por Silvio Meira

de WIMP para… MPG?

d

o que você está vendo na figura abaixo…

image

…é a interface de "windows 8", que a microsoft anunciou recentemente, sem anunciar nada oficialmente. veja os detalhes neste link e o vídeo de onde tirei a imagem acima, postado pela própria microsoft, neste aqui.

a estratégia da microsoft é, sem dúvida, a de criar um conjunto de sistemas operacionais para smartphones, tablets e desktops [laptops e etc. incluídos] que tenha exatamente a mesma experiência de uso. o jeitão que você vai ver no vídeo curto, acima, está muito mais detalhado neste link; se tiver tempo, veja este último. tem muita coisa nova lá…

image

não por acaso, esta é a mesma estratégia de google [android rodando em tudo o quanto é plataforma] e, sem dúvida, é o que a apple pretende fazer.

a pergunta de mike elgan, ontem, é sobre a WWDC, hoje: como a apple vai trazer o tipo de experiência de uso representado por MPG [multi-touch, physics, gestures… ou multitoque, física e gestos] para o desktop? será que este é o grande anúncio da empresa de cupertino hoje?…

a interface a que estamos acostumados no desktop vem da década de 70 e atende pelo apelido de WIMP, um acrônimo para "window, icon, menu, pointing device" ou janela, ícone, menus e dispositivo apontador, que vem a ser o mouse em quase todos os desktops.

claro que não se trata, tanto no caso da microsoft quanto de apple e google, de pura e simples troca de interface. não só está havendo uma mudança radical nas estruturas que sustentam nosso uso das interfaces mas há um afunilamento no número de combinações de fundações e interfaces no mercado de computação como um todo.

claro que cada um de nós gostaria muito –e pagaria por isso- para ter a mesma experiência de uso no seu laptop, tablet, desktop, smartphone, TV, vídeo game, nos painéis de interação e controle do carro, máquina de lavar, geladeira, caixa automático e por aí vai. melhor ainda se uma aplicação feita para uma destas "plataformas" simplesmente "rodar" em todas as outras ou puder ser transportada de uma para outra com esforço mínimo por parte do desenvolvedor.

image

no passado distante, cada fabricante de hardware fazia seu próprio sistema operacional, as interfaces eram de linhas de comando [a experiência de uso, portanto, só era aconselhável para nerds] e algumas empresas até faziam as aplicações para seus computadores. mas isso era há uns quarenta anos.

só que todo mundo passou a usar sistemas computacionais, do caixa automático à web, passando por quase tudo com que interagimos, e tornou-se necessário empoderar o usuário comum, sem especialização em informática, no uso dos sistemas com os quais ele tem que interagir para, quase que literalmente, viver a vida contemporânea.

isso quer dizer que quanto mais simples e direta for a experiência de uso que nós temos nos sistemas, mais eficaz e eficientemente os usaremos e, aí, os usaremos cada vez mais. especialmente se as plataformas permitirem amplo acesso a aplicações que estendam as funcionalidades essenciais das plataformas, como já é o caso dos mercados associados a cada uma das plataformas da apple, google e microsoft. isso é bom pra todo mundo, usuário ou desenvolvedor de aplicações para smartphone, tablet, laptops e desktop, como o da figura abaixo…

neste jogo estão, para valer, microsoft, google e apple. lá na frente, do ponto de vista da experiência, está a apple, que deve anunciar em breve algo parecido com os vídeos da microsoft para seu sistema operacional e interfaces. lá atrás está google, que assume paulatinamente a liderança no mercado de smartphones mas ainda tem um longo caminho a percorrer nos outros formatos.

no negócio de sistemas operacionais há tanto tempo quanto a apple, a microsoft tem nada menos de um bilhão de usuários no desktop. o desafio da empresa é trazer este povo todo para o futuro, ao mesmo tempo em que captura parte do mercado de smartphones e tablets, juntamente com sua ampla cadeia de valor. improvável? não. este blog já discutiu o assunto neste link e há quem ache que a microsoft passa a apple, neste mercado, antes de 2015…

vamos escutar o que a apple tem a dizer. até porque é em parte por causa dela que MPG deverá tomar o lugar de WIMP em todos os formatos, nesta década. e o mundo da informática pode ficar muito mais interessante e animado por causa disso. perca quem perder do lado dos fornecedores, nós, usuários, só temos a ganhar.

PS: se você quiser ver a WWDC 2011, começa hoje às 1400h BSB, vídeo neste link.

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo