentagem de urnas em cada zona e é feito uma votação monitorada. É dado um certo número de votos para certos candidatos e depois eles comparam para ver se os votos dados são os mesmos que os apurados.

  78. RafaCovre disse:

    Sou mesário, já trabalhei para o TRE-ES e digo com absoluta certeza, o sistema é bom. Não existe esse negócio de fraude. Acho que poderia ter uma auditoria na apuração somente para dar mais lisura ao processo, mas não há o que temer. O sistema não permite fraudes. Não existe urna pré-programada. Nos dias anteriores a votação, são sorteadas uma porcentagem de urnas em cada zona e é feito uma votação monitorada. É dado um certo número de votos para certos candidatos e depois eles comparam para ver se os votos dados são os mesmos que os apurados.

  79. Amilcar Brunazo Filho disse:

    Resposta ao Renato Marinho, ao Eduardo, ao Fábio e demais que criticaram a idéia de uma auditoria independente:

    1) Não é verdade o que eles dizem que só o PT compareceu para analisar os códigos no TSE. Também compareceram o PDT, o PSB e o PSL.
    2) Os técnicos dos 4 partidos concordam que os procedimentos permitidos para análise de código (determinados pelo fiscalizado)NÃO SÃO SUFICIENTES para permitir a validação do software.
    3) O PDT, o PSB e o PSL decidiram não assinar os programas por esse motivo, Mesmo motivo pelo qual a OAB também não assinou.
    4) O PT, que é o partido mais rico e mais organizado, gastou umas 300 horas/homem para analisar 16,5 milhões de linhas de código (que não incluiam os de criptografia feitos pela ABIN, pois estes só foram disponibilizados no último dia)
    Quer dizer, cada técnico do PT teve que analisar o código à taxa de 1000 linhas por minuto (se nem fossem ao banheiro).
    Além disso, o TSE não permitiu aos técnicos do PT tirar uma cópia do relatório de análise que eles mesmos fizeram.
    5) Assim, o técnico do PT também era contra assinar os programas, mas assinou por uma decisão política do partido (que esperava ganhar a eleição e não queria comprometer sua imagem).
    6) O MP também não fez nunhuma análise de código, sempre alegando falta de verba.
    7) Analisar o código apenas não resolve o problema da auditoria do software eleitoral. Tem também que fazer a verificação de integridade do software instalado em 400 mil urnas.
    8) Tudo isso é muito caro criando um impedimento financeiro a esse método de fiscalização eleitoral.
    9) É exatamente por isso que, desde 1996, nunca nenhuma entidade externa à autoridade eleitoral conseguiu fazer este tipo de auditoria. Essa é a maior prova que a proposta de se fazer auditoria do software eleitoral não funciona: passados 14 anos, nenhuma entidade conseguiu fazer a auditoria de forma eficaz.
    10) A auditoria independente proposta é uma AUDITORIA DO RESULTADO a ser feita de forma INDEPENDENTE DO SOFTWARE, que poderia ser feita por qualquer partido a um custo infinitamente menor que a pretensa auditoria do software que ninguem consegue fazer.
    Esta proposta foi apresentada em 2006 pelo PhD Ronald Rivest, que reconheceu que a assinatura digital (que ele inventou, patenteou e que o TSE usa) sobre o software eleitoral não é suficiente para garantir a integridade LÓGICA do software usado NO DIA DA ELEIÇÃO.

  80. Amilcar Brunazo Filho disse:

    Resposta ao Renato Marinho, ao Eduardo, ao Fábio e demais que criticaram a idéia de uma auditoria independente:

    1) Não é verdade o que eles dizem que só o PT compareceu para analisar os códigos no TSE. Também compareceram o PDT, o PSB e o PSL.
    2) Os técnicos dos 4 partidos concordam que os procedimentos permitidos para análise de código (determinados pelo fiscalizado)NÃO SÃO SUFICIENTES para permitir a validação do software.
    3) O PDT, o PSB e o PSL decidiram não assinar os programas por esse motivo, Mesmo motivo pelo qual a OAB também não assinou.
    4) O PT, que é o partido mais rico e mais organizado, gastou umas 300 horas/homem para analisar 16,5 milhões de linhas de código (que não incluiam os de criptografia feitos pela ABIN, pois estes só foram disponibilizados no último dia)
    Quer dizer, cada técnico do PT teve que analisar o código à taxa de 1000 linhas por minuto (se nem fossem ao banheiro).
    Além disso, o TSE não permitiu aos técnicos do PT tirar uma cópia do relatório de análise que eles mesmos fizeram.
    5) Assim, o técnico do PT também era contra assinar os programas, mas assinou por uma decisão política do partido (que esperava ganhar a eleição e não queria comprometer sua imagem).
    6) O MP também não fez nunhuma análise de código, sempre alegando falta de verba.
    7) Analisar o código apenas não resolve o problema da auditoria do software eleitoral. Tem também que fazer a verificação de integridade do software instalado em 400 mil urnas.
    8) Tudo isso é muito caro criando um impedimento financeiro a esse método de fiscalização eleitoral.
    9) É exatamente por isso que, desde 1996, nunca nenhuma entidade externa à autoridade eleitoral conseguiu fazer este tipo de auditoria. Essa é a maior prova que a proposta de se fazer auditoria do software eleitoral não funciona: passados 14 anos, nenhuma entidade conseguiu fazer a auditoria de forma eficaz.
    10) A auditoria independente proposta é uma AUDITORIA DO RESULTADO a ser feita de forma INDEPENDENTE DO SOFTWARE, que poderia ser feita por qualquer partido a um custo infinitamente menor que a pretensa auditoria do software que ninguem consegue fazer.
    Esta proposta foi apresentada em 2006 pelo PhD Ronald Rivest, que reconheceu que a assinatura digital (que ele inventou, patenteou e que o TSE usa) sobre o software eleitoral não é suficiente para garantir a integridade LÓGICA do software usado NO DIA DA ELEIÇÃO.

  81. Amilcar Brunazo Filho disse:

    Resposta ao RafaCovre.

    Falar é fácil….
    Você sabe dizer qual seria essa “porcentagem de urnas sorteadas para uma votação monitorada” ? (o nome correto é “Auditoria de Votação Paralela”)

    Creio que você está repetindo a propaganda da autoridade eleitoral sem ter feito uma avaliação correta. Veja:

    1) São sorteadas para esse teste apenas 80 das 400 mil urnas usadas na eleição, resultando que a amostra é de 0,02% (uma a cada 20 mil).
    2) Essa amostra muito baixa.
    Por exemplo, na cidade de Bertioga (vizinha a onde moro) que tem 100 seções, se metade das urnas forem fraudadas a todas as eleições a cada 2 anos, esse amostra iria detectar a fraude uma vez a cada 800 anos!!!!
    3) Eu fui acompanhar a Votação Paralela de São Paulo (a maior delas com 4 urnas). Foram colocados 130 votos em cada urna resultando numa taxa de abstenção média simulada de mais de 60%!!!
    Com isso, qualque urna fraudada que estivesse programada para desviar voto a partir apenas do 160º voto, passaria incólume pelo teste mas fraudaria a votação se estivesse em alguma seção eleitoral!!!!

  82. Amilcar Brunazo Filho disse:

    Resposta ao RafaCovre.

    Falar é fácil….
    Você sabe dizer qual seria essa “porcentagem de urnas sorteadas para uma votação monitorada” ? (o nome correto é “Auditoria de Votação Paralela”)

    Creio que você está repetindo a propaganda da autoridade eleitoral sem ter feito uma avaliação correta. Veja:

    1) São sorteadas para esse teste apenas 80 das 400 mil urnas usadas na eleição, resultando que a amostra é de 0,02% (uma a cada 20 mil).
    2) Essa amostra muito baixa.
    Por exemplo, na cidade de Bertioga (vizinha a onde moro) que tem 100 seções, se metade das urnas forem fraudadas a todas as eleições a cada 2 anos, esse amostra iria detectar a fraude uma vez a cada 800 anos!!!!
    3) Eu fui acompanhar a Votação Paralela de São Paulo (a maior delas com 4 urnas). Foram colocados 130 votos em cada urna resultando numa taxa de abstenção média simulada de mais de 60%!!!
    Com isso, qualque urna fraudada que estivesse programada para desviar voto a partir apenas do 160º voto, passaria incólume pelo teste mas fraudaria a votação se estivesse em alguma seção eleitoral!!!!

  83. Rodrigo disse:

    Críticas infundadas, os partidos, OAB e União podem pedir o código para conferência, além disso eles acompanham o processo de lacração do software. Além de auditorias também existe a eleição paralela, onde aleatoriamente uma urna que iria para as seções é removida e levada para a eleição paralela, onde as pessoas fazem os votos (de forma não secreta) e depois contabilizam e conferem com o resultado da urna.

  84. Rodrigo disse:

    Críticas infundadas, os partidos, OAB e União podem pedir o código para conferência, além disso eles acompanham o processo de lacração do software. Além de auditorias também existe a eleição paralela, onde aleatoriamente uma urna que iria para as seções é removida e levada para a eleição paralela, onde as pessoas fazem os votos (de forma não secreta) e depois contabilizam e conferem com o resultado da urna.

  85. Amilcar Brunazo Filho disse:

    O Rodrigo também está falando de possibilidades que nunca aconteceram e não de fatos.
    O FATO É que desde 1996 NUNCA UMA ENTIDADE EXTERNA conseguiu analisar o software eleitoral de forma completa.
    E quem diz que não é possivel são aqueles que foram (pessoas identificadas) lá viram o tamanho da coisa e denunciam a impossibilidade na prática.
    Eu desafio o Rodrigo a:
    – se identificar corretamente, indicando se trabalha ou trabalhou direte ao indiretamente para a autoridade eleitoral.
    – apresentar o relatório alguma entidade que tenha conseguido fazer uma validação completa e aprovado o software eleitoral desde 1996 sob as condições que o TSE disponibiliza aos partidos (inclui, por exemplo, restrições de acesso, inpedimento de testar e só ter acesso ao código da ABIN por um dia).

    Já vou avisando, o relatório feito pelos professores da Unicamp não atende estas condições. Os relatórios que atendem são o da SBC e da COPPE-UFRJ que não aprovaram o que viram.

  86. Amilcar Brunazo Filho disse:

    O Rodrigo também está falando de possibilidades que nunca aconteceram e não de fatos.
    O FATO É que desde 1996 NUNCA UMA ENTIDADE EXTERNA conseguiu analisar o software eleitoral de forma completa.
    E quem diz que não é possivel são aqueles que foram (pessoas identificadas) lá viram o tamanho da coisa e denunciam a impossibilidade na prática.
    Eu desafio o Rodrigo a:
    – se identificar corretamente, indicando se trabalha ou trabalhou direte ao indiretamente para a autoridade eleitoral.
    – apresentar o relatório alguma entidade que tenha conseguido fazer uma validação completa e aprovado o software eleitoral desde 1996 sob as condições que o TSE disponibiliza aos partidos (inclui, por exemplo, restrições de acesso, inpedimento de testar e só ter acesso ao código da ABIN por um dia).

    Já vou avisando, o relatório feito pelos professores da Unicamp não atende estas condições. Os relatórios que atendem são o da SBC e da COPPE-UFRJ que não aprovaram o que viram.

  87. Vagner disse:

    Blog sobre Poker interessantissimo

    Se alguem gosta de poker acesse o blog
    http://runtopro.blogspot.com/
    Para quem está começando ou não…

    vriberti
    http://runtopro.blogspot.com/

  88. Vagner disse:

    Blog sobre Poker interessantissimo

    Se alguem gosta de poker acesse o blog
    http://runtopro.blogspot.com/
    Para quem está começando ou não…

    vriberti
    http://runtopro.blogspot.com/

  89. José Antonio Biasetti disse:

    aprendi a escrever em minúsculas também. sou seu fã. mais q isso, é meu ídolo. como é interessante a democracia, ou a liberdade de se manifestar publicamente. lendo os comentários percebo o quão é necessário investirmos em educação (lato sensu) como vc tanto propaga. há pessoas q não entendem o conteúdo do texto, nem ao menos percebem q não se deram conta do sentido dele. saem dando pauladas como macacos. faça pelos bons.

    • srlm disse:

      biasetti, na sua pessoa, agradeço a todos os que LERAM o texto, os textos, e estão aqui para discutir o conteúdo. a convresa é longa, o assunto às vezes é complexo e muitas vezes aparece gente que nem ouviu o galo cantar. mas faz parte… nos vamos em frente, problema zero. grato. S

  90. José Antonio Biasetti disse:

    aprendi a escrever em minúsculas também. sou seu fã. mais q isso, é meu ídolo. como é interessante a democracia, ou a liberdade de se manifestar publicamente. lendo os comentários percebo o quão é necessário investirmos em educação (lato sensu) como vc tanto propaga. há pessoas q não entendem o conteúdo do texto, nem ao menos percebem q não se deram conta do sentido dele. saem dando pauladas como macacos. faça pelos bons.

    • srlm disse:

      biasetti, na sua pessoa, agradeço a todos os que LERAM o texto, os textos, e estão aqui para discutir o conteúdo. a convresa é longa, o assunto às vezes é complexo e muitas vezes aparece gente que nem ouviu o galo cantar. mas faz parte… nos vamos em frente, problema zero. grato. S

  91. Claudio Reginaldo disse:

    A urna e o processo de apuração é parte de um processo que considero necessitar de melhorias. Se voce ler este comentario e tiver saco de ler um pequeno post veja http://creginaldo.posterous.com/secao-eleitoral-e-seu-abismo-tecnologico

  92. Claudio Reginaldo disse:

    A urna e o processo de apuração é parte de um processo que considero necessitar de melhorias. Se voce ler este comentario e tiver saco de ler um pequeno post veja http://creginaldo.posterous.com/secao-eleitoral-e-seu-abismo-tecnologico

  93. advogado do diabo disse:

    então se o tal software da urna é assim tão complexo, com mais de 16 milhões de linhas de código, tal que 300 homens/hora não foram capazes de decifrá-lo, será que alguém teria capacidade de alterá-lo de forma que não fosse detectado (afinal, temos que assumir que a maioria dos desenvolvedores do TSE é honesta e isenta)?

    recolocando a conta de 300 homens/hora, um agente infiltrado que tivesse acesso ao código 1 hora por dia (no melhor dos casos, pois seria preciso que esse agente fosse capaz de hackear o código por 1 hora inteira sem que ninguém percebesse, código este que certamente está também fortemente controlado por processos de software, como revisões, autenticações, testes, etc). ainda assim essa pessoa levaria aproximadamente 1 ano e meio (descontados finais de semana e feriados) para entender como tudo funciona e pudesse executar um ataque.

    se você partir para números mais realistas, num código nesse nível de importância, alguém não deveria ter mais do que 10 minutos a sós com ele talvez 2 vezes por mês. ou seja, levaria 100 meses ou quase 8 anos para entendê-lo. e se a gente considerar que o códigó também sofre alterações de rotina, aí sim é que se leva mais tempo.

    quem seria essa pessoa capaz de fazer tal alteração, em quanto tempo se estima que ela faria e a que custo? será que isso tudo compensa o tanto de dinheiro público que pode-se desviar num período de 4 anos de administração? qual é o custo/benefício desse processo todo?

  94. advogado do diabo disse:

    então se o tal software da urna é assim tão complexo, com mais de 16 milhões de linhas de código, tal que 300 homens/hora não foram capazes de decifrá-lo, será que alguém teria capacidade de alterá-lo de forma que não fosse detectado (afinal, temos que assumir que a maioria dos desenvolvedores do TSE é honesta e isenta)?

    recolocando a conta de 300 homens/hora, um agente infiltrado que tivesse acesso ao código 1 hora por dia (no melhor dos casos, pois seria preciso que esse agente fosse capaz de hackear o código por 1 hora inteira sem que ninguém percebesse, código este que certamente está também fortemente controlado por processos de software, como revisões, autenticações, testes, etc). ainda assim essa pessoa levaria aproximadamente 1 ano e meio (descontados finais de semana e feriados) para entender como tudo funciona e pudesse executar um ataque.

    se você partir para números mais realistas, num código nesse nível de importância, alguém não deveria ter mais do que 10 minutos a sós com ele talvez 2 vezes por mês. ou seja, levaria 100 meses ou quase 8 anos para entendê-lo. e se a gente considerar que o códigó também sofre alterações de rotina, aí sim é que se leva mais tempo.

    quem seria essa pessoa capaz de fazer tal alteração, em quanto tempo se estima que ela faria e a que custo? será que isso tudo compensa o tanto de dinheiro público que pode-se desviar num período de 4 anos de administração? qual é o custo/benefício desse processo todo?

  95. Caro Advogado do Diabo,
    Se seu argumento fosse honesto, você não estaria se escondendo atrás de um pseudônimo.
    Você é funcionário direto ou indireto da autoridade eleitoral brasileira?
    Porque parece que é para adotar essa premissa exdrúxula que o sistema eleitoral eletrônico brasileiro é confiável porque “a maioria dos desenvolvedores do TSE é honesta e isenta”. !

    Eu não conheço nenhum sistema digital sério cuja confiabilidade técnica seja dependente da confiabilidade dos operadores.

    Então ou não é sério seu argumento, ou não é sério o sistema do TSE que você defende.
    Me diga: porque você esconde a sua identidade?

  96. Caro Advogado do Diabo,
    Se seu argumento fosse honesto, você não estaria se escondendo atrás de um pseudônimo.
    Você é funcionário direto ou indireto da autoridade eleitoral brasileira?
    Porque parece que é para adotar essa premissa exdrúxula que o sistema eleitoral eletrônico brasileiro é confiável porque “a maioria dos desenvolvedores do TSE é honesta e isenta”. !

    Eu não conheço nenhum sistema digital sério cuja confiabilidade técnica seja dependente da confiabilidade dos operadores.

    Então ou não é sério seu argumento, ou não é sério o sistema do TSE que você defende.
    Me diga: porque você esconde a sua identidade?

  97. advogado do diabo disse:

    [postando novamente, porque minha resposta à questão do dr. amilcar foi removida do site durante o final de semana]

    eu não sou funcionário do tse, nem de nenhum outro órgão oficial de nenhuma esfera de poder no brasil nem no

    exterior, sou apenas um desenvolvedor como outro qualquer. uso um pseudônimo porque não confio na internet, só por

    isso.

    sinto se o ofendi, não era esta a intenção. gosto de ver problemas por óticas diferentes, e apenas por essa razão

    questionei a abordagem.

    no meu entender, o problema auditoria versus fraude é um cenário de foco no problema versus foco na solução.

    auditoria vai ajudar a tornas uma eventual fraude rastreável, não há dúvida. compartilho da sua opinião aqui e

    respeito e aplaudo o trabalho que o sr. tem feito neste sentido.

    porém, usando o seu próprio argumento, a auditoria em si também não é imune a falha. neste caso temos um cenário:

    quem policia a polícia?

    o foco no problema é em relação à fraude em si. como evitá-la ou como rastreá-la é a solução. dado que o

    comportamento de um sistema é dado pela soma dos seus algoritmos e dos dados de entrada, as 3 formas possíveis de

    alterar o comportamento esperado são:

    1. alterando o código
    2. alterando os dados
    3. alterando os 2.

    sem querer entrar no mérito de alteração dos dados, isto necessitaria de acesso às chaves que são usadas para

    assinar os mesmos. em que a auditoria ajudaria neste caso?

    para alteração do código, teríamos que ter uma ou mais pessoas perpretando esta fraude no código da urna. imagino

    que não é fácil ter acesso a este código e que o mesmo está sujeito a vários processos internos de controle de

    modificações. acho que é razoável, sim, imaginar que a maioria dos programadores envolvidos é honesta.

    foi nesse cenário que baseei meu argumento. dado que existem forças agindo para manter o código íntegro, uma força

    isolada que tente desviar o código para um ramo maléfico sem despertar suspeitas levaria bastante tempo para

    conseguir o seu feito, ainda mais quando o próprio código sofre modificações constantes e sofre testes constantes.

    seria necessário um número de pessoas e/ou de horas de trabalho razoável para executar tal plano com garantia de

    sucesso, além do que a própria alteração também está sujeita a falhas. some-se a isto o fato de que poderia haver

    mais de um grupo interessado em fraudar o processo, cada um em seu próprio favor. isto tudo resume-se a 3 questões:

    1. quanto custa fraudar o código da urna?
    2. quanto dinheiro seria possível controlar quando o patrocinador da fraude finalmente chegasse ao poder?
    3. quanto tempo isto leva para ser feito?

    o processo eleitoral não é auditável desde o início dos tempos. não há como saber efetivamente quem votou e quem não votou desde os tempos do voto em papel. a troca do voto em papel pelo voto eletrônico não adicionou nem removeu nenhum componente desta equação, a não ser o próprio papel e as urnas de lona.

    poderia ser feito melhor? poderia. mas entendo que auditar o código-fonte da urna é um dos últimos passos na garantia dessa segurança. existem antes deste N passos mais simples.

    • srlm disse:

      nenhuma resposta foi retirada do timeline do blog; não é prática do blog, tampouco do TERRA, a menos em casos óbvios de SPAM. quem controla os comentários é quem comenta. s

  98. advogado do diabo disse:

    [postando novamente, porque minha resposta à questão do dr. amilcar foi removida do site durante o final de semana]

    eu não sou funcionário do tse, nem de nenhum outro órgão oficial de nenhuma esfera de poder no brasil nem no

    exterior, sou apenas um desenvolvedor como outro qualquer. uso um pseudônimo porque não confio na internet, só por

    isso.

    sinto se o ofendi, não era esta a intenção. gosto de ver problemas por óticas diferentes, e apenas por essa razão

    questionei a abordagem.

    no meu entender, o problema auditoria versus fraude é um cenário de foco no problema versus foco na solução.

    auditoria vai ajudar a tornas uma eventual fraude rastreável, não há dúvida. compartilho da sua opinião aqui e

    respeito e aplaudo o trabalho que o sr. tem feito neste sentido.

    porém, usando o seu próprio argumento, a auditoria em si também não é imune a falha. neste caso temos um cenário:

    quem policia a polícia?

    o foco no problema é em relação à fraude em si. como evitá-la ou como rastreá-la é a solução. dado que o

    comportamento de um sistema é dado pela soma dos seus algoritmos e dos dados de entrada, as 3 formas possíveis de

    alterar o comportamento esperado são:

    1. alterando o código
    2. alterando os dados
    3. alterando os 2.

    sem querer entrar no mérito de alteração dos dados, isto necessitaria de acesso às chaves que são usadas para

    assinar os mesmos. em que a auditoria ajudaria neste caso?

    para alteração do código, teríamos que ter uma ou mais pessoas perpretando esta fraude no código da urna. imagino

    que não é fácil ter acesso a este código e que o mesmo está sujeito a vários processos internos de controle de

    modificações. acho que é razoável, sim, imaginar que a maioria dos programadores envolvidos é honesta.

    foi nesse cenário que baseei meu argumento. dado que existem forças agindo para manter o código íntegro, uma força

    isolada que tente desviar o código para um ramo maléfico sem despertar suspeitas levaria bastante tempo para

    conseguir o seu feito, ainda mais quando o próprio código sofre modificações constantes e sofre testes constantes.

    seria necessário um número de pessoas e/ou de horas de trabalho razoável para executar tal plano com garantia de

    sucesso, além do que a própria alteração também está sujeita a falhas. some-se a isto o fato de que poderia haver

    mais de um grupo interessado em fraudar o processo, cada um em seu próprio favor. isto tudo resume-se a 3 questões:

    1. quanto custa fraudar o código da urna?
    2. quanto dinheiro seria possível controlar quando o patrocinador da fraude finalmente chegasse ao poder?
    3. quanto tempo isto leva para ser feito?

    o processo eleitoral não é auditável desde o início dos tempos. não há como saber efetivamente quem votou e quem não votou desde os tempos do voto em papel. a troca do voto em papel pelo voto eletrônico não adicionou nem removeu nenhum componente desta equação, a não ser o próprio papel e as urnas de lona.

    poderia ser feito melhor? poderia. mas entendo que auditar o código-fonte da urna é um dos últimos passos na garantia dessa segurança. existem antes deste N passos mais simples.

    • srlm disse:

      nenhuma resposta foi retirada do timeline do blog; não é prática do blog, tampouco do TERRA, a menos em casos óbvios de SPAM. quem controla os comentários é quem comenta. s

  99. Natanael disse:

    Um conhecido, candidato a deputado federal, liderança reconhecida em determinado segmento no Rio de Janeiro, dos 92 municípios teve votação em 63. Em quase todas as seções teve 1(hum) voto, em umas poucas seções teve 2(dois) votos. Não se levou em consideração comunidades, bairros, instituições que assumiram compromisso com o candidato, até um município em que tem forte influência com milhares de admiradores e simpatizantes, teve umas poucas unidades… Muitos estão boquiabertos, estarrecidos… Uma vergonha!!! Mas reclamar com quem??? Não se pode comprovar nada. Os problemas não estão no “varejo”, mas no “atacado”…

    Não sou técnico, apenas raciocino…

  100. Natanael disse:

    Um conhecido, candidato a deputado federal, liderança reconhecida em determinado segmento no Rio de Janeiro, dos 92 municípios teve votação em 63. Em quase todas as seções teve 1(hum) voto, em umas poucas seções teve 2(dois) votos. Não se levou em consideração comunidades, bairros, instituições que assumiram compromisso com o candidato, até um município em que tem forte influência com milhares de admiradores e simpatizantes, teve umas poucas unidades… Muitos estão boquiabertos, estarrecidos… Uma vergonha!!! Mas reclamar com quem??? Não se pode comprovar nada. Os problemas não estão no “varejo”, mas no “atacado”…

    Não sou técnico, apenas raciocino…

  101. advogado do diabo disse:

    @srlm

    pois é, deve ter sido algum bug ou problema com backup restaurado por cima.

    @natanael

    porque também não um bug? afinal é software e todo software tem bug.

  102. advogado do diabo disse:

    @srlm

    pois é, deve ter sido algum bug ou problema com backup restaurado por cima.

    @natanael

    porque também não um bug? afinal é software e todo software tem bug.

  103. advogado do diabo disse:

    @natanael

    outras possibilidades:

    – o número do candidato era 88388 e o santinho veio escrito 88888
    – o número do candidato era 66666 e todos leram como 99999
    – o número do candidato foi registrado de forma incorreta na urna
    – o segmento de eleitores não soube diferenciar voto em deputado federal, estadual, confundiu os 2 votos e anulou os 2
    – o cara é bom de comício e ruim de urna. muita gente pode ter pensado: “ah, fulano já tem voto demais, vou votar em sicrano também pra ajudar”
    – meu carteiro uma vez foi candidato a vereador. anotou num caderninho todos os nomes de quem falou que ia votar nele (pra mim isso é crime, mas…). finda a apuração (nos tempos da urna de lona e papel) ele não teve mais do que 10 votos. pela sua conta estava eleito.
    – a mulher jabuticaba (mação, melancia, uva, maracujá ou o sabor que o valha) ficou com 0 votos. nem ela votou em si própria. acontece.
    – fraudaram a eleição em 92 cidades para prejudicar um candidato específico. adulteraram sei lá 1000 urnas só pra o cara não ser eleito, coitado.

  104. advogado do diabo disse:

    @natanael

    outras possibilidades:

    – o número do candidato era 88388 e o santinho veio escrito 88888
    – o número do candidato era 66666 e todos leram como 99999
    – o número do candidato foi registrado de forma incorreta na urna
    – o segmento de eleitores não soube diferenciar voto em deputado federal, estadual, confundiu os 2 votos e anulou os 2
    – o cara é bom de comício e ruim de urna. muita gente pode ter pensado: “ah, fulano já tem voto demais, vou votar em sicrano também pra ajudar”
    – meu carteiro uma vez foi candidato a vereador. anotou num caderninho todos os nomes de quem falou que ia votar nele (pra mim isso é crime, mas…). finda a apuração (nos tempos da urna de lona e papel) ele não teve mais do que 10 votos. pela sua conta estava eleito.
    – a mulher jabuticaba (mação, melancia, uva, maracujá ou o sabor que o valha) ficou com 0 votos. nem ela votou em si própria. acontece.
    – fraudaram a eleição em 92 cidades para prejudicar um candidato específico. adulteraram sei lá 1000 urnas só pra o cara não ser eleito, coitado.

  105. Caro Anônimo Advogado do Diabo,
    Como sua resposta ficou muito longa, vou me ater às conclusões finais dela.
    Você argumenta que o custo de fraudar internamente o software das urnas seria alto. Mas também é sabido que o custo para determinar a integridade de um software complexo é MUUUUITAS VEZES maior que o custo de produzir esse código.
    É por isso que o inventor da técnica de assinatura digital (que o TSE usa para tentar demonstrar a integridade do seu software), o PhD. Ronald Rivest, em 2006 propôs o Princípio da Independência do Software em Sistemas Eleitorais que passou a ser adotado na norma técnica norte-americana sobre sistemas eleitorais em 2007.
    Este princípio pede que a auditoria dos resultados seja feita pela recebimento dos dados de entrada do sistema (os votos) e respectiva recontagem. Obviamente, os votos tem que ser fornecidos de forma independente do software também. Não vale o tal de Arquivos de Registro Digital do Voto.
    Sugiro você conhecer a proposta do Rivest em:
    http://vote.nist.gov/SI-in-voting.pdf
    E também ler o cap. 3.3 e Anexo 5 do Relatório CMind a partir de:
    http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/RelatorioCMind.htm

  106. Caro Anônimo Advogado do Diabo,
    Como sua resposta ficou muito longa, vou me ater às conclusões finais dela.
    Você argumenta que o custo de fraudar internamente o software das urnas seria alto. Mas também é sabido que o custo para determinar a integridade de um software complexo é MUUUUITAS VEZES maior que o custo de produzir esse código.
    É por isso que o inventor da técnica de assinatura digital (que o TSE usa para tentar demonstrar a integridade do seu software), o PhD. Ronald Rivest, em 2006 propôs o Princípio da Independência do Software em Sistemas Eleitorais que passou a ser adotado na norma técnica norte-americana sobre sistemas eleitorais em 2007.
    Este princípio pede que a auditoria dos resultados seja feita pela recebimento dos dados de entrada do sistema (os votos) e respectiva recontagem. Obviamente, os votos tem que ser fornecidos de forma independente do software também. Não vale o tal de Arquivos de Registro Digital do Voto.
    Sugiro você conhecer a proposta do Rivest em:
    http://vote.nist.gov/SI-in-voting.pdf
    E também ler o cap. 3.3 e Anexo 5 do Relatório CMind a partir de:
    http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/RelatorioCMind.htm