por Silvio Meira

fontes de informação: você acredita num blog?…

f

a tns saiu perguntando, pelo mundo afora [e excluiu o brasil, parte de RoW, rest of the world], em quem você confia quando o assunto é informação. e-marketer reporta a boa notícia: fontes online, amigos, jornais e TV estão na mesma classe de equivalência, com cerca de 40% dos pesquisados achando que os quatro são fontes igualmente confiáveis. 

image

o “fontes online” exclui os blogs pessoais, como se vê na tabela acima, que tem os dados dos EUA e canadá. menos de 1/4 de quem da fé ao noticiário online dá crédito, no mesmo grau, aos blogs pessoais. talvez não seja nenhuma surpresa, já que qualquer um, do nada e a custo zero, pode criar um blog, e danar-se a dizer tanta besteira quanto for seu tempo “livre”. o que implica em um certo custo de transação para que se estabeleça em quem, e porque, vale a pena confiar no universo dos blogs.

tempos atrás, este blog visitou este assunto em um texto [quem matou a blogsfera], e o resultado [nos comentários] foi um monte de blogueiros apopléticos, reclamando que não estavam mortos, que seu tráfego era isso-e-aquilo e coisa e tal. não estávamos sós, o blog ecoava nick carr, uma das fontes mais confiáveis e inteligentes da web:

mas… a blogosfera morreu e o artigo de nick carr começa… [Blogging seems to have entered its midlife crisis, with much existential gnashing-of-teeth about the state and fate of a literary form that once seemed new and fresh and now seems familiar and tired…] dizendo que os blogs, outrora inovadoras plataformas de expressão, estão enfrentando uma crise de meia-idade… e acaba dizendo que [Who killed the blogosphere? No one did. Its death was natural, and foretold] a blogosfera morreu de morte morrida; seu fim [como forma inovadora, revolucionária, massiva, de mídia] foi natural e previsível. e eu concordo.

a "mídia" [como o terraMagazine] entendeu o recado, descobriu que é bom [e dá audiência] ter textos soltos, leves, irresponsáveis até, em letras minúsculas, na hora em que querem entrar e sobre o que querem falar, sem editor, com a participação dos leitores, reclamando das minúsculas inclusive, dando opinião sobre tudo e todos, fora do contexto muitas vezes. a "mídia" demorou mas absorveu parte da anarquia da periferia e, ao trazê-la pra dentro de casa e reprocessá-la, continou sendo, em boa medida, o mesmo centro que sempre foi. esta é a "morte" da blogosfera a que carr se refere. quer ver ou fazer algo de novo? vá ver meu twitter [e crie um pra você, talvez].

no fundo, como os dados da TNS mostram, nick carr está coberto de razão. blogs pessoais se tornam referência só e somente quando conseguem se estabelecer como fontes críticas – no sentido de crítica e auto-crítica- do universo informacional de que tratam. os blogs “familiares” ou de “amigos”, feitos para uns poucos interessados, ou os “sectários”, que são de interesse de pequenos “imbecis-coletivos”, grupos de pessoas com inteligência, cultura e atividade acima da média, que se reúnem e cooperam para se imbecilizarem mutuamente… não chegam, nunca, muito longe. fora de seu círculo, nunca terão credibilidade. simples assim. ficarão fechados nos seus pequenos universos de crença e interesse e sobreviver, neste caso, já será um ótimo resultado.

há exceções? sim: a TNS descobriu que, na china e na coréia do sul, os blogs pessoais têm duas vezes e meia mais relevância do que na média no resto do mundo.

image

como a pesquisa não é qualitativa, não se sabe ao certo porque estes dois países dão tanta reputação aos blogs pessoais. mas se pode imaginar que o caso da china deve ter alguma correlação com o fato do país ter uma das imprensas mais estatais e controladas [para dizer o mínimo] do planeta. qualquer arzinho, no ar, por lá, é um furacão e terá tanta audiência quanto. vai ver que a mesma coisa deve ser verdade em cuba, irã, arábia saudita e quetais. mas estes países também são RoW e a TNS não passou por lá.

quanto à coréia do sul, o resultado pode ter a ver com OhMyNews, site de jornalismo cidadão criado em 2000 por oh yeon-ho, pra combater a imprensa extremamente conservadora e controlada do país. OhMyNews tem dezenas de milhares de colaboradores, com auxílio de profissionais de primeira linha, e não tá pra brincadeira: a primeira entrevista do então presidente-eleito roh moo hyunin foi para OhMyNews e não pra “rede globo” de lá. na coréia do sul, OhMyNews tem status de blog coletivo… e isso faz com que o país, por causa dele e de um número de outros, tenha blogs em conta bem mais alta do que no resto do mundo civilizado.

e no brasil, o que você acha que acontece? para suas observações e críticas, estão abertos os espaços dos nossos comentários. vá lá e crie sua tese, ou deixe –e demonstre- suas evidências.

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo