MENU

Escrito por • 13/12/2011

os novos CEOs: sociais?

dados de várias fontes, coletados pela CEO.com, publicação especializada em gestores, mostram que 65% dos CEOs mais jovens [até os 39] têm um blog relacionado ao trabalho, contra apenas 20% dos de 50 anos ou mais.

image

e a diferença entre os que realizam atualizações diárias é gigantesca, quase 30 vezes mais a favor dos mais novos, com a turma dos 40-49 ficando perto, 22% atualizando seus blogs diariamente. o padrão se repete quando se fala em contribuir ou ler twitter e similares. o infográfico está neste link.

image

e todo mundo de 50 ou mais está na mesma categoria. quantos CEOs com mais de 60, 70… são sociáveis? quantos sabem que o futuro dos negócios é sua comunidade, que um bom negócio, no futuro, não é um produto ou serviço, mas uma comunidade com um propósito?… isso pode vir a ser absolutamente essencial para quem quiser liderar [e não comandar] um bom negócio nas próximas décadas, de empresas de software a redes de postos de combustível. não precisa nem esperar pra ver, já tá rolando agora…

Relógio

em dezembro de 2011 e janeiro de 2012, o blog publica [ao contrário da norma, aqui] bits: textos pequenos, bem mais frequentes, sobre nossa [mundana] vida digital. ao invés dos raciocínios estruturados e interligados de costume, vamos nos ater a TRÊS parágrafos, no máximo. boa leitura.

Artigos relacionados

11 Responses to os novos CEOs: sociais?

  1. Sebastião disse:

    São mais sociáveis, mas também são menos preparados, mais arrogantes e ecocentricos, menos comprometidos, destroem a cadeia de relacionamentos com fornecedores, criam um clima nada produtivo com ações de curto prazo e fomento de disputas inadequadas, tem menos conhecimento técnico e prático, como custam menos acham que são contratados pelo seu valor pessoal e não pela custo menor, são mais financista e interessam-se quase que integralmente por resultados de curto prazo, não conhecem o princípio da continuidade, adoram máquinas fotográficas e capas de revistas. Carecem de visão estratégica e tornam os acionistas reféns.

  2. JPS disse:

    A grande diferença é ser mais aberto a novas ideias e desafios.

  3. Bruno disse:

    Caro Sebastião, seu comentário é literalmente de uma pessoa que se enquadra na faixa mais avançada da pesquisa. Totalmente desnecessário, pois temos grandes CEOs jovens e de muito valor. Com grande capacidade técnica e menos experiência, claro, pela pouca idade. Concordo em alguns pontos colocado pelo senhor, mas nem todos. Acredito que vc deveria rever seus conceitos e tentar entender que o mundo mudou, tudo é em busca de um resultado a curto prazo, a tecnologia está ai para ser utilizada e ajudar a todos. Todos devem se atualizar junto com as novas tecnologias ou então ficamos para trás.

  4. Fabio disse:

    Caro Sebastiao, Caro Bruno ….
    Respeito o ponto de vista dos dois mais me dou o direito a concordar e discordar de muito do que escreveram.
    Hoje em TODOS os ramos de atividade o processo feudal é o que impera, onde pelo melhor profissional que se seja existe uma barreira em que ele mesmo nunca irá passar, a não ser que seja indicado ou como muitos dizem no mercado ” Filho do Rei ”
    Já fui gestoi e hoje prefiro ser Analista …..Em todo o Ramo de Atividade existem os bons e os maus profissionais independente da idade, vi profissionais com pouquissima experiência darem aula em gestores com essa grande experiência citada, mas não tinham crachá nem QI então foram logo podados da empresas.
    O maior problema vivido dentro das empresas é político e de relacionamento. Não se faz líder apenas com curso de gestão/liderança.
    Lider se nasce !

  5. Kitupiras disse:

    Olha, melhor os comentários do que a matéria em si… tirando o preconceito do Bruno, que me parece ainda um pouco alheio ao real mundo corporativo… os demais fizeram uma radiografia excelente… Tanto o Sebastião quanto o Fabio deram um certeiro tiro na questão que é mascarada pelos meios…. na verdade o mundo dos negócios mudou e muito… e infelizmente, para pior… na mão de um sem número de jovens Doutoures e multi-MBA’s que, na prática, nunca tiveram mais do que 5 ou 8 meses de experiência efetiva numa só empresa… triste, mas real…

  6. Fábio M disse:

    Sr. Kitupiras, me atentei ao seu comentário “melhor os comentários do que a matéria em si… tirando o preconceito do Bruno”, você leu direito o post do Sebastião?! Literalmente “metendo o pau” e discriminando os CEOs mais jovens! O Bruno está correto em tudo, em alguns pontos o Sebastião está certo, mas é extremamente preconceituoso e arrogante (coisa que ele diz serem os jovens).

    Existem ótimos profissionais de diversas idades e o que a matéria questiona é sobre os novos gestores utilizarem mais blogs e ferramentas similares do que pessoas com mais idade, alguém entendeu a matéria como sendo uma crítica negativa e se obviamente se queimou, cito Sebastião e Kitupiras como exemplos.

  7. Flatz disse:

    Gostei muito dos infográficos, achei modernos e bem resolvidos além do que… as cores são bem harmoniosas.

  8. Kitupiras disse:

    F.abio… realmente me escapuliu este detalhe… é que fui um pouco além da questão e vi que o problema não está entre ser mais jovem ou não… mas sim no método adotado pelas empresas… que parecem se divertir com essa “briga” de cachorros sem dono… no fim, o que vale é o mix da experiência e ousadia… mas ou puxam para um lado ou para o outro.. sem equilíbrio… Um abraço!!

  9. Fabio M disse:

    Disse tudo cara:

    “no fim, o que vale é o mix da experiência e ousadia”

  10. Romano disse:

    Já que o texto foi extrapolado, uma boa leitura sobre liderança:

    http://www.ceo.com/ceo-guides/leadership-management/leadership/

    “Regardless of whether you think true leaders are born or made, there’s much to be gained by nurturing the seeds of leadership in both yourself and your employees. This guide explores different leadership strategies, examines your leadership blind spots, and offers some new food for thought on the topic.”

    “Discover Your Leadership Blind Spots”

    From insisting on doing too much alone to avoiding confrontation, leadership blind spots are common and can be lethal for business
    By Loretta Malandro, PhD

    September 1, 2009, 2:27PM EST
    http://www.businessweek.com/managing/content/sep2009/ca2009091_828190.htm

    “Blind spots are not flaws; nor are they malicious. They are automatic behaviors. The real culprits are not the blind spots themselves. The problem is when they are unidentified and mismanaged.”

  11. João disse:

    No final o que vale é a experiência mesmo!Abraços!