MENU

Escrito por • 29/03/2011

varejo, loja, web, preços… e o comércio social

tente comprar um note ou netbook. por onde você começaria? perguntando pra um carinha numa loja qualquer? acho que não, pelo menos na vasta maioria dos casos, a menos que você conheça [e respeite] um deles.

imagepor outro lado, você pode ter um daqueles sobrinhos que parece descender direto de caras como turing, church, gödel, von neumann, shannon, wiener, bush, kleinrock, , berners-lee e castells, só pra citar uns poucos. se seu apadrinhado é este cara, parabéns, ouça-o e tome nota do que ele [ou ela] acha que vai servir pra você. mas cuidado: se o carinha é um dos "fascinados por tecnologia" e aconselha a compra de "tecnologia", o último-grito-da-moda, ao invés de uma combinação de custo e benefício que atende requisitos de performance, usabilidade e preço [por exemplo]… corra. muito, e rápido. você [nem ninguém] quer comprar "tecnologia"… mas solução.

[peraí: quem são os sobrenomes em laranja do parágrafo anterior? são umas poucas das muitas personalidades por trás das teorias fundamentais da informaticidade… a infraestrutura do espaço informacional em que vivemos. a lista, claro, é só um pequeno exemplo de nomes e há muitos mais…]

bem, depois de decidir umas poucas coisas [é pra navegar? é pra jogar? que tipo de jogo?… tem modelagem geométrica na parada?…] e ver um número de alternativas na web, talvez nos sites dos fabricantes e certamente em avaliações de revistas de informática e blogs especializados… você vai em alguma ferramenta de comparação de preços e vê onde é mais barato.

normal; olha só o que a nielsen descobriu, no mundo inteiro:

…online reviews are playing an increasingly important role in purchasing decisions; 57% of online respondents consider reviews prior to purchase, particularly for cars, software and consumer electronics; and 40% of participants said they would not even buy electronics without consulting online reviews beforehand.

imagequarenta por cento dos potenciais consumidores nem pensariam em comprar alguma coisa sem levar avaliações online em consideração. até porque o produto em pauta, apesar da sofisticação tecnológica de seu design, componentes, peças, fabricação e software embutido… é uma commodity. não no sentido de grãos de soja ou pelotas de minério de ferro, claro. mas… qual é mesmo a diferença entre trinta modelos de laptops que usam placas desenhadas pelo mesmo fabricante e software do mesmo fornecedor? o "look and feel" do teclado? o plástico-com-jeito-de-alumínio da estrutura?…

mas tergiverso. você foi lá no buscapé e descobriu que "seu" laptop está na loja eletrônica "x", por um preço bem, mas bem mais barato do que a concorrência. e as chances são altas, muito altas, de que você vai fazer esta compra online. veja o que diz a imagem abaixo, deste gráfico do mashable, sobre compras online:

image

na letra miúda está escrito que, na américa latina, pelo menos um terço dos compradores prefere comprar em lojas online que também têm uma loja física. somos desconfiados; metade ou mais dos americanos declara comprar em lojas que só existem online. mas tirando a áfrica, somos todos parecidos: mas de 80% de nossas populações dizem já ter feito alguma compra online. no caso da américa latina, acho o número exagerado e acredito que inclua carga de celular pela rede [celular], o que não deixa de ser uma "compra online".

então, a cena é a seguinte: você achou o menor preço numa loja online de uma rede física e, morando a quarteirões poucos do lugar, vai até lá ver se consegue o mesmo preço da internet e, no topo disso, ainda ajuda o ambiente. como o notebook que você queria já está na esquina, não vai ser preciso transportar mais um pra perto da sua casa… era só você fechar o negócio ali perto, pegar a coisa no estoque e ir cuidar da sua vida, jogando cityVille, que fosse.

nada disso: na loja "de verdade", o notebook é R$200 mais caro que na web; na web, a entrega é grátis para todo o brasil. então estamos falando de 200 pilas a mais mesmo. mas o vendedor diz… "senhor, eu gostaria muito de não perder esta venda, mas o fato é que não competimos com nossa própria loja online". detalhe: ele me diz que "competimos com outras lojas online, mas não com nossa própria…", ao que eu pergunto se a função da loja deles, online, é destruir a loja física vendendo produtos quase 20% mais baratos desde que você tope esperar seis dias para receber o bem em casa. o vendedor, que tem mais coisa pra fazer, dá uma rabissaca sem palavras e vai vender um ventilador a algum incauto [ou desconectado?…] que ainda não sabe que na web está mais barato… e com frete grátis.

as lojas online das redes físicas parecem ser, de verdade, empresas diferentes. o consumidor, cada vez mais digital, conectado e móvel, sabe entrar na rede a partir da loja de cimento e tijolos e, se não souber liga pra casa e, como já vi mais de uma vez, pede: "minha filha, veja aí na internet o preço da geladeira X, modelo Y… e veja o preço da entrega também…" e lá se foi o negócio para a loja física e seu vendedor, que vive mais da comissão do que do salário.

vamos combinar que muitas das lojas físicas de quem tem lojas virtuais vivem de assimetria de informação, da aposta que uma certa parcela dos consumidores ainda não está em rede ou não domina os instrumentos que lhe possibilitariam, literalmente, usar informação de qualidade a seu favor. mas isso não vai durar muito, as lojas que se preparem. o comércio eletrônico no brasil já passa o faturamento de todos os shoppings da cidade de são paulo combinados e vem crescendo a taxas acima de 30% por ano.

como se não bastasse, sabe mais o que está para acontecer? uma revolução de comércio social, um mercado cujo substrato são os grafos sociais que vem sendo construídos em ambientes como faceBook, twitter, linkedIn e tantos outros, mudança radical que vai desmantelar até uma boa parte do comércio eletrônico clássico.

se eu fosse o gerente da loja física onde tentei comprar um laptop pelo preço da [sua] loja na web anteontem… eu ia ver a apresentação que fiz ontem, em recife, sobre social commerce, para lançamento da plataforma de comércio social clubox. e iria conversar, e a sério, com a galera da minha própria empresa que decidiu me detonar via web. antes que fosse tarde. demais…

image

Artigos relacionados

0 Responses to varejo, loja, web, preços… e o comércio social

  1. Purpa disse:

    As únicas coisas que eu não compro pela internet, por enquanto,
    são alimentos (o serviço oferecido ainda é ruim) , cueca e meias.

    O resto… até tênis já comprei.

  2. Purpa disse:

    As únicas coisas que eu não compro pela internet, por enquanto,
    são alimentos (o serviço oferecido ainda é ruim) , cueca e meias.

    O resto… até tênis já comprei.

  3. Purpa disse:

    As únicas coisas que eu não compro pela internet, por enquanto,
    são alimentos (o serviço oferecido ainda é ruim) , cueca e meias.

    O resto… até tênis já comprei.

  4. caruso disse:

    compro de quase tudo menos comida.

  5. caruso disse:

    compro de quase tudo menos comida.

  6. caruso disse:

    compro de quase tudo menos comida.

  7. Ari Meneghini disse:

    Silvio,

    Se considerarmos que a maioria das compras físicas tem início na internet, podemos afirmar que o e-commerce é responsável por um volume muito maior das vendas.

    Esse gráfico do Mashable já tinha visto, ele é completamente fora da realidade porque a penetração da web só é maior que 50% na Argentina e Chile, nem no Brasil temos essa penetração. Portanto afirmar que 81% dos latino americanos compraram pela internet é uma informação muito ruim.

    abs.
    Ari Meneghini
    IAB Brasil

  8. Ari Meneghini disse:

    Silvio,

    Se considerarmos que a maioria das compras físicas tem início na internet, podemos afirmar que o e-commerce é responsável por um volume muito maior das vendas.

    Esse gráfico do Mashable já tinha visto, ele é completamente fora da realidade porque a penetração da web só é maior que 50% na Argentina e Chile, nem no Brasil temos essa penetração. Portanto afirmar que 81% dos latino americanos compraram pela internet é uma informação muito ruim.

    abs.
    Ari Meneghini
    IAB Brasil

  9. Ari Meneghini disse:

    Silvio,

    Se considerarmos que a maioria das compras físicas tem início na internet, podemos afirmar que o e-commerce é responsável por um volume muito maior das vendas.

    Esse gráfico do Mashable já tinha visto, ele é completamente fora da realidade porque a penetração da web só é maior que 50% na Argentina e Chile, nem no Brasil temos essa penetração. Portanto afirmar que 81% dos latino americanos compraram pela internet é uma informação muito ruim.

    abs.
    Ari Meneghini
    IAB Brasil

  10. Felipe Farias disse:

    Parabéns pelo post Silvio! Me identifiquei bastante com seu texto.
    Antecipando essa tendência, que é a explosão do social commerce, eu e um grupo de amigos estamos construindo um serviço web que visa atender a essa demanda por informações pessoais acerca de produtos. O serviço ainda esta em construção, mas vale conferir o site.
    http://www.criticaae.com.br

  11. Felipe Farias disse:

    Parabéns pelo post Silvio! Me identifiquei bastante com seu texto.
    Antecipando essa tendência, que é a explosão do social commerce, eu e um grupo de amigos estamos construindo um serviço web que visa atender a essa demanda por informações pessoais acerca de produtos. O serviço ainda esta em construção, mas vale conferir o site.
    http://www.criticaae.com.br

  12. Felipe Farias disse:

    Parabéns pelo post Silvio! Me identifiquei bastante com seu texto.
    Antecipando essa tendência, que é a explosão do social commerce, eu e um grupo de amigos estamos construindo um serviço web que visa atender a essa demanda por informações pessoais acerca de produtos. O serviço ainda esta em construção, mas vale conferir o site.
    http://www.criticaae.com.br

  13. SIDNEY disse:

    A diferença por comprar na loja física e pagar mais caro, pode ser explicada:
    Na loja física você vê o produto que está comprando, confere o estoque na hora e já leva o produto pra casa, além do que da para ganhar algum desconto, se for à vista por exemplo.
    Na Loja virtual, o prazo determinado pode exceder ou nem chegar, e você na maioria das compras já pagou pela compra, ai a dor de cabeça para receber o dinheiro de volta.
    Se o produto estiver com defeito você vai imediatamente à loja física e troca, na Virtual se o que você comprou e está correto mais com defeito vai ter que depender dos correios ou da retirada por conta da loja virtual para troca.
    Na loja Física você conversa com pessoas, na Virtual com Secretária Eletrônica ou por troca de emais.
    De qualquer maneira, acredito muito no E-Commerce, realmente não vai demorar muito para engolir uma boa parte de lojas físicas de produtos eletrônicos, domésticos, construção civil etc.Exeto alguns setores que praticamente fica inviável comprar pela internet como vestuário em geral. Quando houver este domínio, podem crer que os preços vão se equiparar.

  14. SIDNEY disse:

    A diferença por comprar na loja física e pagar mais caro, pode ser explicada:
    Na loja física você vê o produto que está comprando, confere o estoque na hora e já leva o produto pra casa, além do que da para ganhar algum desconto, se for à vista por exemplo.
    Na Loja virtual, o prazo determinado pode exceder ou nem chegar, e você na maioria das compras já pagou pela compra, ai a dor de cabeça para receber o dinheiro de volta.
    Se o produto estiver com defeito você vai imediatamente à loja física e troca, na Virtual se o que você comprou e está correto mais com defeito vai ter que depender dos correios ou da retirada por conta da loja virtual para troca.
    Na loja Física você conversa com pessoas, na Virtual com Secretária Eletrônica ou por troca de emais.
    De qualquer maneira, acredito muito no E-Commerce, realmente não vai demorar muito para engolir uma boa parte de lojas físicas de produtos eletrônicos, domésticos, construção civil etc.Exeto alguns setores que praticamente fica inviável comprar pela internet como vestuário em geral. Quando houver este domínio, podem crer que os preços vão se equiparar.

  15. SIDNEY disse:

    A diferença por comprar na loja física e pagar mais caro, pode ser explicada:
    Na loja física você vê o produto que está comprando, confere o estoque na hora e já leva o produto pra casa, além do que da para ganhar algum desconto, se for à vista por exemplo.
    Na Loja virtual, o prazo determinado pode exceder ou nem chegar, e você na maioria das compras já pagou pela compra, ai a dor de cabeça para receber o dinheiro de volta.
    Se o produto estiver com defeito você vai imediatamente à loja física e troca, na Virtual se o que você comprou e está correto mais com defeito vai ter que depender dos correios ou da retirada por conta da loja virtual para troca.
    Na loja Física você conversa com pessoas, na Virtual com Secretária Eletrônica ou por troca de emais.
    De qualquer maneira, acredito muito no E-Commerce, realmente não vai demorar muito para engolir uma boa parte de lojas físicas de produtos eletrônicos, domésticos, construção civil etc.Exeto alguns setores que praticamente fica inviável comprar pela internet como vestuário em geral. Quando houver este domínio, podem crer que os preços vão se equiparar.

  16. Ao contrário de alguns, eu já comprei comida sim… algumas lanchonetes atendem pedidos feitos online e não me arrependo do serviço não. O “atendimento” foi infinitamente melhor do que o por telefone…
    Uma coisa que poderia ser adotado pelos demais serviços de atendimento… o da GOL por exemplo, é infinitamente melhor pelo chat do que pelo 0300… mas voltando. Meu sogro que só utiliza o computador para jogar reverse (e é muito bom nisso, se houvesse um campeonato mundial, ele faturava com certeza) comprou recentemente uma série de elerodomésticos (geladeira, máquina de lavar, fogão), artefatos para cozinha, sala, para casa em geral… e ele não é nem da geração da web estática (pré geração email – a minha).
    O comércio online já está afetando seriamente o comércio “físico”, pelo menos relacionado a artefatos de importância e alto valor… por enquanto a rua da concórdia não tem com o que se preocupar… mas até quando?
    E eu sou um dos que leva, e muito, em conta o feedback de demais consumidores de produtos e serviços que tenho interesse em adquirir. Meu atual carro eu comprei após uma longa pesquisa em fóruns, wikis e listas.. decidi entre 3 modelos a partir de avaliações dos usuários, uma vez que para este segmento em especial – automóveis – eu não acredito nas avaliações das revistas.. e sabe por quê? porque eu nunca vi uma avaliação negativa! rs

  17. Ao contrário de alguns, eu já comprei comida sim… algumas lanchonetes atendem pedidos feitos online e não me arrependo do serviço não. O “atendimento” foi infinitamente melhor do que o por telefone…
    Uma coisa que poderia ser adotado pelos demais serviços de atendimento… o da GOL por exemplo, é infinitamente melhor pelo chat do que pelo 0300… mas voltando. Meu sogro que só utiliza o computador para jogar reverse (e é muito bom nisso, se houvesse um campeonato mundial, ele faturava com certeza) comprou recentemente uma série de elerodomésticos (geladeira, máquina de lavar, fogão), artefatos para cozinha, sala, para casa em geral… e ele não é nem da geração da web estática (pré geração email – a minha).
    O comércio online já está afetando seriamente o comércio “físico”, pelo menos relacionado a artefatos de importância e alto valor… por enquanto a rua da concórdia não tem com o que se preocupar… mas até quando?
    E eu sou um dos que leva, e muito, em conta o feedback de demais consumidores de produtos e serviços que tenho interesse em adquirir. Meu atual carro eu comprei após uma longa pesquisa em fóruns, wikis e listas.. decidi entre 3 modelos a partir de avaliações dos usuários, uma vez que para este segmento em especial – automóveis – eu não acredito nas avaliações das revistas.. e sabe por quê? porque eu nunca vi uma avaliação negativa! rs

  18. Ao contrário de alguns, eu já comprei comida sim… algumas lanchonetes atendem pedidos feitos online e não me arrependo do serviço não. O “atendimento” foi infinitamente melhor do que o por telefone…
    Uma coisa que poderia ser adotado pelos demais serviços de atendimento… o da GOL por exemplo, é infinitamente melhor pelo chat do que pelo 0300… mas voltando. Meu sogro que só utiliza o computador para jogar reverse (e é muito bom nisso, se houvesse um campeonato mundial, ele faturava com certeza) comprou recentemente uma série de elerodomésticos (geladeira, máquina de lavar, fogão), artefatos para cozinha, sala, para casa em geral… e ele não é nem da geração da web estática (pré geração email – a minha).
    O comércio online já está afetando seriamente o comércio “físico”, pelo menos relacionado a artefatos de importância e alto valor… por enquanto a rua da concórdia não tem com o que se preocupar… mas até quando?
    E eu sou um dos que leva, e muito, em conta o feedback de demais consumidores de produtos e serviços que tenho interesse em adquirir. Meu atual carro eu comprei após uma longa pesquisa em fóruns, wikis e listas.. decidi entre 3 modelos a partir de avaliações dos usuários, uma vez que para este segmento em especial – automóveis – eu não acredito nas avaliações das revistas.. e sabe por quê? porque eu nunca vi uma avaliação negativa! rs

  19. É questionável alguns pontos citados por você. Há 1 ano atrás fui comprar um notebook em umas das lojas da rede Ponto Frio, ae deparei com o mesmo problema, só que a diferença era superior a R$ 500,00 reais em relação a mesma loja da rede, online. Nossa, isso me revoltou muito, coloquei toda culpa no vendedor…[incompetente???]…. mandei chamar a gerente e perguntei “porque essa diferença de preço?”. Ela me disse que não era confiável comprar pela Net. Quando ouvi isso fiquei impressionado…..”como assim?? você está me dizendo que a loja online da rede em que você é funcionária não é confiável”…..ela ficou sem palavras. Sai da loja muito revoltado com tudo aquilo, e comprei o mesmo Notebook na mesma loja online.
    Hoje paro refletir, um E-Commerce mesmo com a imensa complexidade e custo para sua implantação…ainda é mais barato você fechar todas as suas lojas físicas e continuar vendendo só pela Net. E muitos vendedores, principalmente em lojas de eletrônicos não estão ali para atender quem é familiarizado com tecnologia, pois eles não são preparados para nos informar nada…apenas para empurrar um produto a “qualquer custo” para nossos “bolsos”…..
    Quando você está comprando um produto em uma loja física o frente na maioria das vezes é gratuito……há um custo para levar o produto até a loja, e se, você pedir para entregar na sua casa, não paga mais nenhum centavo…..
    Em lojas online são apenas alguns produtos que o frete é grátis. Então não podemos particularizar as coisas…..e nem colocar a culpa no vendedor que é submisso aquela situação (…não tem preparação…) …e, ainda por cima ganha muito pouco. Se não fosse as comissões, coitados….
    Engraçados, as loja preferem que todos seus clientes comprem pela Net, pois é menos custoso, e mais cômodo para elas….
    Desejamos que futuramente tenham-se terminais online de compras em cada loja ou venda tudo pela Net…..melhor que ouvir besteiras dos vendedores…..mas em cidades pequenas o que sustem grande parte da economia é o comércio…e que será desses vendedores???
    Ps: Mas continuo revoltado com que a gerente falou da segurança em comprar pela loja online.

  20. É questionável alguns pontos citados por você. Há 1 ano atrás fui comprar um notebook em umas das lojas da rede Ponto Frio, ae deparei com o mesmo problema, só que a diferença era superior a R$ 500,00 reais em relação a mesma loja da rede, online. Nossa, isso me revoltou muito, coloquei toda culpa no vendedor…[incompetente???]…. mandei chamar a gerente e perguntei “porque essa diferença de preço?”. Ela me disse que não era confiável comprar pela Net. Quando ouvi isso fiquei impressionado…..”como assim?? você está me dizendo que a loja online da rede em que você é funcionária não é confiável”…..ela ficou sem palavras. Sai da loja muito revoltado com tudo aquilo, e comprei o mesmo Notebook na mesma loja online.
    Hoje paro refletir, um E-Commerce mesmo com a imensa complexidade e custo para sua implantação…ainda é mais barato você fechar todas as suas lojas físicas e continuar vendendo só pela Net. E muitos vendedores, principalmente em lojas de eletrônicos não estão ali para atender quem é familiarizado com tecnologia, pois eles não são preparados para nos informar nada…apenas para empurrar um produto a “qualquer custo” para nossos “bolsos”…..
    Quando você está comprando um produto em uma loja física o frente na maioria das vezes é gratuito……há um custo para levar o produto até a loja, e se, você pedir para entregar na sua casa, não paga mais nenhum centavo…..
    Em lojas online são apenas alguns produtos que o frete é grátis. Então não podemos particularizar as coisas…..e nem colocar a culpa no vendedor que é submisso aquela situação (…não tem preparação…) …e, ainda por cima ganha muito pouco. Se não fosse as comissões, coitados….
    Engraçados, as loja preferem que todos seus clientes comprem pela Net, pois é menos custoso, e mais cômodo para elas….
    Desejamos que futuramente tenham-se terminais online de compras em cada loja ou venda tudo pela Net…..melhor que ouvir besteiras dos vendedores…..mas em cidades pequenas o que sustem grande parte da economia é o comércio…e que será desses vendedores???
    Ps: Mas continuo revoltado com que a gerente falou da segurança em comprar pela loja online.

  21. É questionável alguns pontos citados por você. Há 1 ano atrás fui comprar um notebook em umas das lojas da rede Ponto Frio, ae deparei com o mesmo problema, só que a diferença era superior a R$ 500,00 reais em relação a mesma loja da rede, online. Nossa, isso me revoltou muito, coloquei toda culpa no vendedor…[incompetente???]…. mandei chamar a gerente e perguntei “porque essa diferença de preço?”. Ela me disse que não era confiável comprar pela Net. Quando ouvi isso fiquei impressionado…..”como assim?? você está me dizendo que a loja online da rede em que você é funcionária não é confiável”…..ela ficou sem palavras. Sai da loja muito revoltado com tudo aquilo, e comprei o mesmo Notebook na mesma loja online.
    Hoje paro refletir, um E-Commerce mesmo com a imensa complexidade e custo para sua implantação…ainda é mais barato você fechar todas as suas lojas físicas e continuar vendendo só pela Net. E muitos vendedores, principalmente em lojas de eletrônicos não estão ali para atender quem é familiarizado com tecnologia, pois eles não são preparados para nos informar nada…apenas para empurrar um produto a “qualquer custo” para nossos “bolsos”…..
    Quando você está comprando um produto em uma loja física o frente na maioria das vezes é gratuito……há um custo para levar o produto até a loja, e se, você pedir para entregar na sua casa, não paga mais nenhum centavo…..
    Em lojas online são apenas alguns produtos que o frete é grátis. Então não podemos particularizar as coisas…..e nem colocar a culpa no vendedor que é submisso aquela situação (…não tem preparação…) …e, ainda por cima ganha muito pouco. Se não fosse as comissões, coitados….
    Engraçados, as loja preferem que todos seus clientes comprem pela Net, pois é menos custoso, e mais cômodo para elas….
    Desejamos que futuramente tenham-se terminais online de compras em cada loja ou venda tudo pela Net…..melhor que ouvir besteiras dos vendedores…..mas em cidades pequenas o que sustem grande parte da economia é o comércio…e que será desses vendedores???
    Ps: Mas continuo revoltado com que a gerente falou da segurança em comprar pela loja online.

  22. Rádio ep450 disse:

    A charge diz muito!!! Gostei !

  23. Rádio ep450 disse:

    A charge diz muito!!! Gostei !

  24. Rádio ep450 disse:

    A charge diz muito!!! Gostei !