MENU

Escrito por • 06/07/2011

zynga: um meta IPO?

zynga: empresa americana que desenvolve jogos sociais, alguns dos mais usados e importantes [ou seja, rentáveis] dos quais rodam sobre faceBook. a série de jogos "ville" é conhecida e jogada por centenas de milhões de pessoas em todo mundo e depende de faceBook como a vida, como conhecemos, depende de água.

image

IPO: oferta pública inicial de ações, primeira vez que as ações de uma empresa são negociadas na bolsa. zynga quer atingir uma avaliação entre US$15B e US$20B no mercado americano no seu IPO, trazendo perto de US$2B para o caixa da companhia. coisa de gente grande. muito grande.

meta: do grego μετά, indica um conceito [ou situação, coisa] que é uma abstração de outra, relacionada. em certas situações o "meta" depende do conceito ou situação que abstrai, não podendo existir sem ele. se você quiser, pode tratar "meta" como a virtualização de algo que lhe serve de base.

fato: zynga não existiria [ou seria muito menos do que é] se não fosse faceBook. ao prover uma API [uma interface de programação aberta] para que terceiros desenvolvam seus programas sobre o grafo social que é seu negócio, faceBook promoveu a criação e evolução de toda uma classe de aplicações sociais e empresas que as fornecem para sua comunidade.

observação: qualquer movimento brusco, ou mal pensado, ou de efeito colateral indesejado, de uma plataforma como faceBook pode ser fatal para o nível meta, ou seja, para as empresas que dependem de faceBook ser o que é e evoluir, ele mesmo, junto com sua comunidade de desenvolvedores.

é isso que o mercado vai observar com cuidado e a precificar, dia a dia, assim que zynga começar a ser negociada em bolsa. 

por isso que a abertura do capital de zynga vai ser um meta IPO em mais de um sentido. é meta em si mesma porque será o IPO de um negócio que depende de faceBook pra quase tudo. e a sorte de zynga, e o público que carregar após o IPO, como usuários e acionistas, vai afetar também o IPO de fato que todo mundo espera para breve, o do próprio faceBook.

faceBook vai atingir o limite de 500 acionistas em outubro. até aí, pode manter em sigilo seu balanço. passando disso, tem que publicar seus números, o que deveria ocorrer pela primeira vez em abril de 2012. há quem ache que a companhia vai fazer seu IPO no primeiro trimestre do ano que vem, e que vai correr atrás de uma avaliação acima de US$100B, o que tornaria a abertura do seu capital a maior de todos os tempos entre as companhias de tecnologia, quatro vezes maior do que google em 2004.

primeiro, vamos ver o que vai rolar com zynga: no meio do caminho, há uma taxa a considerar, EV/EBTIDA, o valor do negócio dividido pelos ganhos antes de impostos, juros, depreciação e amortizações. tem gente dizendo que o EV/EBTIDA que vai resultar do meta IPO de zynga vai passar de 40… 46 pra ser mais exato.

se for, você não acha que o IPO de verdade, o de faceBook, não chegaria num EV/EBTIDA de 50?… pois é, o EBTIDA da companhia de zuckerberg já está acima de US$2B, e cresce de forma que até parece, no momento, que imprime dinheiro… o que pavimenta muito bem o caminho para um IPO de US$100B ou mais.

image

por outro lado, abril de 2012 está tão longe que, daqui pra lá, tudo pode acontecer. inclusive nada.

Artigos relacionados

0 Responses to zynga: um meta IPO?

  1. Felipe Camargo disse:

    Pelo poder e pela penetração social que tem demonstrado, acredito que o Facebook chegue, sim, aos esperados U$100BI. Mas, para isso, terá de fazer o que tem feito desde a sua fundação: se reinventar (sempre, o tempo).

    Na minha humilde opinião de usuário, o Facebook poderá se tornar enfadonho, e em bem pouco tempo, se não oferecer mais ferramentas que possibilitem maior personalização do perfil dos usuários.

  2. Felipe Camargo disse:

    Pelo poder e pela penetração social que tem demonstrado, acredito que o Facebook chegue, sim, aos esperados U$100BI. Mas, para isso, terá de fazer o que tem feito desde a sua fundação: se reinventar (sempre, o tempo).

    Na minha humilde opinião de usuário, o Facebook poderá se tornar enfadonho, e em bem pouco tempo, se não oferecer mais ferramentas que possibilitem maior personalização do perfil dos usuários.