MENU

Escrito por • 28/07/2009

robôs [3]: campeões do mundo? de futebol?

robocup é o nome da família de campeonatos mundiais de futebol de robôs. por enquanto, é jogado entre eles e os melhores lances das partidas decisivas são, no mínimo, risíveis. quer ver? clique no vídeo abaixo.

se você viu o show , deve ter notado que, na abertura, uma galera chega ao estádio num carro dirigido por um… robô. trata-se de junior, segundo lugar no darpa urban challenge de 2007, cujo desafio era fazer um carro autônomo atravessar uma cidade [imaginária]. breve, nas rotas da sua vida, ônibus e táxis sem motoristas e, mais longe, já que motoristas amadores são tão perigosos, podem acabar proibindo você de dirigir seu próprio carro, que será um robô. enquanto não rola, veja alguns outros vídeos da última copa mundial em graz, na áustria, neste link.

image a rede mundial de instituições de ensino, pesquisa e desenvolvimento, inovação e empresas, de dezenas de países [incluindo o brasil] tem um objetivo muito imodesto: em 2050 [ano de copa do mundo!] ter criado um time de robôs humanóides completamente autônomos capaz de vencer a seleção [humana] campeã mundial. não é pouca coisa. mas, daqui pra lá, são mais de quarenta anos. a favor dos robôs.

em se tratando deles, vamos lembrar o que disse um dos comandantes responsáveis pelo programa de sistemas autônomos das forças armadas americanas, citado no primeiro texto desta série: segundo o tenente-general david deptula, o que nós estamos vendo hoje, comparado com o que está por vir nos próximos 30 anos, “são os anos 1920”…

e tempo, aqui, faz uma grande diferença. quando se compara os quarenta anos entre 1965 e 2005, a evolução exponencial das capacidades de processamento, armazenamento e comunicação fez com que, pelo mesmo dinheiro da década de 60, se comprasse um sistema um bilhão de vezes mais poderoso quarenta anos depois.

considerando os avanços atuais, quando se dobra a capacidade de processamento pelo mesmo preço a cada treze meses, e medindo a partir do mesmo 2005, em quanto tempo compraríamos, pelo mesmo preço da metade desta década, um sistema um bilhão de vezes mais capaz? meros 25 anos; em 2030 será possível comprar, por dois mil reais de hoje, um laptop cuja capacidade de processamento [e não, note bem, a “inteligência”] será igual à de um cérebro humano.

image

ao redor de 2050, ano do possível embate futebolístico entre humanos e robôs, os mesmos dois mil reais serão capazes de comprar uma capacidade de processamento igual à de todos os humanos vivos, juntos. onze craques robóticos, a dois mil reais por cérebro, mais estrutura, sensores e atuadores… vamos imaginar astronômicos duzentos mil reais por “jogador”. no brasil de hoje, é o preço de pebolistas da série C do brasileirão. dois milhões daria pra montar um time inteiro de máquinas. pra ganhar da seleção campeã mundial?… que teria, entre muitos outros um kaká de cento e cinquenta milhões de reais?

das duas, uma: não vai haver, nunca, um robô jogando como um kaká ou cristiano ronaldo e craques como eles vão comandar valores astronômicos em seus contratos para sempre. ou vai haver, algum dia [julho de 2050?], robôs jogando como kaká e o futebol [e a vida] terá mudado para sempre. incluindo os salários dos jogadores humanos…

e hoje, onde estamos? o prêmio de vídeo mais inovador da última ijcai, uma das mais reputadas conferências mundiais de inteligência artificial, foi para um robô, ACE [autonomous city explorer, explorador autônomo de cidades] capaz de andar [ou melhor, rodar] sozinho, por cerca de 1.5km, atravessando uma parte do centro de munique. veja o vídeo.

 

há um detalhe não trivial a observar: ACE não tem acesso a mapas da cidade, dados de GPS, falhas do pavimento… e tem que interagir com pessoas que lhe indicam, com sinais, como se movimentar para chegar a seu destino. no experimento que gerou o vídeo, ACE está imerso em um ambiente essencialmente humano e interage com gente o tempo todo. e chega onde queria chegar.

é um bom começo. tem mais quatro décadas pra parecer gente e fazer o mesmo e mais, realmente sozinho, se possível driblando que nem os melhores humanos do mundo. se chegar lá, vamos precisar das regras que você poderá ler ao clicar na imagem abaixo.

image

Artigos relacionados

0 Responses to robôs [3]: campeões do mundo? de futebol?

  1. Camilo Telles disse:

    Silvio,

    O pessoal da UNEB ficou em terceiro lugar em uma das ligas:

    http://www.uneb.br/exibe_noticia.jsp?pubid=3910

    Abs

    Camilo

  2. Victor disse:

    o pessoal da Robocup deve gostar, mas… será que vai ter graça assistir a robôs jogando futebol em 2050? A singularidade do Kurzweil é impressionante, mas vou torcer para a gente não morrer de tédio até 2100.

  3. Ed Indignado disse:

    Manda esses cientistas irem atras da vacina da Gripe Aviaria que eles ganham mais ao inves de perderem tempo com futebol de robo isso é uma palhaçada…..

  4. Ed Indignado disse:

    Desculpe a fala, mas fiquei tao indignado que coloquei gripe aviaria ao inves da SUINA….

  5. j.b.trentino disse:

    espero que em 2050 se houver mesmo robos jogadores eles se envolvão menos que alguns jogadores humanos de nossa época em escandalos!!!!!

  6. dadoleme disse:

    alguem pode me ajudar? onde está vendendo esse ingresso pro jogo de 2050

  7. Franky disse:

    Olha só com tanta fome no mundo,accretido com esse dinheiro pode ajudar um monte de gente que ´tao passando fome.Obrigado

  8. Robotario disse:

    Estes mesmos cientistas diziam que em 2000 teriamos carros flutuando, cidades futuristicas…. casas na lua, esses mesmos idiotas que previam fim do mundo no ano 2000. Estamos em 2009, agora problemas para 2012, e entao essa palhacada para 2050. Voces nao tem mais nada que comentar????? a gente busca qualidade de leitura e ve esse tipo de documento aqui, e repugnante… vao trabalhar em prol da ciencia bando de idiotas, safados, usufruindo de dinheiro publico pra falar em perspectivas, tambem acho que em 2100 teremos ponte aerea ate a lua e marte… bando de idiotas…

  9. sugismundo disse:

    Bando de otários… O Robotario tem razão! Xupa sociedade consumista… Estamos viúvos de bons cérebros capazes de algum lampejo de cultura e sanidade…