por Silvio Meira

a lei, offline vs. online

a

hoje, um picopost, só pra gente saber até que ponto as coisas podem chegar quando algum espírito azerediano toma conta do pedaço. pra quem chegou de alfa do centauro ontem à tarde e ainda não sabe o que anda rolando por aqui, azeredo é o sobrenome do deputado que assumiu, como missão terrena, colocar a criminalização da internet.br à frente de seu marco civil.

An anonymous organization activist holds a mask in front of his face as he arrives at Paris court on October 27, 2009 for the trial of the Church of Scientology, classified as a sect, with seven of its members for illegally prescribing drugs. The court fined the Church of Scientology for defrauding vulnerable followers, but officials voiced regret that a recent change in the law prevented France from banning it outright. Scientology's Celebrity Centre and its bookshop in Paris, the two branches of its French operations, were ordered to pay 600,000 euros (900,000 dollars) in fines for preying financially on its followers in the 1990s.

tergiverso e o post pode ficar longo. vamos encurtar a história. anonymous é um não-coletivo de hackers que está em guerra não declarada contra partes do sistema, seja lá o que a gente entenda que é o sistema.

a polícia inglesa acusa quatro carinhas de fazerem parte do não-coletivo e, por isso, serem uma ameaça à lei e à ordem. uma corte de sua majestade, face a acusações que podem chegar a sedição, acaba de proibir os quatro de estar na rede usando suas personas online. podem usar o que quiserem, menos os nomes pelos quais são reconhecidos como parte do "grupo" que, como se sabe, não é "grupo" e que, anônimo e disperso, talvez nunca possa ser formalmente acusado de coisa alguma.

ocorre que um dos quatro acusados usa, como persona online… seu nome.

isso. exatamente o que você leu acima. consequências? a justiça inglesa cassou o direito de um de seus súditos de usar seu próprio nome online. transformou peter david-gibson, 20 anos de idade, de hartlepool, co. durham, em ninguém. peter frequentava a rede, imagine, disfarçado de… "peter". peter, uma ameaça global, disfarçado de… "peter". LOL…

há alguma coisa profundamente errada entre os céus e a terra. a lógica está deixando de ser entendida –e, quase certamente, de funcionar- e isso pode estar relacionado ao fato de que, no fim de semana passado, quase todos os meus chutes conseguiram, pela primeira vez em décadas, encontrar o caminho da "meta". dois deles, inclusive, teriam sido pontos olímpicos, não fosse o reflexo e maestria do goleiro.

as chances disso acontecer num mundo que mantém algum grau de coerência, garanto, são iguais a você receber, enquanto lê este texto, um SMS de oliver cromwell defendendo uma revisão das bases do poder na terra de sua majestade.

sei não, sei não. 2012 vem aí. cruzem os dedos…

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo