por Silvio Meira

um olhar muito espacial

u

2008-07-07_114412-lsst.pnga câmera do LSST [Large Synoptic Survey Telescope], instrumento científico que vai entrar no ar em 2015 para tirar uma foto do céu noturno a cada vinte segundos, vai ter 3 gigapixels [três mil megapixels] e vai custar US$200M pra construir. toda noite, o telescópio vai gerar 15 terabytes [trilhões de bytes] em imagens, o que vai somar alguma coisa com 7 petabytes [quatrilhões, ou números seguidos de… 000.000.000.000.000!] por ano.

o LSST é uma das novas ferramentas do que se [hoje] chama e-science, experimentos científicos muito complexos e de muito grande porte, cujo principal resultado direto é a geração, para processamento posterior, de vastas quantidades de dados. outro exemplo desta classe de é o LHC, maior acelerador de partículas do mundo [no CERN, em genebra], que vai gerar o dobro do volume de dados do LSST, alguma coisa da ordem de 100.000 dvd lotados de bits por ano.

e-science ainda é uma novidade. daqui a algum tempo, toda ciência será e-science, ciência apoiada, de forma muito intensa, por computação da pesada.

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo