por Silvio Meira

a web, o social, os jornais

a

quanto maior a penetração de redes sociais…

maior a queda na circulação [paga] dos jornais. e o brasil é uma exceção. a circulação paga, por aqui, aumentou 20,7% entre 2005 e 2009, enquanto na áfrica do sul observou-se um aumento de 6,1%. se os dados dissessem a mesma coisa, do mesmo jeito, para todas as geografias, ou a áfrica do sul deveria ter tido um crescimento de 10% ou o brasil um de 12% [ou coisa parecida]. mas não foi isso que rolou.

podemos assumir que o aumento de penetração de internet e redes sociais, a níveis ingleses e americanos, vai diminuir a circulação paga dos jornais e a propaganda, neles, a ponto de inviabilizá-los? não se sabe: é o que vamos ver nos próximos dez anos.

sabe-se, ao certo, que o investimento de marketing na "midia" web já passou o rádio e está indo atrás das revistas e jornais, como mostra o gráfico abaixo para os gastos em anúncios no brasil em 2010.

image

meu chute? até 2015, os investimentos brasileiros em marketing na web [aí incluídas as redes sociais] serão superiores aos das revistas e jornais. e até o fim da década o investimento na TV aberta [excluindo esportes] vai estar igual ou menor do que os recursos destinados à web como um todo [aí incluídos os investimentos em mobilidade].

na década passada, vale lembrar, os investimentos em TV só cresceram 10%, o rádio caiu 10%, os jornais 40%… enquanto a web [no brasil] viu o aporte em marketing crescer três vezes.

mas… por que ainda cresce a circulação de papel em regiões como o brasil, méxico, quase toda áfrica, india e ásia?  será que é porque, nos países emergentes, ainda estamos chegando na fase de "ler um jornal [de papel}", coisa que o resto do mundo está começando a deixar de fazer?

é capaz: entre muitos efeitos similares, professores da rede pública de um número de estados brasileiros começou a ler jornais recentemente, como parte de políticas de melhoria da qualidade do ensino que entendem que os professores… devem ler jornais.

mas será que ler os jornais que os professores estão lendo tende a melhorar alguma coisa na qualidade do aprendizado a seu encargo?… especialmente quando se considera a qualidade dos jornais [excetuando-se os poucos, de sempre] que eles estão lendo?…

será [para o bem dos alunos e do futuro do país?…] que a maior parte dos professores que recebe o jornal como parte do pacote educacional de seu estado está usando a maior parte dos jornais para o fim a que o papel-jornal mais se presta, o de limpar vidros em geral e, onde não houver vigilância sanitária, embrulhar peixe?

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo