MENU

Escrito por • 04/09/2008

transmissão de vírus por… DNA

hhv-6-virus.jpga medicina inova e apresenta, quase todo dia, melhorias nos processos e meios de tratar doenças de todos os tipos. ao mesmo tempo, porque também desenvolve novos instrumentos e processos de análise dos seres vivos e seus componentes, descobre porque certas coisas acontecem nos nossos corpos.

uma descoberta recente [e preocupante?] é que o HHV-6, um vírus de herpes humana que causa a roséola, pode ser passado do pai ou mãe para o filho através do DNA. pesquisadores descobriram que a maioria dos bebês que nasce infectada pelo HHV-6 tem a coisa integrada ao seu DNA, o que descarta a infecção por via sangüínea e abre um novo campo de estudos sobre transmissão viral e seu controle e tratamento.

como DNA é o "programa da vida" e nós já entendemos o suficiente de vírus em programas, quando vamos ter anti-vírus para tais tipos de vírus, disponíveis em larga escala, na sociedade? e quais serão as implicações disso para o processo [anteriormente conhecido como sexo…] de inseminação humana?

Artigos relacionados

0 Responses to transmissão de vírus por… DNA

  1. Ricardo disse:

    Muito importante a descoberta, e leva a uma pergunta:
    Seria esse tipo de transmissão de vírus, que “estraga” o DNA dos seres vivos (ou pelo menos o altera), responsável pela evolução das espécies ?
    Imagine um determinado vírus, contaminando um indivíduo, alterando seu DNA e sendo retransmitido paras as próximas gerações, pouco a pouco gerando novas espécies.
    Interessante

  2. Ricardo disse:

    Muito importante a descoberta, e leva a uma pergunta:
    Seria esse tipo de transmissão de vírus, que “estraga” o DNA dos seres vivos (ou pelo menos o altera), responsável pela evolução das espécies ?
    Imagine um determinado vírus, contaminando um indivíduo, alterando seu DNA e sendo retransmitido paras as próximas gerações, pouco a pouco gerando novas espécies.
    Interessante

  3. Rafael disse:

    Na verdade não há o que temer… esses vírus, chamados endógenos por se multiplicarem dentro do nosso DNA, podem substituir sequências em células gametas (esperma e óvulo) que, ao serem unidas a outras gametas, podem gerar um indivíduo saudável, porem portador.

    Muitos desses vírus travaram essa batalha com a nossa espécie e, através de seleção natural, os indivíduos mais resistentes “venceram” a batalha e incorporaram esse trecho de DNA que, no final das contas, ajudou muito a pular algumas etapas na evolução, para chegarmos aonde estamos hoje.

  4. Rafael disse:

    Na verdade não há o que temer… esses vírus, chamados endógenos por se multiplicarem dentro do nosso DNA, podem substituir sequências em células gametas (esperma e óvulo) que, ao serem unidas a outras gametas, podem gerar um indivíduo saudável, porem portador.

    Muitos desses vírus travaram essa batalha com a nossa espécie e, através de seleção natural, os indivíduos mais resistentes “venceram” a batalha e incorporaram esse trecho de DNA que, no final das contas, ajudou muito a pular algumas etapas na evolução, para chegarmos aonde estamos hoje.

  5. Sandro Tamman disse:

    Há mais informação nesta questão do que a evolução genética da raça humana.
    Óbvio que de início o mapeamento genético feito no nascimento será determinante para já inocular a criança com as proteções necessárias. E com certeza advirá o inevitável chip subcutâneo baseado em tecnologia RFid like que irá permitir um alerta sempre que alguma destas doenças acordar. Inveitável também a meu ver o transmissor gps no pimpolho para sua geo localização sempre que houver algum sinistro. Claro que opcional a princípio mas a teoria da conspiração diz que por motivos de saúde pública ele se tornará obrigatório pois se alguma doença passível de contágio epidêmico aparecer, será fácil “eliminar” o problema.
    Ainda estamos na era do genocídio e da limpeza étnica em algumas partes do globo.
    E visto que a Terra parece dar sinais que esta raça também sucumbirá como as anteriores, resta-nos saber o que fazer com o tempo que nos é dado.
    Uma reforma íntima muito provavelmente manteria esta sequência do DNA adormecida até que a Seleção Natural elimine-a e dê origem a seres humanos mais “humanos” e adequados a tornar esta raça combalida, vencedora no campo moral e ético.

  6. Sandro Tamman disse:

    Há mais informação nesta questão do que a evolução genética da raça humana.
    Óbvio que de início o mapeamento genético feito no nascimento será determinante para já inocular a criança com as proteções necessárias. E com certeza advirá o inevitável chip subcutâneo baseado em tecnologia RFid like que irá permitir um alerta sempre que alguma destas doenças acordar. Inveitável também a meu ver o transmissor gps no pimpolho para sua geo localização sempre que houver algum sinistro. Claro que opcional a princípio mas a teoria da conspiração diz que por motivos de saúde pública ele se tornará obrigatório pois se alguma doença passível de contágio epidêmico aparecer, será fácil “eliminar” o problema.
    Ainda estamos na era do genocídio e da limpeza étnica em algumas partes do globo.
    E visto que a Terra parece dar sinais que esta raça também sucumbirá como as anteriores, resta-nos saber o que fazer com o tempo que nos é dado.
    Uma reforma íntima muito provavelmente manteria esta sequência do DNA adormecida até que a Seleção Natural elimine-a e dê origem a seres humanos mais “humanos” e adequados a tornar esta raça combalida, vencedora no campo moral e ético.

  7. fabio disse:

    existe algum tipo de remedio para herpes humana???ou algum tratamento??

  8. fabio disse:

    existe algum tipo de remedio para herpes humana???ou algum tratamento??