MENU

Escrito por • 28/08/2008

urna eletrônica NÃO é inviolável

a infra-estrutura brasileira de eleições, informatizada e universal, é um feito da engenharia e políticas nacionais. não resta a menor dúvida de que a urna eletrônica e o sistema de apuração por trás dela funcionaram -e funcionam- muito melhor do que o sistema baseado em cédulas, mapas e tinta que tínhamos antes. prova disso é que famílias e coronéis, brasil a dentro, perderam o controle quase secular que tinham de algumas cidades [em certos casos, regiões] porque não aprenderam a fraudar o sistema eleitoral informatizado na velocidade de sua evolução.

mas, desde sua chegada, a urna eletrônica é cercada de polêmica. uns, mais radicais [e usando argumentos, digamos, convincentes] dizem que o sistema é furado, pura e simplesmente. outros, mais condescendentes, apontam as melhoras que poderiam ser introduzidas para tornar o sistema bem mais confiável do que é.

acontece que o crime organizado está querendo organizar muita coisa e as eleições são parte importante do que [parece] que pode ser "organizado". de um lado, tem gente cobrando eleitor tirando foto de voto na urna pra mostrar pra cabo [?] eleitoral, sob pena de danos muito significativos à sua existência terrena. estes são, poderíamos dizer, os brucutus, a turma da força bruta. de outro, está a galera da inteligência do crime, vendendo eleições, por milhões. ou pelo menos dizendo que vende -e entrega- resultados.

ministro ayres britto, presidente do TSEe acontece que estamos no brasil, e a oferta de "eleger quem fosse, por um preço" acabou vazando… por todo canto, como anúncio viral em rede social. e o ministro ayres britto [na foto], presidente do tribunal superior eleitoral, teve que reagir, na sua moeda. segundo declaração do ministro, "o sistema é absolutamente inviolável". acontece que este blog, além de cético, escreve software há 35 anos e não acredita em sistemas "absolutamente invioláveis"… até porque há resultados fundamentais [da teoria da computação…] que nos levam à conclusão exatamente oposta. tudo indica que, num sistema linguístico qualquer, temos que escolher entre consistência e completude. se o sistema for consistente [ou seja, não dá pra pra provar que 0=1], há verdades, no sistema, que não podem ser provadas. por outro lado, se pudermos demonstrar tudo o que é verdade, o sistema é inconsistente, ou seja, também podemos provar um 0=1 aqui, outro ali, enfim, em todo lugar. ou eleger qualquer um, mesmo sem voto…

mas uma discussão do sistema eleitoral nestes termos [teóricos] não é razoável, porque prática é a vida e as eleições. mesmo sabendo que o ministro está teoricamente [pois não existem sistemas -do tipo do sistema eleitoral- invioláveis] errado, resolvemos consultar um dos maiores especialistas brasileiros em segurança de informação sobre o assunto e a sua resposta a nosso emeio está abaixo. sabendo das implicações de suas declarações, nosso personagem se escondeu por trás do codinome frodo [baggins, o filho adotivo de bilbo, do senhor dos anéis], o hobbit que tomou pra si a responsabilidade de detonar orodruin, a montanha do mal da terra do meio, da trilogia fantástica de j. r. r. tolkien. coisas de gente de segurança.

sim: mas o que disse frodo? a conversa é longa. leia e entenda porque o ministro ayres britto está errado mas, mesmo assim, nosso sistema eleitoral informatizado pode continuar sendo melhor do que qualquer outro, de papel, desde que tomemos os devidos [muitos] cuidados…

blog: as urnas brasileiras sao invioláveis? até que ponto? por que? se alguém quiser violar uma urna, quais são as opções?

Um dos maiores erros cometidos por quem não trabalha diretamente na área de segurança de sistemas é afirmar que existe sistema inviolável. Não existe 100% de segurança. Sistemas mais críticos devem possuir mecanismos que permitam identificar que houve uma falha ou violação de segurança e, a partir disso, tornar possível a tomada de decisões sobre a falha. Não se pode afirmar que tal sistema seja inviolável, ou que qualquer sistema seja inviolável.

Até onde se sabe, as urnas eletrônicas brasileiras possuem suporte a tais mecanismos de auditoria, permitindo, em caso de violação, a possibilidade de se detectar uma quebra de segurança.

Um ponto de falho da segurança das nossas urnas é que elas são construídas sobre de sistemas operacionais tidos como inseguras como DOS, que é utilizado nas primeiras urnas e, mais recentemente, Windows CE. Estes dois sistemas permitem técnicas de debugging que facilitam a realização de engenharia reversa sobre a plataforma da urna. Quem tem mais de 30 anos lembra do DEBUG do DOS e o utilizou no seu dia a dia para depurar problemas de execução. Este mesmo procedimento pode ser utilizado nas nossas urnas e não é nada muito complicado de ser feito. Há rumores, não confirmados, de que grupos de especialistas em segurança tiveram acesso a urnas e utilizaram desta técnica para realizar alterações no funcionamento normal dos programas do sistema.

Ainda sobre esta pergunta, vale salientar e refletir sobre as palavras de Josef Stalin: “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.” O que nos leva a sair da urna e tentar entender o que acontece com os "votos" depois que eles "saem" das urnas. Quem garante que não há falhas nos sistemas de recepção e processamento dos dados? Outro ponto importante, nesta análise, é que alguns dos softwares utilizados no sistema eleitoral possuem falhas de segurança não divulgadas. O artigo The Vulnerability Economy ilustra o tamanho do mercado de segurança de falhas não divulgadas. Este problema não afeta apenas as urnas eleitorais mas qualquer sub-sistema que faz parte do sistema eleitoral. E é sabido que partes do sistema eleitoral possuem falhas não divulgadas.

blog: se alguém quisesse violar o sistema eleitoral, a fragilidade estaria só na urna?

Como dito anteriormente, existe um sistema de retaguarda que realiza a contagem dos votos e, no meu entender, os componentes deste sistema seriam o ponto ideal para fraudar o processo eleitoral. Stalin, entre outros, já via tal alternativa. Outro ponto importante e bastante negligenciado é que todos os envolvidos no processo eleitoral, do lado dos tribunais regionais e do TSE,afirmam que a urna é inviolável e que, em caso de violação (!), há mecanismos para identificar tais atos. Particularmente, eu  posso acreditar nisso. No entanto, a pergunta que fica no ar é: o que se faz quando tais violações ocorrem?

Vamos a um exemplo: ligar uma urna eletrônica antes do horário previsto não é permitido, e a urna acusa tal ação. Neste caso, a pergunta complicada é “porque, mesmo com o sistema acusando a falha no processo definido, a urna com problema não é considerada inapta?” Não houve violação (tecnológica) de segurança, mas de processo. E não parece haver um controle ou auditoria para vetar ou validar tais falhas. Assim, como dar credibilidade a um processo eleitoral que não consegue tratar nem casos simples como este?

blog: existe algum indício de que o sistema já foi violado em eleições anteriores?

O site www.votoseguro.org descreve várias situações, em eleições anteriores, que podem ser consideradas violações do sistema eleitoral. Há, também, relatórios de análises feitas por pesquisadores brasileiros e estrangeiros que têm conclusões bastante diferentes das do Ministro sobre a inviolabilidade do sistema eleitoral.

Como consultor, recebi uma análise feita em algumas urnas de um certo estado, que acusavam que os HASHs [nota do blog: um tipo de assinatura digital] dos programas utilizados nas urnas diferiam daqueles que o TSE indicava para muitas das urnas. Teria sido um erro no TSE ou, neste caso,  houve mesmo violação? Nunca ficamos sabendo, porque o TRE do estado e o TSE não investigaram o problema. Utilizando um debugger, como dito anteriormente, se identificaria desvios no fluxo de execução do programa. Mas, até onde eu sei, o TSE preferiu não investigar a fundo o ocorrido, daclarando que houve um erro lá mesmo no TSE. Bom… esta opção é a mais fácil e minimiza o problema. Só que, em segurança de sistemas, esta postura é ótima para qualquer hacker. Como se diz, no meu tipo de negócio, neste caso “La seguridad soy jo”.

blog: das últimas [supostas] evidências de violação até o momento, o que foi feito para que o sistema não seja violado [novamente]? se isso não é suficiente, o que deveria ser feito?

Não há evidência de evolução significativa na segurança do sistema eleitoral, por parte do TSE, pelo menos não com respostas concretas e comprováveis a problemas apontados em diversos relatórios sobre eleições passadas.

Para um processo considerado critico ter credibilidade, é necessário que seja regulado de forma clara e por uma entidade que não seja parte interessada nele. Um erro clássico, que ocorre neste caso do sistema eleitoral, é que o TSE desenvolve o sistema, define os procedimentos, regula sua aplicação e audita os resultados. Em tal tipo de contexto, qual o interesse do TSE em assumir que houve alguma falha grave no processo eleitoral, capaz de invalidar uma eleição? Quem garante que não se sabe de falhas (graves, talvez) mas elas não são divulgadas?

Acredito que um primeiro passo para melhorar a confiabilidade e transparência do processo eleitoral seria a criação de um sistema regulatório, a cargo de uma entidade isenta  e que, em caso de falha no processo, tenha condições de analisar o problema do ponto de vista de uma regulação previamente acordada. Não há um CNJ para a Justiça? Talvez fosse o caso de um CNE para as eleições, para supervisionar o sistema eleitoral.

Este seria o primeiro passo. Outra abordagem, que eu confesso não saber se foi feita, mas que algumas entidades  reclamam não ter tido a possibilidade de chegar a tal ponto, é fazer com que especialistas em segurança auditem a urna e tentem descobrir se ela é ou não violável. Eu, particularmente, me interessaria muito por tal trabalho. Esforços semelhantes sobre urnas semelhantes à nossa apontam muitas falhas na urna. Por fim, e neste caso eu não consegui verificar a autenticidade dos vídeos, há registros de violação da segurança de urnas emprestadas para votações no Paraguai. Se estas imagens (1, 2, 3, 4, veja nesta ordem) forem verdadeiras, acho que temos que ficar muito preocupados.

resumo da ópera? especialistas em segurança de informação, como frodo, não têm tanta confiança no nosso sistema de eleições eletrônicas quanto o presidente do TSE. não que o sistema seja furado e esteja sendo manipulado em todas as eleições. mas há indícios de que pode ter sido o caso e parece que, mantido o estado de coisas, pode acontecer de novo [ou de vera]. o sistema bem que poderia estar sujeito a uma auditoria pública, aberta, transparente, para aumentar a confiança do processo. por que não? não resta dúvidas de que nosso sistema eleitoral é um dos melhores do mundo. se pudermos fazê-lo ainda melhor e tão inviolável quanto possível, a um custo aceitável para a democracia brasileira, que razão nos levaria a não tentar?…

Artigos relacionados

0 Responses to urna eletrônica NÃO é inviolável

  1. Camilo Telles disse:

    Silvio,

    O valor de quebrar o cofre tem que ser superior ao bem que ele guarda. Qual o valor de uma eleição? Para este pessoal, alguns milhões de doláres. É mais fácil fazer uma campanha de 200 mil e entregar o resto do dinheiro entregue depois do produto eleitoral entregue.
    Uma vez escrevi sobre a lógica econômica da segurança no meu Blog “Economia da Segurança” – http://www.tellesfera.com/?p=48.
    Já teve caso de gente morta por causa de hacking de sistemas de tv via satélite, o que fariam no caso de urna eletrônica? O TSE controlar todos os pontos do processo é uma das coisas mais temerárias que eu já vi.
    O pessoal faz engenharia reversa de chip, sniffing de bus (Bunnie que hackeou o Xbox) etc. O que é usar o DEBUG em um contexto deste?
    Scaring….
    Camilo

  2. Camilo Telles disse:

    Silvio,

    O valor de quebrar o cofre tem que ser superior ao bem que ele guarda. Qual o valor de uma eleição? Para este pessoal, alguns milhões de doláres. É mais fácil fazer uma campanha de 200 mil e entregar o resto do dinheiro entregue depois do produto eleitoral entregue.
    Uma vez escrevi sobre a lógica econômica da segurança no meu Blog “Economia da Segurança” – http://www.tellesfera.com/?p=48.
    Já teve caso de gente morta por causa de hacking de sistemas de tv via satélite, o que fariam no caso de urna eletrônica? O TSE controlar todos os pontos do processo é uma das coisas mais temerárias que eu já vi.
    O pessoal faz engenharia reversa de chip, sniffing de bus (Bunnie que hackeou o Xbox) etc. O que é usar o DEBUG em um contexto deste?
    Scaring….
    Camilo

  3. Ricardo disse:

    Náo acredito que seja possivel uma fraude, trabalho como tavi (tecnico de apoio do voto informatizado) ja a algum tempo, conheco alguns pontos de seua configuracao e nao vejo essas possibilidades.
    tambem pelo fato de que agora o sistema esta migrando para Linux.

  4. Ricardo disse:

    Náo acredito que seja possivel uma fraude, trabalho como tavi (tecnico de apoio do voto informatizado) ja a algum tempo, conheco alguns pontos de seua configuracao e nao vejo essas possibilidades.
    tambem pelo fato de que agora o sistema esta migrando para Linux.

  5. cicero amaro disse:

    Eu não sou especialista em nada em informática, mas sou desconfiado por natureza (Sou brasileiro, né!). Então, se vários países de primeiro mundo, tipo estados unidos, frança, itália, alemanha, canadá, inglaterra, etc., já analisaram a urna, mas continuam decidindo pelo voto de papel, e essa centralização nos processos pelo TSE que logicamente não vai dar a cara para bater, me faz nunca ter acreditado nessa tal urna eletrônica. Stalin estava certo: Quem conta os votos é quem importa nesse processo.

  6. cicero amaro disse:

    Eu não sou especialista em nada em informática, mas sou desconfiado por natureza (Sou brasileiro, né!). Então, se vários países de primeiro mundo, tipo estados unidos, frança, itália, alemanha, canadá, inglaterra, etc., já analisaram a urna, mas continuam decidindo pelo voto de papel, e essa centralização nos processos pelo TSE que logicamente não vai dar a cara para bater, me faz nunca ter acreditado nessa tal urna eletrônica. Stalin estava certo: Quem conta os votos é quem importa nesse processo.

  7. Jorge disse:

    Sou consultor de informática. Trabalho no segmento há 36 anos.
    Não há sistema informatizado absolutamente inviolável. Todos têm suas brechas. Já vi inúmeros absurdos neste sentido. Sistemas fiscais que são devassados para diminuir a tributação e outras coisinhas mais…

  8. Jorge disse:

    Sou consultor de informática. Trabalho no segmento há 36 anos.
    Não há sistema informatizado absolutamente inviolável. Todos têm suas brechas. Já vi inúmeros absurdos neste sentido. Sistemas fiscais que são devassados para diminuir a tributação e outras coisinhas mais…

  9. Vitor disse:

    eh muito complicado esse negócio de urna inviolável…. que isto pode acontecer qq um sabe…. mas agora essa história de tirar foto do voto para provar para traficante que votou no fulaninho amigo do trafica eh fod… daqui a pouco vamos ter detectores de metais antes de votar para as pessoas não entrarem com celular na seção eleitoral…. eh o fim da várzea isso…. em vez do governo acaber com a criminalidade vai onerar o processo eleitoral….

  10. Vitor disse:

    eh muito complicado esse negócio de urna inviolável…. que isto pode acontecer qq um sabe…. mas agora essa história de tirar foto do voto para provar para traficante que votou no fulaninho amigo do trafica eh fod… daqui a pouco vamos ter detectores de metais antes de votar para as pessoas não entrarem com celular na seção eleitoral…. eh o fim da várzea isso…. em vez do governo acaber com a criminalidade vai onerar o processo eleitoral….

  11. Juliano disse:

    Estamos sim enfrentado esse sério problema de fraudes queiram ou não tem pessoas que sempre estão interessadas em dar um jeitinho as coisas, como nosso amigo coloca acima, DEVE-SE INSISTIR EM UM MEIO DE FISCALIZAÇÃO SUPERIOR AO TSE. Pois é exatamente a verdade pura e clara que vemos, como que uma pessoa pode ser chefe dela mesma?

  12. Juliano disse:

    Estamos sim enfrentado esse sério problema de fraudes queiram ou não tem pessoas que sempre estão interessadas em dar um jeitinho as coisas, como nosso amigo coloca acima, DEVE-SE INSISTIR EM UM MEIO DE FISCALIZAÇÃO SUPERIOR AO TSE. Pois é exatamente a verdade pura e clara que vemos, como que uma pessoa pode ser chefe dela mesma?

  13. Zé Mané disse:

    Se urna eletrônica não fosse inviolável os países adiantados já estariam usando. Já pensou contar os votos na unha.

  14. Zé Mané disse:

    Se urna eletrônica não fosse inviolável os países adiantados já estariam usando. Já pensou contar os votos na unha.

  15. Andre disse:

    A urna eletrônica pode até ser violada.

    Mas o voto de papel é muito mais vulnerável. Imagina só um cara contando os votos um a um no papel?

  16. Andre disse:

    A urna eletrônica pode até ser violada.

    Mas o voto de papel é muito mais vulnerável. Imagina só um cara contando os votos um a um no papel?

  17. Geremias disse:

    Olhe é o seguinte nós aqui em Ji-Parana Ro a população tem certeza que nas duas ultimas eleiçoes houve violação mas ninguem prova nem pode dizer nada , então cabe ai a policia envestigar e banir estas pessoas da vida pública e da vida social colocando-os na cadeia. onde é o lugar de corruptos.

  18. Geremias disse:

    Olhe é o seguinte nós aqui em Ji-Parana Ro a população tem certeza que nas duas ultimas eleiçoes houve violação mas ninguem prova nem pode dizer nada , então cabe ai a policia envestigar e banir estas pessoas da vida pública e da vida social colocando-os na cadeia. onde é o lugar de corruptos.

  19. Francisco disse:

    Seu Frodo.

    Porque então o Lula foi Reeleito?

    O Lula é o Ladrão???

    Você pode afirmar isso técnicamente?

    A proposito você sabe que o Frodo é 12?

    Francisco.

  20. Francisco disse:

    Seu Frodo.

    Porque então o Lula foi Reeleito?

    O Lula é o Ladrão???

    Você pode afirmar isso técnicamente?

    A proposito você sabe que o Frodo é 12?

    Francisco.

  21. Marcela disse:

    O fato de haver suspeitas quanto ao nosso sistema eleitoral, não está na segurança das urnas, mas nos corruptos da nossa nação. O fato é que no Brasil não há ética, o povo – e começa de baixo, não só políticos – é tudo corrupto. Continuarão tentando desenvolver sistemas mais confiáveis, mas de nada vai adiantar se a cabeça das pessoas continuarem do mesmo jeito, elas darão um jeitinho (o famoso jeitinho brasileiro) para burlar tal sistema.

  22. Marcela disse:

    O fato de haver suspeitas quanto ao nosso sistema eleitoral, não está na segurança das urnas, mas nos corruptos da nossa nação. O fato é que no Brasil não há ética, o povo – e começa de baixo, não só políticos – é tudo corrupto. Continuarão tentando desenvolver sistemas mais confiáveis, mas de nada vai adiantar se a cabeça das pessoas continuarem do mesmo jeito, elas darão um jeitinho (o famoso jeitinho brasileiro) para burlar tal sistema.

  23. Paulo disse:

    Alguém pode garantir que no momento da programação, alguém mal intencionado escreveu duas linhas a mais fazendo com que se tal candidato receber dois votos, um será computado para outro candidato?

  24. Paulo disse:

    Alguém pode garantir que no momento da programação, alguém mal intencionado escreveu duas linhas a mais fazendo com que se tal candidato receber dois votos, um será computado para outro candidato?

  25. Romir Ribeiro disse:

    Fica difícll para quem não é do ramo entender as preocupações de quem lida com informática e afirma que a urna pode ser violada. De qualquer forma, parece muito plausível que questionamentos desse tipo continuem a ser feitos, a fim de manter íntegra a vontade das urnas. Quanto aos países desenvolvidos que ainda mantêm o voto em papel, só não passam o sistema para a urna eletrônica porque não querem, e neste ponto acho que o Brasil marcou um tento, por que não? Não se trata de ufanismo nem patriotada, é apenas a constatação de que visualizamos um nicho antes de qualquer outro país.

  26. Romir Ribeiro disse:

    Fica difícll para quem não é do ramo entender as preocupações de quem lida com informática e afirma que a urna pode ser violada. De qualquer forma, parece muito plausível que questionamentos desse tipo continuem a ser feitos, a fim de manter íntegra a vontade das urnas. Quanto aos países desenvolvidos que ainda mantêm o voto em papel, só não passam o sistema para a urna eletrônica porque não querem, e neste ponto acho que o Brasil marcou um tento, por que não? Não se trata de ufanismo nem patriotada, é apenas a constatação de que visualizamos um nicho antes de qualquer outro país.

  27. Ricardo Melo disse:

    Acredito sim que são violadas. Até o painel do Senado foi violado. E é facil demais fazer isso. Até um estagiário de programação faz um programa destes.

    * Quem nos garante que no programa que le as urnas, no TRE, não considera somente um percentual para 1ou outro candidato? Faz uma comparação entre um e outro candidato e desfaz alguns votos? Ou um outro programa rodando após todos os votos estarem no servidor do TRE que altera os dados, ou seja, os votos. Isto é muito simples de fazer.
    * Porque, depois que votamos, não recebemos um comprovante exibindo o numero e nome do candidato que votamos? Isso para ficar registrado que eu votei e comparar com o meu comprovante.
    Deve-se existir uma auditoria, feita por uma empresa especializada para conferir o programa que faz a apuração. Melhor ainda se for da Policia Federal.

  28. Ricardo Melo disse:

    Acredito sim que são violadas. Até o painel do Senado foi violado. E é facil demais fazer isso. Até um estagiário de programação faz um programa destes.

    * Quem nos garante que no programa que le as urnas, no TRE, não considera somente um percentual para 1ou outro candidato? Faz uma comparação entre um e outro candidato e desfaz alguns votos? Ou um outro programa rodando após todos os votos estarem no servidor do TRE que altera os dados, ou seja, os votos. Isto é muito simples de fazer.
    * Porque, depois que votamos, não recebemos um comprovante exibindo o numero e nome do candidato que votamos? Isso para ficar registrado que eu votei e comparar com o meu comprovante.
    Deve-se existir uma auditoria, feita por uma empresa especializada para conferir o programa que faz a apuração. Melhor ainda se for da Policia Federal.

  29. Diego disse:

    Não nos alardemos por antecipação. Aquela URNA testada pelos Paraguaios é provavelmente o modelo 96, que nem é usada mais por aqui. Trabalhei como Técnico das Urnas eletrônicas em 2002 e defendo nossas Eleições como as mais transparentes e seguras do mundo.

  30. Diego disse:

    Não nos alardemos por antecipação. Aquela URNA testada pelos Paraguaios é provavelmente o modelo 96, que nem é usada mais por aqui. Trabalhei como Técnico das Urnas eletrônicas em 2002 e defendo nossas Eleições como as mais transparentes e seguras do mundo.

  31. Alessandro disse:

    ISSO FOI O QUE EU SEMPRE DISSE, TUDO FAZ PARTE DOS JOGUINHOS DE INTERESSE DELES.
    PODER, MONOPOLIO, CRIME ORGANIZADO, TRAFICO DE DROGAS, PROSTITUIÇÃO E FINALMENTE. SEU DINHEIRO!!!

  32. Alessandro disse:

    ISSO FOI O QUE EU SEMPRE DISSE, TUDO FAZ PARTE DOS JOGUINHOS DE INTERESSE DELES.
    PODER, MONOPOLIO, CRIME ORGANIZADO, TRAFICO DE DROGAS, PROSTITUIÇÃO E FINALMENTE. SEU DINHEIRO!!!

  33. Professor Pasquale disse:

    Brasil, com B maiusculo por favor..

  34. Professor Pasquale disse:

    Brasil, com B maiusculo por favor..

  35. Renato Marinho disse:

    É risível, se não fosse patético, sempre a mesma “conversa” sobre a violabilidade da Urna Eletrônica. É óbvio que qualquer sistema eletrônico é violável. Entretanto o que torna o sistema de votação eletrônica inviolável são as salvaguardas e sistemas de conferências adotados. Todos os programas, da Urna ou so sistema de apuração podem e devem ser examinados e “marcados” pelos partidos políticos que podem conferir depois em cada Urna do país ou em cada Cartório, a qualquer momento do processo, antes ou depois, a veracidade do programa que será ou foi utilizado. Não é o processo que é inviolável, mas as pessoas que os fazem.

  36. Renato Marinho disse:

    É risível, se não fosse patético, sempre a mesma “conversa” sobre a violabilidade da Urna Eletrônica. É óbvio que qualquer sistema eletrônico é violável. Entretanto o que torna o sistema de votação eletrônica inviolável são as salvaguardas e sistemas de conferências adotados. Todos os programas, da Urna ou so sistema de apuração podem e devem ser examinados e “marcados” pelos partidos políticos que podem conferir depois em cada Urna do país ou em cada Cartório, a qualquer momento do processo, antes ou depois, a veracidade do programa que será ou foi utilizado. Não é o processo que é inviolável, mas as pessoas que os fazem.

  37. Massimo disse:

    Realmente necessária a opinião de especialista para isso? Impressionante, descobriram o ovo de Colombo…

  38. Massimo disse:

    Realmente necessária a opinião de especialista para isso? Impressionante, descobriram o ovo de Colombo…

  39. Machado disse:

    Por que o entrevistado ficou anonimo ?
    Sou formado em TI e tudo que foi dito é a mais pura verdade, dito por, acredito eu, pois não sei quem é, um “entendido no assunto”. Nenhum sistema é inviolavel.
    Mas quem falou isso ?? Qual credibilidade de anonimato ?
    Eu seu quem não falou isso O PRESIDENTE DO TRE !

  40. Machado disse:

    Por que o entrevistado ficou anonimo ?
    Sou formado em TI e tudo que foi dito é a mais pura verdade, dito por, acredito eu, pois não sei quem é, um “entendido no assunto”. Nenhum sistema é inviolavel.
    Mas quem falou isso ?? Qual credibilidade de anonimato ?
    Eu seu quem não falou isso O PRESIDENTE DO TRE !

  41. MELLA disse:

    Aqui em Balneário Camboriú-SC, podem ter certeza que haverá surpresa na apuração. Sugestão: Escolha alineatoriamente no dia da votação e acompanhado de ficais dos partidos, uma urna em cada local de votação para fazer a votação, além no sistema eletrônica, o sistema anterior ou seja manual e confrontar os resultados. Assim poderíamos ter mais transparência e certeza de uma eleição limpa. Estou comentando baseado em dados obtidos em eleições passadas.

  42. MELLA disse:

    Aqui em Balneário Camboriú-SC, podem ter certeza que haverá surpresa na apuração. Sugestão: Escolha alineatoriamente no dia da votação e acompanhado de ficais dos partidos, uma urna em cada local de votação para fazer a votação, além no sistema eletrônica, o sistema anterior ou seja manual e confrontar os resultados. Assim poderíamos ter mais transparência e certeza de uma eleição limpa. Estou comentando baseado em dados obtidos em eleições passadas.

  43. Eleições para prefeito de Brusque-SC em 2004, o candidato vencedor teve 78% dos votos, por coincidência todos os vereadores eleitos eram do partido do prefeito. Ja viram milagre, alguem ganhar em todas as urnas?! Por melhor que seja um candidato, isso não existe. Eu acredito que nossas urnas não são apenas violáveis por software, mas por hardware tb. Mas o que temos que levar em conta é que nas duas situações, tanto por software quanto por hardware sempre haverá uma pessoa corrupta por tras da fraude, e no Brasil essas pessoas nunca são punidas, alias punem-se ao contrário: aquela pessoa sem estudo que roubou pra comer, tem que devolver e vai pra cadeia e mofa lá, agora bandido corrupto com faculdade tem regalias e direitos especiais não devolve o que roubou, vai preso em cela especial, sai rápido da cadeia e continua trabalhando no mesmo emprego, em geral na vida pública tndo seu salário pago por nós.

    É lamentável, agora quanto ao Lula ter se reeleito se foi pela urna fraudada ou não, temos que lembrar que nem tudo na vida é maravilhas, sempre tem a fase ruim, e essa fase ruim chamasse Lula e graças a Deus esta acabando.

  44. Eleições para prefeito de Brusque-SC em 2004, o candidato vencedor teve 78% dos votos, por coincidência todos os vereadores eleitos eram do partido do prefeito. Ja viram milagre, alguem ganhar em todas as urnas?! Por melhor que seja um candidato, isso não existe. Eu acredito que nossas urnas não são apenas violáveis por software, mas por hardware tb. Mas o que temos que levar em conta é que nas duas situações, tanto por software quanto por hardware sempre haverá uma pessoa corrupta por tras da fraude, e no Brasil essas pessoas nunca são punidas, alias punem-se ao contrário: aquela pessoa sem estudo que roubou pra comer, tem que devolver e vai pra cadeia e mofa lá, agora bandido corrupto com faculdade tem regalias e direitos especiais não devolve o que roubou, vai preso em cela especial, sai rápido da cadeia e continua trabalhando no mesmo emprego, em geral na vida pública tndo seu salário pago por nós.

    É lamentável, agora quanto ao Lula ter se reeleito se foi pela urna fraudada ou não, temos que lembrar que nem tudo na vida é maravilhas, sempre tem a fase ruim, e essa fase ruim chamasse Lula e graças a Deus esta acabando.

  45. Deoclécia disse:

    Desde quando iniciou-se esta modalidade eletronica de votação “confiável” ouço falar que é fácil violar os dados. Já trabalhei como suplentes nas eleições e também já fiz faculdade de processamento de dados. Então os comentários se confirmaram, mas nada comprovado. Mas acredito que é possível. Por exemplo: Um candidato quer ganhar a eleição, paga-se para programar certa quantidade de Urnas. A programação consiste em colocar um Algoritmo que quando o candidato ou candidatos daquela regiao for forte, na telinha apareça o candidato votado, mas na somatória o voto vai para aquele candidato que supostamente comprou os votos. Se é verdade? Não sei. Mas há muitas probabilidades de acontecer, pois o voto ainda é sigiloso, os dados da Zerézima que são gravados em disquete batem com os que ficam apostos nas salas de votação. Então somente um serviço de auditoria e pericia antes das eleições e apos pode isentar o sistema. ACREDITO QUE POR ENQUANTO, VOTAMOS E QUEM GANHA É O DE MAIOR PODER. QUEM NUNCA VIU A FRASE ” VOTEI NO MEU CANDIDATO E NÃO APARECE MEU VOTO NO EXTRATO DA PORTA DA SECÇÃO. VAMOS ABRIR OS OLHOS.

  46. Deoclécia disse:

    Desde quando iniciou-se esta modalidade eletronica de votação “confiável” ouço falar que é fácil violar os dados. Já trabalhei como suplentes nas eleições e também já fiz faculdade de processamento de dados. Então os comentários se confirmaram, mas nada comprovado. Mas acredito que é possível. Por exemplo: Um candidato quer ganhar a eleição, paga-se para programar certa quantidade de Urnas. A programação consiste em colocar um Algoritmo que quando o candidato ou candidatos daquela regiao for forte, na telinha apareça o candidato votado, mas na somatória o voto vai para aquele candidato que supostamente comprou os votos. Se é verdade? Não sei. Mas há muitas probabilidades de acontecer, pois o voto ainda é sigiloso, os dados da Zerézima que são gravados em disquete batem com os que ficam apostos nas salas de votação. Então somente um serviço de auditoria e pericia antes das eleições e apos pode isentar o sistema. ACREDITO QUE POR ENQUANTO, VOTAMOS E QUEM GANHA É O DE MAIOR PODER. QUEM NUNCA VIU A FRASE ” VOTEI NO MEU CANDIDATO E NÃO APARECE MEU VOTO NO EXTRATO DA PORTA DA SECÇÃO. VAMOS ABRIR OS OLHOS.

  47. Nesto disse:

    Sabe depois que vi a materia, não me da nem voltade de votar!

  48. Nesto disse:

    Sabe depois que vi a materia, não me da nem voltade de votar!

  49. Eduardo disse:

    O assunto é interessante, mas não consigo ler todo o texto por um simples motivo: desrespeitoa uma norma básica da Língua Portuguesa: depois de pontos finais se usa letra maíscula! Essa quebra da regra (claramente propocital) foi minando rapidamente minha paciência.

  50. Eduardo disse:

    O assunto é interessante, mas não consigo ler todo o texto por um simples motivo: desrespeitoa uma norma básica da Língua Portuguesa: depois de pontos finais se usa letra maíscula! Essa quebra da regra (claramente propocital) foi minando rapidamente minha paciência.

  51. Alessandro disse:

    O REMÉDIO DESSE PAÍS É O AEROPORTO!!!!!

  52. Alessandro disse:

    O REMÉDIO DESSE PAÍS É O AEROPORTO!!!!!

  53. Acredito que não existe sistema inviolável. Acho que as dificuldades de burlarem as urnas é enorme, mas não intrsaponível.
    Aqui em MG existe um processo na justiça eleitoral no qual o candidato derrotado Hélio Costa acusa o vencedor Azeredo de manipulação do sistema das urnas. Não conheço detalhes, mas vale uma reflexão.
    A questão nacional não é a corrupção via sistema eletrônico, mas sim a compra de voto e a manipulação dos eleitores. Isso é pior do que a possibilidade da violabilidade da urna. A sociedade deveria ficar atenta aos compradores de votos e manipuladores dos incautos eleitores. Entrar no TSE, burlar a urna e outras ferramentas são mais dificeis do que estas que menciono.

  54. Acredito que não existe sistema inviolável. Acho que as dificuldades de burlarem as urnas é enorme, mas não intrsaponível.
    Aqui em MG existe um processo na justiça eleitoral no qual o candidato derrotado Hélio Costa acusa o vencedor Azeredo de manipulação do sistema das urnas. Não conheço detalhes, mas vale uma reflexão.
    A questão nacional não é a corrupção via sistema eletrônico, mas sim a compra de voto e a manipulação dos eleitores. Isso é pior do que a possibilidade da violabilidade da urna. A sociedade deveria ficar atenta aos compradores de votos e manipuladores dos incautos eleitores. Entrar no TSE, burlar a urna e outras ferramentas são mais dificeis do que estas que menciono.

  55. Diogenes V Pereira disse:

    Trabalho com informática desde os tempos da fita de papel e cartões perfurados. Quem acompanha a evolução da informática sabe do que ela é capaz. Quando falam em “sistemas invioláveis” é como se estivessem dando diploma de “burro” a todos os profissionais que se desgastam na elaboração de sistemas. Quero parabenizar a todos que tiveram a coragem de se expor, para que melhore a segurança e credibilidade no Sistema Eleitoral Brasileiro.

  56. Diogenes V Pereira disse:

    Trabalho com informática desde os tempos da fita de papel e cartões perfurados. Quem acompanha a evolução da informática sabe do que ela é capaz. Quando falam em “sistemas invioláveis” é como se estivessem dando diploma de “burro” a todos os profissionais que se desgastam na elaboração de sistemas. Quero parabenizar a todos que tiveram a coragem de se expor, para que melhore a segurança e credibilidade no Sistema Eleitoral Brasileiro.

  57. Odair Antonio disse:

    Hummmmmmmmmmmmmm

    SAerá que o nosso atual Presidente é Tão popular assim ?

    Agóra minhas duvidas aumentaram

  58. Odair Antonio disse:

    Hummmmmmmmmmmmmm

    SAerá que o nosso atual Presidente é Tão popular assim ?

    Agóra minhas duvidas aumentaram

  59. Alessandro disse:

    O QUE NÓS CHAMAMOS DE POLITICA NO BRASIL, ELES CHAMAM DE MÁFIA NA ITÁLIA!!!

  60. Alessandro disse:

    O QUE NÓS CHAMAMOS DE POLITICA NO BRASIL, ELES CHAMAM DE MÁFIA NA ITÁLIA!!!

  61. Walter P. Fernandes disse:

    Praticamente nada sei sobre informática, mas se países do primeiro mundo analisaram e não adotaram o voto eletrônico deve ser que chegaram à conclusão lógica de que o sistema brasileiro não é confiável. Só !

  62. Walter P. Fernandes disse:

    Praticamente nada sei sobre informática, mas se países do primeiro mundo analisaram e não adotaram o voto eletrônico deve ser que chegaram à conclusão lógica de que o sistema brasileiro não é confiável. Só !

  63. Deoclécia disse:

    MAIS UM COMENTÁRIO!!!!!!!!! Em outros paises ainda não se usa o voto eletronico, demora mais a contagem dos votos. MAS, o mais IMPORTANTE, que é possível fazer a contagem dos votos UM a UM, no papel. Como contar votos eletronicos se são passiveis de fraude???????????? No papel acredito que seja melhor. Este marketing do governo, de que “estamos na frente” tem duplo sentido => ou o pais está na frente ou “eles” estão na frente. O mais interessante é que o brasileiro não confia em pesquisas e mesmo assim ganha o candidato que estava a frente nas pesquisas. Também opino pela não divulgação de pesquisas antes das eleições.

  64. Deoclécia disse:

    MAIS UM COMENTÁRIO!!!!!!!!! Em outros paises ainda não se usa o voto eletronico, demora mais a contagem dos votos. MAS, o mais IMPORTANTE, que é possível fazer a contagem dos votos UM a UM, no papel. Como contar votos eletronicos se são passiveis de fraude???????????? No papel acredito que seja melhor. Este marketing do governo, de que “estamos na frente” tem duplo sentido => ou o pais está na frente ou “eles” estão na frente. O mais interessante é que o brasileiro não confia em pesquisas e mesmo assim ganha o candidato que estava a frente nas pesquisas. Também opino pela não divulgação de pesquisas antes das eleições.

  65. Claudio disse:

    Que texto horrível de ler !!! Não dá pra entender nada !!
    E olha que trabalho com informátiva hein !!!
    Pelo amor de Deus ! Seja mais claro para o povo !!

    Apesar do texto horrível, concordo que nada seja inviolável !

  66. Claudio disse:

    Que texto horrível de ler !!! Não dá pra entender nada !!
    E olha que trabalho com informátiva hein !!!
    Pelo amor de Deus ! Seja mais claro para o povo !!

    Apesar do texto horrível, concordo que nada seja inviolável !

  67. Joãohugo Figueiredo disse:

    Traduzindo para o português diário: para violar as urnas eleitorais eletrônicas, basta o STE querer, o que a grande maioria dos eleitores já sabe -até mesmo os excluídos digitais. Talvez não seja interessante o STE intervir na eleição de um simples representante do povo ( vereador), mas para um homem ou mulher que administrará os recursos da nação (presidente); eu não me arrisco a confiar cegamente. Gostaria muito de saber qual a avaliação feita pelos representantes do Congresso Americano, quando da apresentação do sistema eleitoral brasileiro para eles. O que é certo, é que eles -no Congresso Americano- continuam com as cédulas eleitorais, mesmo após conhecer o [fantástico] modelo brasileiro.

  68. Joãohugo Figueiredo disse:

    Traduzindo para o português diário: para violar as urnas eleitorais eletrônicas, basta o STE querer, o que a grande maioria dos eleitores já sabe -até mesmo os excluídos digitais. Talvez não seja interessante o STE intervir na eleição de um simples representante do povo ( vereador), mas para um homem ou mulher que administrará os recursos da nação (presidente); eu não me arrisco a confiar cegamente. Gostaria muito de saber qual a avaliação feita pelos representantes do Congresso Americano, quando da apresentação do sistema eleitoral brasileiro para eles. O que é certo, é que eles -no Congresso Americano- continuam com as cédulas eleitorais, mesmo após conhecer o [fantástico] modelo brasileiro.

  69. Roberto disse:

    Nossa que texto abominável de se ler. Sem uso de maiúsculas, sem especificação clara de quem é entrevistado.
    Parei de ler no primeiro pseudo-parágrafo.

  70. Roberto disse:

    Nossa que texto abominável de se ler. Sem uso de maiúsculas, sem especificação clara de quem é entrevistado.
    Parei de ler no primeiro pseudo-parágrafo.

  71. Paulo disse:

    Olha com ja disseram não existe seistema inviolável, mas sei que existe maneiras de se evitar a violação e também sei que o TSE cria inúmeras maneiras para tal, como sorteio de urnas para testes dos partidos ( momentos antes da eleição e depois das eleições) e estes resultados são rebatidos com os recebido pelo TSE depois da apuração dos votos. Creio que isto dificulte, pois para a fralde se concretizar, os fraldadores deveriam saber de ante mão quais urnas seriam utilizadas nos testes, oque é meio dificil, pos elas são sorteadas no momento da eleição, ogora se os partidos não verificam os teste, ai o problema e o risco são deles.
    outro sim, a utilização da urna eletronica foi iniciada no governo do Fernando Henrique e isto não foi suficiente para manter os tucanos no poder, ou será que eles são bonzinhos e não utilizaram do recurso da fralde para se manter no poder?

  72. Paulo disse:

    Olha com ja disseram não existe seistema inviolável, mas sei que existe maneiras de se evitar a violação e também sei que o TSE cria inúmeras maneiras para tal, como sorteio de urnas para testes dos partidos ( momentos antes da eleição e depois das eleições) e estes resultados são rebatidos com os recebido pelo TSE depois da apuração dos votos. Creio que isto dificulte, pois para a fralde se concretizar, os fraldadores deveriam saber de ante mão quais urnas seriam utilizadas nos testes, oque é meio dificil, pos elas são sorteadas no momento da eleição, ogora se os partidos não verificam os teste, ai o problema e o risco são deles.
    outro sim, a utilização da urna eletronica foi iniciada no governo do Fernando Henrique e isto não foi suficiente para manter os tucanos no poder, ou será que eles são bonzinhos e não utilizaram do recurso da fralde para se manter no poder?

  73. Antonio Magalhaes disse:

    A informação de que a urna é inviolável não pode ser afirmada com 100 % de certeza. Mas também não podemos afirmar que é possivel violar o equipamento. Deixo aos genios de plantão a seguinte informação.
    O que eles afirmarem hoje sobre determinado sistema de informatica, posso alterar amanha.

  74. Antonio Magalhaes disse:

    A informação de que a urna é inviolável não pode ser afirmada com 100 % de certeza. Mas também não podemos afirmar que é possivel violar o equipamento. Deixo aos genios de plantão a seguinte informação.
    O que eles afirmarem hoje sobre determinado sistema de informatica, posso alterar amanha.

  75. Bento Astori disse:

    Bom Dia!!

    Blá, blá, blá,……Gostaria que fosse entrevistado alguém que já tenha feito qualquer violação nas urnas. É muito fácil tanto dizer que é invilável quanto dizer que não é….resta a cada um provar….até agora o uso das urnas, na minha opinião, tem se mostrado seguro e crédulo.

    Parabéns pelo Blog

  76. Bento Astori disse:

    Bom Dia!!

    Blá, blá, blá,……Gostaria que fosse entrevistado alguém que já tenha feito qualquer violação nas urnas. É muito fácil tanto dizer que é invilável quanto dizer que não é….resta a cada um provar….até agora o uso das urnas, na minha opinião, tem se mostrado seguro e crédulo.

    Parabéns pelo Blog

  77. Paulo disse:

    Este pessoal de segurança beira a esquizofrenia, alem de colocar em questão a inviolabidade da urna, questiona todo o processo. Acredito sim que a urna é segura, e que o pessoal do TSE e TRE são qualificados para dar credibilidade ao processo. Este pessoa que oa poeira no vento para cair nos olhos dos outros, este sim não tem a miníma credibilidade.

  78. Paulo disse:

    Este pessoal de segurança beira a esquizofrenia, alem de colocar em questão a inviolabidade da urna, questiona todo o processo. Acredito sim que a urna é segura, e que o pessoal do TSE e TRE são qualificados para dar credibilidade ao processo. Este pessoa que oa poeira no vento para cair nos olhos dos outros, este sim não tem a miníma credibilidade.

  79. Flávio disse:

    Sou especialista em segurança, concordo completamente com o frodo e ainda acrescento:
    Em segurança da informação existe um ditado que diz que a segurança de um sistema é comparada a uma corrente e é tão forte quanto ao seu elo mais fraco. Ou seja, qualquer que seja o elo fraco do sistema eleitoral brasileiro, colocaria tudo por água abaixo.

    Quando falo em sistema, não digo sistema no sentido apenas de informática e sim no sentido amplo, de sistema eleitoral. Neste caso, um simples servidor (funcionário público) corrupto ou corruptível poderia ser o elo mais fraco da corrente. E, nós brasileiros, sabemos que corrupção infelizmente é o nosso forte.

    A idéia de uma entidade autônoma e independente para auditar as eleições, acredito que seja a melhor alternativa para tentar evitar falhas de segurança. Agora, uma coisa é certa, jamais haverá segurança 100% garantida. Quem afirmar isso é incompetente para fazer tal afirmação e muito irresponsável.

  80. Flávio disse:

    Sou especialista em segurança, concordo completamente com o frodo e ainda acrescento:
    Em segurança da informação existe um ditado que diz que a segurança de um sistema é comparada a uma corrente e é tão forte quanto ao seu elo mais fraco. Ou seja, qualquer que seja o elo fraco do sistema eleitoral brasileiro, colocaria tudo por água abaixo.

    Quando falo em sistema, não digo sistema no sentido apenas de informática e sim no sentido amplo, de sistema eleitoral. Neste caso, um simples servidor (funcionário público) corrupto ou corruptível poderia ser o elo mais fraco da corrente. E, nós brasileiros, sabemos que corrupção infelizmente é o nosso forte.

    A idéia de uma entidade autônoma e independente para auditar as eleições, acredito que seja a melhor alternativa para tentar evitar falhas de segurança. Agora, uma coisa é certa, jamais haverá segurança 100% garantida. Quem afirmar isso é incompetente para fazer tal afirmação e muito irresponsável.

  81. Nei Silverio disse:

    Só queria que me explicassem, o que aconteceu nas eleições presidenciais (ultima) , quando um dos candidatos Alkimin) teve menos votos no 2o. turno que no 1o..Como pode ele não ter os votos do 1o. truno e ainda não angariar nenhum voto de outros partidos?
    Inexplicável!

  82. Nei Silverio disse:

    Só queria que me explicassem, o que aconteceu nas eleições presidenciais (ultima) , quando um dos candidatos Alkimin) teve menos votos no 2o. turno que no 1o..Como pode ele não ter os votos do 1o. truno e ainda não angariar nenhum voto de outros partidos?
    Inexplicável!

  83. Julio Cesar Hidalgo disse:

    Que não existe sistema 100 % seguro todo mundo sabe. Outra questão importante é que se o Minitro do TSE tem conhecimento dessa verdade, como qualquer aluno de informática da pior escola deste país tem, então o Ministro MENTIU DESCARADAMENTE! Se não sabe, então não fez a “lição de casa” mais básica antes de dar esta declaração…podemos então fazer uma votação:
    a) o Ministro MENTIU;
    b) o Ministro não sabe o que fala sobre o assunto eleição;

  84. Julio Cesar Hidalgo disse:

    Que não existe sistema 100 % seguro todo mundo sabe. Outra questão importante é que se o Minitro do TSE tem conhecimento dessa verdade, como qualquer aluno de informática da pior escola deste país tem, então o Ministro MENTIU DESCARADAMENTE! Se não sabe, então não fez a “lição de casa” mais básica antes de dar esta declaração…podemos então fazer uma votação:
    a) o Ministro MENTIU;
    b) o Ministro não sabe o que fala sobre o assunto eleição;

  85. trabalho com computador desde a epoca do monitor fosforo verde e sei que tudo em informática pode ser manipulado , já disse para meus amigos que tudo nesse pais é manipulado, e o povo não ve isso!

  86. trabalho com computador desde a epoca do monitor fosforo verde e sei que tudo em informática pode ser manipulado , já disse para meus amigos que tudo nesse pais é manipulado, e o povo não ve isso!

  87. zizi disse:

    NOSSO AMIGO NÃO ENTENDEU OU É UM POUCO LENTO, CONCORDO EM VOLTAR CONTAR VOTO A VOTO.
    SE NÃO FOSSE VIOLÁVEL OS CANDIDATOS EM QUEM NÃO VOTAMOS NÃO GANHARIA AS ELEIÇÕES .NINGUÉM VOTA NO CARA E O CARA SE ELEGE COMO SERÁ ,NÉ?
    PORQUE SERÁ QUE O PRESIDENTE TÁ LÁ?

  88. zizi disse:

    NOSSO AMIGO NÃO ENTENDEU OU É UM POUCO LENTO, CONCORDO EM VOLTAR CONTAR VOTO A VOTO.
    SE NÃO FOSSE VIOLÁVEL OS CANDIDATOS EM QUEM NÃO VOTAMOS NÃO GANHARIA AS ELEIÇÕES .NINGUÉM VOTA NO CARA E O CARA SE ELEGE COMO SERÁ ,NÉ?
    PORQUE SERÁ QUE O PRESIDENTE TÁ LÁ?

  89. psdbnuncamais disse:

    Quem perder com as urnas eletronicas? como forme o autor do artigo mesmo disse foram os coroneis. Quem teria interesse em invalidar a credibilidade da Urna eletronica? quem tirou os Coroneis. Quem pagou o Autor para escrever essa Materia?

    bom Escrever mentiras e Factoides é a mesma coisa que o politico roubar!!!!!!!!!

    desculpe amigo mas você é Filho se vendeu por uns trocados isso o faz incompetente se nao fosse por que nao vai fazer programas de computadores ja que é um genio da informatica. da mais dinheiro que se vender para impresa maldita brasileira

  90. psdbnuncamais disse:

    Quem perder com as urnas eletronicas? como forme o autor do artigo mesmo disse foram os coroneis. Quem teria interesse em invalidar a credibilidade da Urna eletronica? quem tirou os Coroneis. Quem pagou o Autor para escrever essa Materia?

    bom Escrever mentiras e Factoides é a mesma coisa que o politico roubar!!!!!!!!!

    desculpe amigo mas você é Filho se vendeu por uns trocados isso o faz incompetente se nao fosse por que nao vai fazer programas de computadores ja que é um genio da informatica. da mais dinheiro que se vender para impresa maldita brasileira

  91. HELIO S. SILVA disse:

    Poderiamos adotar um sistema hibrido onde após a votação na urna eletrônica o voto seria impresso para conferencia do eleitor que obrigatoriamente seria depositado em uma urna para verificação paralela por amostragem, a pedido dos partidos ou outros interessados, podendo-se desta forma comparar os numeros finais apurados pelo sistema eletronico de apuração com os votos efetivamente depositados em urna convencional.

  92. HELIO S. SILVA disse:

    Poderiamos adotar um sistema hibrido onde após a votação na urna eletrônica o voto seria impresso para conferencia do eleitor que obrigatoriamente seria depositado em uma urna para verificação paralela por amostragem, a pedido dos partidos ou outros interessados, podendo-se desta forma comparar os numeros finais apurados pelo sistema eletronico de apuração com os votos efetivamente depositados em urna convencional.

  93. Douglas disse:

    Pra quem é brizolista isso não é novidade, desde quando começou a ser utilizada a urna eletrônica, o sitio do PDT vinha alertando sobre a possibilidade de fraude. Mas em se tratando de Brizola a grande mídia sempre faz questão de fazer ouvidos moucos. O PDT de hoje é outro, não sei se ainda está disponível essa matéria ou o título do livro que trata desse assunto.

  94. Douglas disse:

    Pra quem é brizolista isso não é novidade, desde quando começou a ser utilizada a urna eletrônica, o sitio do PDT vinha alertando sobre a possibilidade de fraude. Mas em se tratando de Brizola a grande mídia sempre faz questão de fazer ouvidos moucos. O PDT de hoje é outro, não sei se ainda está disponível essa matéria ou o título do livro que trata desse assunto.

  95. Gilvan disse:

    Mesmo com toda essa polêmica e com todas as explicações sobre o que rola na urna eletrônica, gostaria de dizer que esse especialista ainda está “Supondo” muita coisa. Existe uma grande diferença entre “Hipótese” e “Confirmação”, é muito fácil dizer que existe fraude, mais depois de ter lido a reportagem por inteiro só cheguei a simples conclusão de que nada passa de “Suposições”! E de ” Supostamente”, “Provavelmente”, nossas cabeças estão cheias. Comprova mesmo que existe fraude. Quero Fatos! E Contra fatos realmente nao há argumentos. Ao Invez de falar mal, vocês deveriam era estar felizes por termos um sistema que é modelo nesse mundo.
    O Mal do Brasileiro é que sabe criticar demais. Porém fazer algo que possa realmente nos ajudar parece que é muito mais difícil. É muito mais comodo se esconder atrás de uma tela de computador e ficar digitando que nada presta. Quero ver ter peito para usar o conhecimento adquirido e melhorar a situação da população em geral!

  96. Gilvan disse:

    Mesmo com toda essa polêmica e com todas as explicações sobre o que rola na urna eletrônica, gostaria de dizer que esse especialista ainda está “Supondo” muita coisa. Existe uma grande diferença entre “Hipótese” e “Confirmação”, é muito fácil dizer que existe fraude, mais depois de ter lido a reportagem por inteiro só cheguei a simples conclusão de que nada passa de “Suposições”! E de ” Supostamente”, “Provavelmente”, nossas cabeças estão cheias. Comprova mesmo que existe fraude. Quero Fatos! E Contra fatos realmente nao há argumentos. Ao Invez de falar mal, vocês deveriam era estar felizes por termos um sistema que é modelo nesse mundo.
    O Mal do Brasileiro é que sabe criticar demais. Porém fazer algo que possa realmente nos ajudar parece que é muito mais difícil. É muito mais comodo se esconder atrás de uma tela de computador e ficar digitando que nada presta. Quero ver ter peito para usar o conhecimento adquirido e melhorar a situação da população em geral!

  97. SUELI disse:

    ISSO FICOU BEM CLARO NAS ELEIÇOES PASSADA SOBRE A VOTAÇÃO PRESIDENCIAL.QUE AS URNAS PODEM SIM SER VIOLADAS.

  98. SUELI disse:

    ISSO FICOU BEM CLARO NAS ELEIÇOES PASSADA SOBRE A VOTAÇÃO PRESIDENCIAL.QUE AS URNAS PODEM SIM SER VIOLADAS.

  99. paula disse:

    nao entendo nada da area de informatica,moro na europa e sou brasileira.todos os dias acompanho as noticias do Brasil,agora mais essa que as urnas eleitorais nao sao seguras!!! BRASILEIROS DESPERTA VAO PRA RUA REVENDICAR UM PAIS MELHOR ,SEUS DIREITOS…PARA ISSO TEM QUE COMEÇAR A BRIGA DE UMA NAÇAO, CONTRA A COLERA DE UMA MINORIA DE CORRUPTOS QUE CONTROLA UM PAIS INTERO,DEPOIS O QUERIDO LULA VEM PRA CA DIZENDO QUE O BRASIL É O MELHOR PAIS DA AMERICA LATINA…PURA MAQUIAGEM…. EX METALURGICO,EX PRESIDENTE DA REPUBLICA ….QUE HISTORIA BONITA…E AGORA?DEIXA O CARGO, ELE VAI CONTINUAR UMA VIDA DE MARAVILHA E NOS BRASILEIROS,APOSTANDO SONHANDO,MAIS UMA VEZ ,QUE ENTRE UM POLITICO QUE LUTE POR NOSSO PAIS!!

  100. paula disse:

    nao entendo nada da area de informatica,moro na europa e sou brasileira.todos os dias acompanho as noticias do Brasil,agora mais essa que as urnas eleitorais nao sao seguras!!! BRASILEIROS DESPERTA VAO PRA RUA REVENDICAR UM PAIS MELHOR ,SEUS DIREITOS…PARA ISSO TEM QUE COMEÇAR A BRIGA DE UMA NAÇAO, CONTRA A COLERA DE UMA MINORIA DE CORRUPTOS QUE CONTROLA UM PAIS INTERO,DEPOIS O QUERIDO LULA VEM PRA CA DIZENDO QUE O BRASIL É O MELHOR PAIS DA AMERICA LATINA…PURA MAQUIAGEM…. EX METALURGICO,EX PRESIDENTE DA REPUBLICA ….QUE HISTORIA BONITA…E AGORA?DEIXA O CARGO, ELE VAI CONTINUAR UMA VIDA DE MARAVILHA E NOS BRASILEIROS,APOSTANDO SONHANDO,MAIS UMA VEZ ,QUE ENTRE UM POLITICO QUE LUTE POR NOSSO PAIS!!

  101. Nei J Cabral disse:

    Como já foi escrito acima, nada em Informática é 100% inviolável. Mas é absurdo não reconhecer o avanço que a urna eletrônica representa. As falhas existem justamente para que se confeccionem sistemas melhores no futuro. Igualmente absurdo é ter como parâmetro o velho esquemão de cédulas ainda adotado pelos países do Primeiro Mundo. Lembrem-se das eleições estadunidenses de 2000.

    No mais, o básico indispensável para todos os casos… “Quis custodiet ipsos custodes?”

  102. Nei J Cabral disse:

    Como já foi escrito acima, nada em Informática é 100% inviolável. Mas é absurdo não reconhecer o avanço que a urna eletrônica representa. As falhas existem justamente para que se confeccionem sistemas melhores no futuro. Igualmente absurdo é ter como parâmetro o velho esquemão de cédulas ainda adotado pelos países do Primeiro Mundo. Lembrem-se das eleições estadunidenses de 2000.

    No mais, o básico indispensável para todos os casos… “Quis custodiet ipsos custodes?”

  103. Luis Fernando disse:

    Que paranóia essa…. com toda certeza nao existe sistema 100% seguro… Até na ISS tem virus 😉

    De qualquer forma, qualquer outro método que não o manual é muito mais seguro e eficiente, além da agilidade que proporciona!

  104. Luis Fernando disse:

    Que paranóia essa…. com toda certeza nao existe sistema 100% seguro… Até na ISS tem virus 😉

    De qualquer forma, qualquer outro método que não o manual é muito mais seguro e eficiente, além da agilidade que proporciona!

  105. Peixe disse:

    Eitaaaa se eu descobrir como burlar essas urnas vou me candidatar para Senador… hueeuheuhehue

  106. Peixe disse:

    Eitaaaa se eu descobrir como burlar essas urnas vou me candidatar para Senador… hueeuheuhehue

  107. zenon tavares disse:

    Essa urna é pra pais de ingênuos. Um dia será provado essa sacanagem com a gente. Essa idéia maravilhosa poderia ser copiada pelos EUA.

  108. zenon tavares disse:

    Essa urna é pra pais de ingênuos. Um dia será provado essa sacanagem com a gente. Essa idéia maravilhosa poderia ser copiada pelos EUA.

  109. Hugo dos Santos disse:

    Gostaria de saber do autor do texto também, o porquê de os Estados Unidos da América não adotarem o tal sistema, já que eles estão tão adiantados, seja em relação a nós aqui do Brasil como aos demais países?

  110. Hugo dos Santos disse:

    Gostaria de saber do autor do texto também, o porquê de os Estados Unidos da América não adotarem o tal sistema, já que eles estão tão adiantados, seja em relação a nós aqui do Brasil como aos demais países?

  111. JR disse:

    Não sou técnico no assunto, entretanto acredito que não exista sistema 100% infalível ou inviolável.
    Como bem lembrou o Sr.Ricardo Melo em seu comentário, o próprio painel do Senado (sistema de votação eletrônica) já foi violado.
    De outro norte, que o sistema de votação eletrônico é um avanço para efeitos de contagem e totalização de votos é inegável. Embora jovem, presenciei apuração de eleições por meio de cédulas que levou dias. A apuração hoje leva questão de horas.
    Os pontos que ficam nebulosos são:
    Se o sistema é tão seguro e inviolável, porque somente o Brasil utiliza tal sistema?
    Se o sistema da urna eletrônica é tão seguro, porque o Governo, simplesmente não permite que técnicos e engenheiros façam testes na urna?
    A questão é de fácil resolução, pois é só disponibilizar uma urna para teste. Quem quiser tentar invadir o sistema, corromper arquivos, adulterar os dados que tente. Se ninguém conseguir ok é seguro, o problema surge se alguém conseguir …
    Temos que ter um sistema que assegure voto direto, secreto, com igual valor para todos!

  112. JR disse:

    Não sou técnico no assunto, entretanto acredito que não exista sistema 100% infalível ou inviolável.
    Como bem lembrou o Sr.Ricardo Melo em seu comentário, o próprio painel do Senado (sistema de votação eletrônica) já foi violado.
    De outro norte, que o sistema de votação eletrônico é um avanço para efeitos de contagem e totalização de votos é inegável. Embora jovem, presenciei apuração de eleições por meio de cédulas que levou dias. A apuração hoje leva questão de horas.
    Os pontos que ficam nebulosos são:
    Se o sistema é tão seguro e inviolável, porque somente o Brasil utiliza tal sistema?
    Se o sistema da urna eletrônica é tão seguro, porque o Governo, simplesmente não permite que técnicos e engenheiros façam testes na urna?
    A questão é de fácil resolução, pois é só disponibilizar uma urna para teste. Quem quiser tentar invadir o sistema, corromper arquivos, adulterar os dados que tente. Se ninguém conseguir ok é seguro, o problema surge se alguém conseguir …
    Temos que ter um sistema que assegure voto direto, secreto, com igual valor para todos!

  113. Marcus disse:

    Seja no papel ou informatizado, o problema estará sempre nas atitudes das pessoas. Corrupção não é problema de software não…

  114. Marcus disse:

    Seja no papel ou informatizado, o problema estará sempre nas atitudes das pessoas. Corrupção não é problema de software não…

  115. sergio disse:

    A urna eletronica pode não ser inviolave, mas o que dizer da urna com cedulas de papel?
    Ainda acredito que a urna eletronica coloca mais dificuldades na violação dos votos que a urna de papel.

  116. sergio disse:

    A urna eletronica pode não ser inviolave, mas o que dizer da urna com cedulas de papel?
    Ainda acredito que a urna eletronica coloca mais dificuldades na violação dos votos que a urna de papel.

  117. Hugo dos Santos disse:

    Gostaria de saber do autor do texto, o porquê de os Estados Unidos da América não se utilizarem da tal tecnologia, já que eles estão tão adiantados em relação ao Brasil como aos demais países.

  118. Hugo dos Santos disse:

    Gostaria de saber do autor do texto, o porquê de os Estados Unidos da América não se utilizarem da tal tecnologia, já que eles estão tão adiantados em relação ao Brasil como aos demais países.

  119. Thiago disse:

    Eu conheço uma pessoa que fraudou a urna, não a eleição inteira mas a urna eletrônica de sua seção.
    Criou um programa que faz a votação ser exponencial, começa duplicando o primeiro e por ai vai… tudo isso com um simples programinha, antes de enviar as informações basta passar o disquete antes na urna.

  120. Thiago disse:

    Eu conheço uma pessoa que fraudou a urna, não a eleição inteira mas a urna eletrônica de sua seção.
    Criou um programa que faz a votação ser exponencial, começa duplicando o primeiro e por ai vai… tudo isso com um simples programinha, antes de enviar as informações basta passar o disquete antes na urna.

  121. Paulo disse:

    Uma crítica construtiva: utilize maiúsculas no Início de frases e tenho certeza que este “blog” não escreve software há 35 anos. Talvez este “bloger” escreva.

  122. Paulo disse:

    Uma crítica construtiva: utilize maiúsculas no Início de frases e tenho certeza que este “blog” não escreve software há 35 anos. Talvez este “bloger” escreva.

  123. XpT disse:

    Creio que os comentarios sao uteis, porém existe um processo durante o dia das eleições. Creio que o Autor dos comentarios nunca trabalhou, se tivesse trabalhado saberia que ao ligar a urna o presidente da seção emite um relatorio zerado, onde os fiscais de cada partido presente, verificam os relatorios e anotam, tim tim por tim tim, e ainda, o tse orienta ao presidente da seção a fornecer copia da chamada zerézima quando solicitado, entao temos ai o sistema mais seguro que existe, politico vigiando politico, qualquer coisa que seja diferente do que mostram os relatorios de abertura e fechamento da urna, vira um pandemonio,
    creio que estão fazendo tempestade à toa, nao vou afirmar que é inviolável, mas o sistema politico trata de garantir a segurança em questão. O que é mais violável que as urnas, é a cabeça de um povo, mal educado, mal nutrido e que vive implorando por aquilo que é seu por direito.
    Viva a Democracia na sua plenitude que de tão democrata que é acaba sendo ditatorial.

  124. XpT disse:

    Creio que os comentarios sao uteis, porém existe um processo durante o dia das eleições. Creio que o Autor dos comentarios nunca trabalhou, se tivesse trabalhado saberia que ao ligar a urna o presidente da seção emite um relatorio zerado, onde os fiscais de cada partido presente, verificam os relatorios e anotam, tim tim por tim tim, e ainda, o tse orienta ao presidente da seção a fornecer copia da chamada zerézima quando solicitado, entao temos ai o sistema mais seguro que existe, politico vigiando politico, qualquer coisa que seja diferente do que mostram os relatorios de abertura e fechamento da urna, vira um pandemonio,
    creio que estão fazendo tempestade à toa, nao vou afirmar que é inviolável, mas o sistema politico trata de garantir a segurança em questão. O que é mais violável que as urnas, é a cabeça de um povo, mal educado, mal nutrido e que vive implorando por aquilo que é seu por direito.
    Viva a Democracia na sua plenitude que de tão democrata que é acaba sendo ditatorial.

  125. Fernando Cesar Mendonca disse:

    A urna convencional seria 100% confiavel tambem?
    O problema não está na urna eletrônica, mas sim nas pessoas que estão por tras da urna eletrônica.
    Essas pessoas, se mal-intencionadas, também encontrariam uma forma de burlar qualquer outra maneira de escrutinio.
    A vantagem da urna eletrônica é a rapidez com que conhecemos o resultado do pleito, independente de ele ser lícito ou não.

  126. Fernando Cesar Mendonca disse:

    A urna convencional seria 100% confiavel tambem?
    O problema não está na urna eletrônica, mas sim nas pessoas que estão por tras da urna eletrônica.
    Essas pessoas, se mal-intencionadas, também encontrariam uma forma de burlar qualquer outra maneira de escrutinio.
    A vantagem da urna eletrônica é a rapidez com que conhecemos o resultado do pleito, independente de ele ser lícito ou não.

  127. Tedo disse:

    Tenho mais de 20 anos de informática e sei o que é possível fazer com ela…
    tenho certeza que existem muitas fraudes. Na minha cidade foram eleitos os 10 veriadores da mesma coligação, sendo que dos outros partidos nenhum, mesmo com bons candidatos. Nunca desconfiei de uma fralde….sempre tive certeza dela. Para prefeito então nem se fala….ta um caus e não tenho nem vontade de ir às urnas.

  128. Tedo disse:

    Tenho mais de 20 anos de informática e sei o que é possível fazer com ela…
    tenho certeza que existem muitas fraudes. Na minha cidade foram eleitos os 10 veriadores da mesma coligação, sendo que dos outros partidos nenhum, mesmo com bons candidatos. Nunca desconfiei de uma fralde….sempre tive certeza dela. Para prefeito então nem se fala….ta um caus e não tenho nem vontade de ir às urnas.

  129. bruno disse:

    em minha vida até hoje aprendi que qualquer coisa que tenha 100% de certeza tem pelo menos 10% de mentira. Qualquer profissional da área sabe que software não é inviolável. Não tem como garantir a estabilidade de todas as variáveis. Tem o SO em que seu código roda, uma possível máquina virtual, bibliotecas, algum framework que você usou, o hardware… e se alguém tirar da tomada na hora daquela sincronização? Lascou tudo.

    mas, para as pessoas da outra ponta acreditar em invulnerabilidade de software é perfeitamente razoável. Diga a alguém que o software que controla a aeronave que vai levá-lo daqui a Miami ou que faz o controle de tráfego aéreo é incompleta, inconsistente e que em algum momento aquele troço vira uma bomba desgovernada a 830 km/h. F*deu tudo. O presidente do TSE fez o correto: disse que aquele negócio não vai explodir e todo mundo fica feliz (ou pelo menos 90% da população). É tudo MÁGICA para eles mesmo! [ Vide o comentário do Paulo: “acredito sim que a urna é segura, e que o pessoal do TSE e TRE são qualificados para dar credibilidade” ].

    silvio, se você digitar “la seguridad soy jo” no google (com aspas) o seu blog é a única referência no universo .com, edita esse negócio.

  130. bruno disse:

    em minha vida até hoje aprendi que qualquer coisa que tenha 100% de certeza tem pelo menos 10% de mentira. Qualquer profissional da área sabe que software não é inviolável. Não tem como garantir a estabilidade de todas as variáveis. Tem o SO em que seu código roda, uma possível máquina virtual, bibliotecas, algum framework que você usou, o hardware… e se alguém tirar da tomada na hora daquela sincronização? Lascou tudo.

    mas, para as pessoas da outra ponta acreditar em invulnerabilidade de software é perfeitamente razoável. Diga a alguém que o software que controla a aeronave que vai levá-lo daqui a Miami ou que faz o controle de tráfego aéreo é incompleta, inconsistente e que em algum momento aquele troço vira uma bomba desgovernada a 830 km/h. F*deu tudo. O presidente do TSE fez o correto: disse que aquele negócio não vai explodir e todo mundo fica feliz (ou pelo menos 90% da população). É tudo MÁGICA para eles mesmo! [ Vide o comentário do Paulo: “acredito sim que a urna é segura, e que o pessoal do TSE e TRE são qualificados para dar credibilidade” ].

    silvio, se você digitar “la seguridad soy jo” no google (com aspas) o seu blog é a única referência no universo .com, edita esse negócio.

  131. Ivani disse:

    Trabalhei na última eleição de 2006 como Delegada de um partido, foi muito “engraçado”, várias urnas tinham problemas na tecla 5, Porquê será…. o PT é 13, com esta tecla com problemas não iria afetar em nada a reeleição do Lula, para mim esta eleição foi fraudada sim e temos que ficar muito atentos com a próxima eleição para Presidente, pois pode ter certeza vai acontecer novamente. O Lula gostou de ser presidente afinal continua sendo o mesmo vagabundo de sempre pois na Volks já não fazia nada mesmo.

  132. Ivani disse:

    Trabalhei na última eleição de 2006 como Delegada de um partido, foi muito “engraçado”, várias urnas tinham problemas na tecla 5, Porquê será…. o PT é 13, com esta tecla com problemas não iria afetar em nada a reeleição do Lula, para mim esta eleição foi fraudada sim e temos que ficar muito atentos com a próxima eleição para Presidente, pois pode ter certeza vai acontecer novamente. O Lula gostou de ser presidente afinal continua sendo o mesmo vagabundo de sempre pois na Volks já não fazia nada mesmo.

  133. Vitória Sotto disse:

    Esse especialista tem toda razão. Um dia, sem querer, ouvi uma conversa entre um candidato a deputado de certo estado e um hacker. Forcei o ouvido: tratava-se de uma negociação para VIOLAR os resultados da urna para esse dito deputado. Valor: R$ 400.000,00. O candidato achou barato, porque uma colega sua havia feito a mesma contratação com outro hacker por muito mais!!
    Nossas democráticas eleições se resumem hoje a um jogo de cartas marcadas?
    Vitoria

  134. Vitória Sotto disse:

    Esse especialista tem toda razão. Um dia, sem querer, ouvi uma conversa entre um candidato a deputado de certo estado e um hacker. Forcei o ouvido: tratava-se de uma negociação para VIOLAR os resultados da urna para esse dito deputado. Valor: R$ 400.000,00. O candidato achou barato, porque uma colega sua havia feito a mesma contratação com outro hacker por muito mais!!
    Nossas democráticas eleições se resumem hoje a um jogo de cartas marcadas?
    Vitoria

  135. Jose disse:

    Dizem que nos bastidores aqui em São Paulo, que a Marta ganha com voto ou sem voto o melhor haccer a pertence e está em prontiodão. Não sei se é verdade mas a fofoca anda por ai.

  136. Jose disse:

    Dizem que nos bastidores aqui em São Paulo, que a Marta ganha com voto ou sem voto o melhor haccer a pertence e está em prontiodão. Não sei se é verdade mas a fofoca anda por ai.

  137. James disse:

    Não sou especialista em informática, mas tem algo que não condiz com a realidade nesta entrevista. A preocupação está no processo de contagem dos votos após saírem das urnas, no entanto. Assim que se encerra a votação, a própria urna imprime um relatório com os votos depositados. Após isto, é que os dados são transferidos para o TRE, assim, qualquer alteração que venha a ocorrer no TRE ou TSE será facilmente contestado pelo relatório impresso no local da votação.

  138. James disse:

    Não sou especialista em informática, mas tem algo que não condiz com a realidade nesta entrevista. A preocupação está no processo de contagem dos votos após saírem das urnas, no entanto. Assim que se encerra a votação, a própria urna imprime um relatório com os votos depositados. Após isto, é que os dados são transferidos para o TRE, assim, qualquer alteração que venha a ocorrer no TRE ou TSE será facilmente contestado pelo relatório impresso no local da votação.

  139. Francine disse:

    No Brasil tudo é inviolavel ate mesmo o que nos acreditamos que não seje …acontece que os mais afortunados sempre dão um jeitinho de coromper alguém e isso esta sobre suspeita agora das urnas eletronicas.Sempre foi assim e vai continuar assim a não ser que todos os coruptos se sumam.

  140. Francine disse:

    No Brasil tudo é inviolavel ate mesmo o que nos acreditamos que não seje …acontece que os mais afortunados sempre dão um jeitinho de coromper alguém e isso esta sobre suspeita agora das urnas eletronicas.Sempre foi assim e vai continuar assim a não ser que todos os coruptos se sumam.

  141. Elvis disse:

    O software é produzido por uma empresa terceirizada, as urnas também, com certeza se alguém de alto escalão mandasse alterar no software direto o resultado, isso seria possível e ninguém ficaria sabendo.
    Quando Fernando Henrique era presidente, ele ficou meses lutando para aprovar a reeleição de presidente e foi reeleito, no mesmo ano foi obrigatório o uso da urna eletrônica, inclusive, obrigando os mesários a esperarem outra urna em caso de problema, nenhum voto deveria ser em cédula. Com o Lula não mudou, eu posso escolher o candidato vencedor antes mesmo de iniciarem as eleições.

    Um opção seria a troca das urnas durante a eleição, ir em zonas eleitorais espalhadas pelo Brasil, retirar substituir as urnas e fazer um teste simples, votar e verificar o resultado final para ver se todos os votos realmente foram para os candidatos corretos, caso isso fosse feito, diminuiria as opções de fraude e aumentaria a chance de se fiscalizar o sistema de forma rápida e barata.

    Trabalhei em uma eleição aonda a comunidade era PT, todos vinham com camiseta, santinhos, ou declarando em alto e bom tom na fila que iriam votar no candidato do PT.

    Para nossa surpresa na hora da emissão da zerésima o candidato não apenas tinha sido massacrado pelo rival como não tinha atingido nem a metade dos votos.

    O fiscal não conseguia acreditar e nem mesmo a gente que trabalhava no local.

    Na minha opinião o sistema já é fraudado na fonte.

  142. Elvis disse:

    O software é produzido por uma empresa terceirizada, as urnas também, com certeza se alguém de alto escalão mandasse alterar no software direto o resultado, isso seria possível e ninguém ficaria sabendo.
    Quando Fernando Henrique era presidente, ele ficou meses lutando para aprovar a reeleição de presidente e foi reeleito, no mesmo ano foi obrigatório o uso da urna eletrônica, inclusive, obrigando os mesários a esperarem outra urna em caso de problema, nenhum voto deveria ser em cédula. Com o Lula não mudou, eu posso escolher o candidato vencedor antes mesmo de iniciarem as eleições.

    Um opção seria a troca das urnas durante a eleição, ir em zonas eleitorais espalhadas pelo Brasil, retirar substituir as urnas e fazer um teste simples, votar e verificar o resultado final para ver se todos os votos realmente foram para os candidatos corretos, caso isso fosse feito, diminuiria as opções de fraude e aumentaria a chance de se fiscalizar o sistema de forma rápida e barata.

    Trabalhei em uma eleição aonda a comunidade era PT, todos vinham com camiseta, santinhos, ou declarando em alto e bom tom na fila que iriam votar no candidato do PT.

    Para nossa surpresa na hora da emissão da zerésima o candidato não apenas tinha sido massacrado pelo rival como não tinha atingido nem a metade dos votos.

    O fiscal não conseguia acreditar e nem mesmo a gente que trabalhava no local.

    Na minha opinião o sistema já é fraudado na fonte.

  143. Cherubim Alves Maia disse:

    Concordo com a declaração de(ZIZI) logo acima e sempre achei que as urnas são violadas sim,porque o Brasileiro é muito vivo espérto principalmente os politicos,como escreveu ZIZI e outros,eu não vou votar nesse ou naquele,e finalmente ganha aquele que ninguem ia votar e que ninguem diz ter votado,com a sabedoria dos tecnicos e o dinheiro nósso que esta nas mãos dos que estão no poder como eles não conseguem fazer o seguinte:exemplo-clicamos no n.13 que é o nosso candidato e por dentro da URNA falsa registra o n. 25 ou o n. que programaram? VÓTOS NO papel é mais confiavel(SE fosse coisa seria o JAPÃO por ex. ja teria aderido a éssa tal urna

  144. Cherubim Alves Maia disse:

    Concordo com a declaração de(ZIZI) logo acima e sempre achei que as urnas são violadas sim,porque o Brasileiro é muito vivo espérto principalmente os politicos,como escreveu ZIZI e outros,eu não vou votar nesse ou naquele,e finalmente ganha aquele que ninguem ia votar e que ninguem diz ter votado,com a sabedoria dos tecnicos e o dinheiro nósso que esta nas mãos dos que estão no poder como eles não conseguem fazer o seguinte:exemplo-clicamos no n.13 que é o nosso candidato e por dentro da URNA falsa registra o n. 25 ou o n. que programaram? VÓTOS NO papel é mais confiavel(SE fosse coisa seria o JAPÃO por ex. ja teria aderido a éssa tal urna

  145. gustavo disse:

    Concordo quando se diz que nenhum sistema é inviolável. No entanto, é muito fácil falar que “as urnas de determinado Tribunal tiveram problemas”, sem dizer qual o Tribunal e quais urnas. Devemos sim investigar, mas quando temos algo de concreto em mãos. Falar em não “dar nome aos bois” é o mesmo que não falar. Chega de “fiquei sabendo” ou “o tio do meu amigo do sobrinho falou que escutou alguém falar”. Especulação não leva a lugar algum.

  146. gustavo disse:

    Concordo quando se diz que nenhum sistema é inviolável. No entanto, é muito fácil falar que “as urnas de determinado Tribunal tiveram problemas”, sem dizer qual o Tribunal e quais urnas. Devemos sim investigar, mas quando temos algo de concreto em mãos. Falar em não “dar nome aos bois” é o mesmo que não falar. Chega de “fiquei sabendo” ou “o tio do meu amigo do sobrinho falou que escutou alguém falar”. Especulação não leva a lugar algum.

  147. Leandro disse:

    Bom dia! Posso até concordar, mas não plenamente, com a máxima de “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”. Sendo assim, com os boletins de urna, que são emitidos e entregues aos fiscais de partido e demais interessados (até 10 boletins) quando se encerra a votação em cada urna, podem ser somados por cada coligação/partido que concorrem no pleito e, dessa forma, aqueles que se sentirem prejudicados e acharem que a soma deles não ‘bate’ com o resultado divulgado pelo TRE/TSE podem reclamar, fazer alguma representação no cartório eleitoral ou algo do gênero. Agora pergunto, porque isso nunca ocorreu?! Será que os ‘derrotados’ não se dão ao trabalho de conferirem urna a urna o resultado?! Não seria do máximo interesse deles?! Bem, me despeço deixando a dúvida no ar! Ah, e quanto ao questionamento final de que “o sistema bem que poderia estar sujeito a uma auditoria pública, aberta, transparente, para aumentar a confiança do processo. por que não?”, isso já ocorre pouco antes das eleições, em setembro (informe-se no cartório eleitoral que atende a sua cidade) e no dia das eleições antes do início do pleito com a emissão de um relatório chamado zerézima, no qual os representantes dos partidos, OAB, MP e demais interessado também podem (e deveriam) estar presentes. Abraço à todos!

  148. Leandro disse:

    Bom dia! Posso até concordar, mas não plenamente, com a máxima de “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”. Sendo assim, com os boletins de urna, que são emitidos e entregues aos fiscais de partido e demais interessados (até 10 boletins) quando se encerra a votação em cada urna, podem ser somados por cada coligação/partido que concorrem no pleito e, dessa forma, aqueles que se sentirem prejudicados e acharem que a soma deles não ‘bate’ com o resultado divulgado pelo TRE/TSE podem reclamar, fazer alguma representação no cartório eleitoral ou algo do gênero. Agora pergunto, porque isso nunca ocorreu?! Será que os ‘derrotados’ não se dão ao trabalho de conferirem urna a urna o resultado?! Não seria do máximo interesse deles?! Bem, me despeço deixando a dúvida no ar! Ah, e quanto ao questionamento final de que “o sistema bem que poderia estar sujeito a uma auditoria pública, aberta, transparente, para aumentar a confiança do processo. por que não?”, isso já ocorre pouco antes das eleições, em setembro (informe-se no cartório eleitoral que atende a sua cidade) e no dia das eleições antes do início do pleito com a emissão de um relatório chamado zerézima, no qual os representantes dos partidos, OAB, MP e demais interessado também podem (e deveriam) estar presentes. Abraço à todos!

  149. Carlos disse:

    Me surpreende que tal notícia só agora seja divulgada. Mas que a votação por meio eletrônico não é passivel de violação só o povo brasileiro que sempre foi burro e será burro alem de analfabeto acredita. KKKKK

  150. Carlos disse:

    Me surpreende que tal notícia só agora seja divulgada. Mas que a votação por meio eletrônico não é passivel de violação só o povo brasileiro que sempre foi burro e será burro alem de analfabeto acredita. KKKKK

  151. EDUARDO disse:

    Quem é o tolo que crê na Democracia Norte Americana?
    Somente por isso não usam urna eletrônica.
    Eu não dou a cara a tapa chamando esses tais países de mais adiantados,
    Na verdade a urna eletronica é uma produção nacional e outos países(os democraticos, não os adiantados rsrs) estão com dificuldade de utilizar por questões de patente, outros, menos adiantados porém mais interessadsos na democracia, já solicitaram ajuda ao TSE que emprestou a tecnologia

    Desculpem-me os ignorantes, mas crer em contagem manual é o cúmulo da burrice. Viva a George Bush! o eleito manual (contaram os votos dele tantas vezes quantas foram necessário para ele ganhar, lembram disso?)

  152. Tiago B. disse:

    A solução seria criar um sistema próprio de interface simples e linguagem siligilosa rodando em hardware próprio,ao invés de floppy disk seria necessário o uso de uma memoria flash interna,e para a transferência de dados um padrão de conexão exclusiva onde só pessoas devidamente habilitadas tivessem acesso para tranferência de dados,da forma como as coisa vão tudo é festa,grandes políticos influentes ainda conseguem por o “dedinho” em uma das etapas de transição de dados,ai meu amigo com certeza fica muito complicado.

  153. EDUARDO disse:

    Quem é o tolo que crê na Democracia Norte Americana?
    Somente por isso não usam urna eletrônica.
    Eu não dou a cara a tapa chamando esses tais países de mais adiantados,
    Na verdade a urna eletronica é uma produção nacional e outos países(os democraticos, não os adiantados rsrs) estão com dificuldade de utilizar por questões de patente, outros, menos adiantados porém mais interessadsos na democracia, já solicitaram ajuda ao TSE que emprestou a tecnologia

    Desculpem-me os ignorantes, mas crer em contagem manual é o cúmulo da burrice. Viva a George Bush! o eleito manual (contaram os votos dele tantas vezes quantas foram necessário para ele ganhar, lembram disso?)

  154. Tiago B. disse:

    A solução seria criar um sistema próprio de interface simples e linguagem siligilosa rodando em hardware próprio,ao invés de floppy disk seria necessário o uso de uma memoria flash interna,e para a transferência de dados um padrão de conexão exclusiva onde só pessoas devidamente habilitadas tivessem acesso para tranferência de dados,da forma como as coisa vão tudo é festa,grandes políticos influentes ainda conseguem por o “dedinho” em uma das etapas de transição de dados,ai meu amigo com certeza fica muito complicado.

  155. Paulo R P Ferreira disse:

    Como foi bem dito pelo Douglas, o Brizola já fazia este alerta desde os primeiros tempos da urna eletrônica e era ridicularizado por todos…

  156. Paulo R P Ferreira disse:

    Como foi bem dito pelo Douglas, o Brizola já fazia este alerta desde os primeiros tempos da urna eletrônica e era ridicularizado por todos…

  157. Jimmy Cury disse:

    Excelente entrevista. Dizer que um sistema de informação é inviolável é ignorar todas as possíveis vulnerabilidades aos quais o mesmo está submetido. Em segurança da informação, o risco ignorado é um dos mais danosos porque não se tem idéia de sua capacidade de destruição nem tampouco existem processos de identificação e tratamento de incidente quando uma vulnerabilidade é explorada. Quanto ao “blogger”, sugiro um teclado que funcione a tecla “SHIFT” para maiúsculas pois facilita muito a leitura.

  158. Jimmy Cury disse:

    Excelente entrevista. Dizer que um sistema de informação é inviolável é ignorar todas as possíveis vulnerabilidades aos quais o mesmo está submetido. Em segurança da informação, o risco ignorado é um dos mais danosos porque não se tem idéia de sua capacidade de destruição nem tampouco existem processos de identificação e tratamento de incidente quando uma vulnerabilidade é explorada. Quanto ao “blogger”, sugiro um teclado que funcione a tecla “SHIFT” para maiúsculas pois facilita muito a leitura.

  159. EDUARDO disse:

    Na verdade é assim mesmo como o Tiago B sugere, além disso, as urnas são guardadas por policiais militares acompanhados de fiscais da Justiça eleitoral e de partidos. Será que alguém pensa que os votos são contabilizados por apenas um sujeito e não tem ninguém olhando? São mais ou menos 30 pessoas de diferentes interesses(civis e militares) examinando o procedimento.

  160. EDUARDO disse:

    Na verdade é assim mesmo como o Tiago B sugere, além disso, as urnas são guardadas por policiais militares acompanhados de fiscais da Justiça eleitoral e de partidos. Será que alguém pensa que os votos são contabilizados por apenas um sujeito e não tem ninguém olhando? São mais ou menos 30 pessoas de diferentes interesses(civis e militares) examinando o procedimento.

  161. Samuel disse:

    Senhores… fui presidente de mesa durante 3 eleições, todas com urnas eletrônicas. Recebemos uma listagem com todos os votantes. Cada um consegue registrar uma única vez seu voto. Antes de iniciar a sessão de votos, é emitido a zerézima, lista de todos os candidatos apontando que cada um está iniciando com zero votos. Após o término da sessão, é emitida a listagem com os votos de cada um, é gravado em diskete, vão a lista e o diskete juntamente com o livro de assinaturas. Lá no TRE é processado o diskete. A lista física com os votos é para simples conferência. A urna chega e vai escoltada pela PM. Então, acredito que o sistema (lógico e físico, máquina e pessoas), o processo, é seguro sim.

  162. Samuel disse:

    Senhores… fui presidente de mesa durante 3 eleições, todas com urnas eletrônicas. Recebemos uma listagem com todos os votantes. Cada um consegue registrar uma única vez seu voto. Antes de iniciar a sessão de votos, é emitido a zerézima, lista de todos os candidatos apontando que cada um está iniciando com zero votos. Após o término da sessão, é emitida a listagem com os votos de cada um, é gravado em diskete, vão a lista e o diskete juntamente com o livro de assinaturas. Lá no TRE é processado o diskete. A lista física com os votos é para simples conferência. A urna chega e vai escoltada pela PM. Então, acredito que o sistema (lógico e físico, máquina e pessoas), o processo, é seguro sim.

  163. Jeca disse:

    É interessante como o povo brasileiro gosta de se inferiorizar…. será que o americano tem a mesma postura nossa frente aos erros deles? Se a voto de papel é tão seguro, porque nas eleições americanas não se teve certeza da eleição do Busch? A urna eletrônica pode ser auditada, cabe aos partidos e candidatos “prejudicados” denunciar a fraude a apontar a fraude. Achismos e resistência à inovação é burrice. E mais, o artigo está defasado, DOS e WIN ficou no passado agora é Linux. Que tal valorizar o que é nosso? Se inovamos devemos nos orgulhar disso, e não ficar questionando porque os grandes não inovaram.

  164. Jeca disse:

    É interessante como o povo brasileiro gosta de se inferiorizar…. será que o americano tem a mesma postura nossa frente aos erros deles? Se a voto de papel é tão seguro, porque nas eleições americanas não se teve certeza da eleição do Busch? A urna eletrônica pode ser auditada, cabe aos partidos e candidatos “prejudicados” denunciar a fraude a apontar a fraude. Achismos e resistência à inovação é burrice. E mais, o artigo está defasado, DOS e WIN ficou no passado agora é Linux. Que tal valorizar o que é nosso? Se inovamos devemos nos orgulhar disso, e não ficar questionando porque os grandes não inovaram.

  165. Marcelo disse:

    Para acabar com a dúvida, sugiro a emissão de extrato, para comprovar o voto.Assim como se vai em um caixa eletronico bancário e se tira saldo da conta, o mesmo deveria ser feito na hora do voto.EMISSÃO DE EXTRATO NA HORA DO VOTO!

  166. Marcelo disse:

    Para acabar com a dúvida, sugiro a emissão de extrato, para comprovar o voto.Assim como se vai em um caixa eletronico bancário e se tira saldo da conta, o mesmo deveria ser feito na hora do voto.EMISSÃO DE EXTRATO NA HORA DO VOTO!

  167. Rodney disse:

    So vim aqui para deixar um comentário.
    Utilize LETRA MAIUSCULA EM SEUS TEXTOS POR FAVOR.
    Toda vez que vou ler os textos aqui, fico perdidinho, vc não utiliza LETRA MAIUSCULA no inicio de uma frase, nem mesmo pra nomes.

    No mais é isto

  168. Rodney disse:

    So vim aqui para deixar um comentário.
    Utilize LETRA MAIUSCULA EM SEUS TEXTOS POR FAVOR.
    Toda vez que vou ler os textos aqui, fico perdidinho, vc não utiliza LETRA MAIUSCULA no inicio de uma frase, nem mesmo pra nomes.

    No mais é isto

  169. André disse:

    A partir do momento que o entrevistado não se identifica, todas suas afirmações perdem a credibilidade. É uma pena que este blog e o Terra aceitem colocar este tipo de matéria. Esconder se atras de um codinome, me faz desconfiar que as declarações são infundadas, irresponsáveis e oportunistas.
    A discussão em relação a confiabilidade do processo eleitoral brasileiro é necessária e fundamental para aprimoração dos mesmos. Logo, seria interessante que os principais especialistas do país participassem desta discussão. Porém, precisamos de pessoas sérias, imparciais e com comprovada experiência na área para discutir este assunto. No anonimato, quem garante que o entrevistado atende tais requisitos???

  170. André disse:

    A partir do momento que o entrevistado não se identifica, todas suas afirmações perdem a credibilidade. É uma pena que este blog e o Terra aceitem colocar este tipo de matéria. Esconder se atras de um codinome, me faz desconfiar que as declarações são infundadas, irresponsáveis e oportunistas.
    A discussão em relação a confiabilidade do processo eleitoral brasileiro é necessária e fundamental para aprimoração dos mesmos. Logo, seria interessante que os principais especialistas do país participassem desta discussão. Porém, precisamos de pessoas sérias, imparciais e com comprovada experiência na área para discutir este assunto. No anonimato, quem garante que o entrevistado atende tais requisitos???

  171. Eduardo disse:

    Eu não sou especialista em informática, mas o simples fato de o meu título de eleitor, ou nome, liberar a urna para votação faz com que se saiba exatamente em quem eu votei… O voto, então, deixa de ser secreto… E acho, sim, que é possível violar as urnas.

  172. Eduardo disse:

    Eu não sou especialista em informática, mas o simples fato de o meu título de eleitor, ou nome, liberar a urna para votação faz com que se saiba exatamente em quem eu votei… O voto, então, deixa de ser secreto… E acho, sim, que é possível violar as urnas.

  173. Helio SS disse:

    Se “urna eletronica” fosse segura ,como já foi dito por outras pessoas,países tecnologicamente décadas mais avançados que o nosso ,játeriam adotado.Se hackers,conseguem violar ,programas e arquivos da NASA,CIA , etc. ,qualquer pessoa mediana em conhecimentos de programação e segurança,pode alterar dados,etc.
    Está explicado, porque o celerado ,chefe de quadrilha,mentiroso,fanfarrão, amigo de terroristas,vulgo”lula” ,consegui ser reeleito,junto com sua quadrilha e asseclas.
    A solução é fechar o congresso, prender e deportar para a ilha-prisão(cuba),toda a súcia que se instalou no Planalto( após devolverem o que roubaram nesses 22 anos )!! AI -5 nessa canalhada vermelha !!!

  174. Helio SS disse:

    Se “urna eletronica” fosse segura ,como já foi dito por outras pessoas,países tecnologicamente décadas mais avançados que o nosso ,játeriam adotado.Se hackers,conseguem violar ,programas e arquivos da NASA,CIA , etc. ,qualquer pessoa mediana em conhecimentos de programação e segurança,pode alterar dados,etc.
    Está explicado, porque o celerado ,chefe de quadrilha,mentiroso,fanfarrão, amigo de terroristas,vulgo”lula” ,consegui ser reeleito,junto com sua quadrilha e asseclas.
    A solução é fechar o congresso, prender e deportar para a ilha-prisão(cuba),toda a súcia que se instalou no Planalto( após devolverem o que roubaram nesses 22 anos )!! AI -5 nessa canalhada vermelha !!!

  175. bruno disse:

    Como alguém pode dizer que um sistema com tantas variáveis é seguro? Agora um momento para usar corretamente o prefixo “in” (ou “im”): *impossível*. Sim, do verbo “não dá para garantir”. Samuel, sua opinião foi incompleta [ “então, acredito que o sistema (lógico e físico, máquina e pessoas), o processo, é seguro sim”]. Nós acreditamos em histórias, entidades espirituais… software e sistemas lógicos nós PROVAMOS. No caso de eleições, pior ainda. Precisamos testar o PROCESSO. E vamos encontrar problemas. Sempre encontramos.

    A todas as pessoas que acham que nós estamos na crista da onda da tecnologia de votação eletrônica [ vide Jeca acima ] , este ano adotaremos um piloto de uso de biometria [ uma MÁGICA qualquer que permite que o software saiba que você é você mesmo ] nas eleições. Este processo foi abandonado na maioria dos países em que foi utilizado pois foi PROVADO que permite fraudes.

    “Wij vertrouwen stemcomputers niet”
    “Nós não acreditamos em urnas eletrônicas”

  176. bruno disse:

    Como alguém pode dizer que um sistema com tantas variáveis é seguro? Agora um momento para usar corretamente o prefixo “in” (ou “im”): *impossível*. Sim, do verbo “não dá para garantir”. Samuel, sua opinião foi incompleta [ “então, acredito que o sistema (lógico e físico, máquina e pessoas), o processo, é seguro sim”]. Nós acreditamos em histórias, entidades espirituais… software e sistemas lógicos nós PROVAMOS. No caso de eleições, pior ainda. Precisamos testar o PROCESSO. E vamos encontrar problemas. Sempre encontramos.

    A todas as pessoas que acham que nós estamos na crista da onda da tecnologia de votação eletrônica [ vide Jeca acima ] , este ano adotaremos um piloto de uso de biometria [ uma MÁGICA qualquer que permite que o software saiba que você é você mesmo ] nas eleições. Este processo foi abandonado na maioria dos países em que foi utilizado pois foi PROVADO que permite fraudes.

    “Wij vertrouwen stemcomputers niet”
    “Nós não acreditamos em urnas eletrônicas”

  177. Fabrício disse:

    Custa escrever direito? Sabe, usando a tecla Shift? Grande especialista com tanta credibilidade que não sabe escrever direito e toma Stálin (um brucutu imbecil) como guia.

    Sobre a urna, vá se catar. Se o Primeiro Mundo não quis usar nosso sistema, isso se deve mais a preconceito do que a qualquer questão técnica (convenhamos: os brasilianos aí aceitariam votar numa eleição com urnas 100% Made in USA? Não geraria desconfianças?). As urnas de papel são ainda MAIS FÁCEIS de fraudar: trocando as urnas, atirando elas no rio, adulterando cédulas. Sem falar que a contagem é manual e sujeita a falhas. Qualquer sistema eletrônico é muito mais eficiente nisso (ainda mais nossa apuração, que pode ser acompanhada em tempo real via internet). Se o sistema fosse assim tão falho, os partidos prejudicados certamente já teriam reclamado.

  178. Fabrício disse:

    Custa escrever direito? Sabe, usando a tecla Shift? Grande especialista com tanta credibilidade que não sabe escrever direito e toma Stálin (um brucutu imbecil) como guia.

    Sobre a urna, vá se catar. Se o Primeiro Mundo não quis usar nosso sistema, isso se deve mais a preconceito do que a qualquer questão técnica (convenhamos: os brasilianos aí aceitariam votar numa eleição com urnas 100% Made in USA? Não geraria desconfianças?). As urnas de papel são ainda MAIS FÁCEIS de fraudar: trocando as urnas, atirando elas no rio, adulterando cédulas. Sem falar que a contagem é manual e sujeita a falhas. Qualquer sistema eletrônico é muito mais eficiente nisso (ainda mais nossa apuração, que pode ser acompanhada em tempo real via internet). Se o sistema fosse assim tão falho, os partidos prejudicados certamente já teriam reclamado.

  179. Daniel disse:

    Que matéria absurda! Um assunto sério como esse não pode ser tratado como folhetim!
    Esse história de teoria da computação (consistência x completude)? É só para anestesiar o senso crítico do leitor, fazendo-o sentir-se um idiota para que aceite todas as bobagens que vêm depois?
    Por que o anonimato? Nosso suposto especialista diz que a urna usa DOS e Windows. USAVA VirturOS (que é diferente de DOS) e já abandonou os dois passando para Linux. A desinformação é patente.
    Falar em fraude na totalização é o maior absurdo do planeta. Ainda na seção eleitoral, a urna emite um boletim de urna com o resultado da seção. Fica muito difícil (senão impossível) somar errado os votos depois , divulgar a votação por seção e ninguém achar uma discrepância entre a soma e os resultados parciais divulgados ou entre um dos resultados parciais e os boletins impressos na seção. A contagem de votos era um problema sim no sistema manual. A urna eletrônica acabou com esse problema e isso parece incomodar algumas pessoas.
    As fotos do Paraguai são de uma simulação de fraude feita sobre um software de treinamento (sem dispositivo de segurança algum) e em urnas 96, doadas àquele país exatamente porque não atendiam mais aos requisitos básicos de segurança do voto eletrônico.
    Mais uma vez a turma que coloca cabelo em ovo publica uma matéria cheia de absurdos para se promover. Fica difícil imaginar que uma pessoa em sã consciência (ou boa intenção) diga tantas coisas sobre um mesmo assunto e elas sejam um amontoado de bobagens. Passa a impressão de que o conteúdo é sério e as pessoas acreditam.
    Se o TSE não investiga a fundo as denúncias, talvez seja porque todas que surgiram até hoje sejam desprovidas de qualquer fundamento. Por falar em falta de fundamento, ligar a urna antes da eleição não gera risco ao processo e está inclusive previsto em resolução (a afirmação de que não é permitido é uma inverdade que, quando passa em branco, torna correto todo o resto do raciocínio que é absurdo). A urna loga esse evento para controle, pois tudo que ocorre com a urna é logado. Portanto, não há porque tornar inapta essa urna.
    Lamento muito que sites como o TERRA dêem publicidade a esse tipo de matéria oportunista.

  180. Daniel disse:

    Que matéria absurda! Um assunto sério como esse não pode ser tratado como folhetim!
    Esse história de teoria da computação (consistência x completude)? É só para anestesiar o senso crítico do leitor, fazendo-o sentir-se um idiota para que aceite todas as bobagens que vêm depois?
    Por que o anonimato? Nosso suposto especialista diz que a urna usa DOS e Windows. USAVA VirturOS (que é diferente de DOS) e já abandonou os dois passando para Linux. A desinformação é patente.
    Falar em fraude na totalização é o maior absurdo do planeta. Ainda na seção eleitoral, a urna emite um boletim de urna com o resultado da seção. Fica muito difícil (senão impossível) somar errado os votos depois , divulgar a votação por seção e ninguém achar uma discrepância entre a soma e os resultados parciais divulgados ou entre um dos resultados parciais e os boletins impressos na seção. A contagem de votos era um problema sim no sistema manual. A urna eletrônica acabou com esse problema e isso parece incomodar algumas pessoas.
    As fotos do Paraguai são de uma simulação de fraude feita sobre um software de treinamento (sem dispositivo de segurança algum) e em urnas 96, doadas àquele país exatamente porque não atendiam mais aos requisitos básicos de segurança do voto eletrônico.
    Mais uma vez a turma que coloca cabelo em ovo publica uma matéria cheia de absurdos para se promover. Fica difícil imaginar que uma pessoa em sã consciência (ou boa intenção) diga tantas coisas sobre um mesmo assunto e elas sejam um amontoado de bobagens. Passa a impressão de que o conteúdo é sério e as pessoas acreditam.
    Se o TSE não investiga a fundo as denúncias, talvez seja porque todas que surgiram até hoje sejam desprovidas de qualquer fundamento. Por falar em falta de fundamento, ligar a urna antes da eleição não gera risco ao processo e está inclusive previsto em resolução (a afirmação de que não é permitido é uma inverdade que, quando passa em branco, torna correto todo o resto do raciocínio que é absurdo). A urna loga esse evento para controle, pois tudo que ocorre com a urna é logado. Portanto, não há porque tornar inapta essa urna.
    Lamento muito que sites como o TERRA dêem publicidade a esse tipo de matéria oportunista.

  181. NAPO disse:

    pelo que vi as primeiras urnas eram baseadas em ms-dos , e depois migrou pro ce ???
    vixiiiii ,então isso nao tem nada de inviolavel galera , quem manja de ti sabe que isso nunca pode ser seguro.

  182. NAPO disse:

    pelo que vi as primeiras urnas eram baseadas em ms-dos , e depois migrou pro ce ???
    vixiiiii ,então isso nao tem nada de inviolavel galera , quem manja de ti sabe que isso nunca pode ser seguro.

  183. baragon disse:

    Software é sempre violável ,afinal são idiotas que os fazem,
    Sistemas nem sempre são violáveis.
    Aliás será que alguém aqui sabe o que é um sistema?
    antes das elocubrações, falo de sistematizar situações, não de mexer em maquininhas

  184. baragon disse:

    Software é sempre violável ,afinal são idiotas que os fazem,
    Sistemas nem sempre são violáveis.
    Aliás será que alguém aqui sabe o que é um sistema?
    antes das elocubrações, falo de sistematizar situações, não de mexer em maquininhas

  185. Alexandre disse:

    É obvio que a urna eletronica é violavel.
    O principio é simples: Tudo que é codificado pode ser decodificado. O que muda é o grau de dificuldade, mas nao é impossivel.

    O que o ministro afirmou foi apenas um palpite seu, nao tem fundamentação.

  186. Alexandre disse:

    É obvio que a urna eletronica é violavel.
    O principio é simples: Tudo que é codificado pode ser decodificado. O que muda é o grau de dificuldade, mas nao é impossivel.

    O que o ministro afirmou foi apenas um palpite seu, nao tem fundamentação.

  187. Pablo disse:

    Silvio,

    A parte da explicação que fala da fraude no sistema que contabiliza os votos está enganada. Na verdade, após o término da eleição (na hora marcada) a urna emite uma contagem dos seus votos, essa contagem é pregada na parede na entrada de cada sessão eleitoral e os cabos eleitorais de cada partido anotam o resultado final. Isso também acontece no início da eleição, quando é emitida a chamada “zerézima”, a contagem de votos da urna, comprovando que não há voto algum pra nenhum candidato. Após anotar os votos de cada sessão de cada prédio, os cabos eleitorais levam estes números ao partido, e cada partido faz sua própria apuração. Ou seja, se apenas o sistema que centraliza a contabilização, que fica no TRE, for violado os partidos acusarão o erro, pq o resultado da eleição de fato já saiu, só faltando a centralização. Isso também minimiza a chance de erro, já que vc teria que ter acesso a todas as urnas, ou ao sistema antes do mesmo ser carregado nas urnas, para que exista uma manipulação
    no resultado das eleições. Não estou dizendo que é impossível, até pq se eu dissesse algo assim ruy me reprovaria…. mas a dificuldade é um pouco maior do que foi relatado.

  188. Pablo disse:

    Silvio,

    A parte da explicação que fala da fraude no sistema que contabiliza os votos está enganada. Na verdade, após o término da eleição (na hora marcada) a urna emite uma contagem dos seus votos, essa contagem é pregada na parede na entrada de cada sessão eleitoral e os cabos eleitorais de cada partido anotam o resultado final. Isso também acontece no início da eleição, quando é emitida a chamada “zerézima”, a contagem de votos da urna, comprovando que não há voto algum pra nenhum candidato. Após anotar os votos de cada sessão de cada prédio, os cabos eleitorais levam estes números ao partido, e cada partido faz sua própria apuração. Ou seja, se apenas o sistema que centraliza a contabilização, que fica no TRE, for violado os partidos acusarão o erro, pq o resultado da eleição de fato já saiu, só faltando a centralização. Isso também minimiza a chance de erro, já que vc teria que ter acesso a todas as urnas, ou ao sistema antes do mesmo ser carregado nas urnas, para que exista uma manipulação
    no resultado das eleições. Não estou dizendo que é impossível, até pq se eu dissesse algo assim ruy me reprovaria…. mas a dificuldade é um pouco maior do que foi relatado.

  189. João disse:

    Li alguns comentários e confesso que me senti mal. Quanta ignorância deste povo. Quanta idiotice comentada. Olha gente, se não tem o que falar, não falem. Também li comentários inteligentes de pessoas que sabem o que estão falando. Na minha opinião o bom seria se houvesse um ticket de papel confirmando o voto. Assim se houvesse dúvidas, poderia se comprovar a veracidade dos votos.

  190. João disse:

    Li alguns comentários e confesso que me senti mal. Quanta ignorância deste povo. Quanta idiotice comentada. Olha gente, se não tem o que falar, não falem. Também li comentários inteligentes de pessoas que sabem o que estão falando. Na minha opinião o bom seria se houvesse um ticket de papel confirmando o voto. Assim se houvesse dúvidas, poderia se comprovar a veracidade dos votos.

  191. Deva disse:

    Caro Frodo!
    (Que a julgar pelo português precário, deve ser o próprio Meira.)
    É óbvio que não existe nada que não seja passível de violação, porém, não devemos esquecer de alguns fatos, que tormariam difícil alguma fraude de grandes proporções:
    Velocidade do processo;
    Pesquisas de “boca-de-urna“;
    Logística do processo, etc.
    E ao contrário do que já foi comentado, nos países mais desenvolvidos, nem sempre a eficiência é o pretendido, vide as eleições americanas, ou alguém acha que se voto fosse com urna eletrônica o Bush seria o presidente?

  192. Deva disse:

    Caro Frodo!
    (Que a julgar pelo português precário, deve ser o próprio Meira.)
    É óbvio que não existe nada que não seja passível de violação, porém, não devemos esquecer de alguns fatos, que tormariam difícil alguma fraude de grandes proporções:
    Velocidade do processo;
    Pesquisas de “boca-de-urna“;
    Logística do processo, etc.
    E ao contrário do que já foi comentado, nos países mais desenvolvidos, nem sempre a eficiência é o pretendido, vide as eleições americanas, ou alguém acha que se voto fosse com urna eletrônica o Bush seria o presidente?

  193. Adriano disse:

    Sou analista de sistemas e desenvolvedor de aplicações bancárias que envolvem muita segurança e criptografia de dados envolvendo dinheiro de terceiros, ou seja coisa muito séria. Sei que todo sistema tem seus pontos vulneráveis e com certeza o sistema da urna também tem. Além disso fui presidente de seção de votação em três eleições e responsável por ligar a urna, desligar e levar o disquete com os dados da votação para o local de apuração. Posso garantir, se alguém capaz quiser fraldar o sistema, é perfeitamente possível. Existem falhas de processo e o sistema rodava em DOS que possui aberturas amplamente conhecidas. O resultado das eleições deveria ser auditado por um órgão sério em todos os casos e não pelo TSE. É complicado confiar em um sistema assim.

  194. Adriano disse:

    Sou analista de sistemas e desenvolvedor de aplicações bancárias que envolvem muita segurança e criptografia de dados envolvendo dinheiro de terceiros, ou seja coisa muito séria. Sei que todo sistema tem seus pontos vulneráveis e com certeza o sistema da urna também tem. Além disso fui presidente de seção de votação em três eleições e responsável por ligar a urna, desligar e levar o disquete com os dados da votação para o local de apuração. Posso garantir, se alguém capaz quiser fraldar o sistema, é perfeitamente possível. Existem falhas de processo e o sistema rodava em DOS que possui aberturas amplamente conhecidas. O resultado das eleições deveria ser auditado por um órgão sério em todos os casos e não pelo TSE. É complicado confiar em um sistema assim.

  195. J. Carlos disse:

    Nas últimas eleições em Alagoas, um cadidato ao governo, que era líder nas pesquisas, não foi eleito e surgiu a informação que ele constatou fraude, e do dia prá noite o caso sumiu dos jornais. Tem gente que jura, que não foi admitido o erro para não desmoralizar o sistema eleitoral brasileiro.

  196. J. Carlos disse:

    Nas últimas eleições em Alagoas, um cadidato ao governo, que era líder nas pesquisas, não foi eleito e surgiu a informação que ele constatou fraude, e do dia prá noite o caso sumiu dos jornais. Tem gente que jura, que não foi admitido o erro para não desmoralizar o sistema eleitoral brasileiro.

  197. Caro Sílvio.

    Como qualquer sistema que criamos, automatizamos processos. O sistema foi muito bem elaborado para automatizar o processo manual de contagem de votos. Em menos de 1 dia, temos os resultados de todas as eleições do país e podemos acompanhar os votos através de um software que pode ser feito o download na página do TSE de graça.

    Todo sistema não pode ser considerado 100% seguro, mais há processos que o tornam mais seguros do ponto de vista dos riscos. Acho que o maior risco em uma eleição é a contagem irregular dos votos e existe um processo para “assegurar” que os votos são válidos. Basta imprimir a lista da urna com os votos zerados para cada candidato e depois o total de votos quando do seu envio ao TRE. Se isso é suficiente isso é outra história…

    Durante o voto acredito ser difícil abrir a urna na frente de fiscais e da população que está votando. Mesmo que alguém seja capaz de tal ato, existem duas listas que serão enviadas ao TRE lembra.

    A hipótese levantada na entrevista sobre a adulteração do sistema operacional e software embarcado na urna, seria facilmente detectada com um sistema de detecção de falhas da urna. Eu não acredito que após investir milhões para automatizar o processo da eleição não exista tal software.

    Na minha humilde opinião, se existe falhas, o problema não está no software e sim no seu processo de verificação e validação (antes, durante e depois das aleições).

  198. Caro Sílvio.

    Como qualquer sistema que criamos, automatizamos processos. O sistema foi muito bem elaborado para automatizar o processo manual de contagem de votos. Em menos de 1 dia, temos os resultados de todas as eleições do país e podemos acompanhar os votos através de um software que pode ser feito o download na página do TSE de graça.

    Todo sistema não pode ser considerado 100% seguro, mais há processos que o tornam mais seguros do ponto de vista dos riscos. Acho que o maior risco em uma eleição é a contagem irregular dos votos e existe um processo para “assegurar” que os votos são válidos. Basta imprimir a lista da urna com os votos zerados para cada candidato e depois o total de votos quando do seu envio ao TRE. Se isso é suficiente isso é outra história…

    Durante o voto acredito ser difícil abrir a urna na frente de fiscais e da população que está votando. Mesmo que alguém seja capaz de tal ato, existem duas listas que serão enviadas ao TRE lembra.

    A hipótese levantada na entrevista sobre a adulteração do sistema operacional e software embarcado na urna, seria facilmente detectada com um sistema de detecção de falhas da urna. Eu não acredito que após investir milhões para automatizar o processo da eleição não exista tal software.

    Na minha humilde opinião, se existe falhas, o problema não está no software e sim no seu processo de verificação e validação (antes, durante e depois das aleições).

  199. Maria de Fátima Delgrano disse:

    Sílvio,

    Aqui em Aparecida de Goiânia – Goiás, houve rumores bastante relevantes que, ña eleição municipal de 2004, teria havido fraude na urna eletrônica. O pior é que, segundo esses comentários, a fraude teria sido patrocinada pelo próprio juiz eleitoral da cidade. Segundo esses rumores, o juiz teria comprado um software no Canadá e que, com a ajuda de´”técnicos de informática” que são funcionários da prefeitura cedidos ao TRE da cidade, adulteraria o resultado das eleições. Exemplo: tal software ‘batizaria’ o sistema do TSE, de modo que determinado candidato já teria 30% dos votos, preliminarmente, mais a votação real obtida na eleição. Ou seja, o candidato seria eleito com a média de 55% de votos: 25% de votação real, obtida nas urnas, + os 30% de votos roubados, garantidos pela adulteração do sistema. O que vc acha, Sílvio? É possível isso ter acontecido? É possível ocorrer de novo, em 2008?

    Fátima

  200. Maria de Fátima Delgrano disse:

    Sílvio,

    Aqui em Aparecida de Goiânia – Goiás, houve rumores bastante relevantes que, ña eleição municipal de 2004, teria havido fraude na urna eletrônica. O pior é que, segundo esses comentários, a fraude teria sido patrocinada pelo próprio juiz eleitoral da cidade. Segundo esses rumores, o juiz teria comprado um software no Canadá e que, com a ajuda de´”técnicos de informática” que são funcionários da prefeitura cedidos ao TRE da cidade, adulteraria o resultado das eleições. Exemplo: tal software ‘batizaria’ o sistema do TSE, de modo que determinado candidato já teria 30% dos votos, preliminarmente, mais a votação real obtida na eleição. Ou seja, o candidato seria eleito com a média de 55% de votos: 25% de votação real, obtida nas urnas, + os 30% de votos roubados, garantidos pela adulteração do sistema. O que vc acha, Sílvio? É possível isso ter acontecido? É possível ocorrer de novo, em 2008?

    Fátima

  201. Sandro disse:

    Senhores,

    O especialista ouvido conhece muito pouco ou quase nada do processo eleitoral. Alguns pontos que gostaria de destacar:

    (1) o sistema operacional das Urnas foi todo alterado para Linux

    (2) por Lei, os Boletins de Urna do Brasil inteiro, ao término da votação, são afixados na própria seção eleitoral e distribuídos aos represetantes legais dos partidos presentes. Somando-se esses bolentins chega-se no resultado final. É uma mediocriadade argumentar fraude no processo de apuração, pois o resultado, na verdade, já está à vista de todos através desses Boletins.

    (3) Causa-me estranheza também o comentário de que o TSE não é auditado. Esse ano, por exemplo, está contratada uma empresa de auditoria internacional independente para auditar o processo.

    (4) Quanto a alterar os programas, detaco que todos os softwares, tanto da urna quanto do processo de tranmissão e totalização são assinadas digitalmente, inclusive pelos representantes legais dos partidos. Esses mesmos partidos possuem mecanismos para checar essas assinaturas e verificar sua autenticidade.

    (5) Quando o Ministro usa a palavra “inviolável”, ele não é tão simplista e limitado quanto esse tal especialista do TERRA. Ele refere-se ao processo, aos procedimentos, aos mecanismos de auditoria e não pura e simplesmente ao software desenvolvido na urna. A visão do especialista é a visão de um programador de software e não de um especialista em segurança.

    É lamentável que o TERRA se preste a tratar um tema tão sério com argumentos tão fracos. Eu realmente pensei que fosse ler algo bem fundamentado que me levasse à reflexão. O que vi foi uma matéria sensacionalista e com argumentação fraca, com o agravante de que o autor das declarações não teve nem mesmo a decência de se identificar.

  202. Sandro disse:

    Senhores,

    O especialista ouvido conhece muito pouco ou quase nada do processo eleitoral. Alguns pontos que gostaria de destacar:

    (1) o sistema operacional das Urnas foi todo alterado para Linux

    (2) por Lei, os Boletins de Urna do Brasil inteiro, ao término da votação, são afixados na própria seção eleitoral e distribuídos aos represetantes legais dos partidos presentes. Somando-se esses bolentins chega-se no resultado final. É uma mediocriadade argumentar fraude no processo de apuração, pois o resultado, na verdade, já está à vista de todos através desses Boletins.

    (3) Causa-me estranheza também o comentário de que o TSE não é auditado. Esse ano, por exemplo, está contratada uma empresa de auditoria internacional independente para auditar o processo.

    (4) Quanto a alterar os programas, detaco que todos os softwares, tanto da urna quanto do processo de tranmissão e totalização são assinadas digitalmente, inclusive pelos representantes legais dos partidos. Esses mesmos partidos possuem mecanismos para checar essas assinaturas e verificar sua autenticidade.

    (5) Quando o Ministro usa a palavra “inviolável”, ele não é tão simplista e limitado quanto esse tal especialista do TERRA. Ele refere-se ao processo, aos procedimentos, aos mecanismos de auditoria e não pura e simplesmente ao software desenvolvido na urna. A visão do especialista é a visão de um programador de software e não de um especialista em segurança.

    É lamentável que o TERRA se preste a tratar um tema tão sério com argumentos tão fracos. Eu realmente pensei que fosse ler algo bem fundamentado que me levasse à reflexão. O que vi foi uma matéria sensacionalista e com argumentação fraca, com o agravante de que o autor das declarações não teve nem mesmo a decência de se identificar.

  203. Carlos Ch disse:

    Infelizmente pode ser violável em hardware (mais fácil e perigoso que software) em software do equipamento em sí (urna) e nos sistemas de aferição e contágem.

  204. Carlos Ch disse:

    Infelizmente pode ser violável em hardware (mais fácil e perigoso que software) em software do equipamento em sí (urna) e nos sistemas de aferição e contágem.

  205. bruno disse:

    Daniel, fora seu conhecimento adquirido na Wikipedia, você tem alguma informação relevante a acrescentar? Se procurasse saber o que é o VirtuOS [ que por sinal você escreveu errado ] entenderia que é compatível com o DOS. O nome é diferente sim, se era isto que você quis dizer. E o seu comentário sobre a migração para Linux é ridículo. Não estou falando nem pelo Linux ser supostamente mais seguro [ que é outra babaquice sem tamanho ], o fato de terem deixado de usar VirtuOS não quer dizer que as urnas anteriores serão jogadas no lixo. Aliás, você deve saber que o conjunto de urnas que servem ao eleitorado brasileiro é uma salada mista. Claro que sabe, você lê Wikipedia.

  206. bruno disse:

    Daniel, fora seu conhecimento adquirido na Wikipedia, você tem alguma informação relevante a acrescentar? Se procurasse saber o que é o VirtuOS [ que por sinal você escreveu errado ] entenderia que é compatível com o DOS. O nome é diferente sim, se era isto que você quis dizer. E o seu comentário sobre a migração para Linux é ridículo. Não estou falando nem pelo Linux ser supostamente mais seguro [ que é outra babaquice sem tamanho ], o fato de terem deixado de usar VirtuOS não quer dizer que as urnas anteriores serão jogadas no lixo. Aliás, você deve saber que o conjunto de urnas que servem ao eleitorado brasileiro é uma salada mista. Claro que sabe, você lê Wikipedia.

  207. SERGIO AZEVEDO disse:

    SR. MEIRA

    ACREDITO QUE A URNA É INVIOLÁVEL, OS COMENTÁRIOS (ANÔNIMOS), POR SI SÓ, NÃO MERECEM CREDIBILIDADE, POIS EM UMA SITUAÇÃO DESTA, NÃO PODEMOS NOS ESCONDER, E, MUITO MENOS NOS OMITIR, TAMANHA RESPONSABILIDADE.

    NÃO SOU UM EXPERT EM INFORMÁTICA, MAIS CONHEÇO A URNA ELETRÔNICA, PARA AFIRMAR CATEGORICAMENTE QUE A MESMA É INVIOLÁVEL.

    UM DOS MOTIVOS É QUE NÃO TEM COMO ENTRAR COM VIRUS NELA (URNA), ELA NÃO TEM UM COMPUTADOR CENTRAL, OU SEJA ELA NÃO RECEBE INFORMAÇÕES DE OUTRO COMPUTADOR, PORTANTO NÃO TEM COMO NINGUÉM PENETRAR NA URNA.

    AS URNAS ELETRÔNICAS NÃO SE COMUNICAM UMAS COM AS OUTRAS, OU SEJA MESMO NO MESMO LOCAL, ( EXEMPLO EM UM COLÉGIO QUE TEM VÁRIAS URNAS) AS URNAS SÃO INDEPENDENTES, PORTANTO SE UMA QUEBRA AS OUTRAS NÃO.

    TERIA MAIS PARA FALAR QUE AS URNAS ELETRÔNICAS SÃO I N V I O L Á V E I S E PORTANTO SEGURAS, NÃO EXISTE RISCO DE SEREM INVIOLÁVEIS, É TUDO BALELA, MENTIRAS E ESTÃO QUERENDO POR EM RISCO A CREDIBILIDADE NÃO SÓ DAS URNAS ELETRÔNICAS COMO DA JUSTIÇA ELEITORAL.

    FINALMENTE, PODEM DIVULGAR MEU NOME E E-MAIL, POIS AS COISAS TEM QUE SER ASSUMIDAS QUANDO FALAMOS OU DIZEMOS ALGUMA COISA.

    E POR FAVOR SR. MEIRA, DE PUBLICIDADE A ESTA NOTICIA COMO DEU A DO SR. OCULTO.

    A URNA ELETRÔNICA É INVIOLÁVEL

    ATENCIOSAMENTE
    SERGIO AZEVEDO

  208. SERGIO AZEVEDO disse:

    SR. MEIRA

    ACREDITO QUE A URNA É INVIOLÁVEL, OS COMENTÁRIOS (ANÔNIMOS), POR SI SÓ, NÃO MERECEM CREDIBILIDADE, POIS EM UMA SITUAÇÃO DESTA, NÃO PODEMOS NOS ESCONDER, E, MUITO MENOS NOS OMITIR, TAMANHA RESPONSABILIDADE.

    NÃO SOU UM EXPERT EM INFORMÁTICA, MAIS CONHEÇO A URNA ELETRÔNICA, PARA AFIRMAR CATEGORICAMENTE QUE A MESMA É INVIOLÁVEL.

    UM DOS MOTIVOS É QUE NÃO TEM COMO ENTRAR COM VIRUS NELA (URNA), ELA NÃO TEM UM COMPUTADOR CENTRAL, OU SEJA ELA NÃO RECEBE INFORMAÇÕES DE OUTRO COMPUTADOR, PORTANTO NÃO TEM COMO NINGUÉM PENETRAR NA URNA.

    AS URNAS ELETRÔNICAS NÃO SE COMUNICAM UMAS COM AS OUTRAS, OU SEJA MESMO NO MESMO LOCAL, ( EXEMPLO EM UM COLÉGIO QUE TEM VÁRIAS URNAS) AS URNAS SÃO INDEPENDENTES, PORTANTO SE UMA QUEBRA AS OUTRAS NÃO.

    TERIA MAIS PARA FALAR QUE AS URNAS ELETRÔNICAS SÃO I N V I O L Á V E I S E PORTANTO SEGURAS, NÃO EXISTE RISCO DE SEREM INVIOLÁVEIS, É TUDO BALELA, MENTIRAS E ESTÃO QUERENDO POR EM RISCO A CREDIBILIDADE NÃO SÓ DAS URNAS ELETRÔNICAS COMO DA JUSTIÇA ELEITORAL.

    FINALMENTE, PODEM DIVULGAR MEU NOME E E-MAIL, POIS AS COISAS TEM QUE SER ASSUMIDAS QUANDO FALAMOS OU DIZEMOS ALGUMA COISA.

    E POR FAVOR SR. MEIRA, DE PUBLICIDADE A ESTA NOTICIA COMO DEU A DO SR. OCULTO.

    A URNA ELETRÔNICA É INVIOLÁVEL

    ATENCIOSAMENTE
    SERGIO AZEVEDO

  209. Brunno disse:

    Tudo que é informatizado está sujeito a violação, não tem jeito. Me digam um software que não possui falhas. A urna é um dispositivo assim como qualquer outro e funciona por meio de utilização de um software comum, só porque ela está relacionada à política, ela não pode ser violada. Até a última eleição, os dados eram transferidos das zonas para os locais de apuração através de disquetes, preciso dizer qual a maneira mais fácil de violar uma urna eletrônica? Hehehe

  210. Brunno disse:

    Tudo que é informatizado está sujeito a violação, não tem jeito. Me digam um software que não possui falhas. A urna é um dispositivo assim como qualquer outro e funciona por meio de utilização de um software comum, só porque ela está relacionada à política, ela não pode ser violada. Até a última eleição, os dados eram transferidos das zonas para os locais de apuração através de disquetes, preciso dizer qual a maneira mais fácil de violar uma urna eletrônica? Hehehe

  211. Zerof disse:

    Em minhas “aulas” sobre segurança, sempre, divulgo o adagio:

    – No momento em que inventavam o cinto de castidade, havia um gaiato inventando o abridor de latas, só para sacanear.

    – Se afirmam que é impossível, alguem sempre provará que o impossível é sempre possível.
    —-
    zerof

  212. Zerof disse:

    Em minhas “aulas” sobre segurança, sempre, divulgo o adagio:

    – No momento em que inventavam o cinto de castidade, havia um gaiato inventando o abridor de latas, só para sacanear.

    – Se afirmam que é impossível, alguem sempre provará que o impossível é sempre possível.
    —-
    zerof

  213. sergio maciel disse:

    Porque a urna eletronica não emite comprovante para o eleitor, mostrando em quem ele votou?

  214. sergio maciel disse:

    Porque a urna eletronica não emite comprovante para o eleitor, mostrando em quem ele votou?

  215. Marlos disse:

    “sua resposta a nosso emeio está abaixo.”
    Humm acho que existe algo errado nesta frase.

  216. Marlos disse:

    “sua resposta a nosso emeio está abaixo.”
    Humm acho que existe algo errado nesta frase.

  217. Ojunior disse:

    Lamento que tanta besteira seja dita em nome da democracia.
    Primeiro porque democracia neste país nunca existiu, alguém aí sabe contar? Então me diga quantos analfabetos (mas que se dizem alfabetizados) votam?
    Segundo, porque eu lembro da época em que um candidato viu um desenho de um pênis numa cédula e disse: “esse voto é pra mim, meu nome é rôla”…
    Ah, fala sério, se é esse tipo de sistema que os “países mais avançados” usam, o que dizer de sua conduta moral?
    Agora, quando se usa citações de Stalin para justificar uma idéia, é porque o cidadão tem uma concepção de justiça bem avariada.
    Como relembrou alguém num comentário, esqueceram o vexame do irmão do Bush ser governador da Flórida e justamente lá que o “cão-chupando-manga” se elegeu, após duas recontagens fraudulentas…
    Nessas horas é até bom ser “menos avançado”.

  218. Ojunior disse:

    Lamento que tanta besteira seja dita em nome da democracia.
    Primeiro porque democracia neste país nunca existiu, alguém aí sabe contar? Então me diga quantos analfabetos (mas que se dizem alfabetizados) votam?
    Segundo, porque eu lembro da época em que um candidato viu um desenho de um pênis numa cédula e disse: “esse voto é pra mim, meu nome é rôla”…
    Ah, fala sério, se é esse tipo de sistema que os “países mais avançados” usam, o que dizer de sua conduta moral?
    Agora, quando se usa citações de Stalin para justificar uma idéia, é porque o cidadão tem uma concepção de justiça bem avariada.
    Como relembrou alguém num comentário, esqueceram o vexame do irmão do Bush ser governador da Flórida e justamente lá que o “cão-chupando-manga” se elegeu, após duas recontagens fraudulentas…
    Nessas horas é até bom ser “menos avançado”.

  219. José Antonio disse:

    O voto eletrônico é realmente mais prático e cômodo, como tem o apoio da informática é mais difícil errar, mas em contrapartida é possível violar, enquanto que nos votos de papel, que é mais arcaico, porém mais seguro, é mais difícil de violar, pois as contagens e recontagem dos votos irão ocorrer sempre na presença de representantes dos partidos políticos (e estes nem precisam entender de informática). Na votação eletrônica não tem como fazer a recontagem, não ficam provas de nada, não tem como os representantes dos partidos acompanharem a recontagem dos votos de cada urna. Se está existindo desconfiança, faço uma sugestão ao Presidente do TSE: porque não voltar a fazer as eleições em papel que é mais confiável? Não estamos vivendo num País de Democracia? Minha avó já dizia: “onde há fumaça há fogo”. Porque esperar? Será que há intereces ocultos em manter estas votações? Será que agora nós Brasileiros teremos que ir até as urnas votar e voltar para casa na dúvida? Até quando seremos enganados?

  220. José Antonio disse:

    O voto eletrônico é realmente mais prático e cômodo, como tem o apoio da informática é mais difícil errar, mas em contrapartida é possível violar, enquanto que nos votos de papel, que é mais arcaico, porém mais seguro, é mais difícil de violar, pois as contagens e recontagem dos votos irão ocorrer sempre na presença de representantes dos partidos políticos (e estes nem precisam entender de informática). Na votação eletrônica não tem como fazer a recontagem, não ficam provas de nada, não tem como os representantes dos partidos acompanharem a recontagem dos votos de cada urna. Se está existindo desconfiança, faço uma sugestão ao Presidente do TSE: porque não voltar a fazer as eleições em papel que é mais confiável? Não estamos vivendo num País de Democracia? Minha avó já dizia: “onde há fumaça há fogo”. Porque esperar? Será que há intereces ocultos em manter estas votações? Será que agora nós Brasileiros teremos que ir até as urnas votar e voltar para casa na dúvida? Até quando seremos enganados?

  221. Pseudo disse:

    Sérgio Manoel… Comprovante pro eleitor?? Vc está louco né? Aí a compra de voto ia rolar solta, o eleitor pegaria o comprovante, mostraria pro candidato comprovando que votou nele. Na boa, isso seria um retrocesso tremendo, e viva o voto de cabresto.

  222. Pseudo disse:

    Sérgio Manoel… Comprovante pro eleitor?? Vc está louco né? Aí a compra de voto ia rolar solta, o eleitor pegaria o comprovante, mostraria pro candidato comprovando que votou nele. Na boa, isso seria um retrocesso tremendo, e viva o voto de cabresto.

  223. djalma disse:

    todos ficamos desconfiados pois nao existe perfeiçao em nada ok

  224. djalma disse:

    todos ficamos desconfiados pois nao existe perfeiçao em nada ok

  225. Marcelo Coura disse:

    Existem 2 passos para violar a urna.

    1o. Ter toda e qualquer urna em mãos a fim de viola-la antes de gerar a informação que é consolidada nas centrais de apuração. Só assim seria possível pegar tipo 10 unar violar e enviar a informação modificada. Ou seja isso é algo do tipo fisico depende de um complô com várias pessoas para poder ter o acesso.

    2o. e embutino no item 1. é alguem com muito conhecimento técnico “disposto” e q conheça as fragilidades do sistema internamente falando.

    Analista de TI
    Cuiabá-MT

  226. Marcelo Coura disse:

    Existem 2 passos para violar a urna.

    1o. Ter toda e qualquer urna em mãos a fim de viola-la antes de gerar a informação que é consolidada nas centrais de apuração. Só assim seria possível pegar tipo 10 unar violar e enviar a informação modificada. Ou seja isso é algo do tipo fisico depende de um complô com várias pessoas para poder ter o acesso.

    2o. e embutino no item 1. é alguem com muito conhecimento técnico “disposto” e q conheça as fragilidades do sistema internamente falando.

    Analista de TI
    Cuiabá-MT

  227. Marcelo Coura disse:

    Desculpe os e erros ao escrever o post. Pressa e falta de atenção.

  228. Marcelo Coura disse:

    Desculpe os e erros ao escrever o post. Pressa e falta de atenção.

  229. Marcos disse:

    Uma coisa eu digo e é a pura verdade!!!!!

    Se eles quiserem violar, eles violam!
    Quem manda é quem tem o poder!
    E esse poder é o poder de quem paga para programar esse sistema!
    Quem detém o poder da informação, detém o poder sobre todos!

  230. Marcos disse:

    Uma coisa eu digo e é a pura verdade!!!!!

    Se eles quiserem violar, eles violam!
    Quem manda é quem tem o poder!
    E esse poder é o poder de quem paga para programar esse sistema!
    Quem detém o poder da informação, detém o poder sobre todos!

  231. Paulo disse:

    vamos a realidade da corrupçao:
    quem conduz o sistema operacional é o governo(tse…orgao federal) e todo o mais do sistema das urnas…não é muito ingenuo neste pais absolutamente corrompido imaginar que quem tem o poder não o usa para fazer o que quizer com estas urnas…tipo…”converta cada tres votos do fulano em um para o ciclano….e por ai vai..” em informatica até banco privado leva chumbo grosso , imagina o que não acontece com algo controlavel como uma urna produzida e sistematizada pelo governo…

  232. Paulo disse:

    vamos a realidade da corrupçao:
    quem conduz o sistema operacional é o governo(tse…orgao federal) e todo o mais do sistema das urnas…não é muito ingenuo neste pais absolutamente corrompido imaginar que quem tem o poder não o usa para fazer o que quizer com estas urnas…tipo…”converta cada tres votos do fulano em um para o ciclano….e por ai vai..” em informatica até banco privado leva chumbo grosso , imagina o que não acontece com algo controlavel como uma urna produzida e sistematizada pelo governo…

  233. Paulo disse:

    O BRASIL NÃO É O PAÍS MAIS AVANÇADO DO MUNDO EM TECNOLOGIA.
    PAÍSES MAIS AVANÇADOS NÃO TEM URNA ELETRÔNICA.
    O BRASIL É CONHECIDO NO EXTERIOR POR SUA CORRUPÇÃO POLÍTICA.
    NÃO DÁ PARA CONFIAR NUMA URNA ELETRÔNICA.
    OBSERVEM QUE DESDE QUE SE COMEÇOU A UTILIZAR, JÁ HOUVE DUAS REELEIÇÕES…
    EU NÃO VOTO DESDE ENTÃO. NÃO CONFIO.

  234. Paulo disse:

    O BRASIL NÃO É O PAÍS MAIS AVANÇADO DO MUNDO EM TECNOLOGIA.
    PAÍSES MAIS AVANÇADOS NÃO TEM URNA ELETRÔNICA.
    O BRASIL É CONHECIDO NO EXTERIOR POR SUA CORRUPÇÃO POLÍTICA.
    NÃO DÁ PARA CONFIAR NUMA URNA ELETRÔNICA.
    OBSERVEM QUE DESDE QUE SE COMEÇOU A UTILIZAR, JÁ HOUVE DUAS REELEIÇÕES…
    EU NÃO VOTO DESDE ENTÃO. NÃO CONFIO.

  235. Andre disse:

    Melhor o autor do texto voltar ao primário para aprender algumas regras básicas da língua portuguesa brasileira.

  236. Andre disse:

    Melhor o autor do texto voltar ao primário para aprender algumas regras básicas da língua portuguesa brasileira.

  237. ELY ROGERIO IGNACIO disse:

    AINDA TEM QUEM DUVIDE DISSO? ESTE PAÍS NÃO É SERIO, COM A JUVENTUDE SEM SANGUE NAS VEIAS, FICAMOS A MERCÊ DESSES CORRUPTOS LADRÕES E SACANAS QUE ASSUMIRAM O PAÍS….ISTO AQUI TA FALTANDO GENTE DE RAÇA, DE VONTADE DE MUDAR E ACABAR COM ESTA BANDALHEIRA QUE SE IMPLACOU, DUIAS VEZES O SAPO GANHOU… UMA PODE SER BURRICE DO POVO , MAS DUAS? AI TEVE SIM SACANAGEM DAS GRANDES…. ISSO NINGUEM ME TIRA DA CABEÇA, E AINDA POR CIMA O CARA TA BEM NA POPULARIDADE…. A MÁFIA COMO FOI CITADO ACIMA, DEVE ESTAR COM MEDO DE SER ATACADA POR ELES…. PT ? DEVE SER PAPA TUDO ….. OU AINDA … PASSA O TRATOR…… OU PIOR PEGA TUDO ….. É VERGONHA MESMO … ESCUTEM OLAVO DE CARVALHO E ACREDITEM COMO QUISER ……………………………………………………….

    http://www.olavodecarvalho.org/

    QUE DEUS NOS PROTEJA DE TUDO ISSO QUE TAÍ

  238. ELY ROGERIO IGNACIO disse:

    AINDA TEM QUEM DUVIDE DISSO? ESTE PAÍS NÃO É SERIO, COM A JUVENTUDE SEM SANGUE NAS VEIAS, FICAMOS A MERCÊ DESSES CORRUPTOS LADRÕES E SACANAS QUE ASSUMIRAM O PAÍS….ISTO AQUI TA FALTANDO GENTE DE RAÇA, DE VONTADE DE MUDAR E ACABAR COM ESTA BANDALHEIRA QUE SE IMPLACOU, DUIAS VEZES O SAPO GANHOU… UMA PODE SER BURRICE DO POVO , MAS DUAS? AI TEVE SIM SACANAGEM DAS GRANDES…. ISSO NINGUEM ME TIRA DA CABEÇA, E AINDA POR CIMA O CARA TA BEM NA POPULARIDADE…. A MÁFIA COMO FOI CITADO ACIMA, DEVE ESTAR COM MEDO DE SER ATACADA POR ELES…. PT ? DEVE SER PAPA TUDO ….. OU AINDA … PASSA O TRATOR…… OU PIOR PEGA TUDO ….. É VERGONHA MESMO … ESCUTEM OLAVO DE CARVALHO E ACREDITEM COMO QUISER ……………………………………………………….

    http://www.olavodecarvalho.org/

    QUE DEUS NOS PROTEJA DE TUDO ISSO QUE TAÍ

  239. Paulo disse:

    Poderia a urna mostrar um voto impresso em papel para o eleitor saber em quem realmente votou, sem que este voto em papel seja acessível a ninguém, somente para confirmar, e depois este voto em papel seria depositado numa urna, para posterior recontagem de votos ou para auditar aquela urna.

  240. Paulo disse:

    Poderia a urna mostrar um voto impresso em papel para o eleitor saber em quem realmente votou, sem que este voto em papel seja acessível a ninguém, somente para confirmar, e depois este voto em papel seria depositado numa urna, para posterior recontagem de votos ou para auditar aquela urna.

  241. Odair José disse:

    Como os tempos mudaram, não ? Um pessoa que se declara profundamente culta sobre assuntos da Informática, pelo que se pode ver faltou às aulas de Português. Estaria onde será nestas horas ? Estudando sobre os sistemas das urnas eletrônicas ? PRÉSTENSÃO PIÃO.

  242. Odair José disse:

    Como os tempos mudaram, não ? Um pessoa que se declara profundamente culta sobre assuntos da Informática, pelo que se pode ver faltou às aulas de Português. Estaria onde será nestas horas ? Estudando sobre os sistemas das urnas eletrônicas ? PRÉSTENSÃO PIÃO.

  243. Cristina disse:

    Por que o primeiro mundo não tem eleição eletrônica e o Brasil tem? Por que somos mais competentes do que eles? Não!!! Porque o sistema pode ser fraudado. Os ricos já vieram aqui ver o sistema e sairam rindo de nós.

    Eu estava numa palestra nos EUA sobre voto eletrônico e o palestrante mostrou todas as formas de violação e concluiu que ainda não temos tecnologia para ter voto eletrônico.

    Como boa mineira eu falei: Uai, mas no Brasil nós temos! Um vacilo…
    E a resposta: mas vocês só tem 20 anos de democracia, não é mesmo?
    E a gente ainda tem de dormir com essa.

    Parabéns por ter levantado o tema. Podemos estar sendo enganados, é muito mais fácil manipular a urna eletrônica do que o voto no papel.

  244. Cristina disse:

    Por que o primeiro mundo não tem eleição eletrônica e o Brasil tem? Por que somos mais competentes do que eles? Não!!! Porque o sistema pode ser fraudado. Os ricos já vieram aqui ver o sistema e sairam rindo de nós.

    Eu estava numa palestra nos EUA sobre voto eletrônico e o palestrante mostrou todas as formas de violação e concluiu que ainda não temos tecnologia para ter voto eletrônico.

    Como boa mineira eu falei: Uai, mas no Brasil nós temos! Um vacilo…
    E a resposta: mas vocês só tem 20 anos de democracia, não é mesmo?
    E a gente ainda tem de dormir com essa.

    Parabéns por ter levantado o tema. Podemos estar sendo enganados, é muito mais fácil manipular a urna eletrônica do que o voto no papel.

  245. edie disse:

    impressionante! quantos anos existe de urna eletronica? quantas eleições podem ter sido fraudadas? ainda . . qualquer tecnico de informática sabe que este sistema nunca foi seguro, basta ver que nenhum pais sério quis adotá-lo. a solução é unica: emissao de comprovantes em duas vias uma que caia em uma urna lacrada e outra via que fique com o eleitor. desta forma será possível periciar uma urna, seção e mesmo a eleição inteira.
    de resto. . . palmas para o Brasil que ele mereceeeeeee

  246. edie disse:

    impressionante! quantos anos existe de urna eletronica? quantas eleições podem ter sido fraudadas? ainda . . qualquer tecnico de informática sabe que este sistema nunca foi seguro, basta ver que nenhum pais sério quis adotá-lo. a solução é unica: emissao de comprovantes em duas vias uma que caia em uma urna lacrada e outra via que fique com o eleitor. desta forma será possível periciar uma urna, seção e mesmo a eleição inteira.
    de resto. . . palmas para o Brasil que ele mereceeeeeee

  247. Rafael disse:

    Engraçado, muitos já disseram que é fácil violar a urna e que estão preocupados com o País. Então, violem a urna e mostrem ao País as falhas para que possam ser corrigidas. Ahhh, já sei, é que deve ser complicado contratar uns 10.000 estagiários para alterarem o código da urna. Afinal ele tem que ser alterado entre a fiscalização dos partidos e a data da eleição porque se não se lembram a urna emite a contagem ao final do dia para conferência dos partidos. Ou seja, não dá prá fraudar depois que a urna vai prá contagem. Ixi, tem mais um probleminha né. Conseguir um caminhão de dinheiro e um bom psicólogo para subornar os policiais e fiscais que tomam conta das urnas afinal vai ter que chegar a elas porque elas ainda não tem conexão Wireless. Q m…..

    Sinceramente Sr. Frodo (Especialista de que mesmo???), acho que você deve ser uma miniatura de revolucionário frustrado. Então tente usar todo o conhecimento que tem (isso me assusta) para ajudar o País a melhorar o sistema criado (que possivelmente você tem inveja de não ter sido você o inventor).

    E quanto aos comentários a respeito dos países de primeiro mundo não utilizarem a urna. Sinceramente vocês acham que não podemos ter nada de bom neste país? Temos defeitos sim, mas também temos muitas coisas boas.

  248. Rafael disse:

    Engraçado, muitos já disseram que é fácil violar a urna e que estão preocupados com o País. Então, violem a urna e mostrem ao País as falhas para que possam ser corrigidas. Ahhh, já sei, é que deve ser complicado contratar uns 10.000 estagiários para alterarem o código da urna. Afinal ele tem que ser alterado entre a fiscalização dos partidos e a data da eleição porque se não se lembram a urna emite a contagem ao final do dia para conferência dos partidos. Ou seja, não dá prá fraudar depois que a urna vai prá contagem. Ixi, tem mais um probleminha né. Conseguir um caminhão de dinheiro e um bom psicólogo para subornar os policiais e fiscais que tomam conta das urnas afinal vai ter que chegar a elas porque elas ainda não tem conexão Wireless. Q m…..

    Sinceramente Sr. Frodo (Especialista de que mesmo???), acho que você deve ser uma miniatura de revolucionário frustrado. Então tente usar todo o conhecimento que tem (isso me assusta) para ajudar o País a melhorar o sistema criado (que possivelmente você tem inveja de não ter sido você o inventor).

    E quanto aos comentários a respeito dos países de primeiro mundo não utilizarem a urna. Sinceramente vocês acham que não podemos ter nada de bom neste país? Temos defeitos sim, mas também temos muitas coisas boas.

  249. Hermione (a bruxinha) disse:

    Não é preciso nenhum feitiço para violar um processo eletrônico de votação. O sistema certamente não é inviolável. O que é necessário, e não deve ser fácil, é ter acesso as informações e aos dispositivos certos para consumar a fraude (além de uma boa dose de conhecimento técnico, incluindo da solução de voto eletrônico). Ah… e antes que eu me esqueça: não precisa tirar foto do seu voto, o mesário já vinculou a sua escolha ao número do seu título para liberar a urna! O voto secreto acabou faz tempo.

  250. Hermione (a bruxinha) disse:

    Não é preciso nenhum feitiço para violar um processo eletrônico de votação. O sistema certamente não é inviolável. O que é necessário, e não deve ser fácil, é ter acesso as informações e aos dispositivos certos para consumar a fraude (além de uma boa dose de conhecimento técnico, incluindo da solução de voto eletrônico). Ah… e antes que eu me esqueça: não precisa tirar foto do seu voto, o mesário já vinculou a sua escolha ao número do seu título para liberar a urna! O voto secreto acabou faz tempo.

  251. Jose vianna disse:

    Para ser inviolável o voto deveria ser aberto, e não sigiloso, ai sim poderia haver uma auditoria desde a contagem até o envio e recepção dos votos, ou seja seria permitido uma auditoria, hoje pelo fato do voto ser secreto, não há como auditar pois seria conhecido o voto e deixaria de ser secreto, acredito que devemos ter votos abertos e auditado, mesmo pela urna eletronica e depois quem garante que meu voto esta sento contabilizado para quem eu votei, pode até aparecer o numero e a foto, mas ser contabilizado por outro candidato, hehehehe

  252. Jose vianna disse:

    Para ser inviolável o voto deveria ser aberto, e não sigiloso, ai sim poderia haver uma auditoria desde a contagem até o envio e recepção dos votos, ou seja seria permitido uma auditoria, hoje pelo fato do voto ser secreto, não há como auditar pois seria conhecido o voto e deixaria de ser secreto, acredito que devemos ter votos abertos e auditado, mesmo pela urna eletronica e depois quem garante que meu voto esta sento contabilizado para quem eu votei, pode até aparecer o numero e a foto, mas ser contabilizado por outro candidato, hehehehe

  253. Ivan disse:

    Prefiro que as falhas de segurança, que certamente existem, continuem nas mãos do TRE sem serem divulgadas. Se disponibilizarem as urnas para uma auditoria pública, quem garante que novas falhas descobertas serão realmente informadas ao TRE e não usadas para beneficio próprio?

  254. Ivan disse:

    Prefiro que as falhas de segurança, que certamente existem, continuem nas mãos do TRE sem serem divulgadas. Se disponibilizarem as urnas para uma auditoria pública, quem garante que novas falhas descobertas serão realmente informadas ao TRE e não usadas para beneficio próprio?

  255. luiz carlos disse:

    Eu conheço uma pessoa que fraudou a urna, não a eleição inteira mas a urna eletrônica de sua seção.
    Criou um programa que faz a votação ser exponencial, começa duplicando o primeiro e por ai vai… tudo isso com um simples programinha, antes de enviar as informações basta passar o disquete antes na urna.

    Comentário por Thiago — 28.08.08 @ 10:01

    Este comentario feito pelo Thiago é uma mentira,se ele soubesse como se faz a carga nas urnas e a transmissão,jamais afirmaria isto.
    Alem do mais se ele afirmar ser verdade ele e a pessoa que fez devem ser presas.

  256. luiz carlos disse:

    Eu conheço uma pessoa que fraudou a urna, não a eleição inteira mas a urna eletrônica de sua seção.
    Criou um programa que faz a votação ser exponencial, começa duplicando o primeiro e por ai vai… tudo isso com um simples programinha, antes de enviar as informações basta passar o disquete antes na urna.

    Comentário por Thiago — 28.08.08 @ 10:01

    Este comentario feito pelo Thiago é uma mentira,se ele soubesse como se faz a carga nas urnas e a transmissão,jamais afirmaria isto.
    Alem do mais se ele afirmar ser verdade ele e a pessoa que fez devem ser presas.

  257. Vania disse:

    Se a urna pode se violada e o voto manipulado, porque os partidos gastam milhões com advogados para lutar por alguns segundos a mais de propaganda eleitoral??? O que ganha eleição é tempo de propaganda eleitoral na TV, rádio e etc.

  258. Vania disse:

    Se a urna pode se violada e o voto manipulado, porque os partidos gastam milhões com advogados para lutar por alguns segundos a mais de propaganda eleitoral??? O que ganha eleição é tempo de propaganda eleitoral na TV, rádio e etc.

  259. Daniel disse:

    Bruno

    Embora não seja relevante para a discussão, vale dizer que a compatibilidade do VirtuOS com o DOS não quer dizer que os dois são a mesma coisa. Na Wikipedia deve ter isso também.
    Outra informação que não está na Wikipedia, mas foi amplamente divulgada pelo TSE é que a urna eletrônica passou sim a utilizar o Linux (parece que eu não sou o único desinformado por aqui). Que você não saiba disso, compreendo, pois não se declarou especialista. Mas nosso amigo Frodo podia ter dormido sem essa.
    Fico espantado com a quantidade de pessoas que nunca viram uma urna eletrônica, ou se viram não fazem a menor idéia de como ela foi parar na seção eleitoral e que dizem que é fácil burlá-la.
    É só dar uma olhada nas resoluções que regulam a eleição para saber que os partidos políticos, MP e OAB têm acesso aos fontes dos programas. Esse negócio de programar para desviar X votos a cada Y não sobreviveria à primeira análise. Os programas são assinados e os partidos podem fazer a verificação durante as cargas das urnas e após as eleições.
    Rir para não chorar…

  260. Daniel disse:

    Bruno

    Embora não seja relevante para a discussão, vale dizer que a compatibilidade do VirtuOS com o DOS não quer dizer que os dois são a mesma coisa. Na Wikipedia deve ter isso também.
    Outra informação que não está na Wikipedia, mas foi amplamente divulgada pelo TSE é que a urna eletrônica passou sim a utilizar o Linux (parece que eu não sou o único desinformado por aqui). Que você não saiba disso, compreendo, pois não se declarou especialista. Mas nosso amigo Frodo podia ter dormido sem essa.
    Fico espantado com a quantidade de pessoas que nunca viram uma urna eletrônica, ou se viram não fazem a menor idéia de como ela foi parar na seção eleitoral e que dizem que é fácil burlá-la.
    É só dar uma olhada nas resoluções que regulam a eleição para saber que os partidos políticos, MP e OAB têm acesso aos fontes dos programas. Esse negócio de programar para desviar X votos a cada Y não sobreviveria à primeira análise. Os programas são assinados e os partidos podem fazer a verificação durante as cargas das urnas e após as eleições.
    Rir para não chorar…

  261. Renato disse:

    As últimas eleiçoes vão completar dois anos da ocorrencia quando estas atuais estiverem acontecendo. De lá para cá, quando naquela época o mesmo assunto foi amplamente divulgado, com vários especialistas opinando etc…etc…,, nada de prático acorreu no sentido de corrigir ou mesmo previnir as tais possibilidades de fraudes. O assunto por vazio, caiu no vazio. Agora , voltam a carga, sintomaticamente antes e próximo a data das eleições, provocando a mesma desconfiança e insegurança nos eleitores. Principalmente aqueles menos letrados ou mais alienados no processo. Ou seja, a maioria. Uma pergunta simples se impõe. O assunto é antigo, nada ate agora, alem de suposições foram colocadas a guiza de prova. Tudo ate agora ficou no plano das possibilidades. Então, a quem interessa requentar o assunto a cada nova eleição…

  262. Renato disse:

    As últimas eleiçoes vão completar dois anos da ocorrencia quando estas atuais estiverem acontecendo. De lá para cá, quando naquela época o mesmo assunto foi amplamente divulgado, com vários especialistas opinando etc…etc…,, nada de prático acorreu no sentido de corrigir ou mesmo previnir as tais possibilidades de fraudes. O assunto por vazio, caiu no vazio. Agora , voltam a carga, sintomaticamente antes e próximo a data das eleições, provocando a mesma desconfiança e insegurança nos eleitores. Principalmente aqueles menos letrados ou mais alienados no processo. Ou seja, a maioria. Uma pergunta simples se impõe. O assunto é antigo, nada ate agora, alem de suposições foram colocadas a guiza de prova. Tudo ate agora ficou no plano das possibilidades. Então, a quem interessa requentar o assunto a cada nova eleição…

  263. manoel ramos disse:

    Falou, falou e nada disse. Seja mais objetivo. Quais foram as violações? O que fazer para evitá-las? Uma coisa é certa: o crime organizado (rio), já deu provas de sua organização (sem trocadilhos). É bom tomar cuidado nestas eleições. Tudo já se viu: milícias; quadrilhas; governo paralelo, que já tem até moeda própria (nota de 3 reais);deputados presos, inclusive ex-chefe de polícia da cidade maravilhosa.

  264. manoel ramos disse:

    Falou, falou e nada disse. Seja mais objetivo. Quais foram as violações? O que fazer para evitá-las? Uma coisa é certa: o crime organizado (rio), já deu provas de sua organização (sem trocadilhos). É bom tomar cuidado nestas eleições. Tudo já se viu: milícias; quadrilhas; governo paralelo, que já tem até moeda própria (nota de 3 reais);deputados presos, inclusive ex-chefe de polícia da cidade maravilhosa.

  265. Brasileiro disse:

    Prezado Sandro e demais,
    Inicialmente acho que seus comentários são perdoáveis visto que o pecado pela ignorância ainda é tolerado pela sociedade.
    Este será um único POST e não estou disposto a continuar neste assunto, afinal acho que a idéia do Silvio é questionar algumas declarações, que o Sr.a mesmo em seu post coloca que estão “incompletas”. Então vamos:
    1. As falhas reportadas nas urnas ate o momento são nas versões PRE Linux
    2. O uso do Linux não significa que a URNA ficou segura (segurança por obscuridade nãooooo)
    3. O fato de usar LINUX e sabendo que o código fonte é aberto, facilita ainda mais os processo de Engenharia Reversa e etc.
    4. Também recomendo que o Sr. se atualize em relação a como problemas de segurança são tratados no Kernel (leia esta URL: http://kerneltrap.org/Linux/Security_Bugs_and_Full_Disclosure)
    5. A soma de todos os BOLETINS continua sendo em um sistema de retaguarda, que NÃO garante que o que saiu da URNA seja o que esta no Sistema, EXISTE A POSSIBILIDADE de alterar tais votos, no pior dos casos se ALTERA TUDO. Lembra “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”
    6. Como é perceptível que o Sr. não é especialista na área vou tentar traduzir algumas coisas: É Sabido pela comunidade de segurança que o SGBD utilizado em parte do processo eleitoral tem falhas de segurança NÃO divulgadas. Isso não é novidade PARA ninguém da área. Procure no Google pela palavras “security + disclosure”. Em se tratando de um leigo, para ajuda-lo a ler o documento encontrado use as URL´s http://www.google.com/translate_t# e http://www..dictionary.com
    7. Mais uma vez seu DESCONHECIMENTO em segurança leva a um comentário perdoável. Auditoria de segurança e de processos informatizados NÃO igual a auditorias de processos. Responda: Quem audita o código? Quem audita os Logs? Quem garante que logs não são apagados? Onde esta o sistema de retaguarda que audita o TSE? Ainda ajudando leia: http://pdf.codev2.cc/Lessig-Codev2.pdf e veja as idéias colocadas sobre Etica e Moral para a nova sociedade informatizada.
    8. Aqui fica so uma pergunta: Porque não se contrata um empresa Brasileira para auditar?
    9. Essa foi a sua melhor do texto ‘Quando o Ministro usa a palavra “inviolável” ‘. MEU DEUS !!! porque o uso das aspas em “inviolável” se ele não é simplista então SEJA CLARO e coloque que existe a possibilidade e que o TSE se preserva das maneias X, Y Z, …. Isso da credibilidade. Em se tratando de um ministro se deveria ter mais cuidado com algumas colocações. Ele é MINISTRO, um representante da nossa sociedade. NESTE CASO O PECADO NÃO É ACEITÁVEL. No Brasil somos pacatos mas NÃO SOMOS BURROS. PELO AMOR DE DEUS NÃO DUVIDE DA NOSSA INTELIGÊNCIA. Ir em cadeia nacional e dizer o que ele disse não é tolerável. Acho que se ele tivesse tido mais cuidado eu não estaria perdendo meu tempo escrevendo este tópico.
    10. No meu ponto de vista atitude do terra e completamente inteligente. Abrir oportunidade para que pessoas discutam de forma madura é louvável.
    11. Na precisa pagar pela aula de segurança !!!!
    12. Deixei para último este ponto. Tentar desqualificar alguém usando palavras fortes e fugindo do foco ou apenas usando partes de um texto bem elaborado é muito fácil. No livro “A Arte da guerra” esta bem descrito esta abordagem. Espero que o Sr. tenha gostado do uso da mesma moeda.

  266. Brasileiro disse:

    Prezado Sandro e demais,
    Inicialmente acho que seus comentários são perdoáveis visto que o pecado pela ignorância ainda é tolerado pela sociedade.
    Este será um único POST e não estou disposto a continuar neste assunto, afinal acho que a idéia do Silvio é questionar algumas declarações, que o Sr.a mesmo em seu post coloca que estão “incompletas”. Então vamos:
    1. As falhas reportadas nas urnas ate o momento são nas versões PRE Linux
    2. O uso do Linux não significa que a URNA ficou segura (segurança por obscuridade nãooooo)
    3. O fato de usar LINUX e sabendo que o código fonte é aberto, facilita ainda mais os processo de Engenharia Reversa e etc.
    4. Também recomendo que o Sr. se atualize em relação a como problemas de segurança são tratados no Kernel (leia esta URL: http://kerneltrap.org/Linux/Security_Bugs_and_Full_Disclosure)
    5. A soma de todos os BOLETINS continua sendo em um sistema de retaguarda, que NÃO garante que o que saiu da URNA seja o que esta no Sistema, EXISTE A POSSIBILIDADE de alterar tais votos, no pior dos casos se ALTERA TUDO. Lembra “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”
    6. Como é perceptível que o Sr. não é especialista na área vou tentar traduzir algumas coisas: É Sabido pela comunidade de segurança que o SGBD utilizado em parte do processo eleitoral tem falhas de segurança NÃO divulgadas. Isso não é novidade PARA ninguém da área. Procure no Google pela palavras “security + disclosure”. Em se tratando de um leigo, para ajuda-lo a ler o documento encontrado use as URL´s http://www.google.com/translate_t# e http://www..dictionary.com
    7. Mais uma vez seu DESCONHECIMENTO em segurança leva a um comentário perdoável. Auditoria de segurança e de processos informatizados NÃO igual a auditorias de processos. Responda: Quem audita o código? Quem audita os Logs? Quem garante que logs não são apagados? Onde esta o sistema de retaguarda que audita o TSE? Ainda ajudando leia: http://pdf.codev2.cc/Lessig-Codev2.pdf e veja as idéias colocadas sobre Etica e Moral para a nova sociedade informatizada.
    8. Aqui fica so uma pergunta: Porque não se contrata um empresa Brasileira para auditar?
    9. Essa foi a sua melhor do texto ‘Quando o Ministro usa a palavra “inviolável” ‘. MEU DEUS !!! porque o uso das aspas em “inviolável” se ele não é simplista então SEJA CLARO e coloque que existe a possibilidade e que o TSE se preserva das maneias X, Y Z, …. Isso da credibilidade. Em se tratando de um ministro se deveria ter mais cuidado com algumas colocações. Ele é MINISTRO, um representante da nossa sociedade. NESTE CASO O PECADO NÃO É ACEITÁVEL. No Brasil somos pacatos mas NÃO SOMOS BURROS. PELO AMOR DE DEUS NÃO DUVIDE DA NOSSA INTELIGÊNCIA. Ir em cadeia nacional e dizer o que ele disse não é tolerável. Acho que se ele tivesse tido mais cuidado eu não estaria perdendo meu tempo escrevendo este tópico.
    10. No meu ponto de vista atitude do terra e completamente inteligente. Abrir oportunidade para que pessoas discutam de forma madura é louvável.
    11. Na precisa pagar pela aula de segurança !!!!
    12. Deixei para último este ponto. Tentar desqualificar alguém usando palavras fortes e fugindo do foco ou apenas usando partes de um texto bem elaborado é muito fácil. No livro “A Arte da guerra” esta bem descrito esta abordagem. Espero que o Sr. tenha gostado do uso da mesma moeda.

  267. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Aprecio toda e boa conversa acerca de assuntos polêmicos.

    Sou analista de sistemas e programador desde 1983, tenho acompanhado a evolução do sistema eleitoral no que se refere ao uso da urna eletrônica para a captação dos votos. Porem lendo as conclusões de muitos especialistas ou até mesmo de alguns amantes da urna eletrônica, tenho que ponderar sobre alguns pontos falhos do nosso sistema eletrônico de votação. O principal deles é a possibilidade de ataque aos micros denominados geradores de mídia (são os que geram as flashs de carga) ou seja sao aqueles que preenchem as midias com os programas e dados a serem colocados na urna eletrônica. Uma vez que esse micro tenha sido atacado e implantado nele uma fraude, todas as midias geradas estariam com a fraude e com isso todo um municipio ou mesmo um estado estaria com sua eleição comprometida. Esse ataque não precisaria se preocupar com nenhuma espécie de seguraça que hoje existe na urna (HASH, ASSINATURA DIGITAL), porque tal ataque seria feito no boot da Flash de carga onde tal programa rodando em modo protegido teria os mesmos direitos de acesso ao hardware como o sistema operacional e assim como uma maquina virtual (VMWARE, VIRTUAL BOX) teria a possibiliade de trocar qualquer conteudo da memoria sem mesmo se preocupar com nenhuma segurança já existente na urna brasileira. Ou mesmo atraves pessoas (tecnicos corruptos) durante a carga da urna com uma flash “oficial” porem modificada todas as urnas manipuladas por tal pessoa seriam atacadas. Bom esses são alguns exemplos que pelo tempo que tenho acompanhando de perto o sistema eleitoral brasileiro, posso dizer que funcionam infelizmente e assim a democracia é afetada.

    Impressao do voto para futura conferência ou auditoria seria a melhor saída.
    Abraços.

  268. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Aprecio toda e boa conversa acerca de assuntos polêmicos.

    Sou analista de sistemas e programador desde 1983, tenho acompanhado a evolução do sistema eleitoral no que se refere ao uso da urna eletrônica para a captação dos votos. Porem lendo as conclusões de muitos especialistas ou até mesmo de alguns amantes da urna eletrônica, tenho que ponderar sobre alguns pontos falhos do nosso sistema eletrônico de votação. O principal deles é a possibilidade de ataque aos micros denominados geradores de mídia (são os que geram as flashs de carga) ou seja sao aqueles que preenchem as midias com os programas e dados a serem colocados na urna eletrônica. Uma vez que esse micro tenha sido atacado e implantado nele uma fraude, todas as midias geradas estariam com a fraude e com isso todo um municipio ou mesmo um estado estaria com sua eleição comprometida. Esse ataque não precisaria se preocupar com nenhuma espécie de seguraça que hoje existe na urna (HASH, ASSINATURA DIGITAL), porque tal ataque seria feito no boot da Flash de carga onde tal programa rodando em modo protegido teria os mesmos direitos de acesso ao hardware como o sistema operacional e assim como uma maquina virtual (VMWARE, VIRTUAL BOX) teria a possibiliade de trocar qualquer conteudo da memoria sem mesmo se preocupar com nenhuma segurança já existente na urna brasileira. Ou mesmo atraves pessoas (tecnicos corruptos) durante a carga da urna com uma flash “oficial” porem modificada todas as urnas manipuladas por tal pessoa seriam atacadas. Bom esses são alguns exemplos que pelo tempo que tenho acompanhando de perto o sistema eleitoral brasileiro, posso dizer que funcionam infelizmente e assim a democracia é afetada.

    Impressao do voto para futura conferência ou auditoria seria a melhor saída.
    Abraços.

  269. joão carlos rodrigues disse:

    Esse papo é bem furado. Parece coisa de quem quer tumultuar as eleições. Certificado impresso do voto? Ora, senhores luminares, isso simplesmente acaba com o voto secreto. Os coronéis, traficantes e outros exigiriam ver o certificado do pobre eleitor para não puni-lo. Instância superior ao TSE? Já existe, é o STF. Outros países que não adotaram nossas urnas? Bem, a última grande eleição fraudada da história foi a americana quando o Al Gore venceu na Flórida mas foi bigodeado, e lá não tem urna eletrônica, não senhores. Se aqui houvesse fraude o Serra teria vencido o Lula, pois era o candidato do governo. E já teríamos de achar a Dilma a próxima ocupante do Palácio do Planalto, o que só acredito vendo. Em suma: do nosso sistema eleitoral eu repetiria a definição de democracia pelo Winston Churchil: pode ser cheio de defeitos, mas ainda não inventaram um melhor.

  270. joão carlos rodrigues disse:

    Esse papo é bem furado. Parece coisa de quem quer tumultuar as eleições. Certificado impresso do voto? Ora, senhores luminares, isso simplesmente acaba com o voto secreto. Os coronéis, traficantes e outros exigiriam ver o certificado do pobre eleitor para não puni-lo. Instância superior ao TSE? Já existe, é o STF. Outros países que não adotaram nossas urnas? Bem, a última grande eleição fraudada da história foi a americana quando o Al Gore venceu na Flórida mas foi bigodeado, e lá não tem urna eletrônica, não senhores. Se aqui houvesse fraude o Serra teria vencido o Lula, pois era o candidato do governo. E já teríamos de achar a Dilma a próxima ocupante do Palácio do Planalto, o que só acredito vendo. Em suma: do nosso sistema eleitoral eu repetiria a definição de democracia pelo Winston Churchil: pode ser cheio de defeitos, mas ainda não inventaram um melhor.

  271. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Ainda na sequencia do meu comentário acima, vale a pena salientar que os micros geradores de mídia são sistemas operacionais windows e possuem a possibilidade de boot externo (CD ROM) onde uma pessoa com acesso aos mesmos poderia ser usada com o agente fraudador dentro do TRE (funcionário, prestador de serviço ou qualquer um).

    Uma boa observação é que tenho conhecido funcionários dos TRE e até mesmo TSE, onde os mesmos são pessoas íntegras e honestas e que acredito piamente na boa intenção de tais pessoas no que se refere ao intuito de uma eleição honesta.

    Abraços

  272. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Ainda na sequencia do meu comentário acima, vale a pena salientar que os micros geradores de mídia são sistemas operacionais windows e possuem a possibilidade de boot externo (CD ROM) onde uma pessoa com acesso aos mesmos poderia ser usada com o agente fraudador dentro do TRE (funcionário, prestador de serviço ou qualquer um).

    Uma boa observação é que tenho conhecido funcionários dos TRE e até mesmo TSE, onde os mesmos são pessoas íntegras e honestas e que acredito piamente na boa intenção de tais pessoas no que se refere ao intuito de uma eleição honesta.

    Abraços

  273. liscio disse:

    Pode at-e estar certo o blogueiro e o seu entrevisado, mas ao se esconder atrás de um codinome perdeu a credibilidade. Que especialista é esse que não tem coragem de se identificar?

  274. liscio disse:

    Pode at-e estar certo o blogueiro e o seu entrevisado, mas ao se esconder atrás de um codinome perdeu a credibilidade. Que especialista é esse que não tem coragem de se identificar?

  275. Marcos Carvalho disse:

    Senhor Bilbo Bolseiro.

    Infelizmente a votação paralela pode ser facilmente driblada, vamos imaginar, que o programa fraudador use mecanismos para identificar a cadencia da votacao, ja que na votacao paralela isso é fato notório, e com isso o programa fraudador pode desativar a fraude naturalmente ou mesmo vamos imaginar que o programa fraudador use o seguinte mecanismo: pressionando a tecla do mesário 1 + corrige, 2+corrige e 3+ corrige, a fraude seria desabilitada e ninguem perceberia tal artificio ja que essa sequencia de tecla não é registrada por nenhum dos programa da urna por se tratar apenas de uma correcao do que foi digitado.

    Abraços

  276. Marcos Carvalho disse:

    Senhor Bilbo Bolseiro.

    Infelizmente a votação paralela pode ser facilmente driblada, vamos imaginar, que o programa fraudador use mecanismos para identificar a cadencia da votacao, ja que na votacao paralela isso é fato notório, e com isso o programa fraudador pode desativar a fraude naturalmente ou mesmo vamos imaginar que o programa fraudador use o seguinte mecanismo: pressionando a tecla do mesário 1 + corrige, 2+corrige e 3+ corrige, a fraude seria desabilitada e ninguem perceberia tal artificio ja que essa sequencia de tecla não é registrada por nenhum dos programa da urna por se tratar apenas de uma correcao do que foi digitado.

    Abraços

  277. Boca disse:

    “E é sabido que partes do sistema eleitoral possuem falhas não divulgadas.” – Frodo.
    Que papo é esse? Quem sabe? Sabe o quê?
    Largar esse tipo de frase para tentar conferir veracidade ao que está sendo dito é patético. Fica parecendo que quem ainda não sabe é alienado…

    Outra coisa que tá difícil de engolir são essas pessoas que entendem muito de informática e não entendem nada do processo eleitoral (carga das urnas, auditoria dos sistemas, totalização, etc…) alardearem a falta de segurança.

    Tenho acompanhado a urna desde 96 e vejo que o TSE vem implementando os processos que garantem segurança ao sistema eleitoral baseado nas criticas e sugestões dos partidos políticos e auditores.

    Os partidos políticos podem auditar todos os sistemas antes da lacração (momento em que são gerados os HASHES, que são a assinatura digital que garante que nenhuma linha de código será alterada). O sistema está disponível às partes interessadas.
    Outra medida importantíssima que foi implementada é a Cerimônia de Votação Paralela. Para quem não sabe, em cada estado são sorteadas 3 urnas eletrônicas na véspera da eleição. Essas urnas são enviadas aos TREs para que, no dia da eleição, sejam inseridos votos (a partir de uma quantidade de votos pré-estabelecidos) para que seja comparado, ao final da cerimônia, se os votos inseridos correspondem ao que está impresso no boletim da urna. Tudo isso é feito com fiscalização da imprensa e dos partidos políticos, em urnas lacradas. Esse processo garante que a urna, que foi sorteada aleatoriamente no estado, soma corretamente os votos. Se houvesse alguma dúvida com relação à forma como são somados os votos na urna eletrônica o TSE ou os TREs se sujeitariam a uma “possível” humilhação pública nessa Cerimônia de Votação Paralela?

    O TSE não pode, e não deve, se manifestar cada vez que alguém vem com argumentos estapafúrdios e infundados. Ao contrário do que se diz, o sistema não é fechado e está aberto a auditorias. Acontece que dá mais manchete por em dúvida todo o processo, do que dizer que até agora ninguém encontrou uma falha…

    Boca (estou usando um pseudônimo, porque assim como o Frodo, eu não quero que saibam quem eu sou).

  278. Boca disse:

    “E é sabido que partes do sistema eleitoral possuem falhas não divulgadas.” – Frodo.
    Que papo é esse? Quem sabe? Sabe o quê?
    Largar esse tipo de frase para tentar conferir veracidade ao que está sendo dito é patético. Fica parecendo que quem ainda não sabe é alienado…

    Outra coisa que tá difícil de engolir são essas pessoas que entendem muito de informática e não entendem nada do processo eleitoral (carga das urnas, auditoria dos sistemas, totalização, etc…) alardearem a falta de segurança.

    Tenho acompanhado a urna desde 96 e vejo que o TSE vem implementando os processos que garantem segurança ao sistema eleitoral baseado nas criticas e sugestões dos partidos políticos e auditores.

    Os partidos políticos podem auditar todos os sistemas antes da lacração (momento em que são gerados os HASHES, que são a assinatura digital que garante que nenhuma linha de código será alterada). O sistema está disponível às partes interessadas.
    Outra medida importantíssima que foi implementada é a Cerimônia de Votação Paralela. Para quem não sabe, em cada estado são sorteadas 3 urnas eletrônicas na véspera da eleição. Essas urnas são enviadas aos TREs para que, no dia da eleição, sejam inseridos votos (a partir de uma quantidade de votos pré-estabelecidos) para que seja comparado, ao final da cerimônia, se os votos inseridos correspondem ao que está impresso no boletim da urna. Tudo isso é feito com fiscalização da imprensa e dos partidos políticos, em urnas lacradas. Esse processo garante que a urna, que foi sorteada aleatoriamente no estado, soma corretamente os votos. Se houvesse alguma dúvida com relação à forma como são somados os votos na urna eletrônica o TSE ou os TREs se sujeitariam a uma “possível” humilhação pública nessa Cerimônia de Votação Paralela?

    O TSE não pode, e não deve, se manifestar cada vez que alguém vem com argumentos estapafúrdios e infundados. Ao contrário do que se diz, o sistema não é fechado e está aberto a auditorias. Acontece que dá mais manchete por em dúvida todo o processo, do que dizer que até agora ninguém encontrou uma falha…

    Boca (estou usando um pseudônimo, porque assim como o Frodo, eu não quero que saibam quem eu sou).

  279. brasileiro disse:

    Prezado Sandro,

    Inicialmente acho que seus comentários são perdoáveis visto que o pecado pela ignorância ainda é tolerado pela sociedade.
    Este será um único POST e não estou disposto a continuar neste assunto, afinal acho que a idéia do Silvio é questionar algumas declarações, que o Sr.a mesmo em seu post coloca que estão “incompletas”. Então vamos:

    1. As falhas reportadas nas urnas ate o momento são nas versões PRE Linux
    2. O uso do Linux não significa que a URNA ficou segura (segurança por obscuridade nãooooo)
    3. O fato de usar LINUX e sabendo que o código fonte é aberto, facilita ainda mais os processo de Engenharia Reversa e etc.
    4. Também recomendo que o Sr. se atualize em relação a como problemas de segurança são tratados no Kernel (leia esta URL: http://kerneltrap.org/Linux/Security_Bugs_and_Full_Disclosure)
    5. A soma de todos os BOLETINS continua sendo em um sistema de retaguarda, que NÃO garante que o que saiu da URNA seja o que esta no Sistema, EXISTE A POSSIBILIDADE de alterar tais votos, no pior dos casos se ALTERA TUDO. Lembra “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”
    6. Como é perceptível que o Sr. não é especialista na área vou tentar traduzir algumas coisas: É Sabido pela comunidade de segurança que o SGBD utilizado em parte do processo eleitoral tem falhas de segurança NÃO divulgadas (isso faz parte do sistema). Isso não é novidade PARA ninguém da área. Procure no Google pela palavras “security + disclosure”. Em se tratando de um leigo, para ajuda-lo a ler o documento encontrado use as URL´s http://www.google.com/translate_t# e http://www..dictionary.com
    7. Mais uma vez seu DESCONHECIMENTO em segurança leva a um comentário perdoável. Auditoria de segurança e de processos informatizados NÃO igual a auditorias de processos. Responda: Quem audita o código? Quem audita os Logs? Quem garante que logs não são apagados? Onde esta o sistema de retaguarda que audita o TSE? Ainda ajudando leia: http://pdf.codev2.cc/Lessig-Codev2.pdf e veja as idéias colocadas sobre Etica e Moral para a nova sociedade informatizada.
    8. Aqui fica so uma pergunta: Porque não se contrata um empresa Brasileira para auditar?
    9. Essa foi a sua melhor do texto ‘Quando o Ministro usa a palavra “inviolável” ‘. MEU DEUS !!! porque o uso das aspas em “inviolável” se ele não é simplista então SEJA CLARO e coloque que existe a possibilidade e que o TSE se preserva das maneias X, Y Z, …. Isso da credibilidade. Em se tratando de um ministro se deveria ter mais cuidado com algumas colocações. Ele é MINISTRO, um representante da nossa sociedade. NESTE CASO O PECADO NÃO É ACEITÁVEL. No Brasil somos pacatos mas NÃO SOMOS BURROS. PELO AMOR DE DEUS NÃO DUVIDE DA NOSSA INTELIGÊNCIA. Ir em cadeia nacional e dizer o que ele disse não é tolerável. Acho que se ele tivesse tido mais cuidado eu não estaria perdendo meu tempo escrevendo este tópico.
    10. No meu ponto de vista atitude do terra e completamente inteligente. Abrir oportunidade para que pessoas discutam de forma madura é louvável.
    11. Na precisa pagar pela aula de segurança !!!!
    12. Deixei para último este ponto. Tentar desqualificar alguém usando palavras fortes e fugindo do foco ou apenas usando partes de um texto bem elaborado é muito fácil. No livro “A Arte da guerra” esta bem descrito esta abordagem. Espero que o Sr. tenha gostado do uso da mesma moeda.

  280. brasileiro disse:

    Prezado Sandro,

    Inicialmente acho que seus comentários são perdoáveis visto que o pecado pela ignorância ainda é tolerado pela sociedade.
    Este será um único POST e não estou disposto a continuar neste assunto, afinal acho que a idéia do Silvio é questionar algumas declarações, que o Sr.a mesmo em seu post coloca que estão “incompletas”. Então vamos:

    1. As falhas reportadas nas urnas ate o momento são nas versões PRE Linux
    2. O uso do Linux não significa que a URNA ficou segura (segurança por obscuridade nãooooo)
    3. O fato de usar LINUX e sabendo que o código fonte é aberto, facilita ainda mais os processo de Engenharia Reversa e etc.
    4. Também recomendo que o Sr. se atualize em relação a como problemas de segurança são tratados no Kernel (leia esta URL: http://kerneltrap.org/Linux/Security_Bugs_and_Full_Disclosure)
    5. A soma de todos os BOLETINS continua sendo em um sistema de retaguarda, que NÃO garante que o que saiu da URNA seja o que esta no Sistema, EXISTE A POSSIBILIDADE de alterar tais votos, no pior dos casos se ALTERA TUDO. Lembra “Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa.”
    6. Como é perceptível que o Sr. não é especialista na área vou tentar traduzir algumas coisas: É Sabido pela comunidade de segurança que o SGBD utilizado em parte do processo eleitoral tem falhas de segurança NÃO divulgadas (isso faz parte do sistema). Isso não é novidade PARA ninguém da área. Procure no Google pela palavras “security + disclosure”. Em se tratando de um leigo, para ajuda-lo a ler o documento encontrado use as URL´s http://www.google.com/translate_t# e http://www..dictionary.com
    7. Mais uma vez seu DESCONHECIMENTO em segurança leva a um comentário perdoável. Auditoria de segurança e de processos informatizados NÃO igual a auditorias de processos. Responda: Quem audita o código? Quem audita os Logs? Quem garante que logs não são apagados? Onde esta o sistema de retaguarda que audita o TSE? Ainda ajudando leia: http://pdf.codev2.cc/Lessig-Codev2.pdf e veja as idéias colocadas sobre Etica e Moral para a nova sociedade informatizada.
    8. Aqui fica so uma pergunta: Porque não se contrata um empresa Brasileira para auditar?
    9. Essa foi a sua melhor do texto ‘Quando o Ministro usa a palavra “inviolável” ‘. MEU DEUS !!! porque o uso das aspas em “inviolável” se ele não é simplista então SEJA CLARO e coloque que existe a possibilidade e que o TSE se preserva das maneias X, Y Z, …. Isso da credibilidade. Em se tratando de um ministro se deveria ter mais cuidado com algumas colocações. Ele é MINISTRO, um representante da nossa sociedade. NESTE CASO O PECADO NÃO É ACEITÁVEL. No Brasil somos pacatos mas NÃO SOMOS BURROS. PELO AMOR DE DEUS NÃO DUVIDE DA NOSSA INTELIGÊNCIA. Ir em cadeia nacional e dizer o que ele disse não é tolerável. Acho que se ele tivesse tido mais cuidado eu não estaria perdendo meu tempo escrevendo este tópico.
    10. No meu ponto de vista atitude do terra e completamente inteligente. Abrir oportunidade para que pessoas discutam de forma madura é louvável.
    11. Na precisa pagar pela aula de segurança !!!!
    12. Deixei para último este ponto. Tentar desqualificar alguém usando palavras fortes e fugindo do foco ou apenas usando partes de um texto bem elaborado é muito fácil. No livro “A Arte da guerra” esta bem descrito esta abordagem. Espero que o Sr. tenha gostado do uso da mesma moeda.

  281. Boca disse:

    Senhor Marcos Carvalho,

    Você poderia solicitar os videos da votação paralela e procurar a sequência mágica que foi digitada pelos mesários da cerimônia. E parece pouco plausivel que, se existisse essa “combinação mágica” que desativa o processo fraudador, nos 27 tribunais eleitorais do país tivessem vários funcionários que digitariam um código específico sem saber o por quê, ou sabendo o motivo, ficariam calados. Seria o famoso grupo “Nós sabemos que o sistema frauda mas não podemos falar para ninguém”. Isso não funciona nem em filme. Essa tua teoria já cai por terra…

    Abraço.

  282. Boca disse:

    Senhor Marcos Carvalho,

    Você poderia solicitar os videos da votação paralela e procurar a sequência mágica que foi digitada pelos mesários da cerimônia. E parece pouco plausivel que, se existisse essa “combinação mágica” que desativa o processo fraudador, nos 27 tribunais eleitorais do país tivessem vários funcionários que digitariam um código específico sem saber o por quê, ou sabendo o motivo, ficariam calados. Seria o famoso grupo “Nós sabemos que o sistema frauda mas não podemos falar para ninguém”. Isso não funciona nem em filme. Essa tua teoria já cai por terra…

    Abraço.

  283. Marcos Carvalho disse:

    Senhor Boca

    Vi os videos da votação paralela aqui em alagoas e cai na gargalhada porque por mais de 20 minutos aparece uma bunda de alguem (fiscal ou funcionario) na frente da camera e fica impossivel que eu pudesse ver algo. Porem quando sigo detalhando possibilidades nao digo que exisitiu apenas como especialista diga que são possíveis. Outro detalhe é que as cameras sao colocadas nao em locais estratégicos porque até mesmo é aceitável que funcionários dos TRE tenham esse sentimento quando a melhor colocacao das mesmas, porque aí e que entra o profissional AUDITOR que com certeza teria vistos as aberrações que existem nas votaçoes paralelas.

  284. Marcos Carvalho disse:

    Senhor Boca

    Vi os videos da votação paralela aqui em alagoas e cai na gargalhada porque por mais de 20 minutos aparece uma bunda de alguem (fiscal ou funcionario) na frente da camera e fica impossivel que eu pudesse ver algo. Porem quando sigo detalhando possibilidades nao digo que exisitiu apenas como especialista diga que são possíveis. Outro detalhe é que as cameras sao colocadas nao em locais estratégicos porque até mesmo é aceitável que funcionários dos TRE tenham esse sentimento quando a melhor colocacao das mesmas, porque aí e que entra o profissional AUDITOR que com certeza teria vistos as aberrações que existem nas votaçoes paralelas.

  285. Bilbo Bolseiro disse:

    Quanta bobagem em uma página só…
    Tá parecendo desciclopédia (http://desciclo.pedia.ws)…

    A todos que comentaram sobre a reeleição:
    A votação eletrônica não tem culpa se o povo vende o voto por um vale-gas/bolsa-família/auxílio-gravidez…

    Pra quem está pedindo “recibo” em papel:
    Bem que a urna podia imprimir um recibo mesmo.
    Poderia colocar um valor tabelado de R$ 10,00 para voto para prefeito e R$ 5,00 para voto em vereador.
    Assim o eleitor receberia um valor igual em todas as regiões, acabando assim com a disparidade do valor pago pelo voto. SHOW DE BOLA!
    Sem contar que facilita a contabilidade dos partidos!

    E uma pergunta que não quer calar:
    Desde quando os norte americanos são padrão de honestidade???

    E com certeza a votação em cédula é muito melhor, você pode passar 15 dias contando e recontando voto, e a cada vez dar um resultado diferente.
    Uma beleza.

    Parece que o Sr. Frodo não sabe que, além de tudo que já se falou sobre o controle dos sistemas, ainda existe a votação paralela.
    Aproveita para aprender um pouquinho…
    Para quem nunca ouviu falar em votação paralela, na véspera da eleição, são sorteadas
    algumas urnas eletrônicas (já carregadas e lacradas prontas para serem enviadas aos
    locais de votação) para serem auditadas no dia da eleição em local previamente divulgado
    aos partidos, MP e OAB, onde são realizadas votações predeterminadas em todos os candidatos
    a fim de confirmar que após a finalização destas urnas o resultado obtido deve ser o mesmo
    que foi votado (com recibo hahahaha).

    Sistemas são violáveis???? Nossa! Parabéns ninguém sabia disso ainda…
    Agora querer dizer que a urna mudou de um voto pra outro… aí é dose…

    Sr. Silvio Meira, ao invés de ficar publicando esse monte de bobagem, faça uma visita ao TSE ou ao TRE mais próximo e verifique
    os sistemas de controle das eleições.

    COM CERTEZA ESTARIA ENVERGONHADO DO MONTE DE BOBAGEM PUBLICADA NO SEU BLOG.

    Sr. Frodo: 0 (zero) é diferente de 1 viu… e depois vem o 2, 3, 4…

    Um abraço…

    Será que a maior democracia do mundo está lendo o que eu escrevi??? Posso ir para Guantânamo porque chamei de desonestos… E viva a “Demo”cracia Americana!

    (na outra o e-mail estava errado)

  286. Bilbo Bolseiro disse:

    Quanta bobagem em uma página só…
    Tá parecendo desciclopédia (http://desciclo.pedia.ws)…

    A todos que comentaram sobre a reeleição:
    A votação eletrônica não tem culpa se o povo vende o voto por um vale-gas/bolsa-família/auxílio-gravidez…

    Pra quem está pedindo “recibo” em papel:
    Bem que a urna podia imprimir um recibo mesmo.
    Poderia colocar um valor tabelado de R$ 10,00 para voto para prefeito e R$ 5,00 para voto em vereador.
    Assim o eleitor receberia um valor igual em todas as regiões, acabando assim com a disparidade do valor pago pelo voto. SHOW DE BOLA!
    Sem contar que facilita a contabilidade dos partidos!

    E uma pergunta que não quer calar:
    Desde quando os norte americanos são padrão de honestidade???

    E com certeza a votação em cédula é muito melhor, você pode passar 15 dias contando e recontando voto, e a cada vez dar um resultado diferente.
    Uma beleza.

    Parece que o Sr. Frodo não sabe que, além de tudo que já se falou sobre o controle dos sistemas, ainda existe a votação paralela.
    Aproveita para aprender um pouquinho…
    Para quem nunca ouviu falar em votação paralela, na véspera da eleição, são sorteadas
    algumas urnas eletrônicas (já carregadas e lacradas prontas para serem enviadas aos
    locais de votação) para serem auditadas no dia da eleição em local previamente divulgado
    aos partidos, MP e OAB, onde são realizadas votações predeterminadas em todos os candidatos
    a fim de confirmar que após a finalização destas urnas o resultado obtido deve ser o mesmo
    que foi votado (com recibo hahahaha).

    Sistemas são violáveis???? Nossa! Parabéns ninguém sabia disso ainda…
    Agora querer dizer que a urna mudou de um voto pra outro… aí é dose…

    Sr. Silvio Meira, ao invés de ficar publicando esse monte de bobagem, faça uma visita ao TSE ou ao TRE mais próximo e verifique
    os sistemas de controle das eleições.

    COM CERTEZA ESTARIA ENVERGONHADO DO MONTE DE BOBAGEM PUBLICADA NO SEU BLOG.

    Sr. Frodo: 0 (zero) é diferente de 1 viu… e depois vem o 2, 3, 4…

    Um abraço…

    Será que a maior democracia do mundo está lendo o que eu escrevi??? Posso ir para Guantânamo porque chamei de desonestos… E viva a “Demo”cracia Americana!

    (na outra o e-mail estava errado)

  287. Boca disse:

    Senhor Marcos,
    Aí é problema de gerenciamento do processo. Quem filma não fez um bom trabalho. Ou você acha que existe uma ordem superior para que os funcionários se postem na frente da câmera para impedir que seja filmada a votação?
    Faz um pedido para o Tribunal solicitando que você possa fazer a filmagem também, escolhe um bom ângulo, e solicita, gentilmente, que ninguém passe na frente da câmera…
    Abraço!

  288. Boca disse:

    Senhor Marcos,
    Aí é problema de gerenciamento do processo. Quem filma não fez um bom trabalho. Ou você acha que existe uma ordem superior para que os funcionários se postem na frente da câmera para impedir que seja filmada a votação?
    Faz um pedido para o Tribunal solicitando que você possa fazer a filmagem também, escolhe um bom ângulo, e solicita, gentilmente, que ninguém passe na frente da câmera…
    Abraço!

  289. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Depois de ter colocado 7 comentários acima, quero notificar a todos sobre as fragilidades da urna, fragilidades essas compartilhadas e reconhecidas por tecnicos do TSE, quero tranquilizar a todos que o próprio TSE tem conhecimento de tais vulverabilidades e as tem corrigido para que nas eleições de 2008 isso seja minimizado, porém nao totalmente contornado, é um trabalho arduo e progressivo e ainda creio que o Brasil chegará a possuir um excelente sistema eleitoral.

    Abraços

  290. Marcos Carvalho disse:

    Senhores.

    Depois de ter colocado 7 comentários acima, quero notificar a todos sobre as fragilidades da urna, fragilidades essas compartilhadas e reconhecidas por tecnicos do TSE, quero tranquilizar a todos que o próprio TSE tem conhecimento de tais vulverabilidades e as tem corrigido para que nas eleições de 2008 isso seja minimizado, porém nao totalmente contornado, é um trabalho arduo e progressivo e ainda creio que o Brasil chegará a possuir um excelente sistema eleitoral.

    Abraços

  291. Megh disse:

    Meus queridos e minhas queridas:
    Já dizia meu sábio avô: Sai uma porcada gorda e entra uma porcada magra para engordar!!!
    Povo é povo desde que o mundo é mundo, não reclamem, tá melhor do que quando os hebreus eram escravos no Egito: trabalhavam que nem camelos, apanhavam de chicote e comiam muito pouco. Hoje continuamos a trabalhar como camelos, mas a maioria pode escolher o que comer e não tem ninguém com chicote no nosso lombo…

  292. Megh disse:

    Meus queridos e minhas queridas:
    Já dizia meu sábio avô: Sai uma porcada gorda e entra uma porcada magra para engordar!!!
    Povo é povo desde que o mundo é mundo, não reclamem, tá melhor do que quando os hebreus eram escravos no Egito: trabalhavam que nem camelos, apanhavam de chicote e comiam muito pouco. Hoje continuamos a trabalhar como camelos, mas a maioria pode escolher o que comer e não tem ninguém com chicote no nosso lombo…

  293. Parte 1 do meu comentário:
    Concordo com o comentário inicial do Sandro: nesta matéria (e também nos comentários) há muita desinformação. Aliás, o próprio Sandro merece ser corrigido em suas afirmações.

    Obs.: tenho documentação oficial comprovando tudo que afirmo a seguir. Meu endereço: amilcar@brunazo.eng.br

    1) O sistema operacional foi mudado para Linux por pressão do PDT que impugnou o uso de sistemas operacionais fechados (VirtuOS e Win CE) em todas as eleições desde 2000. Mas a adoção do Linux não elimina, por si só, falhas de segurança inerentes do projeto das urnas-e como a possibilidade de se dar BOOT pelo flash-card externo que permite ataques de troca dos programas como os realizados na Universidade de Princenton (EUA); A possibilidade de modificação da BIOS por software e, como disse o Marcos, ataque via gerador de mídia e flash de carga.

    2) a distribuição dos BU aos fiscais dos partidos não é tão clara assim. Como exemplo, em 2006, um mandado de segurança contra o TRE-SP, que tinha baixado portaria proibindo a entrega dos BU impressos nas seções eleitorais, só foi aprovado na madrugada da eleição e não teve tempo de colocado em prática. Os partidos ficaram sem esta via de fiscalização.

    3) A empresa contratada só irá auditar o Teste de Votação Paralela e não a eleição como um todo. Apoiado na regulamentação vigente, o PDT apresentou quesitos que deveriam ser respondidos por esta empresa, sobre a qualidade da amostra e a capacidade do teste de simular uma eleição real. Os quesitos são os seguintes: a) qual o tamanho porcentual da amostra de urnas-e sorteadas para o teste em relaçao a totalidade de urnas usadas (é inferior a 0,0002%); b) qual a taxa de abstenção simulada em relação aos dados reais (a taxa simulada costuma ser muito inferior à real)?; c) qual o tempo médio de votação simulado em relação aos tempos da eleição normal(costuma ser muito superior ao normal)? Mas a Secretaria de TI do TSE decidiu não permitir que a empresa auditora os responda por que não quer que o relatório possa revelar que o teste não é eficiente.
    continua…

  294. Parte 1 do meu comentário:
    Concordo com o comentário inicial do Sandro: nesta matéria (e também nos comentários) há muita desinformação. Aliás, o próprio Sandro merece ser corrigido em suas afirmações.

    Obs.: tenho documentação oficial comprovando tudo que afirmo a seguir. Meu endereço: amilcar@brunazo.eng.br

    1) O sistema operacional foi mudado para Linux por pressão do PDT que impugnou o uso de sistemas operacionais fechados (VirtuOS e Win CE) em todas as eleições desde 2000. Mas a adoção do Linux não elimina, por si só, falhas de segurança inerentes do projeto das urnas-e como a possibilidade de se dar BOOT pelo flash-card externo que permite ataques de troca dos programas como os realizados na Universidade de Princenton (EUA); A possibilidade de modificação da BIOS por software e, como disse o Marcos, ataque via gerador de mídia e flash de carga.

    2) a distribuição dos BU aos fiscais dos partidos não é tão clara assim. Como exemplo, em 2006, um mandado de segurança contra o TRE-SP, que tinha baixado portaria proibindo a entrega dos BU impressos nas seções eleitorais, só foi aprovado na madrugada da eleição e não teve tempo de colocado em prática. Os partidos ficaram sem esta via de fiscalização.

    3) A empresa contratada só irá auditar o Teste de Votação Paralela e não a eleição como um todo. Apoiado na regulamentação vigente, o PDT apresentou quesitos que deveriam ser respondidos por esta empresa, sobre a qualidade da amostra e a capacidade do teste de simular uma eleição real. Os quesitos são os seguintes: a) qual o tamanho porcentual da amostra de urnas-e sorteadas para o teste em relaçao a totalidade de urnas usadas (é inferior a 0,0002%); b) qual a taxa de abstenção simulada em relação aos dados reais (a taxa simulada costuma ser muito inferior à real)?; c) qual o tempo médio de votação simulado em relação aos tempos da eleição normal(costuma ser muito superior ao normal)? Mas a Secretaria de TI do TSE decidiu não permitir que a empresa auditora os responda por que não quer que o relatório possa revelar que o teste não é eficiente.
    continua…

  295. parte 2 do meu comentário…

    4) Agora em 2008, TODAS AS ENTIDADES AUTORIZADAS à FISCALIZAR os programas (Ministério Público, OAB e Partidos Políticos) desistiram de desenvolver seus próprios sistemas de assinatura digital por que as regras impostas pelo TSE fragilizam a verificação podendo resultar em FALSO POSITIVO.

    5) Como fazem desde 2000, em 2006 o PT e do PDT solicitaram permissão para aplicarem Testes de Penetração nas urnas-e (para verificarem a tal “inviolabilidade do processo”). Embora o Diretor do TSE tenha prometido, em audiência pública, que o teste seria liberado em nov/2007 sobre as novas urnas com Linux, até agora o teste não foi permitido. Mas o TSE, através do contrato TSE 032/2008 com a FacTI e com o CenPRA, desenvolveu testes que revelaram tantas falhas de segurança NO PROCESSO COMO UM TODO que no inicio de agosto foi decidido: a) manter os relatórios dos testes secretos (nem o ministro presidente do TSE o conhece ainda); b) não permitir testes pelos Partidos; c) voltar a alterar todo o projeto das urnas para 2010.

    6) Complementando, este nosso “processo eleitoral” tem sido rejeitado e até proibido em todo o mundo como: EUA, Russia, Holanda, Reino Unido, França, Japão, Coréia, México, Argentina e até no Paraguai (que tinha recebido 17 mil, de nossas urnas de graça). Em Alagoas 2006, foram encontrados erros e inconsistências nos arquivos de logs de quase metade das urnas mas até agora o administrador eleitoral não permitiu que fosse iniciado uma auditoria independente sobre as urnas usadas.

    É surpreendente como brasileiros razoavelmente instruidos aceitam um sistema eleitoral cujo resultado não tem como ser contabilmente conferido e onde não se permite auditoria externa independente.

    Deve ser consequência dos “apenas 20 anos de democracia” que a Cristina citou.

  296. parte 2 do meu comentário…

    4) Agora em 2008, TODAS AS ENTIDADES AUTORIZADAS à FISCALIZAR os programas (Ministério Público, OAB e Partidos Políticos) desistiram de desenvolver seus próprios sistemas de assinatura digital por que as regras impostas pelo TSE fragilizam a verificação podendo resultar em FALSO POSITIVO.

    5) Como fazem desde 2000, em 2006 o PT e do PDT solicitaram permissão para aplicarem Testes de Penetração nas urnas-e (para verificarem a tal “inviolabilidade do processo”). Embora o Diretor do TSE tenha prometido, em audiência pública, que o teste seria liberado em nov/2007 sobre as novas urnas com Linux, até agora o teste não foi permitido. Mas o TSE, através do contrato TSE 032/2008 com a FacTI e com o CenPRA, desenvolveu testes que revelaram tantas falhas de segurança NO PROCESSO COMO UM TODO que no inicio de agosto foi decidido: a) manter os relatórios dos testes secretos (nem o ministro presidente do TSE o conhece ainda); b) não permitir testes pelos Partidos; c) voltar a alterar todo o projeto das urnas para 2010.

    6) Complementando, este nosso “processo eleitoral” tem sido rejeitado e até proibido em todo o mundo como: EUA, Russia, Holanda, Reino Unido, França, Japão, Coréia, México, Argentina e até no Paraguai (que tinha recebido 17 mil, de nossas urnas de graça). Em Alagoas 2006, foram encontrados erros e inconsistências nos arquivos de logs de quase metade das urnas mas até agora o administrador eleitoral não permitiu que fosse iniciado uma auditoria independente sobre as urnas usadas.

    É surpreendente como brasileiros razoavelmente instruidos aceitam um sistema eleitoral cujo resultado não tem como ser contabilmente conferido e onde não se permite auditoria externa independente.

    Deve ser consequência dos “apenas 20 anos de democracia” que a Cristina citou.

  297. Daniel disse:

    Amilcar

    Que restrições são essas que o TSE impôs que fragilizam a averificação podendo resultar em FALSO POSITIVO?

    Daniel

  298. Daniel disse:

    Amilcar

    Que restrições são essas que o TSE impôs que fragilizam a averificação podendo resultar em FALSO POSITIVO?

    Daniel

  299. bruno disse:

    Daniel,

    fiquei surpreso com a sua reação ao meu comentário. Achei que seria mais incisivo. Eu não afirmei que as urnas não usariam Linux, afirmei que nem todas usuariam o SO [ porque o conjunto de urnas atual já é uma salada mista ]. Bem, minha conclusão a respeito do tema é muito simples, espero que desta vez concordemos:

    1. Nenhum software é inviolável (vale para a urna eletrônica)
    2. Nenhum processo é totalmente seguro (vale para o de votação)
    3. O fato de as coisas serem fraudáveis não quer dizer que elas foram, estão sendo ou serão fraudadas (vale para a eleição)
    4. O tópico já deu o que tinha que dar.

    abraços

  300. bruno disse:

    Daniel,

    fiquei surpreso com a sua reação ao meu comentário. Achei que seria mais incisivo. Eu não afirmei que as urnas não usariam Linux, afirmei que nem todas usuariam o SO [ porque o conjunto de urnas atual já é uma salada mista ]. Bem, minha conclusão a respeito do tema é muito simples, espero que desta vez concordemos:

    1. Nenhum software é inviolável (vale para a urna eletrônica)
    2. Nenhum processo é totalmente seguro (vale para o de votação)
    3. O fato de as coisas serem fraudáveis não quer dizer que elas foram, estão sendo ou serão fraudadas (vale para a eleição)
    4. O tópico já deu o que tinha que dar.

    abraços

  301. Paulo disse:

    Silvio, não é nada justo o que você está fazendo: emitir tais afirmações comparando uma frase solta do presidente do TSE com uma entrevista com um anônimo, supostamente especialista em segurança.

    Seria difícil ouvir os técnicos do TSE para saber o outro lado da história? Quais os interesses do anonimato? Acho que não é coisa de profissional de segurança e, sim, de quem vive no submundo da segurança.

  302. Paulo disse:

    Silvio, não é nada justo o que você está fazendo: emitir tais afirmações comparando uma frase solta do presidente do TSE com uma entrevista com um anônimo, supostamente especialista em segurança.

    Seria difícil ouvir os técnicos do TSE para saber o outro lado da história? Quais os interesses do anonimato? Acho que não é coisa de profissional de segurança e, sim, de quem vive no submundo da segurança.

  303. Daniel,
    Contrariando a sugestão do Relatório Unicamp (item 5.5) que recomendava dar aos partidos condições de verificarem as assinaturas digitais dos programas do sistema eleitora COM RECURSOS PRÓPRIOS e SOB CONTROLE DO AGENTE VERIFICADOR, o TSE impõe que a verificação de assinaturas digitais seja feita pelo próprio sistema sob análise. Na realidade é apenas uma auto-verificação.
    O fiscal do partido tem que colocar um disquete na urna-e, ela é ligada e, depois de piscar umas vezes o drive do disquete, apresenta uma tela padronizada dizendo que não há problemas nas assinaturas determinadas.
    O procedimento não permite que o fiscal tenha controle sobre o sistema fiscalizado e sim seja submetido a uma tela apresentada pelo próprio. Também não é permitido verificar se existem arquivos inesperados, apenas uma lista fixa e predeterminada de arquivos podem ser “verificados”.
    Todas as sugestões que o PDT apresentou para corrigir estas inseguranças foram ignoradas.
    Por isto, tanto o MP, a OAB, o PT e o PDT desistiram, em 2008, de participar deste simulacro de teste.

  304. Daniel,
    Contrariando a sugestão do Relatório Unicamp (item 5.5) que recomendava dar aos partidos condições de verificarem as assinaturas digitais dos programas do sistema eleitora COM RECURSOS PRÓPRIOS e SOB CONTROLE DO AGENTE VERIFICADOR, o TSE impõe que a verificação de assinaturas digitais seja feita pelo próprio sistema sob análise. Na realidade é apenas uma auto-verificação.
    O fiscal do partido tem que colocar um disquete na urna-e, ela é ligada e, depois de piscar umas vezes o drive do disquete, apresenta uma tela padronizada dizendo que não há problemas nas assinaturas determinadas.
    O procedimento não permite que o fiscal tenha controle sobre o sistema fiscalizado e sim seja submetido a uma tela apresentada pelo próprio. Também não é permitido verificar se existem arquivos inesperados, apenas uma lista fixa e predeterminada de arquivos podem ser “verificados”.
    Todas as sugestões que o PDT apresentou para corrigir estas inseguranças foram ignoradas.
    Por isto, tanto o MP, a OAB, o PT e o PDT desistiram, em 2008, de participar deste simulacro de teste.

  305. Daniel disse:

    Bruno

    Não teria porque ser mais incisivo. Entrei nessa questão do SO porque o Frodo disse que as urnas rodam DOS, o que, além de absurdo, cria uma imagem de vulnerabilidade indiscutível. Te afirmo que a partir dessa eleição, todas rodarão Linux, abandonando a salada mista que devia ser um problema para o TSE e para quem quer fiscalizar alguma coisa.

    Quanto aos intes que vc citou, realmente estamos chegando a um acordo. Como vc diz, o fato de uma coisa ser teoricamente fraudável, não quer dizer que esteja sendo fraudado ou que haja viabilidade de fazê-lo. Nenhum software é inviolável. Nenhum processo é inviolável. Mas, um software bastante robusto, combinado com um bom processo torna a violação praticamente uma especulação teórica.

    Concordo que o tópico já deu o que tinha que dar. Talvez se o tópico não tivesse tantas afirmações absurdas e tivesse se pautado em questões como você colocou, não teria dado esse bate-boca todo. Quando um cara fala de vulnerabilidade da urna e começa a citar exemplos ridículos e dados mentirosos, a coisa fica perigosa. Olha o número de comentários de conhecedores de informática que nem sairam das fraldas e começam a dizer bobagens incentivadas por um artigo de mau gosto.

    Um abraço
    Daniel

  306. Daniel disse:

    Bruno

    Não teria porque ser mais incisivo. Entrei nessa questão do SO porque o Frodo disse que as urnas rodam DOS, o que, além de absurdo, cria uma imagem de vulnerabilidade indiscutível. Te afirmo que a partir dessa eleição, todas rodarão Linux, abandonando a salada mista que devia ser um problema para o TSE e para quem quer fiscalizar alguma coisa.

    Quanto aos intes que vc citou, realmente estamos chegando a um acordo. Como vc diz, o fato de uma coisa ser teoricamente fraudável, não quer dizer que esteja sendo fraudado ou que haja viabilidade de fazê-lo. Nenhum software é inviolável. Nenhum processo é inviolável. Mas, um software bastante robusto, combinado com um bom processo torna a violação praticamente uma especulação teórica.

    Concordo que o tópico já deu o que tinha que dar. Talvez se o tópico não tivesse tantas afirmações absurdas e tivesse se pautado em questões como você colocou, não teria dado esse bate-boca todo. Quando um cara fala de vulnerabilidade da urna e começa a citar exemplos ridículos e dados mentirosos, a coisa fica perigosa. Olha o número de comentários de conhecedores de informática que nem sairam das fraldas e começam a dizer bobagens incentivadas por um artigo de mau gosto.

    Um abraço
    Daniel

  307. jorge A P Gomes disse:

    Pra não restar dúvida se a violação do sistema da urna,basta que no dia da votação, a pessoa que votar a urna imprima na hora um comprovante com todos os dados que a pessoa votou. Se na hora am pessoa perceber que há algo errado fale imediatamente com o responsável da mesa. Transparência nunca é demais.

  308. jorge A P Gomes disse:

    Pra não restar dúvida se a violação do sistema da urna,basta que no dia da votação, a pessoa que votar a urna imprima na hora um comprovante com todos os dados que a pessoa votou. Se na hora am pessoa perceber que há algo errado fale imediatamente com o responsável da mesa. Transparência nunca é demais.

  309. Eduardo Gade disse:

    Se a urna eletronica é fabricada nos Estados Unidos, porque eles também não usam esse sistema? Já ouvi respostas do tipo: o sistema politico deles é diferente. Porém nunca vi uma resposta oficial.

    Parabéns pelo Blog!

  310. Eduardo Gade disse:

    Se a urna eletronica é fabricada nos Estados Unidos, porque eles também não usam esse sistema? Já ouvi respostas do tipo: o sistema politico deles é diferente. Porém nunca vi uma resposta oficial.

    Parabéns pelo Blog!

  311. Luiz disse:

    Para quem “acredita” na urna eletrônica, sugiro uma visita ao site:
    http://www.votoseguro.org

  312. Luiz disse:

    Para quem “acredita” na urna eletrônica, sugiro uma visita ao site:
    http://www.votoseguro.org

  313. Antonio Carlos Levorato Sega disse:

    “acontece que este blog, além de cético, escreve software há 35 anos”

    Pô, escreve software há 35 anos e textos há quantos? Assim, só pra dar uma dica: sempre que você começa um parágrafo ou após um ponto final, sempre comece a palavra com uma letra maiúscula. Nomes próprios também devem começar com a primeira letra “bitelona”.
    Problema no shift não é desculpa: todo teclado tem duas teclas e na (improvável) falha das duas, use o capslock.

  314. Antonio Carlos Levorato Sega disse:

    “acontece que este blog, além de cético, escreve software há 35 anos”

    Pô, escreve software há 35 anos e textos há quantos? Assim, só pra dar uma dica: sempre que você começa um parágrafo ou após um ponto final, sempre comece a palavra com uma letra maiúscula. Nomes próprios também devem começar com a primeira letra “bitelona”.
    Problema no shift não é desculpa: todo teclado tem duas teclas e na (improvável) falha das duas, use o capslock.

  315. Pedro disse:

    Artigo inútil! A urna eletrônica não usa mais Windows, usa Linux.

  316. Pedro disse:

    Artigo inútil! A urna eletrônica não usa mais Windows, usa Linux.

  317. Daniel Labaig disse:

    Se a nossa urna fosse tão segura, os países desenvolvidos,
    ja não teria copiado a “formaula”. Pena que o TSE não informa nada
    o problema é sempre deles nunca da urna, deveria ser demetido quem cometeu um erro tão grave.

  318. Daniel Labaig disse:

    Se a nossa urna fosse tão segura, os países desenvolvidos,
    ja não teria copiado a “formaula”. Pena que o TSE não informa nada
    o problema é sempre deles nunca da urna, deveria ser demetido quem cometeu um erro tão grave.

  319. A Urna Eletrônica é um computador que funciona conforme a programação planejada podendo sim atender conforme os interesses, de acordo com sua programação.

  320. A Urna Eletrônica é um computador que funciona conforme a programação planejada podendo sim atender conforme os interesses, de acordo com sua programação.

  321. Marcos disse:

    Todo sistema de software/hardware implantados em determinada organização, de qualquer ramo, no mínimo necessita de manutenção, acompanhamento, melhorias e análise do uso pelos seres humanos continuamente. E se um sistema de SW/HW é utilizado para eleger líderes políticos em um país com mais de 180 milhões de pessoas nem se fale do tamanho da estrutura técnica necessária para efetuar melhorias, etc..

  322. Marcos disse:

    Todo sistema de software/hardware implantados em determinada organização, de qualquer ramo, no mínimo necessita de manutenção, acompanhamento, melhorias e análise do uso pelos seres humanos continuamente. E se um sistema de SW/HW é utilizado para eleger líderes políticos em um país com mais de 180 milhões de pessoas nem se fale do tamanho da estrutura técnica necessária para efetuar melhorias, etc..

  323. ANDRÉ disse:

    tem gente dizendo que a máquina não é segura , alegando a vitória do lula . se o lula tivesse perdido eles iriam dizer que a máquina era segura .

  324. ANDRÉ disse:

    tem gente dizendo que a máquina não é segura , alegando a vitória do lula . se o lula tivesse perdido eles iriam dizer que a máquina era segura .

  325. Zita Alves disse:

    Nas minhas viagens pelo interior ouvi relatos de eleitores que digitaram o número do candidato de preferência e apareceu outro, mas, elas não são instruidas para que caso o fato aconteça, anular e efetuar nova ação. Caso persista, informar ao mesa. O que vem acontecendo é apertar o verde, o que confirma. Quanto menos instrução tenha o eleitor mais fácil de não saber qual atitude tomar.

  326. Zita Alves disse:

    Nas minhas viagens pelo interior ouvi relatos de eleitores que digitaram o número do candidato de preferência e apareceu outro, mas, elas não são instruidas para que caso o fato aconteça, anular e efetuar nova ação. Caso persista, informar ao mesa. O que vem acontecendo é apertar o verde, o que confirma. Quanto menos instrução tenha o eleitor mais fácil de não saber qual atitude tomar.

  327. Sergio Lima Cromha disse:

    O problema não é a violação de urna e sim a falta de segurança nos candidatos, muitos já foram e estão sendo processados por estalionato, furtos, homicídios e tem seu direito de candidatura protegido pela própria máquina. Estes eleitos, vão fazer de tudo para se reelegar mais de uma vez. Vão comprar o voto eletronicamente fornecendo cartões de pagamento de gáz, leite, etc… Assim nunca sairão do governo, mas o interesse é muito profundo, vai além do valor econômico ou social do nosso voto. Inviolável é um absurdo, pois até a NASA é invadida, sob proteção dos sistemas mais sofisticados de Firewall, imagina um sistema Linux ou Windouws CE.

  328. Sergio Lima Cromha disse:

    O problema não é a violação de urna e sim a falta de segurança nos candidatos, muitos já foram e estão sendo processados por estalionato, furtos, homicídios e tem seu direito de candidatura protegido pela própria máquina. Estes eleitos, vão fazer de tudo para se reelegar mais de uma vez. Vão comprar o voto eletronicamente fornecendo cartões de pagamento de gáz, leite, etc… Assim nunca sairão do governo, mas o interesse é muito profundo, vai além do valor econômico ou social do nosso voto. Inviolável é um absurdo, pois até a NASA é invadida, sob proteção dos sistemas mais sofisticados de Firewall, imagina um sistema Linux ou Windouws CE.

  329. Sueli Helena disse:

    As urna eletrônicas brasileiras nunca utilizaram o sistema operacional DOS. Em eleições passadas, foram utilizados os sistemas operacionais VirtuOS e O Microsoft Windows CE. Atualmente todas as urnas eletrônicas utilizam o sistema Linux, em um release de uso exclusivo da Justiça Eleitoral.
    Existem mecanismos de segurança computacional, amplamente conhecidos no meio acadêmico, que garantem a autenticidade, confiabilidade e integridade das informações recebidas, tais como o uso de assinaturas digitais, hash (resumos digitais), criptografia e tabela de correspondência entre a urna eletrônica e a seção eleitoral.
    O artigo americano citado trata de sistemas e falhas de segurança genéricas. O autor do artigo não cita as urnas eletrônicas brasileiras e nunca realizou nenhum estudo aprofundado o nosso sistema. A título de comentário, o sistema eletrônico de votação brasileiro é tão complexo e envolve tantas pessoas, que a fraude um enorme desafio computacional e econômico. Além disse, deve diferenciar o conceito de falha e fraude. O primeiro é um defeito, um erro de fabricação e o segundo é a um ato ardiloso, enganoso, de má-fé, com a intenção de lesar ou alterar o resultado. Ao longo de mais de 10 anos do sistema eletrônico de votação, o sistema foi constantemente aperfeiçoado para corrigir qualquer falha e evitar fraudes.
    Os sistemas eleitorais tem ser código-fonte aberto para verificação dos partidos políticos, no termos do artigo 66 da Lei 9504/97. Após concluídos, todos os sistemas são desenvolvidos no TSE e assinados digitalmente pelos Ministros e equipe técnica, além dos fiscais dos partidos políticos, Ministério Público e OAB. Além disso, tem seu resumo digital (hash) publicado na Internet (http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/resumos_digitais.htm). Desta forma, assegura-se a autoria, autenticidade e a integridade dos arquivos. Se qualquer alteração ocorrer, a urna eletrônica simplesmente deixa de funcionar. Até os dias atuais, nenhuma comprovação de violação ocorreu, o que nos leva a afirmar que as urnas são 100% seguras.
    As urnas eletrônicas podem e devem ser ligadas antes as eleições para os procedimentos de teste, carga, preparação e montagem dos ambientes. Não é uma falha de procedimento. O procedimento impedido via sistema e a inserção de votos, que somente são permitidos no dia da eleição. Registre-se que os eventos são registrados em logs, que são analisados. Logo, comprometer a credibilidade do sistema com comentários deste tipo demonstram desconhecimento do processo.
    Os comentários presentes no citado site nunca foram comprovados. A Justiça Eleitoral analisa todos os casos denunciados e em nenhum deles foi comprovado fraude. Dentre as denúncias apresentadas, nenhuma continha divergência do resumo digital (hash). É importante esclarecer que os sistemas são abertos para ampla fiscalização, por seis meses, a qualquer partido político e, em casos de denúncia, após as eleições os sistemas são perfeitamente auditáveis.
    Como já foi dito, o sistema é constantemente aperfeiçoado. Um bom exemplo foi resultante de uma análise independente da Unicamp, realizada em 2002. Quase todas as recomendações apresentadas foram acolhidas e implementadas pela Justiça Eleitoral. Quanto a regulação do sistema, o Código Eleitoral e a Lei Geral das Eleições já o fazem. E as atividades, dentro da própria Justiça Eleitoral são segmentadas. O TSE desenvolve os sistemas, mas quem operacionaliza a eleição são os Tribunais Regionais, os cartórios e quase 2 milhões de mesários. Além disso, toda a supervisão
    A Justiça Eleitoral prove, nas 27 capitais brasileiras, na mesma data e hora da eleição, um procedimento chamado de votação paralela, que consiste em uma auditoria pública, filmada, onde são comparadas a soma manual dos votos com o total apresentado por urnas eletrônicas sorteadas. O procedimento é uma prova irrefutável que a vontade do eleitor é respeitada na urna eletrônica. Os vídeos mostrados das urnas do Paraguai, não utilizam os sistemas da Justiça Eleitoral. Tal tentativa de fraude com os nossos sistemas seria impossível nos dias atuais. Além disso, aquele modelo de urna não é mais utilizado no Brasil. Quanto a possibilidade de auditoria da urna eletrônica, conhecida como teste de vulnerabilidade, a Justiça Eleitoral já se propôs a fazê-lo, com o objetivo de aperfeiçoar o sistema. É importante esclarecer, que o objetivo do teste é produzir um resultado válido, que seja aceito pelo sistema de totalização, sem deixar vestígios. Isso envolve um escopo muito maior que apenas a urna eletrônica. E estamos em busca de pessoas sérias, qualificadas no meio acadêmico para participar deste evento.

  330. Sueli Helena disse:

    As urna eletrônicas brasileiras nunca utilizaram o sistema operacional DOS. Em eleições passadas, foram utilizados os sistemas operacionais VirtuOS e O Microsoft Windows CE. Atualmente todas as urnas eletrônicas utilizam o sistema Linux, em um release de uso exclusivo da Justiça Eleitoral.
    Existem mecanismos de segurança computacional, amplamente conhecidos no meio acadêmico, que garantem a autenticidade, confiabilidade e integridade das informações recebidas, tais como o uso de assinaturas digitais, hash (resumos digitais), criptografia e tabela de correspondência entre a urna eletrônica e a seção eleitoral.
    O artigo americano citado trata de sistemas e falhas de segurança genéricas. O autor do artigo não cita as urnas eletrônicas brasileiras e nunca realizou nenhum estudo aprofundado o nosso sistema. A título de comentário, o sistema eletrônico de votação brasileiro é tão complexo e envolve tantas pessoas, que a fraude um enorme desafio computacional e econômico. Além disse, deve diferenciar o conceito de falha e fraude. O primeiro é um defeito, um erro de fabricação e o segundo é a um ato ardiloso, enganoso, de má-fé, com a intenção de lesar ou alterar o resultado. Ao longo de mais de 10 anos do sistema eletrônico de votação, o sistema foi constantemente aperfeiçoado para corrigir qualquer falha e evitar fraudes.
    Os sistemas eleitorais tem ser código-fonte aberto para verificação dos partidos políticos, no termos do artigo 66 da Lei 9504/97. Após concluídos, todos os sistemas são desenvolvidos no TSE e assinados digitalmente pelos Ministros e equipe técnica, além dos fiscais dos partidos políticos, Ministério Público e OAB. Além disso, tem seu resumo digital (hash) publicado na Internet (http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/resumos_digitais.htm). Desta forma, assegura-se a autoria, autenticidade e a integridade dos arquivos. Se qualquer alteração ocorrer, a urna eletrônica simplesmente deixa de funcionar. Até os dias atuais, nenhuma comprovação de violação ocorreu, o que nos leva a afirmar que as urnas são 100% seguras.
    As urnas eletrônicas podem e devem ser ligadas antes as eleições para os procedimentos de teste, carga, preparação e montagem dos ambientes. Não é uma falha de procedimento. O procedimento impedido via sistema e a inserção de votos, que somente são permitidos no dia da eleição. Registre-se que os eventos são registrados em logs, que são analisados. Logo, comprometer a credibilidade do sistema com comentários deste tipo demonstram desconhecimento do processo.
    Os comentários presentes no citado site nunca foram comprovados. A Justiça Eleitoral analisa todos os casos denunciados e em nenhum deles foi comprovado fraude. Dentre as denúncias apresentadas, nenhuma continha divergência do resumo digital (hash). É importante esclarecer que os sistemas são abertos para ampla fiscalização, por seis meses, a qualquer partido político e, em casos de denúncia, após as eleições os sistemas são perfeitamente auditáveis.
    Como já foi dito, o sistema é constantemente aperfeiçoado. Um bom exemplo foi resultante de uma análise independente da Unicamp, realizada em 2002. Quase todas as recomendações apresentadas foram acolhidas e implementadas pela Justiça Eleitoral. Quanto a regulação do sistema, o Código Eleitoral e a Lei Geral das Eleições já o fazem. E as atividades, dentro da própria Justiça Eleitoral são segmentadas. O TSE desenvolve os sistemas, mas quem operacionaliza a eleição são os Tribunais Regionais, os cartórios e quase 2 milhões de mesários. Além disso, toda a supervisão
    A Justiça Eleitoral prove, nas 27 capitais brasileiras, na mesma data e hora da eleição, um procedimento chamado de votação paralela, que consiste em uma auditoria pública, filmada, onde são comparadas a soma manual dos votos com o total apresentado por urnas eletrônicas sorteadas. O procedimento é uma prova irrefutável que a vontade do eleitor é respeitada na urna eletrônica. Os vídeos mostrados das urnas do Paraguai, não utilizam os sistemas da Justiça Eleitoral. Tal tentativa de fraude com os nossos sistemas seria impossível nos dias atuais. Além disso, aquele modelo de urna não é mais utilizado no Brasil. Quanto a possibilidade de auditoria da urna eletrônica, conhecida como teste de vulnerabilidade, a Justiça Eleitoral já se propôs a fazê-lo, com o objetivo de aperfeiçoar o sistema. É importante esclarecer, que o objetivo do teste é produzir um resultado válido, que seja aceito pelo sistema de totalização, sem deixar vestígios. Isso envolve um escopo muito maior que apenas a urna eletrônica. E estamos em busca de pessoas sérias, qualificadas no meio acadêmico para participar deste evento.

  331. Elysama disse:

    Muito intereçante, adorei….
    aluna da escola estadual bela vista
    oitavo ano A.

  332. Elysama disse:

    Muito intereçante, adorei….
    aluna da escola estadual bela vista
    oitavo ano A.

  333. Giancarlo disse:

    Sobre fotos e/ou números trocados na urna a reportagem abaixo do extra.globo.com vai esclarecer o motivo

    “RIO – Foram registrados muitos incidentes e curiosidades pelo país nas eleições deste domingo ( clique aqui e veja fotos das eleições pelo país ). Em Coxim, região Norte de Mato Grosso do Sul, a candidata Luiza Maria Gerônimo da Silva provocou um princípio de tumulto na seção onde vota. Ao teclar na urna eletrônica o seu número, ela percebeu que não aparecia sua foto e foi reclamar para o mesário que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) havia registrado o número da sua candidatura errado. Levada ao cartório eleitoral, o juiz mostrou a ela que, conforme documento assinado pela candidata e pelo delegado do partido, o registro da candidatura dela é 14.111, e não 14.123, como estava impresso em todo o material de campanha que foi usado durante o pleito. Embora se chame Luiza, ela registrou a candidatura também com o apelido de “Aninha”, o que é permitido por lei.”

  334. Giancarlo disse:

    Sobre fotos e/ou números trocados na urna a reportagem abaixo do extra.globo.com vai esclarecer o motivo

    “RIO – Foram registrados muitos incidentes e curiosidades pelo país nas eleições deste domingo ( clique aqui e veja fotos das eleições pelo país ). Em Coxim, região Norte de Mato Grosso do Sul, a candidata Luiza Maria Gerônimo da Silva provocou um princípio de tumulto na seção onde vota. Ao teclar na urna eletrônica o seu número, ela percebeu que não aparecia sua foto e foi reclamar para o mesário que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) havia registrado o número da sua candidatura errado. Levada ao cartório eleitoral, o juiz mostrou a ela que, conforme documento assinado pela candidata e pelo delegado do partido, o registro da candidatura dela é 14.111, e não 14.123, como estava impresso em todo o material de campanha que foi usado durante o pleito. Embora se chame Luiza, ela registrou a candidatura também com o apelido de “Aninha”, o que é permitido por lei.”

  335. Vilaça disse:

    Nunca, sequer por um momento, acreditei que as urnas são invioláveis. Não são e todo mundo sabe disso e faz que não sabe.
    Somos um país de tolos. De iletrados e de despolitizados.
    Ah, Brasil, pra onde o estão levando…

  336. Vilaça disse:

    Nunca, sequer por um momento, acreditei que as urnas são invioláveis. Não são e todo mundo sabe disso e faz que não sabe.
    Somos um país de tolos. De iletrados e de despolitizados.
    Ah, Brasil, pra onde o estão levando…