MENU

Escrito por • 31/07/2012

twitter: sincronizando o mundo

twitter passou de meio bilhão de usuários [ou melhor, contas] no mundo. são mais de 517 milhões de pares login/passwd contados até 01/07, segundo semiocast. no primeiro semestre de 2012, o número de contas subiu de perto de 108 milhões, no EUA, para 142 milhões. cresceu quase um brasil, segundo maior número de contas: saímos de 33 para 41 milhões de perfis no mesmo período. somos 8% do twitter e respondemos por “apenas” 6.6% dos tweets; os americanos são 27.4% e fazem 25.8% de todos os tweets. o número de tweets em inglês é 40% do total.

image

analisando 10.6 bilhões de tweets de junho, semiocast descobriu que a cidade mais ativa do planeta é jakarta, na indonésia [bandung, a segunda maior de lá, é a sexta]. tóquio é a segunda, londres a terceira e são paulo a quarta. o rio está em 16o. lugar.

image

dá pra imaginar porque os organizadores de londres reclamaram que o dilúvio de tweets durante a prova de ciclismo de estrada estrava atrapalhando o fluxo de dados da competição. londres já é uma das cidades mais ativas do mundo, no twitter. junte a isso muitas centenas de milhares de visitantes interessados nos jogos, os londrinos com interesse aumentado em tudo, o mundo todo falando sobre londres [inclusive no twitter] mais o fluxo de dados dos jogos propriamente ditos… e não há infraestrutura que aguente. devem ter projetado e implementado tudo, por lá, com uma boa margem de segurança. mas em um evento do porte das olimpíadas, nem todas as infraestruturas vão resistir. olhe o gráfico abaixo, da sysomos, dos poucos dias antes da olimpíada começar…

image

…com o número de tweets por dia citando as olimpíadas triplicando entre 1 e 25 de julho. mas isso era só o começo: a cerimônia de abertura dos jogos foi motivo para 9.6 milhões de tweets, passando o total da olimpíada de beijing em apenas 24 horas. twitter é proibido na china desde 2009, e tem o seu próprio “twitter”, weibo. neste, que tem mais de 300 milhões de usuários, a coisa pegou: a abertura de london 2012 gerou nada menos do que 119 milhões de “tweets”, segundo estatísticas deles, o que não dá para verificar, mas é assustador de qualquer forma.

image

twitter, na minha classificação, é uma das PIGs, as plataformas informacionais globais. elas são sete e, numa varredura e de forma incompleta [inclua as suas…] exemplificam os suportes do universo informacional ao nosso redor. meu desenho de mesa de bar que exemplifica as plataformas e suas funções está abaixo.

image

faceBook é um exemplo de plataformas para conectar; amazon entra em três categorias: é exemplo de infraestrutura [AWS], de serviços em rede [de comércio eletrônico, por exemplo] e conteúdo [pense kindle]; twitter é  sincronização, é quem “tira” e “mantém” o pulso do mundo e, fora weibo, não tem competidor em lugar algum. a microsoft é [um exemplo de ferramentas, sistemas e plataformas, na rede e fora dela, para] produtividade, a apple é [além de aparecer em muitas outras categorias, aparece neste acrônimo por ser “o” exemplo de] simplicidade, google está na foto por ser o provedor universal de organização [de informação] e, finalmente, salesforce aparece como a forma contemporânea de provimento de informaticidade para corporações, pioneiro em “no software”, que está mudando a informatização empresas de uma vez por todas.

claro que há muito mais. faça sua lista. mas a ideia está posta. twitter, provedor global de sincronização, está sendo cada vez mais usado para manter o “status” das comunidades de interesse mundo afora, se tornando a infraestrutura essencial de uma certa “statusfera”. seja nas noites e baladas de jakarta, nos engarrafamentos de são paulo, na final da euroCopa ou abertura das olimpíadas, descobrimos como compartilhar nossos interesses e preocupações, no tempo –ou seja, “agora”-, via uma plataforma universal que, de tão óbvia e simples, quase qualquer um podia ter feito.

por que ninguém fez antes [e por que não há centenas de cópias]? talvez porque twitter, no seu formato atual, tenha tenta semelhança com um bem público que nem mesmo o próprio twitter [a empresa] encontrou um modelo de negócios decente para o fantástico serviço que presta ao mundo. tomara que ache. logo.

Artigos relacionados

Comentários estão encerrados.